terça-feira, 13 de dezembro de 2016

A DEGRADAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA



Babilônia era um cálice de ouro nas mãos do Senhor; ela embriagou a terra toda. As nações beberam o seu vinho; por isso agora, enlouqueceram. (...) Secarei o seu mar e esgotarei as suas fontes. A Babilônia se tornará um amontoado de ruínas, uma habitação de chacais, objeto de pavor e de zombaria, um lugar onde ninguém vive. O seu povo todo ruge como leõezinhos, rosnam como filhotes de leão. Mas, enquanto estiverem excitados, prepararei um banquete para eles e os deixarei bêbados, para que fiquem bem alegres e, então, durmam e jamais acordem. Eu os levarei como cordeiros para o matadouro, como carneiros e bodes.  (Jeremias 51. 7/36-40)


Chamar "melhoramento" à domesticação de um animal é algo que nos soa quase como uma brincadeira. Quem saiba o que se passa nos lugares onde se domestica animais selvagens, duvidará muito de que estes sejam "melhorados".  (Friedrich Nietzsche).


O “progresso indefinido” é uma ideia de origem iluminista, que nasceu no Oriente Próximo junto com a civilização e procurou legitimidade teórico-racional durante o iluminismo francês do século XVIII. O mesmo é baseado na noção que o ser humano procede de um passado doente, sujo, ignorante e primitivo, e que pouco a pouco dirige à um futuro saudável, limpo, culto e “avançado”. A arqueologia sugere algo contrário: que a civilização provocou a caída do ser humano do estado de graça, tornando ele doente. A ideia das tradições religiosas era similar: existiu uma “era de ouro” endênica (Satya Yuga para os hindus) em que o ser humano era mais perfeito, e pelo qual contraiu um trauma que causou a degeneração humana e a aparição da miséria e a enfermidade, culminando na "era de ferro" (Kali Yuga para os hindus). Apesar disto, a espiral industrial em que estamos afundando segue propagando que o crescimento econômico infinito é viável, que a torre de Babel pode ascender indefinidamente, que as coisas vão melhorar e, em suma, que o ser humano “melhorou”.

Ao longo de sua história evolutiva, o homem ascendeu na pirâmide alimentar desde dos arcaicos macacos frugívoros, convertendo-se em um predador cada vez mais eficaz e coroando-se acima dos demais quando, após a revolução canívora, deixou de ser vítima doutros predadores. No entanto, com o fim da Era glacial e o advento da Revolução Neolítica, o homem e o planeta caíram sob uma nova forma de depredação: a tecnologia e o parasitismo da Terra; dois novos fatores que violaram uma equação holística até então harmoniosa, e que transtornaram para sempre o equilíbrio ecológico do planeta e a biodiversidade e qualidade genética da espécie.

O ser humano, ou melhor, um tipo humano desenraizado, alienado, miscigenado e confuso, acredita que a razão de seu mal-estar e de seu medo era que a ordem estava mal projetada. O frio glacial penetra até a medula, oprime o coração, desmoraliza ao timorato e não permite pensar em nada mais. Os elementos e a vegetação fustigam e arranham a pele. O solo maltrata os pés. O sustento diário somente é ganho com sacrifício atroz e derramamento de sangue. As mulheres, acaparadas pelos melhores caçadores e guerreiros, são difíceis de conseguir. Cada minuto de vida é um minuto arrancado a duras penas de morte lutando contra o meio em que vive e contra si mesmo. E além disso, em cada canto espreitam as garras de um predador de uma tribo inimiga que não hesita em devorar alegremente qualquer infeliz que cair em suas mãos.

Quanto à própria tribo, ela é um organismo contundente, desapiedado, frio e severo. Não é uma mãe em cujo brando regaço chorar em busca de consolo e caridade, mas um pai estrito que impõe obediência, que se deleita com o sacrifício e que não perdoa o erro. Como mandos militares, os sábios anciões marginalizam aos fracos da vida reprodutiva, e premiam somente aos bons caçadores e lutadores, exigem uma lealdade e uma entrega absoluta e não vacilam em deixar morrer aos elementos menos valiosos da coletividade pelo bem do clã. Goste ou não, estes são os fatores que nos fizeram subir acima do homem-macaco e que escreveram nosso genoma como um romance com letras de gelo, pedra, sangue, sêmen, carne e suor.


O frio deu muitas coisas boas para a espécie humana.

“Evolua ou morra”, dizia o mundo naquela época. Mas essa lei pode resultar muito dura para as vítimas da voraz maquinaria evolutiva: viver como carne-de-canhão da seleção natural não é vida. Portanto, é necessário questionar esse horrível estado de coisas, redesenhá-los desde do zero, reorganizar a obra de Deus ― já que Ele não soube organizá-la ao gosto do homem ―, fugir do sofrimento e erigir uma messiânica “nova ordem”. Nasce a moral do escravo e uma espécie de complexo de Édipo. Se deve construir um sistema (a civilização) dentro do Sistema (a Natureza), em que o sustento diário não acarrete em tanto esforço e em que a busca do prazer e da comodidade prime sobre as virtudes alquímicas do ascetismo, sacrifício e a força de vontade. A competitividade deve ser atenuada e a ferocidade do predador deve ser suavizada pra torná-lo apto a encarar o novo molde social pseudo-matriarcal. Para alcançar semelhante meta, deve-se recrutar pessoas de origens diversas, dispostas a trabalhar por um novo bem comum ― pela persuasão ou pela força ―, e abolir sua bagagem de tradições e identidade ancestrais. Onde antes haviam apenas as profissões de mãe, caçador, guerreiro, pescador, coletor e xamã, agora surgiram ocupações totalmente novas (cerâmico, agricultor, pastor, mercador, prostituta, sacerdote, minerador, servente, escravo) que hierarquizam a sociedade em base de critérios que não estão relacionados com a qualidade dos genes: um homem fraco e covarde pode agora ser valioso caso dedique mover objetos pelas rotas comerciais; uma mulher promiscua, outrora maldita pela tribo, agora pode vender seu corpo. 


A nascente sociedade deve ser um ente massificado em que os fortes puxam a carroça, rebocando os fracos com o suor de seu rosto. Os valentes morrem na guerra enquanto os covardes se multiplicam na retaguarda. Não é mais necessário caçar, pois o pão substituiu a carne e o vinho o sangue. Só existe um deus universal: a civilização. Todos os demais deuses são abominações. Quem pertence a essa espécie de seita são os elegidos. Quem não pertence a ela são os pagãos, os bárbaros, os profanos, os retrógrados, os "machistas", uma massa humana cega, selvagem e impura que vive nas cavernas e que deve ser escravizado e integrada no sistema para que os eleitos possam viver sem trabalhar. O pensamento linear, racional e lógico deve crescer monstruosamente até anular o pensamento simbólico e instintivo. A civilização acabará dominante a Natureza, decifrando todos seus segredos, e dissecando-a e finalmente submetendo-a, fagocitando-a e domesticando-a integralmente, para que nada escape do controle humano e para que o sistema seja previsível, mecânico e matemático.

