segunda-feira, 14 de setembro de 2020

MAIS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O TREINAMENTO

Alguns aspectos importantes precisam ser obrigatoriamente considerados quando buscamos algum sucesso no treino, e quando digo sucesso, não me refiro apenas ao desempenho de alto nível, mas também a sua jornada individual com vistas a atingir os seus modestos objetivos e metas racionalmente estipuladas, por mais simples que pareçam ser. Um fator importante para atingir essas metas é, com toda certeza, não se ferrar com lesões angustiantes, cirurgias absurdamente caras e problemas de mobilidade ao longo desse processo geralmente longo e cansativo. Observamos que um dos grandes e mais comuns dilemas enfrentados por muitas pessoas - e consequentemente por muitos treinadores - são as persistentes dores nas costas e irregularidades anatômicas de postura, especialmente na região lombar e cervical. Quando novos praticantes apresentam esse pequeno "contratempo" - algo que é substancialmente comum - todas as ações que eventualmente deveríamos fazer dentro e fora da academia poderão ser imensamente comprometidos. E por mais paradoxal que isso me pareça, é justamente por esse motivo que a grande maioria de novos - e velhos - personal trainers e instrutores fogem de prescrever treinos com grandes cargas em exercícios livres, usando e abusando da seguinte afirmação insensata: "vamos evitar forçar a lombar, pois ela está muito frágil e debilitada, precisamos fortalece-lá antes usando esse aparelho aqui". Ora, negligenciar esses exercícios para evitar ter que lidar com esse problema, de forma alguma é uma maneira razoável de solucioná-lo. Igualmente inútil seria ignorar completamente essas características, onde aí sim, e com toda certeza, acabaria gerando uma lesão real e potencialmente perigosa. Enfim, conseguir resolver de forma efetiva essas questões pode ser o diferencial entre o sucesso e fracasso de toda uma vida de treinamentos intensos. A fraqueza acentuada nos eretores de espinha, que invariavelmente causará desconfortos dos mais diversos e estranhos será, sem sombra de dúvidas, determinante para se obter êxito no seu mais novo projeto fitness, e um sem números de neófitos no esporte desistem de treinar ou praticar alguma atividade física qualquer por causa que não conseguem desenvolver corretamente esse ponto fraco. Inclusive algumas destas pessoas que desistem já possuíam um  histórico considerável de horas e mais horas treinadas, litros e mais litros de suor derramado, muito estudo e dinheiro investido nos mais diversos métodos milagrosos que prometem um corpo digno do Olimpo em dois meses. Bem, o que segue nesse post são as minhas observações sobre como esse problema afeta TODA a periodização das habilidades a serem desenvolvidas, e as soluções - simples - que encontrei para solucioná-los. 


Como já disse em posts anteriores, eu acredito fundamentalmente na efetividade dos treinos básicos priorizando a força. Esses treinos, sem exceções, causaram uma certa sobrecarga coluna vertebral, e fragilidade no grupamento muscular que envolve a mesma certamente resultará em problemas, como o aumento além do desejável da sobrecarga nos discos intervertebrais e a incapacidade de se manter uma posição anatomicamente favorável. Ato contínuo, será instaurado um "vício compensatório" que geralmente procede na forma de que a amplitude satisfatória do arco do movimento não seja atingida, e os grupos musculares - e tecidos moles - mais fortes serão sobrecarregados excessivamente em detrimento da baixa inervação neural dos segmentos mais encurtados e fracos, acentuando ainda mais a discrepância e os desequilíbrios osteo-musculares. "A síndrome de dor lombar ocorre mais frequentemente em pessoas com músculos mais fracos ou desenvolvidos de maneira desproporcional, como a parede abdominal. O desenvolvimento apropriado da musculatura é uma condição para prevenção da síndrome de dor lombar" - (Zatsiorsky). Assim, as finalidades alcançadas e percepção de progresso por parte do atleta serão sistematicamente diminuídos, pois exercícios compostos feitos com amplitude exíguas geram resultados medíocres. Isso também terá como consequência que a maioria dos exercícios - ou todos eles - serão feitos com uma técnica péssima e sofrível de se ver, por mais que o aluno disponha de força de vontade e tenha entendido perfeitamente como deveria realizar a ação motora. É nessa pegada que as lesões aparecem, tendo como causa aparente os exercícios livres que acabam  ficando como vilões na história. Teoricamente, a culpa não é nem do exercício e nem do atleta, pelo menos não de forma consciente e direta, mas sim de uma deficiência ou inabilidade adquirida ao longo de anos de maus hábitos cinesiológicos. Ao continuarem nesse rumo de técnica pobre sem a devida atenção aos ponto fracos, mais dores surgirão, o que acabará, por fim, afastando de vez esses neófitos dos ginásios e da prática de treinamento resistido. 

Durante o levantamento de peso, uma carga extremamente grande sobre a coluna lombar pode ser reduzida pela elevação da pressão intra-abdominal, que atua como um suporte interno. Como resultado, a pressão sobre os discos intervertebrais pode ser reduzida em até 20%, em média, e em mais de 40% em casos extremos. Quando capacidade para levantar pesos máximos aumenta, a pressão intra-abdominal aumenta, promovendo um decréscimo na sobrecarga mecânica, que afeta a coluna vertebral. Para prevenir lesões na região lombar da coluna, é necessário reduzir ao máximo a carga sobre a região lombar e fortalecer os músculos desta região (criar um colete muscular). Entre as medidas profiláticas estão o alongamento muscular e a realização adequada da técnica esportiva. Grupos musculares que necessitam ser fortalecidos, além dos eretores da coluna, são os músculos da parede abdominal  e a musculatura curta e profunda das costas. Uma técnica esportiva adequada também previne lesões". (Zatsiorsky)

 



Quando o jovem "atleta" tem todos os músculos do corpo destreinados e frágeis é até compreensível que esse tipo de dificuldade ocorra, mas o que me entristece é que muitas e muitas pessoas que apresentam esse tipo de problema já vem de um bom tempo de treinos consistentes, alguns deles seguindo "protocolos milagrosos da internet" e até tendo treinado com "treinadores". Possuem alguma força, coordenação e consciência corporal nos membros inferiores, entretanto, ainda assim sentem dor extrema na lombar ao se fazer alguns básicos como o agachamento livre - o que muitas vezes me faz pensar que é algo totalmente desproporcional a intensidade utilizada -. Mas afinal de contas, porque esse tipo de situação acontece? Ora, por causa de treinos desleixados feitos EXCLUSIVAMENTE em máquinas e com exercícios isoladores mais fáceis de serem feitos e ensinados, onde se evitava como se fosse a pior praga do inferno os movimentos de puxar a barra do chão e o esforço real. Igual o gato que passa longe da água, eles passam  longe de exercícios de flexão e extensão de quadril, ou seja, justamente os que requerem ação acentuada dos músculos que previnem a síndrome de dor lombar. Definitivamente esse segmento muscular precisa ser treinado extensivamente, pois é o que garante a plataforma estável onde a força e boa flexibilidade podem se desenvolver quando bem treinados. Ao longo desses anos pude observar lamentavelmente que estes segmentos musculares estão abandonados e esquecidos nas academias, praticamente como se nem existissem de fato. E com toda certeza, essa é uma característica muito tangível em qualquer canto que formos averiguar. 


Jamais, em hipótese alguma, negligencie os treinamento destes músculos. Se o seu treinador não sabe como treiná-los, troque de treinador urgentemente. 


Um dos grandes impedimentos que enfrentamos aqui no país do carnaval com relação ao treinamento de força buscando a alta performance - ou seja, muita carga - é a ideia geral de que eles tem um grave e pronunciado risco de causar lesões sérias. Como dito em um outro artigo, estamos sufocados de "meias verdades" que são lançadas aos quatro cantos como exatidão dogmática inflexível . Obviamente que a combinação de ego e vulgaridade, execução desacertada, misturados com um pouco - ou muita - insipiência, sistematicamente causará lesões. E é precisamente nesse panorama nada otimista que as nossas academias, e todo debate cientifico acerca de treinamento país a fora se encontram. Além disso, nas faculdades há muito pouco - quando há alguma coisa - de didática sobre métodos de periodizações para LPO - e cinesiologia aplicada aos exercícios básicos. Isso se materializa na forma de que quase nenhum "professor" sabe muita coisa sobre como ensinar adequadamente os alunos a fazerem  agachamentos e levantamentos convincentes. E os que tentam ensinar, geralmente são criticados de alguma maneira estúpida pelos cientistas do esporte do instagram. Praticamente tudo que eu aprendi sobre esse assunto foi pesquisando por conta própria, e um dos livros que mais me ajudou e que eu sugiro que você leia urgentemente - especialmente se trabalha nesse área - é o livro do Rippetoe, "Starting Strength". Além de ser muito bem fundamentado cientificamente, ele é tão precioso pelo fato que o autor FOI um atleta de força, ou seja, sabe na prática se o que a ciência do esporte diz, faz algum sentido na prática diária de uma pessoa relativamente comum. Vale salientar que na minha humilde opinião, na área de educação e treinamento físico, a PRÁTICA é um componente substancialmente importante no currículo de quem se propões a instruir alguma coisa.  

Livro fundamental, que dá uma explicação bastante abrangente e convincente do porque devemos nos exercitar com barras, além de dar truques mentais que ajudariam a fixar o entendimento correto da execução dos exercícios até para o mais desqualificado dos alunos. 


Que é especialmente importante exercícios dinâmicos que movimentem várias articulações ao mesmo tempo, não é nenhuma novidade ou extravagância  para nenhum "professor" - apesar que muitos tentam fazer desse fato ÓBVIO uma redescoberta da roda - , mas neste ponto esbarramos em um outro problema, e este de cunho cultural mais ligado a nossa "brasilidade". A grande e triste verdade é que a esmagadora maioria de "profissionais de educação física" são negligentes, não tem a mínima vontade de ensinar, e vão pelo caminho aparentemente mais fácil. Entre tentar ajudar um aluno iniciante inepto e alienado a agachar com a barra livre de maneira minimamente descente, ou por ele para fazer aquela cadeira adutora inútil com peso risível - ou qualquer outro aparelho que faz 99% do trabalho sozinho - sempre com as mesmas 3x10/4x8, qual opção você acha que o nosso jovem professor metido e xavecador, doente por celular e redes sociais vai escolher? Ele simplesmente não se importa, não leva o treinamento a sério, por isso vivenciamos uma situação lastimavelmente tediosa nas academias, onde muitas e muitas pessoas não veem motivação para treinar, e quando finalmente treinam, não veem muito progresso. Os professores não estimulam o desafio, e assim não haverá a sensação de que um trabalho real foi feito, afinal de contas o ser humano precisa sentir que venceu e superou algo para se manter motivado. Como regra geral, as pessoas ficam o dia todo sentados em alguma cadeira lidando com burocracias, ai vão para casa e ficam sentadas no sofá e na mesa de jantar, ai percebendo essa situação deprimente por conta de algum problema de saúde, procuram alguma academia ou algo semelhante para se exercitarem, mas são capciosamente desnorteados quando percebem que também passaram  a maior parte do tempo sentados em aparelhos "biomecanicamente projetados para um movimento mais seguro que reduz o esforço". Ou seja, tudo continua igual em todos os malditos lugares.  

