quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Lições de masculinidade com THOR






THOR - Matador de Gigantes e Deus do Trovão - é o deus nórdico mais conhecido atualmente. As histórias em quadrinhos e os filmes da Marvel têm, naturalmente, estimulado sua fama, mas também prejudicaram a nossa compreensão do Thor verdadeiro que o povo viking adorava, reverenciava e procurava proteção. Em primeiro lugar, diferente da versão da Marvel de cabelos lisos e bem arrumados, Thor tinha cabelos embaraçados e ruivos, barba comprida e era “meio-gigante”.

Apesar de Odin levar o título de “pai-de-todos”, Thor era o deus mais venerado no panteão nórdico. Seu martelo, Mjolnir, era o símbolo dessa reverência, e assim como é feita com a cruz cristã, os Vikings o colocariam na forma de colares, pulseiras, marcas de pele, etc., para lembrar da força e reforçar a confiança ao poderoso deus. Ainda hoje, Thor continua sendo um nome popular para meninos na Escandinávia. Neste artigo, veremos como o Deus do Trovão ganhou a reverência incomparável do povo nórdico e o que cada homem pode aprender com a sua mitologia.


Esse é o Thor adorado pelas mulheres. 

Quem foi o Deus do trovão?


Filho mais velho de Odin (sua mãe era a giganta Jord), Thor tinha origens humildes. Nós não sabemos muito sobre seu começo, além do fato de que ele rapidamente ultrapassou seu pai em popularidade. Enquanto Odin era misterioso e favorecia a realeza e líderes, Thor era protetor não só de seus amigos e família, mas também dos humanos comuns. Sua esposa era Sif, uma deusa que nós não sabemos muito a respeito, à exceção de que ela tem um papel na criação de seu martelo famoso. Thor teve três filhos, dois meninos e uma menina, que sobreviveram ao Ragnarok - o apocalipse dos noruegueses - e que passariam a ajudar recriar o mundo.

Os inimigos mais comuns de Thor eram os gigantes que residiam em Jotunheim - um dos nove mundos da mitologia nórdica. Embora às vezes cordiais, os deuses e gigantes entravam em batalhas frequentes, com Thor quase sempre liderando a ação e saindo por cima. Montado em sua carruagem puxada por cabras, sua luta incessante com os gigantes foi percebida como trovão e relâmpago em Midgard (o mundo dos humanos). Quando as tempestades vinham, as pessoas sabiam que Thor estava lutando por eles. É por isso que nos poemas nórdicos, ele é muitas vezes referido como o Deus do trovão.

Aqui em Jotunhein a porrada comia solta. 

Além dos gigantes, outro principal inimigo de Thor era Jormungand, a serpente gigante que cercava Midgard. Tendo falhado em matá-la em várias tentativas anteriores, Thor finalmente consegue durante o Ragnarok, apenas para fatalmente sucumbir ao próprio monstro. Vamos dar uma olhada em alguns dos mitos mais duradouros de Thor; felizmente, eles são mais facilmente desembaraçados do que as do complexo Odin.





 O Poder do Poder


A característica preeminente do Thor, assim como a do Hércules grego (eu mesmo, paspalho), era a sua força. Seu poder e proeza eram insuperáveis ​​no reino nórdico. Ele confiou em seus músculos e ferramentas simples (falaremos mais sobre elas abaixo) para superar o mais feroz dos inimigos. Os deuses de Asgard olharam para Thor como um protetor e defensor; o mesmo aconteceu com os seres humanos de Midgard, cujas vidas diárias eram interrompidas e ameaçadas por gigantes que se entrelaçavam a todo momento.

As figuras astutas de Odin e Loki (entre outros deuses) não davam muita esperança aos homens. Claro, eles eram inteligentes e sábios, mas não possuíam a força ou a coragem de ir à batalha contra os ogros. Somente Thor tinha o poder e a habilidade de lutar contra as bestas e proteger a humanidade. Existem inúmeras histórias que Thor engaja-se em batalhas épicas com os gigantes e outras criaturas, quase sempre para proteger os outros. Vejamos brevemente algumas delas.




-----------------


Odin estava andando aos arredores de Jotunheim, e encontrou o gigante Hrungnir. Odin desafiou-o a uma corrida contra seus cavalos de volta para Asgard. Enquanto Sleipnir , o garanhão de oito patas de Odin venceu, Hrungnir ainda foi convidado a ficar para uma festa. Ele ficou bêbado e jactancioso, e brincou sobre destruir Asgard e manter suas deusas como concubina, incluindo Sif, esposa de Thor.
Thor não achou graça dessa piada, e desafiou Hrungnir a uma luta. O gigante concordou, mas não seria lá, já que Hrungnir não trouxe nenhuma arma. Eles se encontrariam perto de Jotunheim.

Enquanto isso, os gigantes construíram uma enorme figura de barro. E era realmente maciça: tinha 30 milhas de altura e 10 milhas de largura, e foi trazido à vida com a finalidade de ser o homem que é a“mão direita” de Hrungnir. Mas quando Thor viu Hrungnir e seu novo companheiro, ele não ficou nem um pouco perturbado; Em vez disso, realmente foi o gigante de argila que se molhou de medo.
Por meio de algumas astutas artimanhas, Thor primeiro mandou um servo se ocupar do gigante de argila, e depois atacou Hrungnir. O Deus do Trovão jogou Mjolnir contra seu oponente, e Hrungnir jogou sua própria arma - uma gigante pedra de amolar. O martelo quebrou a arma do gigante pela metade antes de continuar e esmagar a cabeça de Hrungnir.





---------------


Em outro conto sobre o talento combativo de Thor, o sempre-curioso e arrumador-de-problemas Loki, estava voando na forma de um falcão quando ele foi capturado e preso por um gigante chamado Geirrod. O gigante não liberaria Loki a menos que o deus das trapaças fizesse com que Thor viesse à corte do gigante. Thor concordou, e pensando que era um convite pacífico, viajou sem o seu fiel Mjolnir. Felizmente, ele fez um pit-stop ao longo do caminho na casa de um gigante amigável chamado Grid. Ele avisou Thor que Geirrod estava na verdade planejando matá-lo, e emprestou seu bastão inquebrável.

Quando Thor chegou à corte de Geirrod, ele foi levado para uma câmara e sentou na única cadeira da sala. A cadeira começou invisivelmente a subir para o teto e Thor estava a caminho de ser esmagado até a morte. Ele empurrou o bastão de Grid contra o telhado e forçou-se para baixo com todas as suas forças até que ele ouviu um forte som de rachadura, seguido por gritos agonizantes. Thor olhou para baixo e viu as duas filhas de Geirrod se contorcendo de dor; Elas erguiam a cadeira para cima, e ele tinha quebrado as costas delas enquanto se empurrava para baixo.

Geirrod completamente louco e enfurecido invadiu a câmara e jogou uma vara de ferro fundido em Thor. Quando o deus a pegou facilmente, o gigante correu horrorosamente para detrás de um pilar na tentativa de se esconder. Então Thor  jogou a vara derretida em direção a Geirrod, que facilmente perfurou a coluna, bem como o próprio gigante. Assim Deus do Trovão saiu mais uma vez vitorioso.




Histórias como essas abundam na mitologia nórdica, mas por uma questão de brevidade, compartilharei apenas esses dois exemplos característicos. Caso você queira ler mais, Padraic Colum tem algumas coleções fantásticas de contos nórdicos. Os mitos sobre o Deus do Trovão tendem a compartilhar os temas comuns de defender a honra de alguém, ou ajudar alguém em apuros. Quando a merda atinge o ventilador, Thor é aquele entre os deuses e os seres humanos que vai se virar e dar um jeito para defender a segurança de todos. Assim ele providencia a necessidade básica que substitui quase todas as outras, porque afinal nada mais – nem a mais alta cultura ou a virtude mais refinada – seria possível sem primeiramente "assegurar o perímetro". Thor foi procurado e reverenciado mais do que os outros deuses. Sua força física o colocou em um patamar de liderança e poder, mesmo entre as outras deidades nórdicas. De muitas maneiras, foi sua força que tornou possível e existência do resto do universo Viking.

Hoje, os homens fortes são tipicamente vistos apenas como“show mens” que quebram recordes e participam em competições aleatórias na tv. Nossa cultura passou a valorizar a força mental em detrimento da força física, e os músculos inchados passaram a ser vistos como características de caras-auto-indulgentes e não de homens que são bem-aprimorados e virtuosos.