Cada dia que passa eu fico mais impressionado com esse livro.
Essa filosofia deve ter tomado raiz inicialmente no Oriente Próximo e afetou a numerosos povos, entre eles os judeus ― que atualmente é de longe o grupo humano que leva mais tempo vivendo sob condições civilizadas. O Antigo Testamento está salpicado de testemunhos sobre o amanhecer da civilização, coletados ao longo de toda a Crescente Fértil, desde a cidade suméria de Ur até a cidade egípcia de Mênfis. O escrito hebreu Midrash Tanjuma nos brinda com um exemplo perfeito de ideologia iluminista. Supostamente ocorre antes da Revolta de Bar Kokhba. Turno Rufo, o governador romano de Judeia, debate com o líder do Sinédrio Akiva ben Yosef, e lhe pergunta: “A obra de quem é mais bela, do Santo, abençoado seja, ou do homem, de carne e osso?”. O rabino responde que a obra do homem. Perplexo, o romano replica: “mas olhe para o céu e a terra! Pode por acaso o homem fazer algo semelhante?”. Akiva manda trazer uns grãos de trigo e um bolo: “Isso é obra divina e isso é obra humana”, disse. “Não é melhor o bolo que os grãos de trigo?”. Esse tipo raciocínio não difere muito do que teria impulsionado Adão e Eva a provar do fruto da arvora da ciência... perdendo para sempre o fruto da arvora da vida.

Está muito estudado pela eugenia que os meios sociais civilizados ― ao preservar a vida de pessoas fracas e burras que em um ambiente natural seriam incapazes de perpetuar sua linhagem, e ao lançar os fortes e inteligentes à guerras fratricidas e ocupações abomináveis que minam sua taxa de fertilidade e desperdiçam seu sangue ― provocam irremediavelmente a degradação do código genético do ser humano. A Natureza tem maneiras muito retorcidas de vingar-se de quem lhe dá as costas ou pretende dominá-la. O registro fóssil demonstra que quando o homem deixou de caçar e adotou a agricultura, o mesmo pagou com um tremendo declínio de sua saúde e de sua qualidade biológica. 


Atualmente, a proliferação cada vez maior de doenças degenerativas, alergias e desordem mentais (“a investigação das doenças avançou tanto que cada vez é mais difícil encontrar alguém totalmente saudável”, dizia Aldous Huxley) é sinal mais que evidente de que não dominamos a Natureza, mas que ela nos segue dominando como sempre, só que desta vez nos ataca, porque não estamos obedecendo-a. A doença e a degeneração são as maneiras que a Natureza tem de protestar e nos fazer perceber que não estamos exercitando nossas funções humanas, que ignoramos a sabedoria reprodutiva e que estamos fazendo, respirando, comendo e bebendo coisas que não deveríamos. Se a civilização é como uma serpente que morde a própria cauda, é porque é o resultado da qualidade genética e depende dela, mas como uma maldição, se volta contra a mesma substância que o alimenta, fechando o círculo de sua própria perdição. Esse “efeito bumerangue” biológico é o verdadeiro motivo pelo qual todas as civilizações caem uma hora ou outra e isso faz suscitar uma pergunta lógica e inquietante: se a próxima civilização humana será global, o que virá depois?

Esse é o nosso fim?

O homem civilizado não experimentou a dureza do mundo real em sua carne e nunca se adaptou a Natureza ― pelo contrário, seus atos são encaminhados a adaptar a Natureza a ele, embora seja a força. Portanto, tende a ter um ego grande e um espírito pequeno, e considera que está acima da evolução. Essa nova criatura artificial, esse novo animal doméstico que é o ser humano moderno, por seu isolamento na bolha do “bem-estar digno de lástima”, desconhece a humildade perante a Criação, e é portanto a única forma de vida do planeta capaz de desviar-se das leis naturais, inverter a ordem correta e incorrer no pecado de levantar-se contra a obra de Deus. Essa soberba sacrílega e autodestrutiva, os gregos chamaram de hubris ou hybris. É a causa pelo qual, apesar da civilização ter sido total, absoluta e indiscutivelmente catastrófica sob um ponto de vista estritamente evolutivo, biológico, espiritual e meio ambiental, o homem se converteu num “senhorio satisfeito” de seu trabalho, tal como disse Ortega y Gasset.

Diante de todo esse quadro surgem algumas perguntas: Seria a civilização uma guerra de morte contra a biologia e, portanto, uma revolta contra a vida, por parte das forças enfermiças, malignas e antitéticas do mundo, aquelas que estão ressentidas pelo sofrimento? O homem corre o risco de converter-se num escravo de sua própria criação, em um simples fator produtivo, em uma figura, uma estatística? Criamos um sistema com vida própria que tem subordinado nosso bem ao seu? Seria a tecnologia desumanizando e mecanizando a espécie, exterminando sua biodiversidade, provocando sua involução e chegando sua domesticação a níveis assombrosos? Seria a sociedade moderna um imenso campo de concentração, um zoológico massificado cujas jaulas definhadas, domesticou e castrou os degenerados descendentes mutantes do homem livre e caçador?

Que tipo de seleção natural estamos promovendo? Que tipo humano é mais favorecido pelo "progresso"? No que se converterá o homem no dia que ele perder definitivamente sua adaptação à Natureza e esteja plenamente adaptado ao mundo industrial, comercial e tecnológico? A espécie humana chegou na senilidade ou no Alzheimer? A civilização está autodestruindo o mundo moderno em geral e a Civilização Ocidental em particular? A civilização segue sendo essa ciumenta seita oriental que exige a submissão da vida e que para conseguir isso, como toda seita, extirpa ao indivíduo de seu marco ancestral, aniquilando sua identidade e dinamitando as lealdades que possa ter fora da seita (nação, povo, raça, classe, sexo, família, região, profissão, etc.)? Este é o tipo de perguntas que fizeram os autores que veremos nesse artigo.


A civilização levou ao avanço descomunal da matéria inerte (tecnologia, comércio, consumismo, conforto), e o retrocesso absoluto da matéria viva (saúde, corpo, código genético, mente, sacrifício), para não mencionar a caída da espiritualidade. Até que os sistemas de poder não adotem uma perspectiva biocêntrica em geral e antropocêntrica em particular, e enquanto o alto da pirâmide do poder mundial siga ocupado pela elite financeira internacional (os pastores que estão domesticando, castrando, atontando e envenenando os seres humanos), a espécie seguirá degenerando-se a si mesmo e o ao planeta. 

Desmatar florestas inteiras para imprimir milhões de exemplares de revistas de moda sensacionalista, adoecer as pessoas para que precisem comprar medicamentos da indústria farmacológica, descartar a maternidade e a natalidade para que as mulheres trabalhem a fim de ganhar dinheiro para comprar coisas totalmente inúteis, ou arrancar milhões de pessoas do Terceiro Mundo para alimentar a maquinaria das multinacionais, são coisas que só num sistema econômico equivocado e podre poderiam ser beneficiosas ― para alguns, e só a curto prazo. 

