quarta-feira, 5 de julho de 2017

O Efeito do Açúcar nas Artérias



Na virada do século passado (1900), o americano médio consumia cerca de 20 a 30 libras de açúcar por ano. Até o ano de 2008, o americano médio consumiria de 150 a 250 libras de açúcar. É seguro supor que 108 anos é tempo suficiente para que a anatomia humana evolua para essa adaptação? Com o advento da "fobia gorda", que começou na década de 1970 e atingiu um pico em torno de 1990, o consumo de gordura diminuiu nos EUA, enquanto o consumo de açúcar subiu rapidamente; E junto com ele o diabetes e as doenças cardíacas. No entanto, de alguma forma, ainda estamos culpando a gordura por essas doenças.




A doença cardíaca não é uma doença do coração, como o nome implicaria, mas uma aflição nas artérias que eventualmente afetam o coração. Sem dano na parede arterial, o colesterol não pode começar a formar uma "placa", não importa quão alta sejam os lipídios no seu sangue. Existem muitas toxinas que ingerimos que podem ser problemáticas e inflamatórias. Gostaria de dar uma olhada em apenas uma, mas é o que os americanos consomem na maior quantidade.

Durante os seis meses que vivi sem intestino, fui alimentado por infusões intravenosas (Nutrição Parenteral). A NP consiste em aminoácidos, vitaminas, minerais, mas principalmente de dextrose (açúcar) e água. Como eu virtualmente não tinha intestino, meu requisito para a nutrição parenteral era muito alta. Eu precisava de uma infusão de 15 horas por dia, por uma bomba, fornecendo 225ml por hora. O volume de fluidos era muito grande para infusão através de uma artéria periférica no braço, de modo que um cateter porta foi implantado cirurgicamente no meu peito. O cateter entrou na minha pele logo abaixo do osso clavicular, onde foi inserido na veia cava superior.




Existem apenas seis artérias de ramo disponíveis para acesso à veia cava e os médicos disseram que o alto teor de açúcar da NP acabaria fazendo com que as artérias falhassem. O açúcar é bastante cáustico para as células que alinham as paredes arteriais, causando inflamações e, finalmente, falha. Fui avisado que, em algum momento, as seis artérias de acesso não seriam mais viáveis ​​e morreria de fome. Eles disseram que levaria de 3 a 4 anos para que todas as artérias de acesso falhassem e esse era meu destino. Os médicos desse hospital não acreditavam que os transplantes intestinais tivessem algum sucesso, então só me restavam alguns anos para viver.

Podemos ver que muitos médicos conhecem os efeitos destrutivos do alto nível de açúcar no sangue para as artérias, mas ainda recomendam uma dieta com baixo teor de gordura e muitos carboidratos para evitar a aterosclerose. Há um mito comum hoje que altos níveis de gordura no sangue façam com que o colesterol comece a "se impregnar" nas paredes arteriais. Este não é o mecanismo da aterosclerose e isso é uma publicidade completamente falsa criada pelos fabricantes de drogas que reduzem o colesterol.

Como esta imagem ilustra com precisão, quando as lipoproteínas de baixa densidade (LDL) encontram-se bem atrás da parede arterial e se tornam oxidadas, é quando a placa começa a se formar. Conforme aprendemos com a NP, o açúcar é notório em fazer que a camada do endotélio se torne ulcerada e quebrada.

Uma vez que as partículas de LDL ficam presas atrás do endotélio, elas se oxidam, tornando-se radicais livres. Os glóbulos brancos logo aparecem para "limpar" a bagunça, mas eles também acabam ficando presos e oxidados. Este processo causa mais inflamação e danos ao endotélio, atraindo mais LDL e glóbulos brancos. Este é o início da aterosclerose. A placa continuará a se construir, até finalmente se romper, formando um coágulo que bloqueia a circulação.

Se o mito errôneo do colesterol "pegajoso" fosse verdade, poderíamos esperar encontrar uma placa uniformemente distribuída ao longo do sistema circulatório, semelhante à forma como os minerais se acumulam em todos os tubos de um sistema de encanamento. Nunca achamos que este seja o caso ou a cirurgia de ponte de safena não seria possível. Portanto, os enxertos das artérias das pernas podem ser usados ​​para contornar os coágulos nas artérias do pescoço e do tórax. Assim sendo, o colesterol não se apega ao acaso nas paredes arteriais. As lipoproteínas chegam ao local das paredes quebradas na tentativa de reparar o dano até que possam se curar e, inadvertidamente, são presas no interior. Se nunca houver inflamação e danos ao endotélio, a placa não pode se formar, independentemente da quantidade de gordura que circule na corrente sanguínea.