E eu sei muito bem que estaria sendo bastante injusto se disse-se que todo esse cenário é culpa única e exclusivamente dos professores. Como dito anteriormente, esse é um problema cultural, e na mesma mediada que o professor tem preguiça e pouca "inteligencia" para ensinar coisas mais complexas, o aluno tem preguiça de fazer coisas mais cansativas e de pensar de forma dedicada. Como já sabemos a muitos e muitos anos, a grande maioria dos frequentadores de academia só vão fazer uma social, tirar umas fotos, postar no instagram para parecer descolados e saudáveis. Uma outra parcela busca atalhos para um desenvolvimento ultra rápido - que nunca chega e nunca vai chegar, é lógico -, caçando formas milagrosas de "meter o shape" usando "hacks mentias" bem ao estilo coach de liderança. Poucos se interessam pelo treinamento real, pois treinamento real significa disciplina, cansaço, sofrimento e dedicação por anos. Estamos absorvidos pela cultura do agora, do imediato, todos querem ficar extremamente ricos e serem atletas amadores de elite com a vida perfeita antes dos 25 anos. Nessa pegada, muitos desistem quando percebem que as coisas não acontecem tão rápido quanto eles gostariam ou conforme lhes foi prometido que aconteceria, mesmo tendo a rotina dos bilionários, usando todo tipo de droga e truques mentais dos vencedores. Praticamente todos os meus alunos individuais dizem que provavelmente não viriam na academia caso fosse para treinar sem acompanhamento, e caso viessem, o treino seria bem ao estilo "levado nas cochas", e isso é muito gratificante de se ouvir, por um lado, mas por outro, é triste. Nós, enquanto professores, devemos ser o exemplo quando se trata de exercícios físicos. Tudo que cobramos dos alunos em termos de disciplina e dedicação, devemos, antes de qualquer coisa, ter feito em dobro. Por isso a educação física e o esporte precisam ser uma paixão para nós, sem isso as pessoas não terão a confiança necessária, não enxergarão verdade nas nossas palavras e afirmações. Devemos ser a motivação de todos que procuram começar e treinar, por que não duvide que o exercício físico bem feito pode e VAI mudar vidas, quando é ensinado com vontade, determinação e principalmente amor. Eu sei que os coachs do instagram dizem que o importante é criar uma imagem bonita para atingir mais pessoas e vender mais, muito pouco importa o conteúdo real e a individualidade biológica de cada um dos seus "clientes", só precisamos criar uma forma padronizada de treino que seja razoável a todos os públicos, e esperar os likes nos posts e os reais caírem na conta. Mas eu não acredito e não sigo essa filosofia, e acho que muito do fracasso dessa área se deva justamente por esse tipo de atitude. Treinamento, sem considerar a individualidade biológica de um por um dos atletas, é pura farsa e pilantragem. Desconfie desses métodos de sucesso dos vencedores, que servem para todas as pessoas que tem o mindset correto.  

Antigamente o exercício físico tinha importância fundamental desde o ensino primário, entretanto hoje em dia, já existem até propostas constitucionais de cortar fora a educação física do ensino primário. Por um lado eu entendo esse tipo de reivindicação, porque no geral, as aulas de educação física são no mínimo mal feitas, para não dizer outra coisa. A educação física escolar deveria ter como base os princípios de treinamento do atletismo, e não só jogos com bola... mas isso é discussão para outro tópico. A grande verdade é que isso reforça o nosso estilo de vida cada vez mais on-line e sedentário, onde, com a ampliação estrondosa dos trabalhos de cunho intelectual em detrimento dos braçais, entende-se que exercício é uma coisa absolutamente dispensável. Eles só esquecem do detalhe que o cérebro precisa de um corpo saudável e resistente para funcionar direito. Já é uma realidade que passamos a maior parte da nossa vida sentados ou deitados, na frente de alguma coisa eletrônica ligada a internet, operando robôs que até falam e pensam sozinhos, dentro de máquinas inteligentes com motor potente e rodas de liga leve que já se dirigem sozinhas,  ou dentro de titãs de metal com asas e turbinas supersônicas ou com sonar e hélices gigantes. Porém, apesar de toda essa tecnologia um dia inimaginável - que cria um ambiente controlado e nos livra da ação direta da natureza contra nossos corpos frágeis - a nossa constituição física e mental foi concebida para superar e se adaptar as intempéries da natureza, e isso significa que o que não exercitarmos, se atrofia-rá. Nossos sistema musco-esquelético existe para superar a força que a gravidade exerce nos nossos corpos, e quanto mais desafiador for o esforço, logo nossos músculos se adaptarão a ele se tornando mais fortes, e o inverso é verdadeiro, quanto menos esforço, mais atrofiados se tornarão, e quanto mais atrofiados, mais deteriorado todo o sistema se torna, sendo terreno fértil para todo tipo de doenças. E é claro que há todo um sistema de recompensas psicologicamente falando, quando desafios são vencidos. Mas essa atrofia devido ao desuso, é uma forma do nosso organismo poupar energia, pois ele ainda é configurado de uma maneira que deve sobreviver a qualquer custo aos períodos de estiagem - que praticamente não existem mais - onde a comida era difícil de se conseguir, e o perigo de morte violenta por algum predador sanguinário com garras ou com varas afiadas, era eminente o tempo todo. Nossos genes ainda não se habituaram a esse novo estilo de vida onde temos tudo na mão com um clique, fácil e rápido. NOTA: E eu também sei que dizer essas coisas hoje em dia já se tornou clichê, mas é sempre bom reforçar. 

Nem os nossos genes, e consequentemente nem o nosso corpo estão preparados para esse estilo de vida sedentário. Sem o componente "atividade física rigorosa" na nossa vida, diversos problemas posturais e de mobilidade começam a aparecer. Como dito anteriormente, passamos um considerável parcela das nossas vidas sentados ou deitados, e quando finalmente decidimos começar um plano de treinamento, nos preocupamos exclusivamente com as partes que podemos enxergar no espelho, as partes que não vemos são negligenciadas. Estou me referindo a toda cadeia posterior, ao qual, devido a essa estilo de vida é perigosamente atrofiada e tem péssima mobilidade e consequentemente, muito pouca capacidade de produzir forçaO planejamento de uma preparação de força racional, organicamente relaciona o trabalho para desenvolvimento da flexibilidade e aumento da capacidade de relaxamento muscular, evitando que a extensão do tecido muscular torne-se um obstáculo à manifestação da flexibilidade e força .

A cadeia posterior é formada pelos músculos espinhais, glúteo máximo, isquiotibiais, poplíteo, tríceps sural e os da planta do pé. Os comprometimentos desta cadeia são a protração da cabeça, desequilíbrios das curvas vertebrais, coxofemoral aberto, alterações do joelho e calcâneo (varo ou valgo), ângulo tíbio-társico aberto ou fechado. - (Souchard).  

Ao contrário do que muitos "especialistas de redes sociais" acreditam, não há relação de dependência entre o nível de desenvolvimento da flexibilidade e o tipo somático, a massa corporal e a superfície corporal do atleta. Entretanto, observamos uma relação entre a flexibilidade e o comprimento dos segmentos do corpo: quanto maior o comprimento das pernas e do tronco, menor a capacidade de flexão do tronco, o que significa que não é por acaso que as pessoas mais altas, geralmente, tem maiores problemas de postura. A flexibilidade é essencial na determinação do nível da maestria desportiva. "A insuficiência da flexibilidade dificulta e atrasa o processo das habilidades motoras, limita o nível de manifestação das capacidades de coordenação, velocidade e força, deteriora a coordenação inter e intra-muscular, diminui a economia de trabalho e aumenta o risco de danos aos músculos, tendões e ligamentos." - (Platnov).  A incapacidade de ativar o core eficientemente se dá em boa medida pela interferência que a falta de flexibilidade da cadeia posterior eventualmente terá, pois não há uma boa conexão inter-muscular devido a baixa inervação nessa região, resultado das prolongadas horas que passamos sentados nesse nosso estilo de vida insalubre. Músculos pouco usados vão perdendo ao longo dos anos, as suas terminações nervosas que são o que promovem as contrações musculares. Uma característica muito comum, e facilmente observável que expressa de maneira contundente essas características é a - hoje popular - retroversão pélvica e obviamente, as dores constantes nas costas. Importante dizer que a retroversão em si mesma não é algo preocupante no sentido de ser um indicador certo de uma lesão eminente, como muitos "especialistas" gostam de afirmar, ou pior ainda, uma justificativa plausível para se evitar toda a amplitude do ato de agachar. É um indicador que mostra que é necessário um trabalho focado em outros grupos musculares atrasados e flexibilidade.


Se não agacharmos profundamente, muita coisa estará sendo perdida. Se força e flexibilidade fossem treinados de forma séria por aí, imagens como essa seriam mais comuns. 


A retroversão pélvica, ao meu ver, é um padrão de movimento que acaba sepultando a capacidade de evolução de muitas pessoas, repetindo, não pelo seu potencial de lesão em si, mas por ser uma coisa "feia de se ver" que acaba fazendo com que o praticante ou o treinador do praticante, sujeira que seja evitado a grande amplitude nos agachamentos. Fazendo somente meios-agachamentos, esse problema jamais será resolvido. A retroversão é uma deficiência de flexibilidade, coordenação e um vicio de movimento que nós temos que enfrentar, e evitá-la não é a foma correta de proceder, até porque se você pedir agora para qualquer pessoa na rua ou na academia fazer um agachamento total com peso corporal, você vai notar que pelo menos 99% delas teria retroversão. Isso significa que o nosso estilo de vida é prejudicial, e não o agachamento, uma vez que se fizer o mesmo teste com crianças menores de 10 anos, você verá um movimento limpo, bem alinhado e estranhamente natural. Esse padrão indica, sem sombra de dúvidas, encurtamentos na cadeia posterior, e baixa atividade do abdome durante o exercício. Parar no ponto onde a retroversão começa - o que a grande maioria das pessoas fazem - vai apenas tornar essa região cada vez mais desproporcionalmente fraca, e quando eventualmente você resolver treinar de verdade e precisar da amplitude toda, as dores e aí sim, uma lesão podem vir a acontecer. Esse elo da corrente fica frágil, por mais força nas pernas que você possa vir a ter, e isso mais dia menos dia vai ser um baita problemão. Precisamos sim, fazer os agachamentos com grande amplitude, mesmo tendo retroversão, e obviamente superar esse problema fortalecendo a estrutura lombar, realizando metodicamente e comprometidamente alongamentos entre as séries, levados tão a sério quanto a necessidade de se por mais peso na barra.

A alternância de de exercícios orientados para o desenvolvimento das qualidades de força com exercícios para aumento da mobilidade nas articulações ajuda a garantir uma grande amplitude dos movimentos durante a maioria dos exercícios. Essa alternância afeta positivamente a eficacia dos programas de treinamento para desenvolvimento da força máxima e da resistência de força, além de provocar aumento da mobilidade nas articulações. Quando são alternados desse modo, os exercícios geram a manifestação acentuada de alterações escalonadas na flexibilidade das articulações."( Platnov)


Existe a muitos e muitos anos um extensa bibliografia sobre como os treinos para força tem a capacidade de estimulo do SNC e consequentemente aumentar as unidades motoras em todos o corpo. O que nós enquanto treinadores e praticantes precisamos fazer é aplicar esses métodos de treino de forma inteligente, juntamente com um bom alongamento para finalmente curar dores e a falta de mobilidade. 