Enquanto os Estados não se rebelarem contra a economia de livre mercado e o comércio internacional apátrida, e enquanto não intervenham com firmeza e decisivamente na reprodução humana para deter a involução da espécie e melhorar seu código genético, o ser humano rumará ao caminho de converter-se numa forma de vida cada vez mais ridícula e desenraizada. O mundo moderno necessita desesperadamente de uma série de revoltas populares que derrubem a economia financeira, global e de consumo, e estabeleça uma economia multipolar, austera e simples, mais baseada na autossuficiência, na autarquia de cada Estado, nos bens locais e aquilo que é estritamente necessário e em que o Estado, identificado como o povo trabalhador, se imponha aos mercadores, parasitas e prestamistas usureiros.


"O atual estilo de vida não tem nada a ver com as necessidades da espécie, mas com as exigência de um sistema econômico com vida própria, e que se encontra em total contradição com a natureza humana, com seus instintos inatos e com o verdadeiro papel do homem livre no concerto da vida e do mundo".

A recompilação de passagens que são apresentadas não devem ser interpretadas como um argumento contra a civilização ou contra a tecnologia, mas sim contra a civilização mal entendida, contra a tecnologia mal utilizada, contra a economia usureira, livre-mercadista, parasitária, consumista e do crescimento indefinido, e a favor de um tipo radicalmente distinto de civilização, como por exemplo foi Esparta: um Estado, talvez o único da história, que com uma clarividência sem precedentes, percebeu que o ouro corrompe e de que a civilização é um produto nitidamente perigoso que para aproximar-se é preciso estar com o chicote nas mãos. Durante séculos, Esparta foi capaz de manter viva a natureza e a tradição de seus cidadãos, mas também pode defender seu meio geopolítico mais vulnerável da Europa contra inimigos infinitamente mais avançados economicamente e materialmente.

Ao selecionar os autores destas citações, não se discriminou por motivos de raça, religião, sexo, orientação sexual ou ideologia. Aqui veremos pessoas de diversas raças e etnias, diversas ideologias políticas e religiões, e inclusive até alguns homossexuais. A maioria tem em comum não compartilhar o infantil entusiasmo "progressista" e a olhar para a civilização com desconfiança, enquanto que paradoxalmente são considerados grandes expoentes da mesma.


"A civilização é a vitória da persuasão sobre a força". (Platão, filósofo grego, 428-328 AEC).

"Qualquer tentativa de melhorar a natureza é cultura, e toda cultura é como uma doença: quanto mais culto for um homem, mais perigoso será". (Chuang-Tzu ou Zhuāngzǐ, filósofo chinês, 369-286 AEC).

"Nascemos príncipes e o processo de civilização nos converte em sapos".  (Públio Siro, escritor romano, 85-43 AEC).

"No início, quando os homens viviam imbuídos com sentimentos dignos de heróis, honravam aquela virtude que nos torna semelhante aos deuses; eles obedeciam às leis estabelecidas pela Natureza e, conjugando-se com uma mulher em idade apropriada, tornavam-se pais de crianças virtuosas. Mas, gradualmente, a raça caiu daquelas alturas para o abismo da luxúria, e buscou prazer por caminhos novos e errantes". (Luciano de Samósata, escritor grego, 125-181 EC).

"Deus nunca fez o seu trabalho para o homem consertar". (John Dryden, poeta e dramaturgo inglês, 1631-1700).

"As cidades são o abismo da espécie humana".  (Jean Jacques Rousseau, filósofo francês, 1712-1778).

"Deus fez o campo, e o homem fez a cidade". (William Cowper, poeta inglês, 1731-1800).

"Se nos amontoássemos em grandes cidades como europeus, vamos nos tornar seres corruptos, tal e como eles são agora, e devoraremos uns aos outros". (Thomas Jefferson, revolucionário e presidente estadunidense, 1743-1826).

"O desvio do homem do estado em que foi originalmente colocado pela Natureza demonstrou ser uma prolífica fonte de doenças".  (Edward Jenner, médico inglês e inventor da vacina da varíola, 1749-1823).

"As florestas precedem as civilizações, os desertos seguem-nas". (François-René de Chateaubriand, diplomata, escritor e aristocrata francês, 1768-1848).

"Quando começa o cultivo outras artes vêm atrás. Os agricultores, portanto, são os fundadores da civilização humana".  (Daniel Webster, estadista americano, 1782-1852).

"Rasgai ao homem civilizado e aparecerá o selvagem". (Arthur Schopenhauer, filósofo alemão, 1788-1860).
"É a civilização do homem apenas um envoltório, através do qual sua natureza selvagem ainda pode explodir, mais infernal do que nunca?" (Thomas Carlyle, escritor escocês, 1795-1891).

"À medida que a civilização avança, a poesia declina quase necessariamente". (Thomas B. Macaulay, aristocrata, historiador, poeta e político escocês, 1800-1859).

"A verdadeira prova da civilização não é o censo, ou o tamanho das cidades, ou as colheitas, mas o tipo humano que o país produz”.  “O final da raça humana será quando ela eventualmente morrer de civilização".  (Ralph Waldo Emerson, poeta e filósofo americano, 1803-1882).

"A tecnologia está regida por dois tipos de pessoas: aquelas que gerenciam o que não entendem, e aquelas que entendem o que não gerenciam". (Mike C. Trout, membro da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, 1810-1873).




"O efeito de toda civilização levada ao extremo é a substituição do espírito pela matéria e da ideia pela coisa". (Théophile Gautier, escritor e fotógrafo francês, 1811-1872).
"Embora a civilização tenha melhorado as nossas casas, não melhorou igualmente os homens que as habitam. Ela criou palácios, mas não foi tão fácil criar nobres e reis. A maioria dos luxos e muitas das ditas comodidades não somente são indispensáveis, mas são obstáculos para a elevação da humanidade. Os homens tornaram-se as ferramenta de suas ferramentas. É a preocupação com a posse, mais do que qualquer outra coisa, que impede os homens de viver livremente e nobremente. Vida na cidade: milhões de seres vivendo juntos na solidão". (Henry D. Thoreau, poeta e filósofo americano, 1817-1862).
"O progresso, essa grande heresia da decadência". (Charles Baudelaire, poeta e escritor francês, 1821-1867).

"A produção de muitas coisas úteis resulta em muitas pessoas inúteis. A desvalorização do mundo humano aumenta em proporção direta com a valorização do mundo das coisas. O desenvolvimento da civilização e da indústria em geral mostrou-se tão ativos na destruição das florestas que, em face disso, tudo o que inversamente se fez para a sua conservação e produção é insignificante em comparação". (Karl Marx, ideólogo judeu-alemão, 1818-1883).
"A barbárie é necessária a cada quatrocentos ou quinhentos anos para trazer o mundo de volta à vida. Caso contrário, morreria de civilização". (Edmond H. de Goncourt, escritor francês, 1822-1896).
"A civilização tem ido cada vez mais longe do chamado "homem natural", que usa todas as suas faculdades: percepção, invenção e improvisação". (Robert G. Ingersoll, veterano de guerra, político e orador americano).




segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Mentes Perigosas

Recentemente eu acabei de ler o livro "Mentes Perigosas - o psicopata mora ao lado" que me fez ter alguns insghts sobre as coisas que eu escrevo aqui, e sobre as pessoas com as quais eu convivo.