O alto teor de açúcar da NP também tem a tendência de alimentar fungos e bactérias, de modo que infecções sistêmicas são bastante comuns em receptores da NP. Eu pessoalmente tive dois choques sépticos. O primeiro foi a partir de uma bacteremia causada pela enterobacter cloacae, crescendo no medi-port. Por causa da NP, essas bactérias estavam sendo levadas para todo o meu sistema e me levaram para a condição de choque séptico (condição fatal). A segunda vez foi uma infecção fúngica sistêmica causada por cândida, que realmente prospera com açúcar.

Durante o tempo que eu estava no hospital com sepse, os portões de infusão foram removidos cirurgicamente porque abrigavam infecções. Um novo cateter não poderia ser implantado até que essas infecções fossem controladas, ou serviriam apenas como novas colonias para os agentes patogênicos da corrente sanguínea. Eles colocaram linhas periféricas  nos braços, para infusão de medicamentos e antibióticos. Mas ainda havia o problema de como eu iria me alimentar. Para resolver isso, mais linhas periféricas foram usadas nos meus braços e mãos e NPP (Nutrição Parenteral Periférica) foi infundida. Continha menos açúcar e não era realmente nutrição suficiente para me sustentar, mas era melhor do que a fome total. Estes periféricos só durariam um ou dois dias antes que as veias falhassem. Com o passar do tempo, tudo ficou muito pior. O dano às veias era composto e, muitas vezes, as veias se infiltraram dentro de dois ou três minutos após a infusão da NPP. Foi muito doloroso.


Imagem meramente ilustrativa

Uma belo dia, uma enfermeira cometeu o erro de ligar a NP a uma linha periférica, e não ao cateter de porta. Quando começou, senti imediatamente como se ácido estivesse sendo bombeado na veia do meu braço, e em segundos ela falhou e se infiltrou . Quando eu vejo alguns pedaços de pão e arroz, seguidos de alguma sobremesa ou talvez uma barra de Snickers, eu sei que eles não sabem o que o açúcar no sangue está causando as artérias. Mesmo que o seu pâncreas seja totalmente saudável e capaz de estabilizar a carga de açúcar, há danos maciços perpetrados nas suas artérias pelos altos níveis de açúcar, mesmo que em poucos segundos. Isso é um dano que o corpo tem que reparar agora . Se não, pequenas partículas densas de LDL (causadas pelo alto consumo de carboidratos) encontraram um caminho naquela área danificada.


Uma pequena porcentagem do total de LDLs plasmáticas apresenta maior carga negativa na superfície [LDL(-)], sendo uma sub-população heterogênea de partículas com maior poder de agressão ao endotélio. Origina-se da oxidação, glicação ou outros processos que alteram sua composição química, estando aumentada em indivíduos diabéticos, hipercolesterolêmicos e naqueles com doença isquêmica cardíaca. A LDLm, ao ser fagocitada pelo receptor scavenger do macrófago, transforma-o numa célula espumosa e inicia uma reação imune-inflamatória. A participação da LDLm no processo aterogênico continua até a ruptura da placa e trombogênese, quando ela induz apoptose em células endoteliais e musculares lisas, aumenta a produção de metaloproteinases que digerem a matriz, fragilizando a cápsula, e exacerba a inflamação que concorre para o desenvolvimento do trombo. O aprimoramento dos ensaios laboratoriais para a LDLm permitirá maior aplicabilidade clínica, melhorando o poder preditivo de eventos cardiovasculares em relação ao perfil lipídico convencional e demais fatores de risco presentes na SM.

Eu ganhei algum peso com a NP, que os médicos achavam que era um bom sinal. Eu não tinha tanta certeza. Era principalmente gordura visceral. Meus braços, pernas, ombros e pescoço ainda eram extremamente finos, de modo que a distribuição da gordura não era nada saudável. Os médicos parecem olhar o peso como um número e nunca como é distribuído, se é músculo ou gordura. Meus músculos estavam murchando enquanto meu intestino aumentava. E eles estavam felizes com isso! Não foi antes de ter intestinos novamente, e a comer comida real, com muita gordura e proteína, que eu ganhei peso nos braços, pernas, ombros e aplainei meu estômago. Eu realmente peso menos agora (menos do que os médicos gostariam que eu pesasse), mas sou muito mais forte.