É importante atingir um alto nível de desenvolvimento da flexibilidade e da força e garantir que essas duas capacidades evoluam ao mesmo tempo. Quando isso não acontece, a qualidade de uma com o nível mais elevado impede a manifestação completa da outra. Por exemplo, se não houver avanço no desenvolvimento da mobilidade das articulações, o atleta não conseguirá realizar os exercícios com a amplitude, a velocidade a e força necessária. Por isso, a metodologia de desenvolvimento da flexibilidade deve prever a equivalência entre essa qualidade e as capacidades de força do atleta e também garantir condições que permitam o conjunto de ambas. Deste modo, é possível alcançar a eficácia do desenvolvimento dessas duas qualidades e, o que é mais importante, permitir que elas se manifestem integralmente no treinamento e na atividade competitiva. Ao realizar os exercícios de força, o desportista deve buscar a amplitude máxima dos movimentos, condição obrigatória para o desenvolvimento simultâneo da flexibilidade. Deve ser dedicada especial atenção aos exercícios excêntricos, que pressupõe a manifestação das qualidades de forca e a mobilização das unidades motoras no momento da extensão dos músculos. O trabalho de caráter concessivo é acompanhado da diminuição do número de unidades motoras envolvidas e do aumento das cargas sobre determinadas fibras musculares, o que permite aumento da elasticidade. Na prática, é preciso selecionar os exercícios complementares e preparatórios especializados que criam condições para o desenvolvimento ou manutenção do nível de flexibilidade. Para isso, podem ser feitas pequenas correções em exercícios comuns ou algumas alterações na estrutura ou distribuição dos aparelhos de treinamento." - (Platnov)

Eu tinha muitos problemas com diversos alunos, dos mais variados tipos, ao se trinar exercícios livres e pesados como o agacho e levantamento terra. O movimento não ficava satisfatório, nem - como chamamos - "encaixado", muitas dores e um cansaço mental que vinha muito antes da falha parcial. Solucionei boa parte desses problemas fazendo uso aviltante de um exercício verdadeiramente salvador: HIPEREXTENSÕES. 




Esse exercício pode ser um "coringa" nos seus treinos, seja você o treinador ou o treinado. É simples, e não necessita que a pessoa tenha boa consciência corporal e coordenação para ser satisfatoriamente realizado com vistas a ativar efetivamente a lombar. Pode ser adaptado de muitas maneiras, e devido a angulação e o braço de alavanca muito grande que ele gera, não há necessidade de se utilizar muita carga para ser realmente difícil de ser feito. Segurar uma anilha de 20kg pode ser uma tarefa que poucos tem a capacidade de dominar, sendo intimidador até para praticantes mais experientes. 

Usei esse exercício para tratar alguns problemas posturais, algo entre  duas vezes na semana - umas 10-12 séries feitas - , iniciando apenas com peso corporal  para repetições altas, algo entre 15-20. Após 2-3 semanas dessa forma, passamos a adicionar carga, ao qual não fosse possível fazer mais que 10 repetições, com uma pausa em isometria na ultima repetição por uns 5-10 segundos. As ultimas séries, geralmente feitas sem o peso. Concomitantemente a isso, continuamos sempre executando exercícios de flexão de quadril, estes feitos para força mesmo, algumas séries não mais que 6 reps - para iniciantes tenho observado na prática que 6 reps difíceis em boa forma já pode ser um estimulo importante para força-. Também mantemos sempre o agachamentos ATG, mesmo com  um pouco (ou bastante) de retroversão. Surpreendentemente, seguindo esse protocolo simples, em um período de 2 meses, o arredondamento da coluna nos levantamentos e agachos, e as dores pronunciadas nas costas sumiram quase que completamente, e a qualidade dos movimentos - todos os feitos com barra - melhorou consideravelmente. Inclusive, esse exercício que andava meio esquecido na cultura física moderna, voltou a ter alguma visibilidade, dada a popularidade que o crossfit tem hoje em dia. Mas ele ainda é muito limitado a esse universo particular, não sendo aplicado de maneira na qual se faz necessário nas academias mais tradicionais. 


Esse é um aparelho excelente - baseado em um mais simples usado no treinamento olímpico de levantadores de peso e ginastas - que aqui no brasil dificilmente você  verá em algum lugar que não seja um box de crossfit. 

Outro exercício que eu posso dizer que é fundamental nesse processo de (re)aprendizagem é o ab-wheel. Depois de um pouco de prática, ele promove a capacidade de uma ativação abdominal fenomenal, e uma vez que boa ativação abdominal é fundamental nos levantamentos e agachamentos,  esse exercício estupidamente simples se faz angular nesse processo de aprendizagem. E sim, eu uso esse equipamento mesmo com iniciantes. Pela ativação abdominal, e também pela ativação lombar, praticamente todos meus alunos fazem esse exercício pelo menos 1x semana, de 5-10 séries. Existem algumas métodos bem simples de se aplicar ele com praticantes novos, como por exemplo limitar o movimento de frente a uma parede e alguns outros truques. É unanime a dor lombar, e quase inexistência da ativação abdominal no inicio do trabalho, mas com calma, e em pouco tempo, logo a ativação abdominal se torna pronunciada, e o que é mais importante, a capacidade de ativação e coordenação muscular que é transferível a todo tipo de exercício. Você que está lendo isso e tem alguma experiência com treinos, deve saber muito bem que muitos exercícios aparentemente bons não tem a característica de serem transferíveis a outros movimentos, o que não é o caso com o uso dessa rodinha. 

Konstantin Konstantinovs, um dos maiores basistas da história dizia que abdominais podem ser a pedra angular para grandes levantamentos, e um dos exercícios principais que ele utilizava na treino do core era... adivinhem... o ab wheel - e um cara que puxou 426kg sem cinto, completamente cru, deve saber alguma coisa sobre força abdominal - . Se você já possui alguma experiência no treino, fazer esse exercício com pesos, conforme está na foto, pode ser um grande novo estímulo para seu abdome, e a medida que evolui, perceberá que o levantamento terra fica BEM mais fácil de ser feito. 


Esses complementos relatados acima, podem ser o salvador de muitas costas, e o ajuste que faltava para uma boa execução nos exercícios básicos. Fora que promovem uma sensação psicológica muito bacana no aluno/praticante, a sensação de que o corpo está se tornando, outra vez, verdadeiramente funcional - esqueças as asneiras que você lê com relação a essa palavra popular no mundo fit, ela é mais simples do que querem que você acredite - ou seja, significa que pessoa está voltando a experimentar aquela sensação de que o sou corpo pode sim fazer coisas fantásticas quando bem treinado, e que o movimento constante é a condição essencial para a boa saúde humana em qualquer circunstancia. Mas sem uma base solidamente construída, nada pode ser feito de forma eficiente, e quando falamos de exercícios físicos em academias a base é, essencialmente, core, lombar, quadril e cintura escapular. Sem fortalecermos essas estruturas, a qualquer hora tudo pode desmoronar. Por isso é fundamental que os professores ensinem de forma dedicada essas coisas. Esse protocolo simples que eu passo para alguns alunos é realmente um divisor de águas, mas quando o praticante já possui mais experiência e vícios de movimento mais enraizados, talvez algumas coisas a mais precisem ser observadas mas detalhadamente. É unanime também a necessidade de alongamentos feitos para cadeia posterior por parte de todas as pessoas - mesmo as que não treinam - , porque sinceramente, eu acho quase impossível achar alguém hoje em dia, que não tenha problemas de mobilidade nesses tecidos e grupamentos musculares. 

A cultura da "maromba", especialmente no nosso pais, é contra alongamentos com a desculpa complementante retardada de que isso pode prejudicar a hipertrofia, além de acreditarem que é algo dispensável. Eu absolutamente não consigo entender de onde isso saiu. Entrementes, é importante que faça-mos alongamentos com frequência, principalmente se você pratica algum esporte mais dinâmico e com troca de direção/velocidade constante, como futebol ou basquete. 

Ultimamente eu uso rotinas de alongamentos entre exercícios, tendo cuidado com qual tipo de alongamento e que intensidade - % de 1RM - aplicar no exercício em questão. Mas nunca será de mais recomendar alguns alongamentos, mesmo que sejam os estáticos, após o treino, e alguma coisa de mobilidade e alongamento ativo antes de se iniciar um treino. Futuramente falaremos especialmente sobre esses pontos, assim como a importância do exercício aeróbico, que também é muito negligenciado pelos pseudo "marombeiros" e entusiastas brasil a fora.  

Forte abraço, até a próxima! 

sexta-feira, 15 de maio de 2020

O Caminho do Guerreiro - Um conhecimento Transcendental




"Não tenho pensamentos, por isso verei" 
 
---------- 

"Dom Juan meramente zombava de mim, chamando-me de egomaníaco disfarçado, que professava estar lutando contra a auto-importância e mesmo assim mantinha um diário meticuloso e superpessoal chamado de "Meus Sonhos". Sempre que tinha oportunidade Dom Juan afirmava que a energia necessária para liberar a atenção sonhadora de sua prisão socializante vinha de redistribuir nossa energia existente. Nada poderia ser mais verdadeiro. O surgimento da atenção sonhadora é um corolário direto da remodelação de nossas vidas. Já que, como disse Dom Juan, não temos como buscar uma fonte externa para reforçar nossa energia, devemos redistribuir nossa energia existente através de qualquer meio disponível. Dom Juan insistia que o caminho do guerreiro era o melhor jeito de lubrificar, por assim dizer, as engrenagens da redistribuição da energia, e que de todos os itens do caminho dos guerreiros o mais eficaz é "perder a auto-importância" . Ele estava totalmente convencido de que isso é indispensável para tudo que os guerreiros fazem, e por isso fazia um esforço enorme em guiar todos os seus alunos a cumprir essa exigência. Era de opinião que a auto importância não é apenas o inimigo supremo dos guerreiros, mas a nêmesis da humanidade.O argumento de Dom Juan era que a maior parte de nossa energia vai para o sustento de nossa importância. Isso fica mais óbvio em nossa infinita preocupação com a apresentação do Eu; com o fato de sermos ou não admirados ou amados ou reconhecidos. Ele dizia que, se formos capazes de perder parte dessa importância, duas coisas extraordinárias nos aconteceriam: uma, libertaríamos nossa energia da tentativa de manter a ideia ilusória de grandeza; e duas, daríamos a nós mesmos energia suficiente para entrar na segunda atenção e vislumbrar a grandeza real do universo". - Castaneda

----------


I
SOLIDÃO 

RESERVE algum tempo para si mesmo. Quando estiver em busca de sabedoria e clareza da própria mente, o silêncio será uma ferramenta valiosa. A voz do nosso espírito é suave e não pode ser ouvida quando compete com outras. É impossível ver o seu reflexo na água agitada, e o mesmo acontece com a alma. Em silêncio podemos sentir a eternidade dormindo dentro de nós. 

 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------


Se eu lhe perguntasse agora qual é o aspecto mais fundamental da nossa vida, ou seja, que característica devemos cultivar para atingirmos o nosso potencial máximo de desenvolvimento, o que você me responderia? Disciplina? Metas bem definidas? Saber exatamente o que quer para si? Ser pró-ativo? Talvez seja indispensável acreditar rigorosamente em Deus? Sem dúvida tudo isso é importante. Essas características devem ser o alicerce na vida de um "guerreiro", porém essas atitudes são efeitos e não causas em si mesmas, elas dependem de um elemento ainda mais básico e fundamental que serve como combustível para todo o resto. A primeira lição para se tornar um "guerreiro", e o que talvez seja a qualidade mais importante das nossas vidas desde sempre é aprender o que É e COMO economizar energia. 