Primeiramente é importante dizer que o livro é bastante interessante, informativo, de uma leitura fácil e agradável. Li todo ele em dois dias. As informações que são passadas são bastante úteis para nossa vida cotidiana, para nos ajudar a manter  pessoas problemáticas bem afastadas. Inclusive eu identifiquei bastante CLARAMENTE uma pessoa que eu tenho um certo contato como um psicopata (segundo as definições do livro). Sempre desconfiei que a pessoa em questão não fosse flor que se cheire, mas agora eu tenho certeza. Uma das dicas mais importante que a autora dá para descobrir se alguém é ou não é uma pessoa tóxica que só vai se aproveitar de você, é ouvir essa voz interna que todos nós temos. Isso é bastante importante. Não negligencie esse sua capacidade de prever as coisas. Quanto mais esclarecido vc for, a quanto mais viver rigidamente de acordo com seus princípios, mais essa voz se torna-rá clara. Mas enfim.

Basicamente, para a autora, psicopatas são pessoas que não tem consciência. Não confunda "não ter consciência" com "não ter exata noção" dos próprios atos. Essas pessoas sabem perfeitamente o que estão fazendo, o mal que estão causando, e não se importam nem um pouco. Inclusive isso foi umas das coisas que eu achei mais interessante no livro. Achei que ia ler uma certa punhetação mental sobre "não responsabilizar" essas pessoas, já que a regra da psiquiatria/psicologia esquerdista, que é completamente dominante aqui e o politicamente correto que está inserido em todos os meios de comunicação aqui no brasil (inclusive livros publicados), tem a tendência de desculpabilizar as pessoas dos suas próprias atitudes e debitar essa conta da "construção social"que o sujeito está inserido, fora a alegação de que "são pobres coitados doentes que não fazem por mal", mas está justamente escrito o contrário. E isso é muito bom. A autora deixou categoricamente explicitado que pessoas más tem a total culpa do que fazem, sabem e fazem pq querem. Ponto final. Mas o que seria essa tal consciência?




Ana Beatriz nos explica que existe dois tipos de consciência, basicamente. Um diz respeito a coisas práticas e momentâneas. Ao nosso "estar alerta", conseguir interpretar os sinais da realidade que nos cerca e fazer nossas ações conforme esse entendimento. É o estar acordado. Raciocinar. A outra consciência diz respeito a nós enquanto seres humanos. Ao "ser". Como vivemos a nossa vida. Não é um estado momentâneo. "Ser consciente é ser capaz de amar".

A consciência é algo que sentimos. Ela existe, antes de tudo, no campo da afeição ou dos afetos. Mais do que uma função comportamental ou intelectual a consciência pode ser definida como uma emoção. Peço licença e vou um pouco além. No meu entender, a consciência é um senso de responsabilidade e generosidade baseado em vínculos emocionais, de extrema nobreza, com outras criaturas (animais, seres humanos) ou até mesmo com a humanidade e o universo como um todo. É uma espécie de entidade invisível, que possui vida própria e que independe da nossa razão. É a voz secreta da alma, que habita em nosso interior e que nos orienta para o caminho do bem. (pg 22)

Ou seja, o psicopata é um sujeito que não tem esse senso de responsabilidade com a sociedade  ou com os seus semelhantes ou animais. Seu papel no mundo é sugar o máximo que puder de todos a sua volta em favor de benefícios próprios, em favor do seu prazer e satisfação pessoal. Por isso eles podem chegar ao ponto de achar realmente que matar e esquartejar crianças não seja algo ruim. Pois tudo é válido na hora de satisfazer as próprias vontades e satisfazer fortes emoções. Claro que nem todos chegam a esse nível de sadismo, mas a questão é que todos que podem ser diagnosticadas com algum grau de psicopatia, vão explorar vc de alguma maneira, sem nenhum tipo de dó ou remorso. Por isso é importante não ter nenhum tipo de contato com esses seres e saber identifica-los. E é exatamente isso que eu ensinar agora, paspalhos.

Caso queira informações mais pormenorizadas, leia o livro. Mas uma coisa que me chamou a atenção na identificação dessas pessoas ruins foi que eles apresentam um comportamento que se repete em todos os casos que e autora investigou. Algumas características são mais fortes nuns, mais fracos em outros, algumas bastante difficiles de identificar, uma vez que os sujeitos são atores sociais, e sabem se esconder muito bem. Mas a característica que sempre se repete é o de "se fazer de vítima". Com certeza vc que está lendo isso, conhece alguém que tem essa tendência. Fique esperto com esses filhos da puta desonrados. Nas palavras da autora:


Durante todos esses anos de exercício profissional, ouvi muitas histórias sobre psicopatia. Meus pacientes relataram (e até hoje o fazem) como essas criaturas invadiram, feriram e arruinaram as suas vidas. Em cada caso foi possível identificar comportamentos suspeitos; uns mais característicos, outros menos. Tudo varia muito de caso para caso, no entanto, em todos, precisamente em todos, pude identificar "o jogo da pena". A meu ver, esse é um dos recursos mais comuns e constantes das pessoas inescrupulosas. Muito mais que apelar para o nosso sentimento de medo, os psicopatas, de forma extremamente perversa, apelam para a nossa capacidade de sermos solidários. Eles se utilizam de nossos sentimentos mais nobres para nos dominar e controlar. Os psicopatas se alimentam e se tornam poderosos quando conseguem nos despertar piedade. (pg.56)

Ou seja, os malandros se aproveitam da nossa boa vontade para nos apunhalar pelas costas. E essa característica de se fazer de coitado, de humilde, de simples e de vitima foi que me fez perceber que o sujeito que eu convivo de perto é um psicopata. Ainda mais analisando as outras atitudes e histórias que eu sei dele. Eu sempre tive um pé atrás, sabia instintivamente que ele não era confiável, mas eu achava que talvez pudesse ser um implicância minha. Mas não, eu estava correto e já havia alertado amigos meus que também são próximos do sujeito.

Falando um pouco sobre o malandro, ele é uma pessoa que gosta de se vangloriar de seu passado "difícil", de como sofreu na infância, em como era "humilhado" na escola por ser "menino pobre da roça" (sendo que não era nada disso, ele tinha uma vida comum a qualquer pessoa que mora no interior do PR). Gosta de se vangloriar em como venceu na vida, e claro, em como tem um legião de invejosos querendo a sua derrota. Qualquer merda que ele faça, a culpa não é exatamente dele, mas da inveja alheia. Até as vezes que ele se acidentou de carro, a culpa era da inveja. Ele tem a tendência extremamente irritante de lisonjear de forma exagerada qualquer pessoa, mas principalmente as que estão bem colocadas socialmente. De uma hora para outra ele é o seu melhor amigo se vc for um cara mais receptivo. Ele fala-rá o quanto vc é foda, como é estiloso, como as pessoas te admiram, como vc está bem, pergunta-rá como vc lida com as inúmeras mulheres que com certeza vão atrás de vc. Pedirá seu número e vcs vão sair se divertir. Ele paga tudo.