Os transplantes intestinais não estão disponíveis para todos os que perdem os intestinos. Existem apenas três critérios que qualificam alguém para realizar um transplante. O primeiro é a perda de acesso, devido à dextrose (açúcar) destruindo as seis únicas artérias disponíveis para infusão. Neste ponto, você pode ter novos intestinos, mas não tem nenhuma artéria que preste indo ou vindo do seu coração. Ótimo negócio!

A segunda condição é a insuficiência hepática devido aos lípidos derivados da soja infundida. Não vou entrar em mais detalhes, porque cobri isso na minha publicação. "A verdade sobre a soja" . Descubra o mítico benefício da soja para a saúde.

A terceira condição é a que me tornou elegível para um transplante. Isto é, devido a múltiplas infecções que ameaçam a vida através das portas de infusão. Eu sofri infecções sistêmicas consecutivas que quase me mataram. Apenas cerca de 45% daqueles que contraem uma infecção sistêmica por câncer sobrevivem, então eu me considero um "afortunado". Após o transplante, sofri uma sépsis muito ruim de pseudomonas, que tem uma taxa de mortalidade de 90% que me colocou em coma.

Porém, eu não tive nenhuma infecção desde que me mantive com uma dieta baixa em carboidratos.

Uma das coisas que eu aprendi com tudo isso é como o açúcar é caustico e tóxico  para as artérias e como promove e alimenta as infecções. A menos que você planeje começar a correr e a se exercitar como um beija-flor que consumiu cocaína imediatamente depois de comer esse bolo ou biscoitos, muitos ferimentos serão sustentados por suas artérias enquanto você relaxa no sofá e tira um cochilo - mesmo que você tenha todas as intenções de ir à academia depois. O dano e a infiltração no meu braço não esperou, aconteceu imediatamente. Você pode queimar gordura mais tarde, mas o dano do açúcar é imediato.

A parte mais triste de tudo, foi o fato dos médicos saberem quanto dano às artérias causa o açúcar da NP, mas mesmo assim continuam a recomendar dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos como "Heart Healthy". Os médicos são malditos idiotas ou querem que fiquemos doentes. Não tenho certeza do qual. Você escolhe.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Habilidade Russa de Produzir Força



O que as crianças fazem por diversão


A primeira vez que eu mandei 500lb (227kg) no terra foi na véspera de Natal dos meus 17 anos. Aconteceu no meu quarto, na casa dos meus pais. Minha família e parentes estavam lá embaixo comemorando os feriados, mas eu preferia ferro à companhia de pessoas. Com nada além do murmúrio de vozes que vêm do andar de baixo, puxei 500. Eu estava orgulhoso de mim mesmo, então deixei o barra carregada no chão como um testemunho da minha realização.


500lb

Momentos depois, um dos meus tios veio no meu quarto me buscar para abrir alguns presentes. Ele viu a barra no chão e perguntou o quão pesado era. Eu com orgulho lhe disse, mas ele nem sequer levantou uma sobrancelha. "Posso tentar?" ele disse. Tenho em mente que este era um homem de 50 anos que não era exatamente o que podermos chamar de um atleta de classe mundial. "Claro", eu disse, "mas você não quer aquecer primeiro?"

"Não, eu vou tentar assim", ele respondeu.

E sem qualquer aquecimento, conhecimento de técnica ou esforço (ou assim parecia), ele pegou a barra. Ele levantou e disse: "Então é isso que vocês fazem para se divertir?" Ele abaixou suavemente e voltou lá pra baixo.

As Recompensas do Trabalho Físico


Mais tarde, descobri que esse tio em particular costumava trabalhar em uma pedreira e, mais tarde, em uma fábrica de papel, carregando grandes rolos de papel durante todo o dia. Ele era tinha apenas 157cm, mas sólidos 90kg. Desde esse momento, fiquei fascinado com a força dos trabalhadores físicos. Claro que eles levantam grandes pesos, mas raramente (quase nunca) pesos máximos porque eles precisam trabalhar sem parar por um longo tempo.