Isso é uma vergonha, pois a força física pode realmente servir como o braço para todas as outras virtudes. Como Brett escreveu, "[força física] fornece a estrutura necessária - a estrutura adequada - sobre o qual podemos construir nossos valores morais. O manto da virtude tem um sentido muito estranho em um homem que não possui o fogo para luta". Até mesmo Sócrates - o santo padroeiro da filosofia e do intelectualismo - considerou o cultivo do físico como sendo tão importante quanto construir músculos mentais. Ele disse: "Porque tudo o que o homem fizer o corpo lhe será útil; E em todos os usos do corpo é de grande importância estar em um estado elevado de eficiência física tanto quanto possível. Por que, mesmo no processo de pensar, onde o uso do corpo parece ser reduzido ao mínimo, é de conhecimento comum que os erros graves podem muitas vezes ser atribuídos à má saúde". As lições de disciplina e força de vontade que são transmitidos pela construção de seus músculos não são apenas de natureza física, mas continuam em todos os outros aspectos da vida. Brett escreveu um excelente artigo sobre por que cada homem deve ser forte, e Thor exemplifica esse imperativo melhor do que qualquer outra figura mitológica.





Ferramentas de ofício do Thor


Além da sua incrível força, Thor é mais associado com seu fiel martelo - Mjolnir. É uma ferramenta imbuída de poderes mágicos e só pode ser içada pelo próprio deus. Além de seu martelo, Thor também adora um cinto mágico (chamado Megingjoro) que duplica sua força, e luvas de ferro (chamado Járngreipr) que lhe permitem exercer o poderoso Mjolnir. Vejamos o mito que explica as origens das ferramentas características de Thor (embora seja mais sobre Loki do que sobre Thor).




------------------


Um dia, Loki estava se sentindo especialmente malicioso e decidiu cortar o belo e dourado cabelo da esposa de Thor, Sif. Thor estava obviamente bastante irritado com isso, e jurou que iria quebrar todos os ossos no corpo de Loki para defender a honra de sua esposa. O trapaceiro, contudo, suplicou a Thor para deixá-lo ir para a casa cavernosa dos anões e ver se esses mestres artesãos poderiam moldar um cabelo novo e melhor para Sif.



Então, Loki aventurou-se para a casa dos anões, onde os filhos de Ivaldi fizeram, de fato, cabelos novos para Sif (feitos de finos fios de ouro), bem como dois outros presentes - um navio que sempre tinha um vento favorável e poderia ser dobrado e guardado no bolso, e uma mortal e maravilhosa lança.

Loki adorou ter descidos nas cavernas e queria ficar e se divertir mais com os anões. Então ele fez uma aposta (apostou a sua própria cabeça!) com dois irmãos que eles não poderiam moldar três presentes para os deuses que seriam melhores que as três ofertas feitas pelos filhos de Ivaldi. Enquanto os anões estavam forjando novos presentes, Loki mudou para a forma de uma mosca, e picava e incomodava os irmãos com intuito de interromper seu precioso trabalho e ganhar a aposta. Enquanto formavam o presente final - um martelo feroz - Loki conseguiu irritar os irmãos o suficiente para interromper parcialmente sua visão, e o martelo acabou com um cabo curto. No entanto, mesmo em sua imperfeição, o martelo foi considerado o melhor de todos os presentes, e foi dado ao Thor, já que ele era o único deus digno de levá-lo para a batalha. É claro que, por meio de um truque inteligente, Loki não perdeu a cabeça, mas isso é um conto para outro dia.

Quando Thor foi presenteado com Mjolnir, ele não chegou a assumir que tinha que aprender o seu uso adequado e a sua forma antes de realmente tirar o máximo proveito dele. Por exemplo, o martelo tinha poderes mágicos que lhe permitiam voar de volta para Thor, como um bumerangue, sempre que ele o jogava para longe. Dado que ele não é um deus perfeito - nem qualquer outro na mitologia nórdica - é fácil imaginá-lo saindo em seu quintal jogando o martelo apenas para aprender seus movimentos, para que pudesse habilmente pegar e jogá-lo novamente em inimigos próximos.

Sem este tipo de busca de domínio, nossas ferramentas são inúteis. Quanto mais você pratica e treina, mais eles se tornam uma segunda natureza sua, e menos poder do cérebro é necessário para operá-los. Quando adequadamente dominadas, nossas ferramentas podem até mesmo aumentar a nossa coragem no calor da batalha. Imagine a confiança que Thor possuía enquanto lutava contra gigantes com Mjolnir na mão. Ele conhecia todas as idiossincrasias do martelo e entendeu que não falharia se o usasse correta e estrategicamente.




Enquanto as ferramentas de ofício são importantes para qualquer homem, não se engane ao pensar sobre o que determinada ferramenta ou arma pode fazer ou você vai estar enrascado. Nós tendemos a pensar que se tivéssemos o “gadget” certo, seríamos mais produtivos; se tivéssemos um diário mais bonito-e-legal, escreveríamos mais e portanto, seríamos mais reflexivos; se tivéssemos uma academia perfeita em casa nós treinaríamos mais e perderíamos a flacidez extra. A realidade é que mesmo quando obtemos essas ferramentas aparentemente perfeitas, nossa vida permanece mais ou menos a mesma. O que realmente acelera a virtude e o progresso na vida de um homem é a AÇÃO - inclusive dominar as ferramentas que estão a nossa disposição agora - ao invés de simplesmente esperar ter o “equipamento perfeito”.

Em última análise, enquanto as ferramentas são necessárias e podem ajudar e aumentar a nossa coragem e eficácia, um homem deve estar disposto a agir com ferramentas imperfeitas. O martelo de Thor não era uma criação perfeita, e ainda assim ele usou sua força para superar essa falha, e superou seus inimigos em quase todas as oportunidades. Mas, como veremos a seguir, nem mesmo Thor poderia vencer todo e qualquer inimigo.


Até os deuses falham



Em qualquer coleção de contos sobre os deuses nórdicos, um dos primeiros que você aprende não é sobre o triunfo de Thor contra alguma grande besta, ou o assassinato de um guerreiro inimigo, mas a sua derrota nas mãos do rei gigante Utgard-loki.




-----------------


Em um inverno particular, os gigantes estavam sendo especialmente maldosos por fazerem que gigantescos blocos de gelo caíssem do céu nas casas dos homens, bem como direcionar enormes quantidades de neve para cobrir os campos dos agricultores. Thor, como o guardião da humanidade, ficou exasperado. Então ele se aventurou em Jotenheim, o mundo dos gigantes, com Loki e outros dois companheiros.





Enquanto viajavam, eles pararam em uma casa estranhamente vazia para passar a noite. Ao retornar à trilha pela manhã, descobriram que uma colina próxima era na verdade um gigante prostrado, e a casa em que dormiam era na verdade era a sua luva. Este gigante acordou, apresentou-se como Skrymir, e ofereceu para guiá-los em sua jornada.





Viajaram o dia inteiro, com os deuses esforçando-se para manter-se próximo ao gigante. Depois de uma noite turbulenta em que os roncos de Skrymir - tão fortes quanto terremotos - os mantiveram acordados, continuaram pela Jotunheim. Desta vez, o gigante rugiu à frente e deixou os deuses, seus companheiros, para trás. Felizmente, o tamanho imenso da besta deixou uma trilha clara, e eles encontraram seu caminho que ia para um grande palácio, por qual eles entraram escorregando através das barras de um portão enorme.

Ao chegar, eles foram recebidos por um bando de gigantes, incluindo o rei Utgard-loki. No entanto Thor, Loki e seus companheiros não eram bem-vindos, a menos que completassem uma série de tarefas árduas. Loki participou de um concurso de comer carne, mas perdeu quando seu oponente comia não apenas a carne, mas os ossos e até mesmo o prato. Thialfi, um dos companheiros dos deuses, perdeu três corridas consecutivos. Agora era a vez de Thor, e ele participou de três competições.

Thor disse que podia beber muito, então foi trazido um grande chifre que ele foi desafiado a secar em um único gole. Depois de três enormes goles, no entanto, ele não conseguiu absorver mais de alguns centímetros. 