Outra característica, que até é relatada em um caso no livro, é a de mentir a profissão. Quem o conhece pouco e superficialmente, tem a certeza que ele é engenheiro. Pelas postagens nas redes sociais, e por que sempre que conhece uma pessoa nova, (que seja influente na sociedade, é claro) ele diz que é engenheiro e está trabalhando em vários projetos. Que tem muitas viagens a negócios. Mas ele não é formado em engenharia merda nenhuma e está bem longe de ser. Das pessoas que ele enganou, principalmente mulheres que pegou com essa ladainha, ele contava vantagem absolutamente satisfeito e feliz em fazer alguém de trouxa. Não tem nenhum remorso e já admitiu que é um mentiroso compulsivo. Não sente dor na consciência em mentir, pq como foi dito acima, psicopatas não tem consciência, ou se tem, é quase nula. Se vc ler no livro, uma das fortes características dos psicopatas é não sentir nenhuma remorso em enganar alguém. Para eles, é uma espécia de diversão.

Um outro amigo meu, que é mais próximo deste que eu relatei, diz que ele aparece todos os dias no comércio dele conversar, e faz questão de dizer que ele é um dos seus melhores amigos, sendo que nunca foram muito próximos. O curioso que os assuntos nunca são trivialidades, são sempre assuntos do tipo "como está a sua relação com a sua família", "vc está feliz", "você pode confiar em mim pra tudo", etc. Óbvio que eu alertei esse meu amigo sobre isso, falei destas características, citei o livro e tudo e ele além de ficar com medo do que esse cara possa fazer, concordou absolutamente comigo e vai dar um jeito de cortar contato.

Ou seja, se vc conhece alguém que se faz de vítima sempre que possível, é muito bajuladora e tem a tendência de ser mentirosa e não sentir remorso por isso, se afaste. Fora algumas outras características que vc encontrará no livro que é bom ficar esperto, uma delas, além dessas que eu acabei de falar, eu gostaria de enfatizar novamente é que a voz da sua intuição seja, talvez, a melhor maneira de identificar esses predadores. Como eu disse, eu sempre desconfiei desse sujeito e eu não estava errado, assim como desconfio de alguns outros e duvido muito que esteja errado também. Essa voz interna é muito reveladora e bastante importante para nossa vida de homens. Ela pode te livrar de muitos problemas, seja com esses parasitas ou com vagabundas imprestáveis. Fique atento e aprenda a ouvir e dar crédito a essa voz interna.

Não é só o homem aranha que tem esse habilidade.

Porém, o que me motivou escrever esse artigo sobre o livro da Ana Beatriz, não foram essas revelações de como as pessoas podem ser imprestáveis e aproveitadoras. Disso eu sempre estive ciente, e esses temas da psique humana eu já me interesso a um bom tempo. O que me levou escrever o artigo, e que me deixou bastante intrigado foi a forma de como os psicopatas agem, pensam e nas coisas que eu já escrevi aqui no meu blog. Inegável que uma certa semelhança pode ser observada, principalmente no meu artigo sobre como o bem sempre se fode na realidade desse mundo cruel, que tem uma forte influência nietzschiana e todo seu apelo sobre a linha tênue que separa a genialidade da loucura e insanidade. Entretanto existe uma diferença fundamental na ideia que eu tento transmitir aqui, e a atitude dos psicopatas parante a sociedade, e essa diferença eu falarei adiante.

Inegável que os psicopatas são absolutamente insanos e determinados quando a assunto é atingir os seus objetivos pessoais, não medindo esforços e nem consequências para conquistar a vitória. E analisando por este prisma, esse tipo de atitude perante a vida eu acho louvável e já expliquei sobre isso várias vezes. O homem beta se fode de diversas maneiras, pq ele tem medo de competir ou de magoar alguém. Ele se importa de mais. Ou seja, talvez ele tenha "consciência" de mais, e acaba se anulando para agradar os outros e a sociedade. Ele literalmente não é um homem livre. Ele é escravo das suas crenças limitantes.

O psicopata no sentido que está sendo tratado aqui, é um ser mais livre de espírito que o homem bonzinho, mas também não deixa de ser um escravo. É um escravo dos seus desejos e do seu ego gigantesco. Ele precisa se afirmar parante a si mesmo, e aos demais, ele precisa saciar sua ânsia por emoção, adrenalina. E nesse processo, ele pode chegar a fazer o pior tipo de coisas, coisas que uma mente normal nem conseguiria imaginar.

É importante lembrar que além de um desejo insano de satisfazer os seus prazeres, de não ter consciência e não se importar com a vida alheia, os psicopatas tem dificuldades em todos os tipos de emprego, protagonizam relacionamentos doentios e problemáticos, não se doam a nada e a ninguém. Essas características, se analisadas de forma mais objetiva, são evidentes de uma maneira geral nos mais diversos níveis da nossa sociedade. Psicopatas só sugam, não produzem muito pouco ou nada, basicamente. Como eternas crianças, mas com uma maldade inerente em todas suas ações. São pessoas evidentemente imaturas emocionalmente, apesar de serem extremamente frias na maior parte do tempo. Mas quando não atingem seus objetivos, o descontrole emocional é eminente. Todas as pessoas que tiveram relacionamentos com esse tipo de pessoas, relatam uma enorme bi-polaridade com grandes altos e baixos no humor.

É muito comum ver jovens paspalhos e imbecis se vangloriarem e acharem bonito e descolado serem considerados "bi-polares". Eu já vi muito em redes sociais e em conversas informais, os fulaninhos se achando o máximo por serem babacas sem autocontrole.

Se ver algum desgraçado filho da puta burro compartilhar isso ou qualquer merda parecida, corte contato imediatamente. 
Essa tendência atual, a sociedade atual como um todo é bastante favorável ao desenvolvimento da psicopatia. Tanto que no livro é citado que hj em dia, a porcentagem de psicopatas no nosso meio é a maior da história. Pegando um gancho com o que a autora pondera, (e que eu concordo) essa tendência se deve ao fato de vivermos de forma extremamente materialista. Tudo que precisamos para viver hoje, pode ser comprado e descartado, inclusive a vida humana. As crianças crescem aprendendo que podem tudo, ser se doar a nada. Psicopatia, pelo que eu entendi é um estado de infância emocional eterno, e isso é uma constatação minha. E eles só absorvem os recursos de alguém, e não se importam genuinamente com a vida humana. Tudo e considerado como objeto sem vida e sem importância depois que o tesão da conquista passa.