"Não é exagero dizer que quem tem energia tem e pode tudo, ao passo de quem não dispõe dela será sempre pobre, mesmo se estiver nadando em riqueza" - Victor Sanches

Você com certeza já deve ter lido aqui no meu blog sobre a importância que a vontade, pura e simples, tem em nossas vidas e que todo o universo é energia - ou seja, é a forma "física" como a vontade se manifesta - "o todo é mental" (Kybalion). Mas talvez essas afirmações ainda não tenham ficado perfeitamente cristalinas no seu intelecto, uma vez que essa compreensão vai muito além da pura gnose racional e conceitual. Você sem dúvida pode ter entendido e assimilado o que eu quis dizer, entretanto isso não faz sentido de forma prática na sua vida. Provavelmente se deva pelo fato de que você está muito apegado a uma ideia falsa, ou melhor, uma ideia ilusória e reconfortante de mundo, que existe apenas na sua mente. Usualmente chamamos este atributo de crenças limitantes, e para mantermos essas crenças gastamos muita energia, que poderia ser usada para acessar outras amplitudes de percepção e racionalidade, expandindo infinitamente a sua consciência. O universo como um todo é muito mais amplo que as nossas ideias pré-fabricadas, e isso é bastante óbvio para qualquer pessoa  mesmo que semi-racional. Quando eu digo que o todo é mente, quero dizer que nada no mundo conhecido existe se a sua - ou a nossa - mente não existisse. Pare para refletir por um momento... perceba que tudo o que você reconhece externamente são apenas reflexos da realidade que a sua mente tenta codificar de forma racional para que faça algum sentido lógico para ela mesma. Mas essa codificação não foi aprendida ou criada por você, de maneira "natural", você aprendeu - ou foi doutrinado - desde a infância, assim como os seus pais foram antes de você e assim sucessivamente. É um fato comprovado que duas pessoas veem o mesmo acontecido de formas diferentes, mas afinal, por quê isso acontece? Porque a mente de cada pessoa é superficialmente diferente, e a maioria das pessoas está presa nessa superficialidade, que se estende apenas no mundo das ideias e dos pensamentos que aprenderam a ter ao longo das suas jornadas de vida. Tudo que aprendemos anteriormente a vida percebida pelos nossos sentidos sensoriais, fica obscurecido. Porém, como disse um mestre antigo, os pensamentos são como as ondas que quebram numa praia, vem e vão continuamente, mas a mente não é só isso, é como o oceano insondável. Existe algo mais fundamental, mais essencial e profundo e que é igual para tudo e todos os seres, e esse algo mais fundamental é o mesmo em todo o universo desde a eternidade e assim sempre será. É uma fonte infinita de sabedoria e de energia, e quando você começa a aprender a acessa-lá, tudo ao seu redor pode mudar! 

Lemos na Bíblia que: 

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.
Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.
Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.
Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

João 1:1-14
Qual o real significado dessas palavras, você aí já parou para pensar profundamente sobre elas, ou apenas entendeu o significado "literal" delas? Elas nos ensinam uma verdade muito poderosa, uma verdadeira chave mágica que pode transformar a sua compreensão sobre a vida, que inclusive é o tema de infinitas teorias e discussões de físicos e filósofos das mais variadas escolas de pensamento. Pergunta-se se tudo o que existe no universo, continuaria existindo se não existissem símbolos que representassem esses elementos e fenômenos de forma cronológica e intelectualmente consciente. Você sabe que uma árvore é uma árvore, e sabe que ela existe porque existe o símbolo "árvore" que lhe remete a uma possível ideia do que ela seja. Mas se esse simbolo que representa a árvore não existisse na cultura humana, a árvore continuaria existindo? Ou seja, se não tivéssemos um sistema de símbolos que categoriza tudo o que percebemos, o universo e tudo mais ainda existiriam? A nossa realidade aparente existe independentemente da nossa mente? 

"Quando nascemos, não há símbolos em nossas mentes, mas dispomos de um cérebro e temos dois olhos, e nosso cérebro já está capturando as imagens que chegam da luz. Começamos a perceber a luz, ficamos acostumados com ela, e a reação do nosso cérebro à luz é um filme infinito de imagens em nossa imaginação e em nossa mente. Estamos sonhando. Da perspectiva tolteca, nossa vida inteira é um sonho porque o cérebro está programado para sonhar 24hrs por dia. Quando o cérebro está acordado, há uma moldura material que faz com que percebamos as coisas de maneira linear; quando ele está dormindo, não existe essa moldura, e o sonho tem a tendência de se modificar constantemente. Mesmo com o cérebro acordado, temos a tendência de sonhar, e esse sonho também muda com frequência. A imaginação é tão poderosa que nos leva a muitos lugares. Vemos coisas na nossa imaginação que as outras pessoas não veem; ouvimos o que os outros não ouvem, ou pode ser que não ouçamos, dependendo da maneira como sonhamos. A imaginação dá movimento às imagens que vemos, mas tais imagens só existem na mente, no sonho...Tudo o que você percebe é um reflexo do que é real, exatamente como os reflexos de um espelho, a não ser por uma diferença importante. Atrás do espelho não existe nada, mas atrás dos seus olhos existe um cérebro que tenta dar sentido a tudo. Seu cérebro está interpretando tudo o que você percebe de acordo com o significado que você atribui a cada símbolo, com a estrutura da sua língua e com todo o conhecimento que foi programado na sua mente. Tudo que você percebe está sendo filtrado pelo seu sistemas de crenças. E o resultado de interpretar tudo o que você percebe utilizando cada coisa em que você acredita é o seu sonho pessoal. É assim que você cria uma realidade virtual completa em sua mente". 

A palavra é o seu poder de criação, que pode ser utilizado em mais de uma direção. Uma das direções é a impecabilidade, onde a palavra cria uma linda história - seu paraíso pessoal na terra. A outra direção é o mau uso da palavra, onde a palavra destrói tudo a sua volta e cria o seu inferno pessoal. A palavra, como um símbolo, tem a magia e o poder da criação porque pode reproduzir uma imagem, uma ideia, um sentimento ou uma história inteira em sua imaginação. O simples fato de ouvir a palavra cavalo é capaz de reproduzir uma imagem inteira na sua mente. Esse é o poder de um símbolo. Mas ele pode ser ainda mais poderoso que isso. Ao dizer apenas três palavras, "O poderoso chefão", um filme inteiro pode se desenrolar na sua cabeça. Essa é a sua mágica, seu poder de criação, e tudo começa com a palavra. Talvez você possa entender porque a bíblia diz: "No início havia Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus". De acordo com muitas religiões, no começo nada existia, e a primeira de todas as coisas que Deus criou foi o mensageiro, o anjo que entrega uma mensagem. Você pode entender a necessidade de algo que transfira informação de um lugar para outro. É claro que de lugar nenhum para lugar nenhum parece um pouco complicado, mas ao mesmo tempo é muito simples. Logo no início, Deus criou a palavra (verbo), e a palavra é um mensageiro. Então, se Deus criou a palavra para se transmitir uma mensagem e se a palavra é um mensageiro, então é isso que você é: um mensageiro, um anjo. A palavra existe por causa de uma força que chamamos de vida, intenção ou Deus. A palavra é a força; ela é a intenção, e por isso a nossa intenção se manifesta através da palavra, independentemente de que língua falamos. A palavra é muito importante na criação de tudo, porque o mensageiro começa a entregar as mensagens, e toda a criação aparece do nada. Lembra de Deus e Adão conversando e caminhando juntos? Deus cria a realidade, e nós recriamos a realidade com a palavra. A realidade virtual que criamos é um reflexo da realidade; é a nossa interpretação da realidade pelo uso da palavra. Nada pode existir sem a palavra, porque ela é aquilo que utilizamos para criar tudo o que conhecemos. -  Ruiz
 
Como pode ver, esses conceitos são mais profundos do que parecem. A palavra é a mágica pura, e, quando você adota esse primeiro compromisso de observar com cuidado como usa as palavras, a mágica simplesmente acontece na sua vida. Suas intenções e seus desejos chegam com facilidade porque não há resistência, não há medo; tudo que existe é amor. Você está em paz e cria uma vida de liberdade e realização em todos os sentidos. Basta este compromisso para transformar completamente a sua vida em seu paraíso pessoal. Esteja sempre consciente de como está usando a palavra e seja impecável com ela. Isso nos remete a afirmação de que o verbo cria absolutamente tudo que existe na nossa percepção. O verbo é a imagem e semelhança de Deus e antes disso, É Deus porque cria e está em todas as coisas. O mau uso delas será a sua ruína. Desperdiçadas, acabaram com a sua energia pessoal, te esgotaram aos poucos. Uma ferramenta poderosa que é utilizada de forma irracional e estúpida pelas pessoas que transitam inconscientemente pela vida, que usam a palavra contra eles mesmos, só pode gerar dor e sofrimento diminuindo e próprio poder pessoal de quem as usa de forma errada. O silencio externo e principalmente INTERNO é o primeiro passo para ir além desse padrão auto destrutivo, até porque existe muitas coisas que as NOSSAS palavras não explicam. 

Porque lemos em textos sagrados que quem morre no pecado, perece no inferno eternamente? Eu sei que tem muitas pessoas céticas que leem esse blog, e talvez falar sobre isso pareça não ter sentido prático algum, porém eu acredito que elas sejam verdadeiras. Da mesma forma que o tecido entre real e irreal, sonho e vigília pode ser quebrado, o tecido do tempo também pode ser desfeito. O tempo, só existe no nosso mundo material e na nossa mente racional que necessita fazer comparações a todo instante. Quando morremos, o tecido material deixa de existir da mesma forma que a capacidade da mente em fazer comparação a partir de determinado acontecimento não é mais possível, o que sobra, nessas circunstâncias, é a inexistência de "tempo" junto com medo, a confusão, o desespero, a perturbação, o sofrimento, literalmente o inferno ... que, uma vez onde o tempo não existe mais, serrá eterno. A sua mente mais fundamental não deixa de existir depois da morte, e se você não tiver um livre acesso a essa parte em vida, quando morrer, tudo será confusão e desespero. O pecado dito nas escrituras sagradas em todas as religiões te afasta da sua mente primordial, o EU essencial ou consciência prístina - te joga na confusão dos sentidos sensoriais apenas. O pecado não é um pecado contra Deus em si, mas é contra você mesmo que afinal de contas, é Deus também. É um autoflagelamento que se torna mais tarde, a sua ruína. Você pode se lembrar dos momentos que talvez tenha estado no "fluxo", de como o tempo passou sem que você tenha notado. Meditadores profundos conseguem ficar tantas e tantas horas parados, imóveis na mesma posição porque não sofrem mais os efeitos dos sentidos físicos e simplesmente não percebem o tempo, assim como o sujeito que está num estado de genialidade em alguma tarefa. E quando perguntados sobre esses estados de consciência, é unânime sentirem uma sensação indescritível de felicidade, realização e bem estar. Isso é fato, por mais místico e impossível que pareça para você agora. Assim como um sonho maravilhoso que temos, onde não existe um ordem cronológica exata do tempo passando, a vigília pode ser desprendida da contagem do tempo, se você se comprometer com a verdade, se você concentrar a sua energia a parar de desperdiçá-la com instagram

"Em contraste a consciência substrato, que pode ser vista como estado fundamental relativo da mente - que é onde nos encontramos normalmente, ou seja, a mente do macaco -  a consciência prístina pode ser caracterizado como estado fundamental absoluto da consciência. Também conhecido com consciência primordial, a realização dessa dimensão fundamental da consciência é o tema central da prática Dzochen. Esse estado implica o estado mais baixo de atividade, com o maior potencial e o maior grau de liberdade possíveis da consciência. Indivisível da consciência primordial está o espaço absoluto dos fenômenos - onde a intenção ou vontade se manifestam - que transcende a dualidade dos espaços interno e externo... Desse espaço - não dual da consciência primordial - emergem todos os fenômenos que compões o mundo que experienciamos. Todas as experiências dos espaços interno e externo, do tempo, da matéria e consciência emergem do espaço absoluto dos fenômenos, consistindo em nada mais do que configurações desse espaço. No vácuo limitado e relativo do substrato - como no caso do sono profundo -, os eventos mentias específicos de um individuo emergem e se dissolvem de volta nesse espaço subjetivo da consciência. Mas todos os fenômenos através do tempo e do espaço emergem e se dissolvem de volta no absoluto espaço dos fenômenos - um vácuo infinito e atemporal.  A realização experiencial do espaço absoluto pela consciência primordial transcende todas as distinções entre sujeito e objeto, mente e matéria e, na realidade, todas as palavras e conceitos. Esse insight não implica o encontro de um modo subjetivo da consciência como um espaço objetivo, mas, sim, a realização não dual da união intrínseca do espaço absoluto e da consciência primordial. Enquanto o espaço absoluto dos fenômenos é a natureza fundamental do mundo experienciado, a consciência primordial é a natureza fundamental da mante. Todas as distinções entre sujeito e objeto, mente e matéria, são consideradas meras fabricações conceituais. - Wallace