Thor então se vangloriou de sua força, e o rei Utgard-loki desafiou o deus para simplesmente levantar um gato cinzento do chão. Depois de três tentativas, Thor inexplicavelmente descobriu que só conseguia erguer uma das patas. 





Finalmente, o furioso Thor deu as boas-vindas a um combate de wrestling com qualquer um que aceitasse. Surpreendentemente, foi uma velha frágil que surgiu. Porém Thor, encontrou-se novamente com a derrota; embora tentasse com todas as suas forças, ele misticamente não conseguia derrotar seu oponente geriátrico, que o colocava de joelhos.




Depois disto, Utgard-loki declarou que as competições tinham terminado e que apesar do fracasso dos deuses, eles poderiam ficar a noite e para festa.

Na manhã seguinte, Utgard-loki levou os viajantes para fora de sua terra. Uma vez passado o limite, declarou ser o gigante Skrymir e revelou que ele tinha conhecido seu status de Deus todo o tempo. Em seguida, ele também revelou os truques que tinha jogado sobre eles: a competição de Loki era na verdade um incêndio que consome tudo o que toca. O adversário de Thialfi foi escolhido pq não pode ser ultrapassado. Thor então soube que a ponta do chifre que ele bebia estava ligada ao oceano; e de fato, baixou o nível do mar. O gato que ele tentou içar era nada menos que a serpente de Midgard que cercava o mundo. E a velha? Velha mesmo. Thor lutou bravamente, mas mesmo os mais poderosos caíam invariavelmente perante aquela velha esperta, pois ela representava a velhice. Ninguém pode lutar contra a velhice. Depois de descobrir tudo isso, Thor ergueu seu martelo para derrubar o rei-gigante, e apenas percebeu que ele e todo o seu palácio tinham desaparecido, deixando apenas uma vasta planície.

------

Como você pode observar, mesmo os deuses têm limitações. O maior dos homens não pode derrotar as forças da natureza - sejam calamidades naturais ou o ataque de doenças e da velhice. Húbris é um dos maiores inimigos do homem; humildade um de seus maiores aliados. Ao invés de ficar enfurecido com o "fracasso" diante esses elementos, o melhor para um homem é entender que nem tudo está sob seu controle. Quando perceber que há forças maiores em ação neste mundo, ele é realmente livre para tomar conta do que pode controlar, e simplesmente fazer o melhor com as cartas que a vida tem dado.

Além disso, Thor usou sua derrota nas mãos de Utgard-loki como um lembrete moral para instigá-lo a maiores atos no futuro. Como autor Graeme Davis observou, "Ele nunca esqueceu a humilhação ... e ele prometeu a si mesmo um acerto de contas contra os gigantes." Thor tinha um senso viril de honra e usou a vergonha que sentiu para canalizar a sua energia e lutar na defesa contínua, de ambos os deuses e humanos. Em vez de murchar, ele cresceu mais forte depois do seu fracasso.


Thor: O Último Exemplo de Masculinidade


Thor era a maior referência para os incríveis Vikings

Ao olhar para os três pilares da masculinidade - proteger, prover, procriar - Thor sem dúvida incorpora todos eles mais do que quase qualquer outro deus na mitologia de qualquer cultura. Embora ele não é o auge da "bondade", ele é o melhor exemplo de ser bom em ser um homem (ou um deus). Thor usa sua força para defender sua própria honra, bem como a de seus amigos, família e entes queridos; Ele é o último defensor do perímetro. Suas ferramentas ajudam-no a prover sua família, mas ele sabe improvisar caso precise. E mesmo que não conheçamos muitos detalhes sobre sua família, ele de fato procria e ajuda a levantar a próxima geração de criadores do mundo.





Enquanto Odin representava o cultivo da mente e a realização da sabedoria, Thor representa o cultivo do corpo. A força física é tão importante quanto a força mental. Simplesmente porque não é tão “necessária” em nosso clima atual ameno e seguro, a busca desta não se faz uma perseguição menos digna. Na era viking, aqueles homens que combinavam habilmente as características de Thor com as de Odin (assim como dos outros deuses) eram os mais reverenciados e satisfeitos. Podiam recitar a poesia e acoplar-se nas "batalhas" das palavras e das rimas (sim, os Vikings tiveram batalhas do rap), mas poderiam igualmente manobrar um machado robusto no combate homem e homem e sacrificar-se voluntariamente por sua família e comunidade. Podemos imitar aqueles homens Vikings de antigamente, e procurar melhorar não apenas nossas mentes, mas nossos corpos também, usando Thor como nossa bússola.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Mais 14 Dicas para um Ano Vitorioso


Seguindo a ideia de dar sugestões de atitudes novas que você deveria considerar para melhoria da sua qualidade de vida e da sua performance como “atleta”, eu trouxe esse texto de um treinador de força lá da gringa, (pra variar). A maioria das dicas, se não todas, são coisas que eu adotei para mim mesmo, por isso eu achei importante e muito útil esse texto. É como se EU estivesse falando. Como se esse texto fosse meu. Então de antemão eu posso garantir que essas dicas são realmente efetivas, e vão fazer uma grande diferença na sua vida se por acaso, vc realmente implementar de forma inteligente o que está escrito a seguir. "Enjoy it" paspalho, e aprenda com o blog do Filho de Zeus a ser um cara melhor nos treinos. 

Preparado para fazer desse ano um ano menos fracassado, mongolão?

-------------------------


por Charles Staley

1 - Escolha o que você precisa acima do que você gosta, mas se permita a ambos


E é disso que vc PRECISA!

O que você precisa fazer é muito mais importante do que o que você gosta de fazer, mas o primeiro não sobrevive sem o último. Fazer coisas que você gosta são combustíveis para sua motivação e cultiva consistência. Mas, por definição pura, tendemos a gostar do que fazemos melhor - pessoas fortes gostam de levantar coisas pesadas, pessoas flexíveis gostam de se esticar, pessoas que têm boa resistência gostam de correr. Tudo isso é ok, desde que fazer o que você gosta não substitua fazer o que você precisa. Nós todos gostamos de comer carboidratos e/ou refeições gordurosas, mas o que nós precisamos é a proteína. Dan John e Eric Cressey têm uma boa estratégia para isso, que é fazer exercícios direcionados de mobilidade de alta rentabilidade entre as séries de levantamento como "complementos".

Outra estratégia é o uso de um "período livre" no final de cada treino, onde uma vez que você tenha feito seus elevadores programados, você pode gastar uns 15 minutos em algo que faça o treino divertido para você. Afinal, a maioria das coisas "ruins" não são realmente intrinsecamente ruins - elas só são ruins quando substituem o bom.


2 – Treine seus músculos a cada 2-4 dias


C & P e C d H é sobre alta frequência de treino.
A elevada síntese de proteína de um treino dura entre 2-3 dias no máximo, isso é se vc realmente TREINOU. Portanto, se a hipertrofia máxima é o seu objetivo, você precisa encontrar uma maneira de treinar cada músculo (ou pelo menos os que são mais importantes para você) a cada três dias; Duas vezes por semana provavelmente não é suficiente.

Uma maneira de estruturar o seu treinamento para acomodar esta realidade é usar exercícios de corpo inteiro cerca de três dias por semana. Você não precisa usar o mesmo exercício a cada treino. Você só precisa bater o músculo com alta frequência. Então, se você está treinando costas três dias por semana, você pode (e deve) girar entre pull-ups, remadas com barra e com halteres, por ex.

3 - Treine força e hipertrofia em cada sessão


Não é preciso obrigatoriamente ter uma capa de banha em volta da cintura para ser incrivelmente forte. Não é mesmo pessoal?
Se seus objetivos incluem adaptações de força e hipertrofia, você será servido melhor treinando ambas as qualidades em cada sessão de treinamento. E há duas razões para isso.

A primeira é a necessidade de estimulação frequente que a hipertrofia requer, como eu expliquei anteriormente. Em segundo lugar, trabalhar até uma ou duas séries pesadas e em seguida, recuar para 1-2 séries "back-off", você estará aproveitando a ativação pós-sináptica (PAP), que significa simplesmente que você será capaz de completar mais repetições (na faixa de 6 a 12) após realizar um esforço pesado (mas não máximo) na faixa de 1-3. Em outras palavras, o treinamento para força primeiro e em seguida hipertrofia cria mais potencial para ambas as adaptações.


4 - Mantenha um protocolo flexível


Se entender essa imagem, entenderá esse ponto. 