O segredo da força? 

Lembro-me da primeira vez que eu realmente parecia magro e musculoso. Era na época que eu tinha 19 anos e trabalhava no trabalho de verão na RONA. Eu quase não treinei esse verão, mas trabalhei mais de 40 horas por semana carregando telhas de cimento. Antes disso, treinei todos os dias, mas na verdade não parecia ter treinado. Depois de transportar azulejos, eu estava magro e rígido.

Todos conhecemos exemplos de pessoas fortes e/ou musculares que conseguiram isso através do trabalho manual - fazendo trabalho bastante pesado, mas não máximo, em um alto volume. Como tal, acredito que pesos mais "leves" e submáximos podem torná-lo muito mais forte, maior e mais enxuto. E por anos tentei encontrar uma maneira de duplicar essa "força de trabalho manual". Então eu comecei a ler material russo sobre "habilidade de produzir força". Eu sempre pensei que a força era estritamente uma capacidade física, mas agora eu estava lendo que ser forte também era uma habilidade. E eu fiquei bastante intrigado.


O que é Habilidade de Produzir Força (Strength-Skill)?


As pessoas tendem a ver a força apenas como uma capacidade física. Especificamente, a força é vista como a capacidade de um músculo ou grupo muscular de produzir um alto nível de força para superar uma resistência. E assim, é lógico que no treinamento de força, a força normalmente é medida pela quantidade de peso que você pode levantar. Normalmente, quanto mais fortes forem seus músculos, mais peso você pode levantar.

Isso é bastante verdadeiro, mas não inteiramente. Alguém pode ter músculos fortes, mas não pode exibir essa força otimamente em alguns exercícios, mesmo que os músculos individuais envolvidos no elevador sejam fortes. Por exemplo, eu vi muitas pessoas fazerem mais do que eu em exercícios isolados para os peitorais  (peck deck, flys, crossovers), exercícios de tríceps e movimentos de deltoides anteriores, e ainda assim levantavam 50-75lb (22-34kg) a menos do que eu no supino.

Você vê o mesmo no agachamento. Há muitas pessoas que são fortes nas extensões de perna, passadas e leg press, mas não podem agachar tanto quanto outros caras que são "mais fracos" nos movimentos isolados. Um exemplo ainda melhor é a forma como alguns powerlifters podem ser super fortes no agachamento e deadlift, mas são incapazes de fazer um clean ou snatch com o mesmo peso que um atleta de peso feminino e de tamanho médio.

Russos...

Como isso é possível? A resposta é habilidade. Ser capaz de usar a força que você possui em um exercício específico requer habilidade, não só a habilidade para executar a técnica adequada, mas também a habilidade para aplicar força durante a execução desse movimento. Conheço muitas pessoas que são fortes e que podem levantar com técnicas adequadas quando o peso é leve, mas que perdem a eficiência quando os pesos ficam pesados. Isto é o que é a habilidade de produzir força: a capacidade de fazer o melhor uso da força que você possui ao realizar um exercício específico.


Elementos necessários para ter habilidade de força de alto nível


Recrutamento máximo de fibras de contração rápida em um único esforço


As pessoas que criam sua força e tamanho usando intervalos de repetição relativamente maiores podem não ser eficientes ao recrutar um número máximo de fibras musculares quando tentam fazer uma única repetição pesada.Como resultado, eles podem ficar muito mais fortes em suas séries de altas repetições, sem ver seu esforço máximo para 1 ou 2 repetições aumentar muito. Se a maior parte da sua experiência de treinamento tiver sido centrada em séries de 6-12 repetições, você não desenvolverá a habilidade de produzir força para se destacar ao realizar esforços máximos únicos.

Domínio técnico


Se você não é capaz de executar um exercício com a técnica ideal, você nunca poderá demonstrar seu potencial de força muscular total. Se o seu desejo é ser super forte nos grandes exercícios básicos, é muito importante gastar muito tempo otimizando sua técnica de treinamento. Não aceite repetições feitas de forma incorreta e procure sempre melhorar sua forma.

Coordenação intramuscular e intermuscular


Duas pessoas podem executar um exercício com uma técnica aparentemente similar, ter níveis de força semelhantes e exibirem resultados muito diferentes. O que você vê de fora não é toda a história.