Na medida em que eu fui me aprofundando nos meandros do desenvolvimento espiritual, eu percebi que realmente não existe diferença entre sonho e realidade, entre dormindo e acordado, entre dentro e fora, entre morte e vida... na verdade não existe dualidade. Não existe mais ou menos importante, por isso eu publiquei aquele texto sobre tornar a vida um ritual, mas acredito que muito poucos tenham notado a profundidade da coisa. Tornar a sua vida em um ritual consiste em entender que absolutamente tudo que você fizer, tem importância pois a energia que você usa para falar mal dos seus vizinhos e colegas de trabalho é exatamente a mesma que você usa para desenvolver a criatividade e empreender projetos pessoais importantes . Só se vive agora, não existe amanhã ou ontem. Entenda de uma vez por todas que essas concepções não passam de ilusões que drenam a sua energia e te deixam num estado de letargia mental e física. Eles funcionam como o "stress" da vida moderna, são alimentadas com pensamentos e sentimentos danosos, mas na verdade não existem. Você pode se estressar constantemente com as atitudes do seu chefe que você acha pau no cu, mas os seus pensamentos compulsivos sobre como ele é um cretino, ou sobre como é inútil o trabalho urgente que ele exige que você faça, não mudam em nada a natureza dos fatos do agora, só alimentam veneno emocional. Os seus pensamentos ou desejos sobre o futuro e passado são iguais.  Pois bem, esse tipo de estratificação quem faz é a nossa mente racional na busca de auto-preservar uma imagem de si mesma que também não existe. Este foi um processo desenvolvido ao longo dos séculos pelos humanos, e na antiguidade era uma forma útil de preservar a vida, mas o monstro acabou se tornando incontrolável e somos feitos de escravos pelas palavras e conceitos que nós mesmos criamos, perfeitamente como Deus havia dito lá para os primeiros habitantes do mundo que aconteceria. A racionalidade é o caminho que nos afasta cada vez mais do essencial e nos priva da energia renovadora, porque ela precisa ser constantemente reforçada pela utopia da dualidade para fazer algum sentido.  

Um antigo Nagual disse: "energeticamente todos os seus atos são importantes, e tem a mesma relevância". Incorporar essa frase talvez te faça perceber a importância que por atenção máxima no momento presente, em cada tarefa que faça por mais simples que seja, fará a partir de agora na sua vida. Todos os lugares onde você aplica a sua vontade, a energia usada é a fundamentalmente a mesma. Sua mente sempre tenta desviar sua atenção do que está acontecendo aqui e agora para pensamentos aleatórios que não significam absolutamente nada, são vazios por completo, para ela, a coisa mais importante é ela mesma e todo o resto é secundário. Tudo o que você passa de bom ou ruim, foi a sua mente que criou geralmente com base em si mesma, nas crenças que a reforçam. Quando você começa a observá-la, vai notar padrões que sempre se repetem, começam fracos, vão ganhando força com as suas emoções, e a medida quer você reforça esses "padrões" com novos pensamentos, eles vão ganhando mais força até se tornarem incontroláveis. Mas perceba que há um observador neutro além dos seus pensamentos. Há uma conversa incessante na nossa cabeça de nós com nós mesmos, a nossa mente fala sem parar escoando essa energia inutilmente, mas perceba por um instante que há alguém ouvindo, porém, sem participar da conversa. É uma força ou presença silenciosa que sempre está ali. E agora reflita que os momentos em que essa presença silenciosa estava mais "intensa" em alguns momentos da sua vida, estas foram as horas que você se sentiu mais realizado, mais completo, mais capaz, mais criativo, mais feliz, enfim... parecia que uma força sobrenatural estava te guiando sem você precisar fazer esforço...pensando. O bushido significa aplicar perfeitamente essas máximas, eliminado todo o ruído de mente e focando no essencial. Agindo assim, naturalmente nos tornaremos mais honrados, e principalmente, não teremos mais medo da morte, característica fundamental para qualquer Samurai.   

"À luz dessa visão neurocientífica percebemos diretamente as imagens geradas no cérebro com os cinco sentidos, mas essas não são representações verdadeiras de algo que existe independentemente do cérebro. Essas impressões sensoriais de cores, sons, cheiros, etc. não são mais tangíveis do que pensamentos ou sonhos. Embora pareça que experienciamos as cores, e assim por diante, como se existissem no mundo objetivo, independente de nossos sentidos, isso é uma ilusão, muito parecida com um sonho".  - Wallace



Toda essa conversa deve estar parecendo muito exotérica de mais e "viajada" para os caras que estão aí lendo e se acham os "realistas" mais objetivos. Eu sei disso porque um dia estive desse lado, do lado puramente objetivo. Mas a parte objetiva da vida, ou a parte das percepções sensoriais propriamente dita, é apenas a ponta do iceberg. O universo subjetivo é muito maior e mais amplo e á fonte de energia necessária para lhe colocar em um outro patamar de percepção, criatividade a atividade muito superior ao da média. Enquanto estiver preso no mundo puramente objetivo, ou melhor, no mundo das SUAS ideias, se encontrará numa espiral de frustração, preso na camada do eterno retorno. Fazendo uma leitura sobre descrições de como seria o inferno, você irá notar um semelhança terrivelmente latente entre o eterno retorno e o inferno. Como eu disse, estar nesse nível de consciência é usar palavra  de forma errada e ela vai te aprisionar. A palavra dita sem necessidade, dita para machucar ou envenenar outras pessoas ou você mesmo, é o combustível que alimenta energias baixas e esse padrão funciona num modelo de retroalimentação (OUROBOROS). Você precisa romper esse padrão que esgota o seu poder pessoal, precisa a aprender a economizar energia para aumentar a sua capacidade de percepção. O caminho do guerreiro é, em essência, economizar energia. Simples. Significa, literalmente, deixar de ser tão REAL ou MATERIAL. 

"No curso natural de uma vida, a consciência substrato é repetidamente experienciada no sonho sem sono e, finalmente, se manifesta no momento da morte. Um contemplativo pode sondar conscientemente essa dimensão da consciência através da prática de shamatha, no qual os pensamentos discursivos se tornam latentes, e todas as aparências de si mesmo, dos outros, do próprio corpo e do ambiente desaparecem. Nesse ponto, como nos casos do sono e da morte, a mente se recolhe para o interior, e os sentidos físicos se tornam latentes. O que resta é um estado de consciência clara e radiante, que é a base para o surgimento de todas as aparências no fluxo mental de um individuo. Todos os fenômenos que se apresentam à percepção sensorial e mental estão imbuídos com a clareza dessa consciência substrato. Assim como os reflexos dos planetas e das estrelas em um lago de água límpida e cristalina, também as aparências de todo o mundo dos fenômenos surgem na consciência substrato clara e vazia. A consciência substrato pode ser caracterizada como o estado fundamental relativo da mente individual, no sentido de implicar o estado mais baixo de atividade, com o mais alto potencial e maior grau de liberdade que podem ser alcançados com o esvaziamento da mente através da prática de samadhi. Por exemplo, uma vez que o fluxo individual de consciência tenho sido catalisado de seu próprio substrato no sono sem sonho, ele pode se manifestar livremente numa vasta diversidade de paisagens oníricas e experiências. Essa criatividade excepcional é também exibida sobre hipnose profunda, em que também se explora a consciência substrato. Mas esse potencial é mais efetivamente acessado quando se penetra com lucidez na consciência substrato, por meio da quiescência meditativa. Nesse caso, a pessoa está vividamente consciente do substrato, em oposição ao embotamento que normalmente caracteriza o sono sem sonho. Os contemplativos budistas relatam que essa realização totalmente consciente do estado fundamental da consciência dá acesso a um vasto manancial de criatividade, que está bastante obscurecido nas experiências normais do substrato, enquanto estamos dormindo ou morrendo". -Wallace 

Eu venho praticando shamatha todos os dias religiosamente. Ela implica em aperfeiçoar a nossa capacidade de concentração, nos tornando perenemente conscientes. Sem dúvida, não é algo fácil, mas é libertador. Com o aprofundamento dessa técnica, os conteúdos da psique vão sendo liberados das profundezas da mente, e não são coisas bonitas de se sentir e ver.  Muitas vezes senti um medo terrível ao estar consciente das coisas que brotavam das profundezas do meu ser. Esse conteúdo oculto é o que nos faz ter a tendencia de sempre repetir os mesmos erros que estamos habituados a cometer. Ao começar a conhecer esse interior, podemos entender qual as suas origens e assim eliminá-los por completo acabando com as aflições mentais que tanto nos afligem.  Jung explica muito bem esse tema, para quem tiver curiosidade, assim como Allan Wallace. Essa imagem acima representa o percurso do praticante de shamatha irá enfrentar até a "iluminação". O elefante é a nossa mente e o macaco os nossos pensamentos e desejos. 


Como foi dito, seus pensamentos, especialmente os auto-destrutivos, vão te submeter a um estado de esgotamento físico e mental porque geralmente usamo-os apenas para reforçar um ideal de autoimportância que fazemos de nós mesmos e crenças limitantes sobre coisas que não entendemos. Essa autoimportância talvez seja o maior mal da humanidade, pois é apenas o reforço de uma ilusão gigantesca. Você não é o que pensa que é, muito menos é importante o quanto pensa que é. A sua mente te fez acreditar nisso, ela está agora mesmo te sabotando, cortando a conexão com essa energia primogênita que é a verdadeira fonte para a grandeza e o vetor que leva ao caminho do guerreiro. "A mente humana é uma realidade virtual" - que só é verdadeira para nós mesmos, entenda isso de uma vez. Toda a realidade percebida é uma obra de arte da nossa mente, que absolutamente não significa de forma alguma que seja A verdade. Podemos manipular infinitamente essa percepção e a representação que faremos dela, e as palavras - sejam elas ditas ou pensadas - são a maneira pelo qual fazemos isso. A palavra é o instrumento mágico dos homens, pois a partir delas criamos o que quisermos, podemos enfeitiçar ou prejudicar outras pessoas. Elas são o fruto proibido que tem o poder de nos jogar no inferno por tempo indeterminado. O homem foi lançado para longe do paraíso quando conheceu a palavra, pois ela é a fonte que dá origem as conceituações, que consequentemente acabram criaram uma cisão, uma dualidade. Existindo a dualidade, o paraíso foi retirado do homem, a as aflições encontraram espaço para se desenvolver e a nossa única alternativa foi engrandecer o EU, pois o divino se tornou um "estranho" distante, impiedoso e indiferente com relação a nós pobres seres humanos mortais.. 
Os xamãs do México antigo achavam que a autoimportância, a imagem exagerada que fazemos de nós mesmos, ou a importância despropositada que damos a nós mesmos, ou a preocupação excessiva com o "eu", era um dos maiores pontos de escoamento de energia do ser humano, e um dos seus maiores inimigos, no sentido da dificuldade hercúlea que é derrotá-lo. É uma luta diária e infindável afim de controlar o ego e todas as suas artimanhas, principalmente com os estímulos e influências externas que sofremos, que nos deixam cada dia mais fracos. Gastamos uma quantidade enorme da nossa pouca energia preocupados com o que os outros estão pensando sobre nós. E nossa história pessoal e todos os seus grilhões e expectativas pesam muito nesse aspecto. Ficamos tão preocupados com nossa imagem social, que em algum momento gastamos toda nossa energia tentando equilibrar esse circo todo que armamos em volta do nosso ego. Como um artista de circo equilibrando 200 copos. Assim, não conseguimos prestar atenção em mais nada. O foco está todo no "eu" e nas suas expectativas, anseios e frustrações. Expectativa de ser o melhor, de ser querido, de ser admirado, de ser bajulado, de ser notado, de ser correspondido, de ser amado...e por aí vai. E uma enorme decepção e culpa quando não conseguimos essas coisas. Nesse ponto, já estamos travando batalhas que não são nossas. Nosso nível de energia está lá embaixo. Isso tem que ser resolvido antes de qualquer empreitada no caminho do conhecimento espiritual.