Todos nós conhecemos o “dieteiro” estereotipado que depois de se manter focado por cinco semanas, ocasionalmente escorrega em alguns “donuts” e fritas , e logo em seguida decide que está exausto por conta da dieta e rapidamente se transforma em um glutão “all day” livre para comer tudo.

Lifters fazem a mesma coisa com seus programas de treino. Eles criam um rígido programa de treinamento de 12 semanas, mas se perderem uma série ou alguma repetição designada no treino em algum lugar ao longo do caminho, isso os desmanchará psicologicamente e  rapidamente vão perder a motivação, desfazendo semanas de bom progresso. Olhe, a estrutura é importante, e na verdade a maioria das pessoas precisam de mais. Mas sem flexibilidade, o protocolo se torna um chefe severo que poucos de nós podem satisfaze-lo. Mantenha-se concentrado no que mais importa - que é a consistência e progresso a longo prazo - e quando esses deslizes ocasionais acontecem (e eles vão acontecer) apenas limpe a ardósia mental e continue avançando.

Uma maneira muito eficaz de manter uma estrutura flexível é empregar exercícios opcionais e (às vezes) até treinos opcionais. Uma vez que você identificou o que é realmente importante, classifique esses elementos como obrigatórios, o que significa que você vai fazê-los, ou pelo menos fazer o seu melhor esforço para fazê-lo. Todo o resto é opcional. Eu costumo fazer três sessões obrigatórias por semana, depois disso, domingo é um dia opcional de"livre escolha". A maioria das semanas eu faço esse treino de domingo, mas ocasionalmente quando eu falto, não me preocupo tanto pois afinal é um dia opcional de qualquer maneira.



5 – Utilize mais do que uma forma de progressão


Continue em frente. 

A progressão é tanto o componente mais necessário do treinamento como também é o mais mal compreendido. A maioria começa muito pesado e com progresso muito rápido (afinal, um salto de 5 lbs cada semana é um salto de 260 lbs em um ano), mas há um outro erro menos óbvio que muitos cometem - esquecer que há inúmeras maneiras de aumentar a dificuldade de um treino.

Quanto mais experientes somos, mais importante é empregar tantos desses métodos quanto possível. Junto com a adição de peso na barra, tente estas outras táticas de produção de progressão:

  • Descansar menos entre as séries;
  • Use maior amplitude de movimento;
  • Introduzir pausas curtas em pontos de rigidez ou perto dele;
  • Use melhor técnica (espinha neutra, etc.);
  • Use menos equipamentos (cintos, faixas, etc.);
  • Treine sozinho ou sem música;
  • Reduza séries de aquecimento;
  • Trabalhe mais do que o habitual no aquecimento (pré-exaustão);

6 – Registro de PR´s em séries e repetições


Alguns PR´s são difíceis de esquecer
Atletas que valorizam a sua força máxima de 1RM não devem negligenciar a importância do que alguns treinadores chamam de "registros de repetição". Quanto mais experiente você é, o mais difícil é definir um novo PR. A melhor maneira para isso é perseguir agressivamente novos registros de repetição com 3RM, 5RM, 8RM, 10RM (e assim por diante). Não apenas estas séries de alto esforço promovem hipertrofia e capacidade de trabalho, mas também reforçam a confiança. O programa desenvolvido por Jim Wendler implementa esta importante estratégia. Pegue esses registros. Em pouco tempo, eles irão sangrar em novas 1RM.

7 - Use algum contraste para promover a recuperação


A fadiga é específica ao tipo de trabalho que a produziu. Portanto, a fadiga gerada por um agachamento com 1RM terá relativamente menos efeito negativo do que uma série de 10 chin-ups e outra tentativa de agachamento de 1RM. Por esta razão, quando você programar o seu protocolo, certifique-se de que os treinos vizinhos são tão distintos quanto possível. Este conceito leva à ideia de dias de corpo superior vs inferior, bem como exercícios de força que seguem exercícios de hipertrofia. O ponto de partida é que as sessões vizinhas de treino mais dissimilares serão realizadas, quanto mais perto você puder juntá-las. Quanto mais próximo, mais rápido você irá progredir.


8 - Respeitar o Princípio de Paretto





Um economista concebeu um dos conceitos mais importantes que você pode aplicar ao seu treino. Não é realmente surpreendente, já que a economia é a ciência de satisfazer desejos ilimitados com recursos limitados. Você e o seu treino são uma espécie de economia - você tem grandes metas, mas recursos limitados (tempo, energia, saúde ortopédica, conhecimento, etc.), por isso é extremamente importante aplicar esses recursos de forma inteligente.

A melhor maneira de fazer isso é identificar os 20% de esforços que produzem 80% de ganhos. Que exercícios, suplementos, exercícios de mobilidade, esquemas de sets/reps e parceiros de treino trazem o melhor para você? Quaisquer que sejam, encontre uma maneira de maximizá-los.

9 - Meio-treino em vez de faltar


Até MAHAMUDRA (risos) é melhor do que não fazer nada. 

Absolutismo é a forma mais sutil de sabotagem. Aplicando a regra 80/20, é claro que em um treino onde você agacha 3x10 você estará recebendo a maioria dos benefícios na primeira série. Enquanto que isso não deve ser entendido como uma licença para sentar e tornar as coisas mais fáceis, pode ser um lembrete muito útil se você é do tipo de pessoa que é muito rígida consigo mesmo. Todos nós temos dias em que fazemos uma batalha interna de vontades para nos arrastarmos para dentro do ginásio. Meu conselho é agir "conforme a condição". Mesmo se você só fizer o primeiro exercício do seu treino planejado, isso ainda vai ser muito melhor do que vc não tivesse ido.

10 - Dê a si mesmo um “Running Start”


Ao embarcar em qualquer tipo de novo programa, comece com pesos que sejam leves, independentemente do esquema de sets/reps que você empregue. Isso acabará por resultar em uma progressão mais longa e levará a um pico maior do que se você começar mais pesado. Digamos que seu supino atual é de 110kg e você inicia um novo programa que exige 5x2 a cada segunda-feira. Se você começar com 80kg, vc vai sentir que está muito leve. No entanto, em apenas 6 semanas com saltos de 2,5kg, você já estará em 95kg, e em 10 semanas, 105kg. Se você pode gerenciar esse tipo de paciência, você vai bater 5x2 como se estivesse brincando com o que era 90% de seu máximo, que o ajustará acima para um PR agradável num futuro próximo.

Se você não pode renunciar gratificação imediata e você começar com, digamos, 90kg, será muito menos provável que vc bata um novo PR. Pense nisso como se estivesse tentando arrombar uma porta com uma “ombrada” - se você se posicionar bem próximo a porta e empurrar, você não terá sucesso. Mas se você retroceder alguns passos e correr, você vai ganhar impulso e esmaga-lá-á.


11 - Realinhar ações com metas


Soldados profissionais estão familiarizados com um conceito chamado "o nevoeiro de guerra", que basicamente significa que quando a merda atinge o ventilador, você tende a correr por instinto e reverter a forma como vinha treinando. A vida é assim em muitos aspectos. Tornamo-nos tão imersos no que estamos fazendo, que às vezes perdemos a noção do por que estamos fazendo isso, e (pior) se o que estamos fazendo está nos aproximando de nossos objetivos. Exorto-vos a revisar constantemente se os seus objetivos e se as suas ações atuais estão fazendo vc se proximar deles.

Nós muitas vezes começamos com um objetivo específico (melhorar a composição corporal, por exemplo) e em seguida, identificamos algum método (“comer limpo") que irá realizar esse objetivo. O problema é que, gradualmente, sem que sequer percebamos, nossos métodos tendem a se tornar nossos objetivos. Sempre tão gradualmente, perdemos de vista o objetivo original porque nos tornamos tão focados no método que escolhemos para chegar lá. Tomamos muito orgulho de, digamos, comer de certa maneira, que não percebemos que talvez não seja a melhor rota para o nosso objetivo original. Aprenda a distinguir os meios dos fins. Concentre-se como um laser em seus objetivos, mas mantenha um distanciamento emocional dos meios pelos quais você os alcança.