E como eu disse acima, além de ser uma tendência atual, é uma tendência que é ADMIRADA. Puta que pariu. Os jovens cabeças de merda se acham o máximo por usar e não se importar com as pessoas. Acham o máximo ser instáveis emocionais e fazer loucuras e coisas cretinas para afirmar ainda mais essa instabilidade. As menininhas pagam pau para os mais retardados mentais. Os coleguinhas querem copiar. Repare que um dos personagens fictícios mais admirados e que todos amam é o coringa, só citando um exemplo. O Coringa é um lunático psicopata que deveria ser odiado. Todos deviam amar o Batman, mas hj em dia, eu acredito que a popularidade do coringa é maior. Pq todo mundo se vê no personagem e acha legal ser um desgraçado descontrolado emocionalmente. Lembre-se esse é só UM exemplo.

Ídolo atual
Apesar de apoiar a atitude de buscar seus objetivos de forma insana, a mensagem que eu passo aqui é diametralmente oposta a permanecer na infância emocional e não ter consciência das outras pessoas ou dos próprios atos.

Talvez a mensagem mais profunda que eu tente passar aqui é que não temos valor nenhum, se não fizermos algo em prol da sociedade ou em prol de outras pessoas, seja sua família, amigos, na sua profissão e etc. A ideia é ser foda em todos os sentidos, mas sendo útil e protegendo os mais frágeis e que dependem de nós. Só sugar as pessoas vai totalmente ao oposto de que é masculinidade, e o que é viver dentro do código dos homens. Psicopatas não são homens por isso, eles não passam de crianças crescidas e absurdamente maléficas. Homens são insanos nos seus objetivo, mas não passam por cima de nenhuma vida humana, simplesmente pq não tem a necessidade disso, não tem a necessidade de satisfazer desejos estúpidos ou de se afirmar perante a ninguém. Homens são pessoas de espírito livre que vivem no mundo para construir algo e proteger os mais frágeis, inclusive proteger desses demônios. Essa é agrande e fundamental diferença ente homens e psicopatas.

É impossível falar desta diferença fundamental e não lembrar da fantástica parábola do Tenente Dave Grossman, ovelhas, lobos e cães pastores. Se por um acaso vc não conhece, pare tudo que está fazendo agora e faça esse favor para vc mesmo e leia imediatamente. Leila lá e volte aqui.

Quem lê esse blog e entende realmente a mensagem, é como o Sam do mundo real.
Os psicopatas e demais pessoas imaturas são os "lobos maus", que se aproveitam da ingenuidade e benevolência da massa de ovelhas. Eles não tem medo de usar a violência a seu favor (e vão usar) e não se importam em agregar algo de bom na sociedade. São maus de espírito. E como as ovelhas são avuadas de mais e não estão nem aí com nada, só com diversão, não percebem a ação traiçoeira desses lobos e são alvos fáceis. Por isso, que mesmo os psicopatas sendo minoria, o mundo parece um caus total de violência e mortes pra todo lado. As ovelhas(ou caras bonzinhos), como eu já disse, tem medo da violência e se importam de mais. Também vivem numa infância emocional, mas de uma maneira mais ingênua.

Porém, nós que entendemos o Complexo de Hércules também não temos medo de usar a violência, somos ou deveríamos ser os "cães pastores" como o tenente Grossman explica. Por isso eu fiz aquele apelo a violência, pq não podemos mais ser acomodados e fracos, justamente para proteger pessoas que gostamos, e para construir uma realidade um pouco mais satisfatória e honrada para nossos descendentes. Psicopatas não se importam com os demais, mas nós nos importamos, temos consciência. Vivemos aquele paradoxo descrito por Cherterton de amar o mundo, a vida de tal forma que quando nos decepcionamos, ai que vemos ainda mais motivos para lutar por ele. Quando vemos lobos maus, não temos medo de nos sacrificar, caso seja preciso. Masculinidade é sacrifício, caso vc não tenha entendido ainda. Sua vida enquanto homem só terá valor e vc só se sentirá satisfeito se estiver agindo em prol de alguma coisa que vá além dos seus desejos estúpidos.

“A coragem é quase uma contradição em termos. Significa um forte desejo de viver que toma a forma de uma disposição para morrer.” (Ortodoxia, 2008)

Nós somos homens livres que não tem o espírito preso a coisas sem importância, por isso não precisamos de aprovação dos outros e por isso não temos medo de usar e transitar na violência, porém não perdemos a nossa consciência. Somos homens maduros emocionalmente e buscamos a evolução constante, não afinando e inclusive gostando de desafios. Nosso aprimoramento é sinonimo de prosperidade, principalmente para nossos protegidos. Somos homens, e não vermes covardes que se aproveitam dos mais frágeis. Isso é viver de acordo com "O Complexo de Hércules".

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

SUA INÉPCIA NÃO É OBRA DO ACASO PT.2

Como é de costume nessa série, mais uma vez eu fui surpreendido com declarações que deixam bem expostas como a situação das pessoas hj está muito abaixo do que poderia estar. Fica absolutamente evidente que somos extremamente narcisistas e precisamos a todo custo criar caminhos mentais que protejam o nosso ego que é facilmente ferido, justamente pq nos sentimos especiais sem fazer praticamente nada para merecer essa dita cuja “exclusividade”. E uma das maneiras mais comuns de manter a nossa imagem de “pessoa especial” mesmo isso sendo absolutamente uma grande mentira, (e nosso subconsciente confirma isso) é desqualificar o trabalho ou o sucesso de alguém em alguma determinada área (normalmente esportiva que é o que está mais em evidência na massa) dizendo algo como “também, só faz isso o dia todo. Assim até eu seria bom”



Sim!


As pessoas as quais eu vi proferirem esse tipo de declaração, são quase que unanimemente bastante escrotas, desqualificadas, medianas e ignorantes. Isso pq quem gosta de falar esse tipo de coisa de outras pessoas, principalmente as que obtiveram algum sucesso bastante considerável, sabem, inconscientemente, que são ruins em tudo que fazem por não ter força mental e perspicácia igual ao do sujeito criticado, justamente por não ter a capacidade de se dedicarem constantemente, pq prezam pela segurança de permanecer na zona de conforto, só interessando  futilidades e sonhos de uma vida melhor depois que acertar na loteria. E como somos extremamente ególatras, precisamos de afirmações que protejam a nossa identidade de pessoa de valor que todos achamos que temos. Assim, criticamos qualquer sucesso alheio dizendo esse tipo de coisas. Nos convencemos que não somos vencedores pq NÃO TENTAMOS SER VENCEDORES. E isso é uma grande inverdade e um erro que eu espero que vc que está lendo isso, não cometa mais. O sucesso e a satisfação pessoal plena cobram um preço bem alto, muitas vezes algo como a nossa própria vida no sentido mais literal. E nós sabemos disso, por isso temos medo.

Uma maneira fácil de saber se vc realmente seria tão bom quanto alguém que tenha muito sucesso em alguma determinada área é analisar se no seu trabalho vc realmente é um destaque como acha que seria se fizesse aquela determinada tarefa todos os dias. Pq afinal, vc vai trabalhar todos os dias não é mesmo? Está no seu emprego sempre, e tem muitas horas de prática. Você é muito bom no que faz? Os outros reconhecem isso? Ou vc é só mais um chimpa que faz as coisas nas coxas e mecanicamente de pior maneira possível e critica quem é melhor e ama o que faz?