Quão eficiente você está em um movimento é uma questão de quão bem seu corpo coordena as unidades motoras em um músculo envolvido, fazendo-os trabalhar juntos para que o músculo possa produzir no seu nível mais alto (coordenação intramuscular). Também é dependente de quão bem todos os músculos envolvidos no exercíco trabalham juntos. Os sinergistas precisam unir seus esforços para superar a resistência e os antagonistas devem relaxar no momento certo para facilitar a ação dos principais motores (coordenação intermuscular).

Inibição neurológica


Um ser humano normal poderá usar 30-40% de seu potencial de força. Um indivíduo treinado pode chegar a 70% e os levantadores de peso de elite, powerlifters e homens fortes podem chegar a 90-95%. Mas por que é tão baixo para a maioria das pessoas? A resposta reside nos mecanismos de proteção que possuímos que impedem que nossos músculos se rasguem. Quando o corpo percebe que está produzindo muita força, para o seu próprio bem, ele irá travar.

É como colocar um limite de velocidade no seu carro. Só que este mecanismo é super conservador, no entanto. Quanto mais pesado você for, pedindo a seus músculos para produzir um alto nível de força em um padrão específico, mais permissivo seus mecanismos de proteção se tornam. Ter um limite de proteção mais alto permitirá que você demonstre um maior nível de força. Então, se alguém quiser alcançar seu potencial de força, ele não só deve fortalecer seus músculos, ele deve maximizar sua habilidade de produzir força.

Treinamento no nervo


Se você treinar "no nervo" (máxima intensidade 100% de 1RM) com muita freqüência, corre o risco de queimar. Eu acredito no treinamento duro e pesado, mas até o ponto em que você ainda pode fazê-lo sem qualquer estresse. De vez em quando, no entanto, você aumenta a intensidade um pouco para ver onde você está.Os fortes antigos viram o treinamento como "prática". Seu objetivo era mais fazer com que sentissem cada vez mais fáceis os pesos grandes, para não fazer com que pesos pesados ​​se pareçam mais pesados. Se levantar 400lb (181kg) quase esgotou a sua vida há dois meses, mas é fácil hoje, você não está muito mais forte?

Eu recentemente treinei um jovem atleta de CrossFit. Com um peso corporal de 81kg, seu melhor clean foi 129kg. No treinamento, nunca fomos acima de 125kg e a maioria do trabalho estava entre 109-115kg, só aumentando de peso se não representasse um estresse mental e se nós dois soubéssemos que seria feito com facilidade. Quando decidimos ver como sua habilidade de produzir força estava progredindo, ele bateu um novo registro pessoal de 143kg e com espaço de sobra. A mesma coisa aconteceu com uma mulher que eu estava treinando. Ela nunca treinou "no nervo", em vez disso, faz os pesos pesados ​​parecerem gradualmente mais leves e depois aprimorou a capacidade de aplicar essa força nos esforços máximos.

Sim, você precisará trabalhar com pesos máximos de vez em quando, se você quiser aprender a mostrar a sua força, mas trabalhar a habilidade de produzir força é a maneira mais rápida e segura de se fortalecer.

Treinamento para melhorar a Habilidade de Produzir Força


Para melhorar os fatores envolvidos na maximização da habilidade de produzir força, você deve seguir os seguintes princípios, todos os quais compreendem o Russian Strength-Skill Workout:


  • Use representantes baixos (1-3) para se tornar eficiente para maximizar o recrutamento durante um pequeno esforço. Não há necessidade de usar pesos máximos; 80-90% serão suficientes para maximizar o recrutamento da unidade motora;                                                                                                         
  • Concentre-se em um pequeno número de exercícios e aprenda a fazê-los extremamente bem. Torne-se um mestre na técnica de alguns exercícios-chave em vez de tentar fazer um pouco de tudo.                                                                                                                                                              
  • Treine seus levantamentos principais com freqüência. O aprendizado do movimento (técnica, coordenação inter e intramuscular) é melhor feito através da freqüência, não do volume ou da intensidade. Os exercícios principais devem ser feitos pelo menos três vezes por semana para o aprendizado motor máximo.                                                                                                                        
  • Use parciais ou segure na parte mais forte do movimento para deixar seu corpo preparado para lidar com pesos muito pesados. No final isso "irá convencer" seu corpo a permitir que você use uma porcentagem maior do seu potencial de força.