12 - Faça a sua primeira competição


The StrongFirst Tactical Strength Challenge

Competir dá combustível para sua motivação. Ele dá significado e propósito ao seu treinamento. Ela também abre canais sociais para outros atletas e treinadores que podem melhorar ainda mais o seu treino. Eu não posso mensurar quão grande uma etapa desta é para qualquer um que nunca competiu. Eu já competi em artes marciais, atletismo, halterofilismo, e powerlifting, mas o meu próximo desafio - o que realmente me leva para fora da minha zona de conforto pessoal - será para competir no Strong First Tactical. Esta competição envolve um deadlift de 1RM, uma série de pull-ups táticos de repetições máximas e, finalmente, tantos kettlebell snatches quanto possíveis com um sino de 24kg em 5 minutos. Deseje-me sorte, eu vou precisar!



13 – Certifique-se que os treinamentos são adequados para você


Nem todos vão se dar tão bem assim com levantamento olímpico. 

Embora muitos e muitos treinadores dissertem sobre a necessidade de fazer certos exercícios (como deadlifts, agachamento profundo, get-ups, ou o que quer que seja), nem todos são construídos para realizar com segurança todos os movimentos imagináveis. Nem todo mundo por exemplo, tem a estrutura de mobilidade ou quadril para realizar com segurança agachamentos profundos. Nem todo mundo deve tentar muscle-ups, ou elevadores olímpicos, não importa o quão efetivos eles possam ser para aqueles que podem realizá-los com segurança e eficiência.

Encontre os movimentos e métodos de treinamento que se adequam a anatomia natural do seu corpo e as suas capacidades. Se você não pode manter uma espinha neutra em um deadlift ou num agachamento profundo, talvez você possa com algum “block pull” ou parar em uma posição mais elevada no agachamento. Ou talvez você seja mais adequado para treinos com kettlebell ou halter do que com barras. Talvez você nunca seja um fisiculturista decente, mas você tem o que é preciso para se destacar em esportes de força, ou vice-versa. O ponto é, não bater tanto em algo que nunca vai acontecer.


14 - Foco no ponto A


A maior parte da literatura de sucesso se concentra em metas - Pontos B, se você quiser - mas peço que você coloque um pouco de reflexão sobre onde você está começando. Especificamente, eu gostaria que você reexamina-se suas crenças sobre si mesmo e suas práticas atuais e determinasse se essas crenças são precisas ou não. Muitos têm crenças sobre si mesmos que simplesmente não são verdadeiras. Se você não tem uma imagem precisa de onde você está começando, você nunca vai chegar ao seu destino. Por experiência própria que eu percebi que a maioria de nós subestima muito as nossas próprias capacidades e potencial, porque as nossas realizações até este ponto são provavelmente o resultado de esforços sem brilho, crenças equivocadas, ou ambos. Considere reexaminar a qualidade de seus esforços e a precisão de suas crenças de longa data. Talvez a melhor maneira de fazer isso seja expor-se a pessoas e ideias diferentes das suas.

Jim Rohn é famoso por sua sugestão que nós somos a média das cinco pessoas com que gastamos a maior parte do nosso tempo. E eu estendo essa ideia para os livros que lemos também.
O sucesso na sala de musculação é tudo sobre sair de sua zona de conforto. Como se vê, o ginásio é um microcosmo para a vida, como fazer progresso pessoal e intelectual exige sair de sua zona de conforto também.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

POR QUE VOCÊ DEVERIA TENTAR COISAS NOVAS PT.3

Depois de um tempo afastado por causa dos agitos de final de ano, o filho de Zeus aqui está de volta na cena. Vou tentar manter pelo menos duas postagens ao mês, mas não garanto que consiga, afinal eu ainda não tenho muita “criatividade literária” como alguns colegas de blogs que postam semanalmente. Pra quem tem interesse, ficam esses recados. 

Nada mais justo do que começar o ano dando sugestões de atitudes novas que você deveria considerar para melhoria da sua qualidade de vida e da sua performance como “atleta” que tanto almejamos melhorar. Por isso o primeiro post de 2017 é da série “porque você deveria tentar coisas novas” como vcs devem ter percebido pelo título do post. Ou seja, vou relatar um pouco da minha trajetória, novas perspectivas e novas saídas para você que talvez, queira mudar algumas coisas e não sabe muito bem por onde começar e como fazer. Mas antes, caso não tenha feito, leia as duas primeiras partes dessa série aqui e aqui.

-------

Esse ano eu vou completar 10 anos treinando com pesos. Nesse relativamente longo período que eu passei erguendo e abaixando anilhas, barras e halteres, eu aprendi muitas coisas, fiz coisas estúpidas, coisas inteligentes, me arrependi amargamente de algumas e de outras eu me orgulhei bastante. Durante esse tempo eu não fiquei mais que uma semana longe da academia, mesmo quando eu tive problemas de saúde ou até quando fiquei gravemente lesionado. Apesar de que problemas de saúde é uma coisa que eu praticamente não tive mais a partir do momento que comecei a aprender e aprimorar meu plano alimentar.

Dores esporádicas em diversos lugares como joelho, cotovelo, costas, ombros são absolutamente comuns para todas as pessoas que treinam a sério. Constantemente eu tive/tenho problemas com dores, mas aprender a contornar essas dores é uma coisa essencial que vc precisa a aprender se quiser ter sucesso em qualquer tipo de atividade física exigente. Se o seu plano quando sentir algum desconforto é sentar e esperar parar a dor, corte suas bolas fora, já que bem na verdade vc não precisa delas. 

Você não precisa agendar a visita pra cada dorzinha que sentir. 

Mas eu gostaria de falar de dois exemplos legais dessa minha trajetória. Recentemente eu peguei aquela porra de caxumba (não sei como), e como sabemos (ou deveríamos saber), o período de repouso absoluto é de pelo menos uns 14 dias, e a maioria das pessoas se sentem bem mal por aproximadamente uns 7-10 dias. Obviamente que eu não aceitaria de forma nenhuma ficar 14 dias sem treinar por causa de um maldito vírus cretino e estúpido desses. Eu fiquei exatamente um dia mal (de cama) e em 5 eu voltei a treinar. O atestado que eu peguei foi de DOIS dias e eu usei apenas um desses dias. A maioria dos bichanos pegam 10 dias de atestado. Dizem que a infecção desce para os testículos e você pode ficar estéril se fizer esforço antes das duas semanas. Mas isso não aconteceu comigo, e eu esperei 5 dias pra voltar a treinar por medo dessa possibilidade, caso contrário teria voltado antes.

Contrai alguns outros vírus e doenças embaçadas (não os vírus da gripe ou alergias) e também não fiquei mais que um dia ruim. Essa resistência eu credito a dieta e um desejo constante de não aceitar ficar doente. Quando eu estava com caxumba, eu falava para todo mundo e pensava diariamente que eu NÃO ESTAVA DOENTE E NÃO IA FICAR DOENTE. Isso eu acredito que faça seu sistema imunológico funcionar ainda melhor. Se vc realmente acredita que está doente, vc ficará cada dia pior. É a nossa mente que comanda tudo, e como eu já lembrei aqui, nós atraímos o tipo de coisas que somos internamente. Existe um estudo de caso de não lembro qual ano que observou essa capacidade da nossa simples e pura vontade de estar ou não estar doente, curar ou piorar nosso quadro clínico. Um cara havia sido informado que não tinha muito tempo de vida por conta de uma doença rara que eu não lembro o nome. Esse sujeito piorou e em pouco tempo morreu. Porém foi observado pelos comportamentos e pela autópsia ele não poderia ter morrido da doença que haviam falado que ele tinha. Ou seja, o diagnóstico foi errado e o cara morreu pq acreditava que ia morrer. Assim como é cientificamente provado o efeito placebo, se vc acreditar que está doente logo sua saúde piorará. O contrário é absolutamente verdade e por isso quando eu me sinto mal eu não aceito ficar abatido e me sentido um indefeso fracassado enfermo. 

Sua mente é o melhor remédio.