Declarações desse tipo apenas deixam claro e confirmam a afirmação categórica dessa série que diz que sua inépcia não é obra do acaso. Vc não é ruim apenas naquela atribuição que o fulano famoso e reconhecido tem em destaque, mas em tudo que vc empreende, justamente pq se exime da culpa do seu próprio fracasso. Vc precisaria de mil condições e situação para dar certo, assim como acredita que o fulano lá teve. Sendo o grande problema está em vc mesmo. Na falta de resistência mental, principalmente. Como alguns blogueiros  gostam de dizer, o nosso problema é ter um pensamento  de"beta". 


Pontuei 21. Lidem co isso, paspalhos!



Mas o que seria esse pensamento de beta, vc pode estar se perguntando. Basicamente, é a busca incessante por segurança. O beta tem medo, preza muito por sua vidinha especial e de preservar a sua "imagem distorcida" de homem bom ou bem sucedido, e assim permanece na sua zona de conforto para se preservar. Seja dos perigos físicos ou sociais. Inconscientemente sabe que é medíocre, por isso e tenta se convencer que não é um vencedor pq não tentou de verdade ser um. Pode até ser verdade que ele não tentou ser um vencedor, mas sua convicção diz que não tentou por motivos falsos. Ele acredita que não tentou pq não teve a sorte ou as condições necessárias para isso, quando na verdade a covardia e fraqueza é que o impediram de arriscar. 

O beta, ou melhor, a cara que tem um pensamento de beta acha que a sua vida e sua existência são importantes de mais a ponto dele mesmo não perceber a própria inépcia, pois o seu ego o reconforta sempre, fazendo parecer que qualquer fracasso pessoal ou sucesso alheio é obra do acaso ou de fatores externos, ou ainda que é fácil conquistar algo se ele tivesse o mesmo "tempo disponível para praticar". Tempo esse que a vida já não lhe permite mais ter. Mas o nosso subconsciente é cruel e nos cerca com a verdade constante de que não somos bons o suficiente, por isso mesmo que quando o beta tenta algo, ele já tenta meio que desistindo pq sabe que é fraco e vai fracassar logo logo, e como sua imagem é muito preciosa, ele prefere viver 100 anos inerte a 10 vividos intensamente e com sucesso nos projetos que empreender. Por isso a depressão e doenças de cunho psicológico são tão comuns hoje em dia. 

Nos expandimos mentalmente conhecendo inúmeras vidas e histórias impressionantes de heróis, celebridades e super atletas, enquanto nossa vida cotidiana permanece cinzenta, levada de forma desleixada e sem vontade. O holofotes não estão em nós. Queremos o louros mas não estamos dispostos a sair da zona de conforto e pagar o preço doloroso para ter a vitória. Temos medo do fracasso, e nos achamos especias. E esse descompasso entre a vida que achamos que mereceríamos e a realidade é que gera tantos problemas e a inveja que o homem beta tem do sucesso dos outros. 

O conforto da era atual prejudicou em muito o espírito masculino. Hoje qualquer homem fraco e sem coragem consegue viver confortavelmente e até constituir família e ter herdeiros sem necessariamente pagar o preço para isso. O culto a "inclusão" e a afirmação de que o homem pode e deve ser sentimental, sem ter a necessidade de provar que merece o adjetivo de homem nos deixou sem um norte, sem parâmetros de masculinidade. Porém esse golpe no nosso espírito é sentido todos os dias quando fazemos de conta que está tudo bem com a vida, mas deitamos no travesseiro todas as noites e sabemos que somos homens encaixotados numa vida sem graça muito aquém do que poderia ser, e muito disso, por causa da nossa falta de coragem. Nosso fracasso como homens não advém de nada que seja alheio a nossa própria vontade. Sucesso profissional é ótimo mas ainda não é tudo. Ser um homem livre é que é importante. E isso o homem beta jamais será, pq sua felicidade não está condicionada a sua vontade, mas sim ao que os outros vão pensar dele. Ele é um escravo das opiniões alheias e do próprio ego. 


"Cara, eu vejo no clube da luta os homens mais fortes e espertos que já viveram. Eu vejo todo esse potencial, e vejo desperdiçado. Maldição, uma geração inteira trabalhando em postos de gasolina... servindo mesas... escravos de colarinho branco. A publicidade tem nos empurrado carros e roupas, empregos que odiamos para que possamos comprar merdas que não precisamos. Nós somos os  filhos do meio da história, cara. Nenhum propósito ou lugar. Nós não temos nenhuma Grande Guerra. Nenhuma Grande Depressão. Nossa Grande Guerra é uma guerra espiritual... nossa grande depressão é as nossas vidas.... Nós temos todos sidos criados em frente da televisão para
acreditar que um dia todos seríamos milionários, e deuses de filmes, e estrelas de rock. Mas não vamos.
E nós estamos lentamente aprendendo esse fato. E nós estamos muito, muito zangados." (Tyler Durden) 

Por querer agradar os demais ou a si mesmo, o homem beta não arrisca e busca aprovação e validação social em tudo que faz. E eu não falo só do beta BETA que estamos conçados de falar, do homem de estatura mediana, com físico de merda, subemprego, punheteiro e círculo social quase que nulo. O pensamento de beta está presente em muitos caras que poderiam ser considerados superiores e até em celebridades, pq como eu disse, o beta é o cara que busca validação por sua existência medíocre ou pelas coisas que ele faz. Ele precisa de aprovação. Seu trabalho não tem sentido se não agradar a alguém, comprar coisa estúpidas e inúteis para reforçar  a própria imagem perante os outros e reforçar sua zona de conforto de validação social. Por isso é tão comum ver marombeiros se vangloriando em redes sociais de como são fitness e sarados, de caras querendo mostrar a todo custo que tem um emprego legal e uma vida social agitada. Por isso rede social e futilidades são tão comuns hj, pq as pessoas que tem um pensamento beta e inferior, que são a grande maioria, precisam de validação dos outros macacos para se sentirem um pouco mais felizes. Como eu disse, nosso ego nos faz com que acreditemos que somos especiais e uma espécie de celebridade também, e que todos se importam e vigiam nossas vidas.

O quão importante essas coisas são para vc?

A nossa inépcia advém justamente disso, da nossa necessidade de validação social que diz que em vez de vc sentar a bunda na cedeira e estudar vc precisa sair com aqueles amigos vagabundos correr atrás de alguma vagabunda baladeira que tem gonorreia e se achar o máximo por ser o décimo cara que beija ela na mesma noite. Por acreditar que faltar um treino para ir no churrasção tomar umas beras não significa muita coisa, ou ainda, que vc não vai conseguir grandes coisa sem usar uma tonelada de drogas. Ou mesmo o contrário disso, que vc faz essas coisas, estuda, treina, trabalha, etc., e acha que por isso o mundo te deve algo ou vc é especial por isso. Isso também é um pensamento de beta, pq está atrelado a vontade alheia e não a sua própria. 