Toda essa energia gasta com nosso auto-reflexo precisa ser redirecionada para fins mais produtivos. E para isso é fundamental que saibamos uma coisa importantíssima: Os Xamãs Toltecas arrancaram a máscara da autoimportância e o rosto que viram por baixo da máscara foi o da autopiedade. Autoimportância é autopiedade disfarçada de alguma outra coisa. Toda forma de exacerbação do "eu", toda aberração do ego, é na verdade um reflexo ou um sintoma de pena de si mesmo. A autoimportância é um mecanismo do ego para lidar de forma indireta com seu sentimento de inadequação, que nada mais é que sua autopiedade. Entenda muito bem isso: Quando você para de sentir pena de você mesmo, quando cessa sua necessidade de aprovação alheia, quando você para de mendigar atenção e amor,você muda sua visão de mundo e de você mesmo. Você começa a enxergar a inutilidade e a loucura que é gastar toda sua energia para suprir expectativas de outras pessoas, ou para provar algo para alguém. Você começa a travar as suas batalhas e seguir o seu caminho com coração. Suas ações e decisões ganham mais consistência e sobriedade. Com sua autopiedade morta, sua autoimportância desaba, pois ela não se sustenta sozinha. Um véu se descortina, e seu caminho se torna mais lúcido e abrangente. Sua energia redirecionada aumentou seu poder pessoal, e sua percepção e conexão com o Espírito - a energia - vão se limpando. Um sentido de humildade perante o Infinito ganha força, e a certeza que somente suas atitudes impecáveis podem lhe levar a liberdade. A autoconfiança do guerreiro tem que vir de dentro, derivando da sua impecabilidade, e não de fora, através de aprovações e opiniões alheias. A impecabilidade do guerreiro é um gesto seu para com o Grande Espírito, e não para a plateia. Portanto não se esqueça: Se você quer acabar com sua autoimportância não ataque o sintoma...vá direto na origem do problema: acabe com sua autopiedade.

Depois de tudo isso você deve estar se perguntando: mas porque diabos fazer isso, algo que é essencialmente tão simples, serio o caminho do guerreiro (bushido)? Guerreiros não fazem coisas mais "grandiosas"? 





Te convido a refletir mais uma vez: quando você ouve a palavra "guerreiro", qual é a primeira qualidade ou característica que vem a sua mente?  Coragem talvez. Colhões? Perícia no que faz? Sem dúvida. Certamente estas são características fundamentais em um bom e genuíno guerreiro, mas indo um pouco além da superfície, como um homem comum que almeja trilhar o caminho do guerreiro consegue adquirir essa qualidades? 

Ora, evidentemente a característica substancial do homem que quer cultivar essa qualidades de guerreiro é ausência de autoimportância. Você só poderá ser corajoso o suficiente se não der tanta importância para sua própria segurança, esquecer os seus medos e as suas necessidade de conforto. Você só poderá ser perito em algo, se abdicar das suas vontades pueris para focar toda a sua energia em alguma tarefa - geralmente entendiante - por muito tempo. Você só terá colhões quando puder agir livre e criativamente e para isso, é necessário se desvincular dos rótulos sociais e autoimpostos nos quais você tenta se enquadrar. Vejam que todas as qualidades do guerreiro tem a base na redução ou ausência da autoimportância. Um dia eu escrevi um texto que dizia que a qualidade primeira da masculinidade é SERVIR, se doar em prol de alguma coisa maior. E eu ainda acredito muito nessa premissa, e a vida vêm continuamente me provando que essa é uma verdade indiscutível. Servir rigorosamente aos desígnios do Eterno começa a partir do momento que reduzimos o nosso senso de importância pessoal, o que consequentemente fará diminuir ou eliminará de uma vez essa impressão de dualidade que temos com o infindável. Isso é algo tão óbvio, tão explicito mas infelizmente pouquíssimas pessoas se dão conta, e as doutrinas religiosas atualidade não explicam esse tipo de coisa, só reforçam esse senso de dualismo.  A percepção e capacidades "paranormais" existem, nós só precisamos ter a energia - ou concentração - suficiente par acessar esses níveis de presença. 


O Berserkergang também é uma forma de xamanismo onde a primeira lição para quem deseja conseguir um possessão e todas as vantagens adicionais que ela pode proporcionar é: aprender e anular os efeitos das suas ideias, pensamentos e principalmente as crenças sobre o que é ou não é possível fazer como seres humanos. Assim como lemos nas filosofias religiosas orientais, seria se tornar vazio, pois só dessa forma estaremos devidamente capacitados encontrar ou perceber uma identidade animal, e finalmente incorporá-la, agindo poderosa e livremente num nível de eficácia muito maior do que a nossa mente conceitual pode considerar possível. Bem, os feitos dos guerreiros loucos e enfurecidos chamados de berserkers, que lutavam sem nenhuma proteção, não demonstravam nenhum tipo de medo, tinha uma habilidade de batalha, força e resistência incomparáveis,  e até poderes de cura impossíveis para os humanos normais são bem conhecidos pela história. Evidentemente eles não existiam apenas na Escandinávia, foram e são as tropas de elite dos exércitos dos mais diversos tipos de povos. Ou seja, tudo se resume a reduzir a influencia dos seus pensamentos e aplicar toda a sua concentração unicamente neste instante, toda sua presença deve estar aqui e agora, e em mais nenhum lugar. A licantropia é encarado por nós como um folclore, mas é real, assim como os vampiros. No futuro teremos textos explicando essas coisas e muito maias, um em especial um se tratando do Drácula, a sua mágica, e o que podemos aprender com ele.


Você acha isso apenas folclore de um povo antigo e burro? Por um acaso a loucura, e todo o mal que um ser humano afundado na loucura pode fazer é menos real que o seu computador? 
 

Lendo dessa forma, tudo parece muito simples e prático para ser verdade. Qualquer idiota consegue isso com um pouco de esforço não é mesmo. Será? Faça um teste, quanto tempo você consegue ficar imóvel onde está, sem se entreter com nada, apenas observando, antes de ser tragado pelos seus pensamentos? Tente não pensar em nada, não de atenção as coisas que passam na sua mente, se concentre apenas nas sensações do seu corpo. Nos conte nos comentários quanto tempo conseguiu fazer isso sem se distrair. Se estivesse numa situação de morte certa, de muita dor ou pressão psicológica, quanto tempo iria aguentar antes que fosse tragado completamente pelos sentimentos de medo, agonia e desespero? Pois é, agora a coisa já  não parece mais tão fácil ou simples. Por mais que não pareça, esse é um trabalho de uma vida toda. Mudando as suas atitudes hoje, não será amanha ou depois, mês que vem e nem ano que vem que você será outra pessoa. Isso leva tempo, e muito empenho e prática, assim como qualquer outra coisa que vale a pena. Mas é preciso dedicação e perseverança. A primeira coisa é começar a notar o quanto suas ideias ilusórias influenciam as suas decisões e estado de espírito. O quanto seus dogmas fazem você desperdiçar uma quantidade enorme de tempo e energia simplesmente para mante-los parante terceiros. O quanto viver dentro da sua caixa de zona de conforto te atrofia, perceba como a criatividade a alegria pela vida não tem meios de aflorar nesse ambiente hostil a qualquer vislumbre de concepções diferentes das quais você acredita que lhe parecem corretas.   

Sempre me vem a mente aquela velha recomendação sobre ser menos disponível, ou inacessível. A aqui vamos muito além de uma simples técnica para sucesso em relacionamentos amorosos. Na verdade, não tem nada haver com isso. Ser incessível diz respeito a tocar o mundo com moderação e não se expor em situações que esgotem o seu poder pessoal, ou seja, a sua liberdade de tomar decisões, não se expondo desnecessariamente só por capricho do seu ego. Isso nos lembra daquela máxima helênica que dizia que as palavras ditas são nossos mestres e as palavras não ditas são nossas escravas. A impecabilidade significa alinhar as suas ações com as suas palavras, e uma vez que você fale mais o que devia, você começa se tornar escravo de um EU imaginário, aparentemente melhor que o seu EU real - porque ele nasce de um tentativa de atender expectativas de ouros seres que nada sabem sobre você realmente -, o que causa uma dissonância cognitiva e logicamente é o fruto de muitos desequilíbrios psicológicos. Por isso, evite PENSAMENTOS e PALAVRAS desnecessárias, evite se por em situações que você é apenas um expectador sem vontade própria. Você só pode ser responsável pelos seus ATOS a PENSAMENTOS, a forma como você reage ao ambiente externo, que na maioria das vezes não temos nenhum controle, também é da sua responsabilidade. Lembre-se, todo o universo é mental, e a forma com o qual você reage os acontecimentos é sua responsabilidade. Ninguém te obriga a nada, você que escolhe ter expectativas irreais, e depois se frustrar, se decepcionar, se iludir com elas. 

"Na ausência de distrações ficamos frente a frente com a nossa própria mente, e se ela estiver seriamente desequilibrada, sentiremos implacavelmente essas aflições mentais, sem amortecimento, sem distrações e sem ter para onde escapar"  

Por isso é tão difícil permanecer imóvel sem se entreter com nada. Por isso o tédio e a ansiedade são tão comuns. No momento da morte, a única coisa que nos resta é a nossa própria mente e exatamente por isso, a morte é tão temida na sociedade ocidental. Todos, de alguma forma, percebem o quanto estamos confusos e desequilibrados. A mente distraída é o nosso problema principal na busca por esses objetivos, porque ela é uma constante de escoamento de energia. A distração esgota rapidamente a potência e a característica vital da nossa mente, que é a atenção unifocada. Para quebrarmos o tecido separador entre realidade e sonho, entre interior e exterior,  entre divino e humano, para quebrar o encadeamento que nos faz achar que tudo é dual e não único a ferramente exclusiva disponível é a concentração poderosa (shamatha). Mas para isso, necessitamos de energia, e quanto menos distrações mais energia concentrada. 

"Você descobrirá nesse treinamento que os limites entre os eventos conscientes e inconscientes muda na dependência do grau de relaxamento, estabilidade e vivacidade da atenção"

Não é raro relatos de meditadores profundos, ou mesmo pessoas de muita fé como Santos, relatarem ter visões com divindades ou demônios, da mesma forma que grandes artistas ou homens de determinação inabalável relatam ter visões ou terem visitas dos seres de outras dimensões. Assim como eu já afirmei em outros momentos, a mitologia passa muito longe de ser apenas folclore, isso para quem tem ouvidos para ouvi-lá. O mesmo poderíamos dizer desse tipo de relato. Por um acaso, as aflições mentais são irreais? A muito é discutido que a real causa de TODAS AS DOENÇAS físicas na verdade tem sua gênese na mente, assim como os processos de cura e mudança verdadeira também ocorrem a partir da psique. Ou seja, esses fenômenos absolutamente não são menos reais que o computador ou celular no qual você está lendo essas palavras agora. Se você não consegue perceber, ou acreditar nisso, infelizmente esse texto não lhe servirá de muita coisa e ainda será necessário você trilhar um longo caminho de autoconhecimento que um dia lhe mostrará irrevogavelmente essa e outras verdades. O verbo se fez carne, a carne só existe por causa do verbo. Os demônios são reais, assim como os anjos e operam as atividades humanas, basta você compreender como eles se manifestam. Essa atividade mental é a  inteligencia suprema de todas os fenômenos possíveis e impossíveis, e observando a mente, concentrando a nossa energia podemos perceber nitidamente a presença dessa inteligência silenciosa que está em todas as partes. A mágica nada mais é que uma intenção poderosa e concentrada, os estudos exotéricos e místicos mostram que esse poder pode alterar a realidade percebida pelo simples fato de que tudo está diretamente interconectado por essa força. A sua intenção bem direcionada pode e vai mudar a sua realidade. Você é o único agente que pode transformar o inferno num paraíso e vice-verça. 