Outro caso que me dá orgulho na minha trajetória dentro da academia foi quando eu rompi (completamente) um tendão da minha perna. Dois dias depois da cirurgia eu estava lá, num porão sujo e sem iluminação erguendo pesos. Depois de se acostumar com o gesso treinando nesse porão, eu voltei pra academia de muleta, gesso e um pouco de vergonha por talvez estar constringindo a galerinha fitness descolada da minha ex-academia. Mas eu pensava comigo mesmo “que vão a merda esses moleirões”. A dona da academia e o instrutor frangote me olhavam torto pq eles achavam que eu ia acabar me matando em algum exercício ou escorregando a muleta no suor que fica no chão as vezes e ia cair encima de alguma princesinha que tragicamente frequentasse lá no mesmo horário que o meu. Mas mais uma vez eu pensava, “foda-se esses cretinos, eles não aprenderam nada com o ferro”. Antes disso eu já havia lido alguns marombeiros que eu respeito escrevendo algo como “se você vir um cara machucado, com gesso ou algo do tipo dentro da academia, fique amigo dele, pq esse cara está fazendo o trabalho duro e pode te ensinar boas lições”, e ser um desses caras com gesso que não param de treinar por qualquer merda que aconteça e que podem ensinar boas lições me deu muito orgulho de mim mesmo. Além do fato de eu estar contando isso agora como forma de me vangloriar e me auto afirmar, pois afinal de contas o blog é MEU e eu escrevo o que EU tenho vontade, conto isso também como forma de provar que eu sou uma pessoa que realmente gosta e sempre gostou de treinar, independentemente das circunstâncias. Porém, ao longo dessa trajetória, houve uma época que ocorreu de eu me sentir constantemente desmotivado de precisar ir treinar, e eu não sabia muito bem o pq dessa merda estar acontecendo, sendo que eu sempre amei me desafiar fisicamente.

Entenda, antes que vc pense que é normal essa sua bunda molência constante, de precisar diariamente do seu pré-treininho da moda para conseguir levantar a bunda da cadeira e botar sua regatinha do Capitão América e ir lá tirar selfie na academia, considere o seguinte. Quando você passa longos períodos treinando religiosamente, e de forma intensa, é normal em algum momento sentir um pouco de desanimo e desmotivação em arrastar o traseiro para dentro do ginásio. Talvez seja um pouco de fadiga adrenal, algumas noites mal dormidas, estrese com o trabalho ou com a namorada, dieta zoada, enfim. Por isso TAMBÉM os de-loads são importantes de tempos em tempos, que para mim vão normalmente na transição de um protocolo de treino para outro, para nós justamente podermos recuperar o SNC e nos sentirmos viris, agressivos, revigorados e altamente dispostos novamente. Não chega a ser um período sem treino, mas é um período mais fácil. Um período que vc faz um treino mais próximo do que os adolescentes espinhentos que “ouvem rap maromba” e usam as regatas da "linha Felipe Franco” escritas coisas como “meu ovo” e que usam boné aba reta de funkeiro fazem e acham que são hardcore. Uma coisa leve mas que te mantenha em ação. Talvez até uns treinos HIIT moderados, complex ou algo como crossfit, enfim. Um cara realmente comprometido, em 3-5 dias já se sente pronto novamente para pulverizar alguns pesos e treinar violentamente pesado, assustando os velhotes e as baleias que encalham nas esteiras todo verão, os frangos e socialites que sempre que possível fogem do horário que vc treina porque se sentem altamente hostilizados e desconfortáveis com seu territorialismo, masculinidade e a pouca simpatia.

Eu já falei sobre isso nos primeiros posts desta série, que foram vários os motivos que estavam minando minha vontade e disposição em ir treinar, desde companhias ao ambiente, alimentação e problemas externos. Porém aqui nesse post eu vou falar do que eu acredito que foi o motivo principal, e o pq eu acho que se vc não se sente motivado em ir fazer o seu treino, você deveria tentar algo novo, assim como eu tentei. Pensar fora da caixa e deixar os gurus fitness de lado é talvez umas das melhores coisas que você pode fazer por si mesmo nesse novo ano que está apenas começando.

Quando eu cheguei nesses dias difíceis, eu já treinava a um bom tempo e já fazia os ciclos periodizados como mandam os protocolos. Mas o minha abordagem era basicamente o “mainstrean” para hipertrofia, com os treinos divididos por dia para cada um, dois ou até três grupos musculares treinados uma ou duas vezes na semana. Normalmente uma vez, para evitar o “overtreining”, é claro (risos). Como eu não sou frutinha, a maioria dos meus exercícios sempre foram os livres, mas eu sempre usava uma máquina ou outra. Eu também fazia treinos mais voltados ao estímulo do SNC (força máxima), mas como fazia de uma forma burra e afrescalhada, eu não gostava muito destes.

Hoje em dia, apesar de me importar com a minha aparência de uma maneira geral, pois afinal meu objetivo é parecer o mais viril o forte possível, eu tenho muito preconceito com essa onda “bódibildi” e “meins fisiqui” e a preocupação doentia com aparência que nos assola. Na verdade eu sempre tive, mas hoje é muito mais, muito devido ao meus estilo de treino atual. Um colega nos comentários sugeriu que eu fizesse um texto sobre como os “bódibildis” precisam constantemente de aceitação e chamar atenção para se sentirem felizes. Como eles tem a necessidade de divulgar para o mundo o slogam pessoal - “vejam, eu vou na academia, eu sou lindo, descolado, faço dieta regrada, sou guerreiro, eu sou foda, me amem e me idolatrem”. E isso é a mais pura verdade e ainda vou abordar mais profundamente essa questão futuramente. Mas por agora, essa breve constatação já é um primeiro e ótimo motivo para você considerar mudar como aborda os pesos no ginásio, para se distanciar bastante dessa corja de narcisistas com fortes tendências homoafetivas. Ficar admirando o seu estilo descolado no espelho enquanto treina, se preocupar se o seu penteado ainda está bem alinhado ou o boné bem ajustado ao conjunto do seu swagger maromba são coisas pouco masculinas e todos nós sabemos disso. Obviamente que não são todos os fisiculturistas que fazem isso, e existem muitos caras que são incríveis e inspiradores, mas eu falo de uma maneira genérica pelo que está explicitamente acontecendo com a juventude e nem tão “juventude” atualmente nas academias. 

Se vc não tem esse físico ou algo perto disto, não use essas roupas. Se poupe do ridículo. 

Ter o corpo 100% depilado, ir treinar em manada, ter cinturinha de formiga, ir no salão diariamente, usar maquiagem, tirar selfies das marmitas ou sem camisa na cama ou no banheiro e subir em um palco de sunguinha e ficar fazendo poses aleatórias para caras mais aleatórios ainda e postar as fotos no facebook com textão de agradecimento a Deus, mãe e ao “team” já não são objetivos para mim. Nunca foram. Postar frases do tipo: “toma coca e diz que whey faz mal”, “enquanto vc se diverte na balada, eu me alimento, durmo e treino”, “que os ganhos comecem”, “vc não aguentaria um dia no meu mundo” etc., não fazem meu estilo. Para vcs terem uma ideia, em 10 anos de treino eu nunca postei UMA FOTO SEQUER tirada dentro da academia, o que dirá de regata ou sem camiseta. Isso não deveria ser um motivo de orgulho, mas vendo como as pessoas são retardadas hj em dia, eu acabo me orgulhando e muito por algo tão banal e que deveria ser o comum entre os homens.

A maioria desses macacos não vão à academia para aprender algo com o ferro ou melhorar a performance atlética enquanto homens que precisam ser fortes. Vão apenas para tentar se sentir superiores aos demais porque tomam shakes, ficam bem de regata e pagam uma mensalidade salgada para fazer uma social. Tanto que eu já vi de desgraçados metidos a “bódibildi” de regata em baladas... Eles são escravos ignorantes que fazem isso para os outros idiotas e não por eles mesmos, por isso precisam de aceitação e por isso divulgam cada passo da trajetória nas redes sociais, achando que existe uma horda de fãs ansiosos em saber o que eles andam fazendo. Mas não, vcs simplesmente perecem retardados mentais fazendo isso. Se você que está lendo isso posta foto das marmitas ou sem camisa no facebook, instagram ou seilá no que, SAIA JÁ DO MEU BLOG SEU FILHO DA PUTA VIADINHO DE MERDA, MEU BLOG NÃO TEM NADA QUE MASSAGEIE SEU EGO DE “GUERREIRO” OU A SUA FRESCALHAGEM. VOCÊ NÃO VAI ENCONTRAR NADA AQUI.

Considerando esses fatores de um completo desalinhamento de interesses e crenças entre eu e a maioria dos frequentadores de academia, e mais o fato de que os treinos estavam de certa forma mecânicos, e na maioria das vezes pouco desafiadores, o que me deixava altamente entediado, eu resolvi mudar e deixei de lado praticamente tudo o que o conhecimento convencional dizia que eu não deveria fazer se quisesse ser grande com pouco percentual de gordura. Assim sendo, basicamente o que eu fiz foi parar de fazer treinos divididos por partes ou grupos musculares como se eu fosse uma maldita e estúpida máquina , diminui as repetições máximas (RM) de 8-10-15 para na maioria das vezes menos de 4, o que consequentemente fez com que o peso que eu usava subisse muito e eu me sentisse realmente desafiado pelo ferro, raramente uso aparelhos, apenas em dias mais leves e não conto as séries, faço até sentir realmente cansado, mas é algo que gira em torno de 12-20 séries e também elenco apenas alguns exercícios fundamentais que sempre repito, os demais eu faço o que tenho vontade no dia. Isso deixou os treinos muito mais divertidos, fora que eu fiquei muito mais forte e maior do que eu jamais imaginei que ficaria.

Essa abordagem se aproxima da metodologia de treino de powerlifters e é uma variação do “chaos and paim” proposta por James Lewis. Existem muitos powerlifters que tem corpos que eu considero incríveis e ideias para um homem, como por exemplo Konstantin Konstantinovs, Matt Krock (desconsidere que esse filho da puta se veste de mulher, analise o atleta, ATLETA que ele foi), Derek Poudstone, Stan Efferding, Larry Wheels, Dan Green, Kevin Oak, Pete Rubish, etc. Ou seja, basicamente os caras fazem treinos com poucas repetições e com muita carga e sem divisões minuciosas mas tem grade quantidade de massa magra em todos as partes do corpo e são secos. Segundo o conhecimento convencional isso não seria possível. O que há de errado aqui afinal? Aqui que as coisas começam a ficar interessantes meus amigos. Se segurem pq reais violentas sobre treino virão e eu vou explicar como e pq treinar com cargas realmente altas fará você ser um homem melhor em ser homem. 

Mariusz Pudzianowski poderia entrar nessa lista. 


Nosso corpo é um organismo único que possui partes que são altamente interdependentes entre si. Logo, se uma destas partes estiver ruim ela vai influenciar as demais. Mas em todo caso, nosso corpo funciona de maneira conjunta. Com o sistema muscular-esquelético ou locomotor não é diferente. Fazer um grande movimento fará com que centenas de músculos auxiliem na tarefa de forma que cada uma compensará o outro de forma interdependente. Como sabemos também, existem determinados exercícios que vão dar um enfoque maior no músculo x ou y, isso vai depender da vontade do sujeito no momento em exercitar uma determinada área, mas mesmo assim nenhum músculo vai trabalhar de forma completamente isolada. E também sempre existirá os músculos ou grupos musculares aos quais nós temos menos força e menos controle motor e consequentemente mais dificuldade em atingir, que pode ser devido a uma gama enorme de fatores.

Como foi explicado em um post anterior, se vc almeja hipertrofia máxima, a sua conexão mente-músculo ALVO do exercício é fundamental. Porém isso é difícil de conseguir se você tem poucas unidades motoras e um SNC muito destreinado. Ou seja, se vc é fraco. Simplesmente porque vc não consegue manter por um tempo considerável e nem sentir de forma pronunciada o estímulo lá no seu músculo que vc gostaria de fazer crescer. Além da alimentação satisfatória, existe algo muito importante para hipertrofia (que é o aumento da seção transversa das fibras musculares), que se chama tempo sob tesão (TUT) e tão importante quanto este é a intensidade desse tempo e os INTERVALOS entre as séries. O tempo sob tensão, que é o tempo que o músculo permanece em contração vai melhorar a inervação na região e a alocação dos nutrientes nas células que são “danificadas” pelo exercício, justamente pq “contração” nada mais é do que o músculo fazendo seu trabalho de músculo, atividade esta que produz energia química que terá como substrato final realizar trabalhos mecânicos, como saltar, correr ou erguer pesos pesados. Tudo vai depender da capacidade destes músculos em produzir força suficiente, ou seja, ter uma contração altamente intensa e constante o suficiente para vencer a demanda pela qual seu corpo está sendo submetido.

Porém, o gatilho principal dessas contrações não vem simplesmente do próprio músculo, mas do cérebro via medula e neurônios motores. A acetilcolina que é liberada para o músculo pelo SNC é o que faz todo o processo de contração muscular se desencadear. Como já vimos, o treinamento manterá o músculo sobre tensão, e dependendo do tempo tensionado, velocidade e intensidade do estímulo, matrizes energéticas diferentes serão utilizadas como combustível. Contrações altamente intensas explosivas e rápidas estimularão fibras brancas do tipo 2 e usam energia de glicólise alática, ato contínuo, com a ressíntese de ATP essa glicólise passa a ser lática e subsequentemente deixa de usar glicose e passa a ser oxidativa com trabalho predominante das fibras vermelhas do tipo 1, que são os trabalhos menos intensos, repetitivos e contínuos. O ponto que eu quero chegar com toda essa volta é que se você quer ser mais forte, explosivo e mais musculoso, vc precisa fazer com que a maior quantidade de unidades motoras trabalhem nas fibras brancas, ou seja, façam com que os músculos se contraiam de forma rápida, intensa e continua por um determinado tempo. Por isso a resistência, ou peso, é usado. Essa resistência que o seu músculo está enfrentando poderá fazer o movimento ser lento (se o peso for considerável para sua condição), mesmo vc tentando ser o mais explosivo possível. Os tipos de fibra que sofrem mais alteração da seção transversa, devido a uma questão de eficiência já que entendemos que elas são as primeiras e mais rápidas fibras e se contrair em um trabalho intenso são as brancas do tipo 2, 2a e 2b. Por isso fisiculturistas e halterofilistas (mesmo gordos) são maciçamente musculosos e corredores de fundo não são, e atletas de esportes como 100 metros rasos, basket, futebol americano e rugby são atléticos, tipo um meio termo. Essas diferenças na composição corporal advém do tipo de musculatura e via energética que é priorizado pelo sujeito em questão. 

Qual destes parece mais saudável e viril?
Essa constatação é uma confirmação de que o corpo funciona de uma maneira geral, interligada por partes individuais. O SNC manda o estímulo e dependendo do intensidade e tempo de trabalho o nosso corpo vai colocando cada tipo de fibra muscular no trabalho e usando cada respectivo tipo de energia adequada para finalizar a tarefa. Da mesma forma que os tipos de fibra são estimuladas dependendo do tipo de trabalho, o SNC passa a não ser mais tão exigido e transfere essa função aos músculos depois de algum tempo de trabalho. E é aqui que entra a tal hipertrofia. Com uma carga moderada de peso, que estimulará o SNC de forma moderada também é possível fazer mais movimentos de forma controlada que vão estimular as fibras de algum grupo muscular. Porém, essa abordagem não melhora de forma pronunciada a sua capacidade de estimular o seu SNC intensamente, justamente pq o trabalho a ser realizado é “pouco” intenso por assim dizer. Reparem que o peso que é normalmente usado para trabalhos de hipertrofia são pesos que vc tem a certeza que pode levantar, só não sabem bem ao certo se 8, 10 ou 12 vezes. A fadiga que vc sente é muscular, como se o seu músculo tivesse sido aniquilado (pois foi mesmo), e não mental (geralmente), e a ardência advém do substrato da ressíntese de ATP em via glicolítica (H+ que “polui” o tecido muscular) que é catalisado em trabalhos intensos e relativamente intensos. 

Por isso é importante vc se concentrar fortemente no seu músculo alvo quando estiver treinando hipertrofia, pois assim vc consegue estimular melhor as unidades motoras da região que farão com que as fibras sejam contraídas ao máximo. Se vc divagar (lembrando que o estimulo nervoso não é o máximo possível), outras partes do seu corpo vão entrar no processo para aliviar a fadiga e ardência na região, pois lembre-se, nosso corpo trabalha de forma conjunta. Por isso na hipertrofia o peso é apenas uma ferramenta, como também já foi explicado aqui no blog. O tempo sob tensão que cada músculo será submetido fará com que ele seja mais ou menos “danificado”, e quando os nutrientes são repostos nesses músculos deteriorados, é o fará eles crescerem e se desenvolverem mais fortes. É aquela velha história que eu sempre repito. O humano foi feito para se desenvolver a partir do estresse, como Nassin Taleb nos lembra, somos criaturas antifrágeis. Nossos músculos não são diferentes. Por isso existem os determinados números de reps e séries. Para hipertrofia, a literatura fala que o ideal gira em torno de 6-12RM e entre 3-5 séries com grupos musculares treinados separadamente, justamente para vc poder se concentrar melhor em cada parte na hora de treinar. Essa abordagem muda dependendo do nível de treinamento do indivíduo e mais alguns fatores. Técnicas diversas de intensidade podem ajudar nesse processo.