Não alimente, ou não reafirme com novos pensamentos e ideias as suas atitudes nocivas. Quando fazemos algo errado, alguma coisa nos diz que estamos errados, e a nossa autopiedade nos faz reforçar essa sensação de vítima das circunstâncias, que nos faz achar que devemos ser livres de julgamentos e principalmente, de responsabilidades. Dessa forma o mundo se vira contra nós, o destino se torna cruel. Quem aqui não conhece a pessoa que faz tudo errado numa vida torta e se acha injustiçado pelo acaso? Podemos pegar exemplos de casos extremos, mas reajustando o nosso foco perceberemos que todos estamos agindo exatamente dessa maneira também, em maior ou menor grau. Esta é a autopiedade em ação. Não tenha dó de si mesmo, e nem tente justificar os seus atos passados, simplesmente aceite as coisas como são, mude a sua cabeça - que é o que você pode realmente controlar - e tenha em mente que é urgente ser impecável com as palavras. Tudo o que você fizer e pensar, você deve verdadeiramente ser capaz de fazer, então se concentre nas coisas que você realmente pode fazer. E lembrese, a mágica SEMPRE volta para o feiticeiro. Observe com cuidado qual tipo de mágica você está transmitindo.  


Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós,

Efésios 4:29-31
------------------------------------
 "A arrogância nasce da insegurança. Orgulho é diferente. Nasce da dignidade, da autoestima e do autorrespeito. Todos nós vemos o mundo através do prisma da nossa identidade. Se a nossa autoestima é baixa, afeta tudo o que fazemos. O objetivo da vida é colaborar com os outros, mas sem certo autorrespeito, as vezes é difícil até fazer café da manhã. Um cavaleiro tem orgulho da sua caligrafia. Ele é cuidadoso com a sua cela, botas e armas. Limpa e cuida de suas ferramentas, animais e de si mesmo. Ele carrega as próprias malas. Os laços das botas são amarrados com firmeza. Sempre pontual, um cavaleiro não é relapso com o tempo dos outros. Não há sujeira no paraíso, e estamos aqui para tornar a terra tão paradisíaca quanto pudermos. Um cavaleiro é o melhor tipo de servo: deixa cada local por onde passa mais radiante e limpo. O ambiente ao seu redor reflete o seu estado mental. A atenção constante aos detalhes treina a sua mente a ser observado e conscienciosa. Um cavaleiro sabe onde deixou a sua caixa com sílex e, quando a tira do bolso, o tecido dentro dela está seco. Um cavaleiro não precisam que lhe digam quantas flechas sobram em sua aljava. A responsabilidade, a ATENÇÃO e o AUTOCONHECIMENTO são seus aliados. O descuido é o seu inimigo. Sua mente não está no futuro. Ele está plenamente comprometido com o que está fazendo.  - Código de um Cavaleiro

sexta-feira, 27 de março de 2020

Pelo amor de Deus, pare de reclamar sobre o fechamento da sua academia. Apenas faça algo. Qualquer coisa! E não importa o quê.


por James Lewis 

Se você não percebeu, eu tenho me inclinado muito fortemente ao tipo de educação entretenimento educativo por razões que não pude descobrir, mas, assim como no meu interesse em esportes de força específicos, meu interesse por tópicos intelectuais é mais explícito do que a tela de uma cabine numa loja de pornografia decadente. Olhando para trás ao longo dos anos, estive em ondas definitivas de erudição e exibições vulgares de poder intelectual, e embora atualmente esteja num tipo de pesquisa, as circunstâncias determinam que eu me lançasse na porra de um hyperdrive e consertasse as pessoas, porque a maioria de vocês está agindo como um bando de crianças pequenas, fracas e mentalmente débeis devido ao fechamento da academia.

O fato das pessoas estarem histéricas não deveria ser, mas É um choque para mim. A humanidade tem o dom de ter a capacidade de falhar em cumprir até a menor fé do caralho na grandiosidade de nossa espécie, e o absurdo desta semana só deve surpreender otimistas como eu, que se recusam a acreditar na realidade dos humanos como uma tremenda espécie-rebanho de onívoros violentos. E, por mais que você queira pensar, isso não é uma opinião - é confirmada por cientistas sociais.

“No fundo, os seres humanos não são inovadores corajosos e autoconfiantes, mas sim,  cuidadosos e experientes conformistas. Realizamos e imitamos ações aparentemente impraticáveis porque isso é a chave para o aprendizado de habilidades culturais complexas e porque os rituais criam e sustentam as identidades culturais e a solidariedade das quais dependemos para a sobrevivência. De fato, copiar os outros é uma maneira poderosa de estabelecer relacionamento social. Por exemplo, imitar a linguagem corporal de outra pessoa pode induzi-la a gostar e confiar mais em você "(Wood).

Percebo que nesses tempos de tumulto, é natural procurar algum tipo de consolo na rotina, mas se você ignorar a singularidade da situação que enfrenta, além da liberdade-recém-descoberta de fazer o que quiser, terá perdido uma lição valiosa a ser colhida nesta quarentena. Você perderá sua chance de ser um Audie Murphy proverbial. Quando você poderia brilhar como uma lenda, preferiu procurar abrigo no meio do rebanho. Talvez se você se contentar em ser simplesmente um de muitos, isso não lhe incomode, mas se você tiver interesse em ser uma pessoa que as pessoas se lembrarão muito tempo depois de deixar o planeta, forjar seu próprio caminho é necessário, se for ocasionalmente doloroso, esse mal você deve suportar.


"Só serei verdadeiramente livre quando todos os seres humanos que me cercam, homens e mulheres, forem igualmente livres, de modo que quanto mais numerosos forem os homens livres que me rodeiam e quanto mais profunda e maior for a sua liberdade, tanto mais vasta, mais profunda e maior será a minha liberdade." - Mikhail Bakunin
Como Bakunin, eu me vejo invariavelmente constrangido pelas atitudes ao meu redor que gritam por obediência às normas sociais que reviraram a porra do meu estomago. Se você é o tipo de pessoa que quer enlouquecer e acha que ter uma planilha do Excel estabelecendo séries e repetições para fazer alguns pullups fará de você uma pessoa melhor, você realmente deve procurar o método de envio mais conveniente e oportuno para abandonar sua debilitada esperança na vida. Você não precisa de um  maldito programa para exercícios esporádicos durante o dia, assim como não precisa de um para respirar ou cagar.


Acontece que alguns de seus supostos levantamentos eram besteiras, mas ele ainda era foda.

Você é um adulto, pegue o lixo e aja como um. Agitar seu braço proverbial no ar e gritar sobre sua situação nas mídias sociais faz com que você pareça nada mais do que um retardado covarde e fraco. Se essa é sua bagagem, que droga para você - agora vá se foder, porque se olharmos para o registro histórico, encontramos pessoas que enfrentaram muito mais adversidades que jamais enfrentaremos e ainda saíram por cima.


  • Bruno Sammartino: refugiado de guerra que buscava comida na natureza até a adolescência;
  • Hermann Goerner: que lutou na Primeira Guerra Mundial e perdeu um olho e um monte de carne por causa de 200 estilhaços de granada antes de se tornar um strongman profissional, continuou a treinar pesado mesmo depois de passar um tempo num campo de concentração nazista por sua participação no partido dos Trabalhadores e num campo de prisioneiros Russo, depois da guerra;
  • Monohar Aich:  que passou anos em uma horrível prisão britânica na Índia depois de dar um tapa em um oficial britânico por insultar a Índia, posteriormente agachou  com 660lbs @154.



  Ele era pobre, 148cm, preso por cinco anos por algumas besteiras ... mas ficou assim quatro anos depois e ganhou o título do culturismo mais prestigiado do mundo.

“Sem nenhum equipamento, Aich treinava sozinho, às vezes “12 horas por dia”, bombeando ferro em seu corpo com pura determinação. Tocados e impressionados com a perseverança de Aich e sua conduta exemplar, as autoridades da prisão organizaram uma dieta especial enriquecida com estimulantes para que ele desenvolvesse sua resistência”  - (Pandya).

Se você gostaria de agir como um maldito adulto com dignidade e respeito próprio, escrevi longamente sobre como eu treinei na cadeia e como outras pessoas em todo o país treinam na cadeia, além de uma infinidade de artigos sobre o treinamento com peso corporal. Se você está perdendo alguma coisa começar a fazer essa merda em quarentena, não é que você não tenha o conhecimento necessário - é que você não tem a vontade de ser durão com recursos limitados.

Aqui estão alguns artigos que devem acender uma fogueira pelas próximas semanas:


https://plagueofstrength.com/you-dont-have-to-train-in-gym-to-be/

https://plagueofstrength.com/i-aint-sweet-like-that-dieting-and-3/

https://plagueofstrength.com/i-aint-sweet-like-that-dieting-and-2/


Pessoalmente, eu apenas escolhi uma parte do corpo ou um movimento e, em seguida, apenas o fiz durante todo o dia, seja roscas com elástico, pullups, flys no TRX, braços no TRX, agachamentos livres ou overhead press com elástico. O volume me deixou incessantemente no "pump" e levemente dolorido, e estou disposto a apostar que saio dessa maior e mais forte do que era quando entrei, mesmo se a academia permanecer fechada por mês e eu fizer tudo sem peso. Atualmente, meus vários aparelhos de treino equivalem a uma barra fixa que peguei na Amazon, uma imitação de TRX na Amazon, alguns elásticos Elite FTS de várias forças e uma ab whell. Embora tivéssemos pensado em ir a ferros-velhos locais e procurar pesos de sucata, estamos tentando economizar o máximo de dinheiro possível caso a quarentena se arraste. Uma coisa que estou pensando em adicionar à mistura é um Gorilla bow e seu conjunto de bandas de resistência ultra-pesadas, que oferece 320lbs de resistência. No total, isso custaria US$ 230 dólares e parece que poderia dar a alguém um treino decente a esse preço.

Não é exatamente o ideal, mas é uma opção.
Francamente, essa merda teria sido muito mais conveniente dez anos atrás, antes que os posers decidissem que tudo deve ser Eleiko ou nada - você costumava receber anilhas ruins por US $ 0,30 a libra, e agora tudo é uma grana a mais por libra, que é absurdo. Por que babacas cretinos e idiotas insistem em treinar com anilhas de precisão-calibradas-por-usina-molecular é um mistério que nunca vou resolver, mas, neste momento, não posso determinar o raciocínio por trás das ações da maioria das pessoas além da pura estupidez.

Se você não extrair mais nada deste artigo do que uma frase, que seja essa: se eu posso fazer bons exercícios sem pesos, qualquer um pode. No momento, geralmente consigo alguns singles decentes com 495lbs no agachamento frontal, mesmo sem treinar as pernas mais de uma vez a cada dez ou catorze dias, e eu ficaria perfeitamente bem com ou sem repetir 320lbs por horas a fio por algumas semanas . Todos os meus pesos de treinamento estão em pé de igualdade com isso, e eu vou ficar bem com um arco e alguns elásticos resistentes, então é lógico que vocês também deveriam. Na verdade, eu provavelmente acabarei com as pernas melhores no final de um mês com gorilla bow do que antes.

Experimente o treino de agachamento na prisão de Mike Tyson.

Vá correr.

Fique bêbado e levante rochas pesadas num rio.

Faça um monte de barras fixa e flexões.

Ele está decepcionado com nós.

Ou simplesmente faça literalmente qualquer coisa que não seja o que a maioria de vocês parece estar fazendo, que é uma coisa sem fim sobre o que você não pode fazer ou sobre como você não pode fazer absolutamente nada. Descubra o que você pode fazer e, em seguida, faça essa merda.