Porém, uma capacidade nula ou quase nula na intensidade do estímulo do SNC acarretará em poucas unidades motoras ativadas, que consequentemente fará com que vc não consiga se concentrar de forma eficiente no músculo alvo, e a sua capacidade de suportar o tempo sob tensão necessária para hipertrofia não seja satisfatória. Falando de outro modo, ser fraco fisicamente é ser fraco mentalmente e vice versa de forma bastante pronunciada.

Existe uma coisa que na gringa que é chamada “carryover” ou força global do corpo, que é justamente a capacidade de produzir um estímulo muito intenso e forte no SNC, que consequentemente fará vc ter mais força máxima, como já expliquei. Esse carryover será melhorado de forma mais eficiente com exercícios altamente explosivos e compostos que envolvam o corpo todo, e não com exercício para partes separadas, justamente pq o estímulo necessário para contrair o peitoral maior é muito menor do que o estímulo necessário para contrair toda a parte inferior do corpo, fora toda questão de compensação do sistema muscular. Isso falando de uma maneira geral, é claro, existem diversos tipos e metodologias de treino, e eu estou tentando falar de forma mais didática e resumida aqui afim de argumentação e praticidade, pelo amor de Deus.

Ao analisarmos toda essa informação, fica bastante claro o pq iniciantes criam e precisam desenvolver certo nível de força antes de pensar em hipertrofia muscular. Músculos que tem a seção transversa maior tem maior capacidade de produzir energia, porém a força máxima dependerá mais da quantidade de unidades motoras ativadas do que o tamanho do músculo. A força relativa também poderia entrar nesse processo de capacidade de vencer resistência, mas isso não vem ao caso no momento.

Ou seja, quanto mais estressante for para seu SNC o trabalho a ser realizado, mais intensamente ele estimulará seus músculos via conexões neurais a fim de fazer com que vc consiga produzir mais força máxima ou potência, que é a relação entre a capacidade de produzir essa força em um determinado período de tempo. Ato contínuo, quanto mais desenvolvida essa capacidade, mais vc conseguirá sentir os músculos envolvidos em alguma atividade, caso se concentre no alvo, justamente por eles se tornarem cada vez mais inervados e a sua capacidade mental de produzir tensão ser mais contínua. 

É ele que manda!
Uma das maneiras de treinar o nosso SNC de forma bastante pronunciada é fazer os exercícios compostos com cargas realmente altas que girem em tono de 90-100% de 1RM feitas da maneira mais explosiva possível. Isso fará vc envolver todo o seu corpo no exercício, vc será obrigado a se concentrar 100% no que está fazendo caso não queira se matar ou se lesionar gravemente, fará vc melhorar e técnica, fará vc ser um atleta melhor, fará sua capacidade de resistir estresse ser muito melhor e consequentemente melhorar sua concentração em qualquer atividade, fará seu cérebro reptiliano se sentir desafiado que consequentemente fará vc ser mais viril e destemido. Porém os gurus dizem que treinar muito constantemente perto de 1RM causará um processo de catabolismo constante e “overtraining” (risos), e fará todas as suas articulações de deteriorarem com se fossem gelatinas jogadas no ácido fluorantimônico.

Mas falando em cérebro reptiliano, além de todos estes fatores citados que treinar com exercícios compostos com altas cargas podem melhorar em vc, ainda tem toda a questão hormonal que estará envolvida. Seu corpo não se sente ameaçado de morte quando vc faz 15 repetições na rosca direta. Mas quando vc vai para a gaiola e vê a barra montada com um peso que é 3x o seu peso corporal, esse seu sistema primitivo de sobrevivência com certeza se sentirá ameaçado de morte e terá a obrigação de fazer algo para permanecer vivo. Antes de vivermos em cidades, o ser humano quando era ameaçado de morte, seja por um tigre-dentes-de-sabre, pela fome, ou pela exaustão física, liberava hormônios que tinham a capacidade de fazer com que nossas faculdades mentais fossem aprimoradas, justamente para conseguirmos nos concentrar mais eficientemente de forma continua e constante em alguma tarefa, seja ter um raciocínio apurado ou capacidade de produzir contração muscular de forma explosiva, entre outras coisas, para escaparmos da morte certa. Voltando a gaiola, vc estará estimulando de forma relativamente controlada o seu ser primitivo interno a liberar esses hormônios para ter a capacidade de vencer esse desafio que está ameaçando a sua existência. Você precisa dar o melhor e os hormônios como a testosterona o ajudaram a fazer isso. 

Os caras também sabem alguma coisa sobre ganhar músculos. 
Por isso exercícios compostos são melhores para estimular a produção de hormônios anabólicos durante e pós treino. Seu corpo produz mais e mais testo para te tornar mais forte, e mais focado mentalmente para vc não precisar sofrer tanto e ter mais chances de sobrevivência na próxima vez que tiver correndo risco de vida. Não só hormônios, mas umas das maneiras mais eficientes de se queimar banha, que é por meio do efeito EPOC, será melhor e mais intensamente ativado se vc tiver ótima capacidade de aguentar o sofrimento da exaustão física por um tempo maior. E isso vc consegue via SN.

Treinar para ter um SNC mais poderoso te fará um homem melhor justamente por fazer vc ser mais resistente ao estrese. Sua capacidade de concentração e de suportar o desconforto será muito maior, primeiro nos treinos físicos, que refletirá em todas as áreas da sua vida, pelo simples fato que já foi explicado acima que o seu corpo trabalha de forma conjunta. Maior capacidade de aguentar um peso que pode te esmagar fará com que seu cérebro se acostume a desafios, e aguentar aquele seu chefe pau no cu ou as aporrinhações da sua rodadinha que tu chama de namorada vai ser fichinha.

Platão e muitos outros grandes homens já sabiam que o desenvolvimento físico anda de mãos dadas com o desenvolvimento mental e psicológico do homem. Lembre-se, eles viveram antes da era dos abadás e treinos P90X nos ginásios, ou seja, um tempo que o trabalho realmente pesado e desafiador era a regra. Observando como as coisas são feitas nas academias e centros de treinamento hj em dia, não é de se admirar que a grande maioria dos homens subestimem a importância do aprimoramento físico no desenvolvimento pessoal, pois toda aquela merda feita sem esforço, com conforto e totalmente esterilizada é apenas uma forma de treinarmos o ego e a socialização, e não o físico e a mente.

Bem vindo a atualidade.
Por isso a força física é a base de toda a masculinidade. Pois é a capacidade de produzir tensão (como já vimos), de resistir ao estrese e evoluir a partir disso. É a capacidade de vencermos resistências externas por meio da nossa vontade interna. Tudo que foi construído até hoje no mundo nada mais é do que a manifestação do homem em superar a resistência imposta pela natureza, e quanto mais vc tiver a capacidade de produzir força, mais destemido e masculino vc será.

Considerando tudo isso, treinar com cargas mais altas e repetições mais baixas lhe desafiará mais, o que consequentemente fará com que o seu treino seja mais divertido de fazer. Como existe essa questão da compensação, vc não terá necessariamente a obrigação de treinar cada parte individualmente separada do seu corpo de forma mecânica e sem vida para crescer de forma geral, pois se vc fizer um levantamento terra brutal, seu corpo precisa não apenas de costas poderosas, mas bíceps e antebraços poderosos também. Eu particularmente odiava treinar braços e fazer apenas exercícios compostos de forma brutal nunca prejudicou o desenvolvimento destes.

É claro que vamos ter disparidades de força entre um músculo e outro e sempre terá aquele mais fraco que pode prejudicar a performance de um movimento mais complexo. Por isso treinar de forma separada ainda é eficiente e inteligente algumas vezes, mas esse fator de treinar pontos fracos e a do tempo sobre tensão suficiente para hipertrofia, mesmo fazendo séries com poucas repetições ficam para o próximo post dessa série.