-----------------------

BÔNUS (com uma reflexão)


Uma coisa interessante para se refletir que ocorreu com esse corona, que é algo que todo mundo falava alguns anos atrás que não aconteceria mais que aconteceu é: o aumento do controle social que a mídia tem! Argumentava-se que com o aumento do uso da internet, esse tipo de manipulação midiática seria impossível. Observando hoje, na MINHA OPINIÃO, eu acredito que essa tese se mostrou falsa. O controle da mídia está MUITO MAIOR que antes com a ajuda da internet, isso sim. 

Pessoal bradava sobre a "liberdade de opinião" que a descentralização dos meios de comunicação - que de certa forma realmente ocorreu - causaria, porém os grandes monopólios televisivos TAMBÉM se apropriaram dessa nova realidade, mas de forma sorrateira. Provavelmente eles mesmos criaram essa nova realidade. Eu acredito que muitos e muitos yotubers e sites políticos e semelhantes, com roupagem de serem "pensadores independeres de qualquer meio de comunicação" são na verdade agentes disfarçados trabalhando em prol da oligarquia midiática de sempre. Com a aparência de serem auto suficientes, apenas reforçam as regras ditadas pelos grandes meios. Lógico que alguma coisa boa saiu disso, que foi a disseminação um pouco mais livre de algum mínimo de material que fuja desse escopo. Mas analisando de uma forma ontológica, esse é um preço barato que esse monopólio pagaria pelo benefício próprio maior.

Prova disso foi o que ocorreu, algo que foi inédito na história da humanidade. A histeria coletiva e o pensamento de rebanho PARARAM O MUNDO, literalmente. 

Outra coisa que muito se fala pelos meios de comunicação e discursos politicamento corretos é sobre a maravilha que é o GLOBALISMO - mesmo tendo como base argumentativa o fato que a porra de um vírus que saiu sabe-se lá de onde na China, fodeu o mundo inteiro. O argumento é que somos todos humanos, estamos todos conectados, o mundo precisa se unir, não existe mais fronteiras  e blá blá blá ... Realmente, não existe mais fronteiras. Somos um rabanho gigantesco de uma massa amorfa e sem pensamento individual que é obrigada e seguir regras vindas de algum lugar. Simplesmente não temos opção. Alguns dizem que o capitalismo é liberdade. O capitalismo multinacional, assim como todos os regimes comunistas estão em prol do globalismo e do governo universal. Eu pergunto, isso é liberdade?

Sim, a nossa vida é mais "fácil" do que em tempos pré-industriais, sem dúvida. Mas a custa de quê esse conforto foi adquirido? A vida de um boi que vive num confinamento é mais fácil do que um que vive solto na natureza. Mas o que acontece com o boi do confinamento se ele resolver tentar fugir do seu regime? Ele tem essa opção, ou seja, ele pode optar por uma vida mais dura longe da proteção do "abatedouro" que tem um script e final já bem conhecido por esse boi?

Idiocracy

Com ou sem vírus, estamos subordinados ao governo e necessidade de gerar valor financeiro para que a roda gire. De uma forma ou de outra, sempre estaremos amarrados e isso é triste de se pensar de certa forma. Independentemente do modelo governamental que existiu no mundo, o cidadão comum sempre esteve a mercê de alguma coisa, porém essa coisa parecia mais próxima, mais real e tinha mais significado para o homem trabalhador que só quer cuidar da própria vida. Hoje, o governo global tirou isso das pessoas, a espiritualidade das coisas. Trabalhamos porque precisamos de dinheiro e queremos ter uma vida tranquila, ok, mas é só isso? Que propósito eu estou buscando além de viver como um porco na engorda? Não temos uma noção de significado porque tudo se tornou, em última analise e afinal de contas, GLOBAL.

A crise atual de depressão ao qual as pessoas se encontram se dá justamente quando acordam para esse fato. Seu trabalho, suas preferências, sua vida é absolutamente e totalmente substituível e insignificante para a máquina como um todo. Quando somos jovens, com fé no futuro, temos a impressão de sermos únicos. Eu gosto disso, ouço isso, faço aquilo, sou diferente - e essa sensação de individualidade é importante para o psicológico, especialmente o masculino - ... mas com o passar dos anos percebemos que todo mundo faz, gosta e pensa as mesmas coisas. Nosso senso de propósito se perde e só resta a frustração. Nosso espírito está morto junto com a nossa liberdade.  

Eu gostaria de estar trabalhando com as minhas coisas normalmente, fazendo minhas atividades normais - sim, fazendo a roda girar - pois a minha rotina é um ritual mas eu não posso e não tenho o que que fazer com relação a isso também. Eu particularmente me sinto castrado nesse momento, porque mesmo que eu tenha a obrigação de trabalhar, sinto que em algumas ocasiões, em alguns espaços, posso agir mais livremente e isso é libertador. 

Em última análise, ter dinheiro e uma espiritualidade forte é a nossa única forma de fazer a vida um pouco mais original. Até porque o nosso lazer também foi cortado. Simplesmente sou obrigado a seguir o fluxo junto com o resto do gado. Se o governo resolver manter isso por tempo indeterminado, não teremos dinheiro, nem comida, se sairmos na rua seremos presos e o caos estará instalado ... que poder nós enquanto cidadãos "democraticamente livres" temos? Nenhum. O que a democracia vale a final de contas? Nem a opção de querer trabalhar nós temos.

A maioria de idiotas venceu, o governo e o regime globalista venceram.

Se a maioria de vagabundos usam a desculpa de "prevenção" para não precisarem fazer nada e receber igual, temos que aceitar, e lá no final, vamos ter que pagar essa conta também. A decisão cabe a eles e não a nós. Onde o governo não consegue atingir, a mídia chega, criando o pânico em todas as pessoas que de bom grado se submetem ao estado SEM PERCEBER. A prova disso é esse vírus que não é tão letal quanto a histeria faz parecer que é.

Enfim, pensando em dar uma luz ainda mais forte para vocês que se encontram perdidos, resolvi disponibilizar esse simples, porém efetivo manual que eu desenvolvi para alguns alunos meus. Não há segredo algum, apenas, conforme dito acima, simplesmente fazer alguma maldita coisa. 

MANUAL DE TREINO EM CASA TREINO CODVID-19 - POR HÉRCULES

O que posso fazer enquanto estou em quarentena em casa, atoa e sem fazer nada?


  • Faremos treinos com peso corporal. A melhora nesse tipo de exercício requer um ALTO VOLUME (muitas séries e repetições) ao longo da semana, e não necessariamente a utilização de uma carga extra, o que já facilita um bocado a realização do treino, uma vez que poucas pessoas possuem aparelhagem adequada em casa; 
  • Faremos treinos cardiovasculares. A melhora na capacidade de oxigenação durante o exercício (VO2MAX) não requer grades espaços ou aparelhos potencialmente caros. Lembrando também que “cardiovascular” é diferente de “aeróbico”;
  • Flexibilidade. Ela não só pode como DEVE ser treinada em qualquer lugar (sim, flexibilidade é uma capacidade física treinável e importante);



PRINCÍPIOS BÁSICOS DE TREINO A SEREM APLICADOS 


  1. “Fullbody” – esqueça métodos que são eficientes em salas de musculação onde há uma enorme variedade de aparelhos específicos para cada grupo muscular e capacidade física. Treinos fullbody são mais eficientes para o treinamento cardiorrespiratório e gasto energético, fora que vários treinos poderão ser realizados ao longo da semana;
  2. Pliometria – ao contrário do que muita gente pensa, exercícios pliométricos também não requerem aparelhagem cara e sofistica. O uso desse métodos melhora principalmente o controle motor ou coordenação inter-intra muscular, mas também força e flexibilidade; 
  3. Calistenia – assim como os exercícios pliométricos, eles melhoram o nosso controlo motor e consciência corporal, mas antes disso são um ótimo treino de força básica – estimulo do SNC – além de serem extremamente simples de serem aplicados. Esse tipo de exercício há a necessidade de não ir sempre até a FALHA TOTAL. Como dizemos no treinamento, você deve “deixar umas repetições no tanque” para que muitas séries sejam feitas, lembrando da importância do volume semanal explicado logo acima. Ir sempre até a falha vai fadigar rapidamente o seus músculos e te deixar muito cansado, o que não é o objetivo nesse treinamento. Queremos melhorar a quantidade de repetições nesses exercícios, e não hipertrofia. De tempos em tempos, testamos novas máximas; Por isso se o máximo de flexões que consegue é 20, faça as séries de 15 em 15, por exemplo. Deixe em torno de umas 3-5 repetições no tanque em cada série. Se no final sentir muito fácil, se aproxime mais do seu máximo tanto não baixar a quantidade de repetições em cada série;
  4. Blocos de treino – considerando que treinar em casa geralmente é mais monótono e entediante, fazer séries individuais podem reforçar essa sensação de enfastiante. Também que, considerando o seu nível de treinamento, os exercícios feitos dessa forma sejam muito “fáceis” e não vão apresentar um desafio real, faremos o treino na forma de circuito, ou seja, cada exercício do bloco deve ser feito sequencialmente sem intervalos o mais rápido possível. Isso aumenta o desafio e deixa o treino mais dinâmico;
  5. Cronometro – o tempo que você levará para concluir cada bloco deve ser cronometrado, assim nas próximas tentativas você terá como objetivo abaixar o seu tempo. Isso além de avivar o espírito competitivo inerente a prática de esportes, será uma maneira muito eficiente de monitorar o seu progresso além de ser uma forma de poder incluir outras pessoas nesse desafio, vendo quem está mais bem condicionado; 
  6. Adaptabilidade -  o treino DEVE ser flexível. Eu sempre bato na tecla que não devemos simplesmente copiar e fazer integralmente e rigidamente um protocolo de treino, mas sim moldá-lo a nossa realidade, especialmente se você não tem um treinador que saiba analisar essas questões. Esse treino é um MOLDE, um norte a ser seguido, mas deve ser adaptado a sua capacidade física atual. Faça as séries e repetições que conseguir, pode até alterar alguns exercícios, o que você deve manter é a lógica básica dele que foi explicada nos pontos acima. Se seguir os princípios postos aqui, pode fazer uma infinidade de treinos diferentes, basta usar a criatividade. Porém, tenha a certeza que no final fez um ESFORÇO GENUÍNO e sensação de dever cumprido. Não faça algo mal feito e sem vontade muito abaixo da sua capacidade, porque isso só te trará a impressão de que foi tempo perdido e será um passo firme e decidido ruma a desistência em poucos dias. Procure aplica-lo a sua realidade, mas não tenha medo de se desafiar; 


TREINO 1
BLOCO A
5x
AGACHAMENTO COM SALTO
50 reps
BARRA FIXA (use alguma porta)
20 reps
ABDOMINAIS (crunches)
50 reps
SALTO EM DISTÂNCIA 
20 reps
BLOCO B
5x
PASSADAS COM SALTO
15 rps cada perna
TRICÉPS BANCO
30 reps
PARAQUEDISTA
25 reps
"RUSSIAN TWISTS"
50 reps
BLOCO C
5x
FLEXÃO NÓRDICA INVERSA
20 rps
ELEVAÇÃO DE QUADRIL UNILATERAL
30 rps cada perna
FLEXÕES (todas as variáveis)
25 reps
PRANCHA
1,5mim
BLOCO D (cardiovascular)
3x
"MONTAIN CLIMBER"
1 mim
BURPEE
20 rps
POLICHINELOS
100 rps
PULAR CORDA
2 mim


OBS: todos os blocos podem ser feitos num treino só, ou você pode optar por fazer um a cada dia de treino, isso vai depender do seu nível de treinamento. Porém o bloco D sempre deve ser feito toda vez que for treinar.
  
Depois de realizar 4 treinos de cada bloco, tente aumentar as repetições ou em cada exercício ou séries em cada bloco, e teste novas máximas nos exercícios calistêncios. Para mais orientações sobre como planejar adequadamente o treino tendo em vista a sua individualidade biológica, formas distintas de executar esse treino e muito mais, entre em contato.