Essa é a grande diferença entre o homem inferior e o homem superior e livre. Pq o homem livre faz as coisas não para satisfazer expectativas de terceiros, ou o próprio ego, mas pq ele precisa se sentir vencedor, ele precisa saber que derrotou a própria mediocridade. É uma briga interna travada dele para consigo mesmo, por isso não precisa de validação, reconhecimento e nem de fama. Todo sucesso que possa ser gerado disso é apenas um consequência e não um objetivo em si. Ele está disposto a pagar o preço que for preciso para atingir suas metas, e sabe que sua vida não é tão importante assim para o rumo da humanidade, e que o que ele faz é mais importante do "quem ele é" na sociedade. Se as pessoas estão de olho na sua vida, pouco importa pq isso dificilmente vai agregar em alguma coisa que o engrandeça como ser humano.

Fica evidente que esse tipo de conduta mental é capaz de modificar totalmente uma pessoa, pq ela estará condicionada a viver a realidade e não de ilusões e aceitará a sua condição enquanto ser fraco e falho. O sucesso dos outros não será visto com inveja e uma necessidade de desqualificação, mas como um motivador, pq "se alguém conseguiu, eu também posso". Fama é uma coisa muito subjetiva para se medir o sucesso de um homem, pq as coisas que estão na mídia são o que satisfazem a vontade da massa, da maioria das pessoas, e a maioria das pessoas tem um pensamento e gosto por coisas de beta, como eu já disse.  Isso me lembrou do mito do Adônis.

Você gosta imensamente de alguma série específica? Prefere assistir do que jogar algum esporte? Sabe tudo sobre a vida de todos do seu círculo social e da sua celebridade favorita? Não tem opinião própria para muitas coisas? A maioria das coisas que vc faz é para ter aprovação alheia dos seus amigos? Estuda feito um zumbi por pura obrigação? Não achou a sua vocação? Tem medo de conflitos? Não está disposto e se sacrificar por nada e a ninguém? Se acha uma pessoa "especial" ou uma boa pessoa que não é igual a todo mundo que não é malvada e merece um lugar no paraíso quando bater com as botas? Acha que Deus está te reservando o melhor? Acha que sua vida não é/está como deveria ser? Você não se destaca em nada e se sente feliz por isso? Pois bem, eu tenho más notícias para você. Sua necessidade de permanecer na zona de conforto está te dragando totalmente e vai te destruir psicologicamente logo logo. O que todas essas características dessa pequena lista (que poderia se estender muito mais) tem em comum? Você ai consegue perceber? Vou te dar um tempo para pensar. 




Percebeu qual e relação em todas essas atitudes de beta? Não? É meu amigo, acho que o seu problema e seu condicionamento para o fracasso são maiores do que vc imaginava. 

Se vcs notarem em todas essas características, são características PARASITÁRIAS de alguém que apenas suga alguma coisa de outrem, e não cria nada. Você não transforma a realidade a sua volta, apenas absorve opiniões avulsas que muitas vezes não dizem nada para vc, e o que outras pessoas fizeram/fazem. O que há de mais beta do que ser dependente de alguém ou alguma coisa? 

Exatamente, sua inépcia advém do fato de que vc é dependente e não está disposto a se sacrificar e pagar o preço, e não do fato que vc não pratica x horas por semana. Você poderia ter x horas para praticar e mesmo assim não se sentiria realizado como homem se fosse um beta mental pq seu alinhamento mental com a realidade está errado. Segue uma citação que confirma o que eu digo. 

Não acredite em mim sobre o fato de que os vencedores vão fazer o que é preciso para vencer? Bem, a ciência diz "vá se foder" porque você não é, obviamente, um vencedor. O "pesquisador Bob Goldman começou a perguntar atletas de elite na década de 1980 se eles tomariam uma droga que lhes garantisse uma medalha de ouro, mas que também os matariam dentro de cinco anos. Mais de metade dos atletas disse que sim. Quando ele repetiu a pesquisa bianual para a próxima década, os resultados foram os mesmos. Cerca de metade dos atletas estavam prontos para aceitar essa barganha. Por outro lado, apenas 2 dos 250 atletas de lazer disseram que fariam o mesmo. Isso é uma disparidade impressionante - 50% dos atletas de elite vão fazer o que é preciso para vencer, ao passo que menos de 1% das pessoas comuns faria. 

O beta preza muito por sua vida, por isso tem medo de se arriscar e precisa de algum tipo de validação ou aprovação. Ele é um ser dependente, por isso não se sente realizado e tem a necessidade de desqualificar o sucesso de alguém para que se sinta melhor consigo mesmo. Homens, por mais bem sucedidos que sejam, mas que são invejosos, promíscuos, ególatras, burros e fracos, tem um pensamento de beta em maior ou menos grau. Elimine essas características de vc e seja incrível. 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Dieta - Mais mental do que físico e mais difícil do que você pensa




Recentemente, tive mais uma das minhas inúmeras discussões com uma mulher onde ela não demostrou nenhuma pequena quantidade de angústia, horror, descrença e um pouco de ciúme, da minha mentalidade "alimentar a máquina"  para alimentação. Para vocês que não estão cientes, eu como "mais ou menos" para alimentar a máquina- que diz respeito à composição de macronutrientes e as minhas necessidades dietéticas do que comer alimentos que fazem a minha criança interior sorrir. Bem na verdade, foda-se minha criança-interior. O meu Hulk interno determina o que eu devo ou não comer em um dado momento. Eu nunca tinha pensado muito sobre isso até este diálogo recente, já que é tão fácil para mim e tão difícil para a maioria das outras pessoas.

Foi nessa altura em que me deparei com o que me parece ser a peça mais importante do quebra-cabeça. Lembre-se, no entanto (especialmente todas as mulheres que lerem isto) que eu sou uma pessoa de fora olhando para dentro sobre este assunto. Comer para satisfazer algum tipo de necessidade emocional interna está tão longe e disperso em um passado tão distante que eu nem me lembro se ele realmente existiu. Assim, eu não tenho ideia se eu vou ser capaz de contribuir em termos de passos reais para ajudar vc a se tornar uma maldita máquina- eu apenas pretendo identificar o problema e dar alguma teoria de como corrigi-lo.




O problema, ao meu ver


O problema  da maioria das pessoas quando embarcam em uma dieta real, uma que seja realmente restritiva, com um objetivo final extremo estilo"foda-se o mundo, eu vou conseguir queimar gordura", é duplo. Primeiro, eles têm de desprogramar-se de anos de hábitos alimentares de merda e o apego emocional concomitante aos alimentos. Este é um problema enorme para a maioria das pessoas, porque a maioria simplesmente associa determinados alimentos com determinados sentimentos.

Apenas citando algumas garotas que eu conheço, eu sei, por exemplo, que evitam a porra da proteína e não comem nada além de gordura e açúcar quando estão tristes e chateadas, e que esta merda é adquirida geralmente na forma de pães, massas cobertas com queijo e batatas. Francamente, isso não faz o menor sentido para mim, porra. Porque metade do tempo elas irão dizer que estão deprimidas porque se sentem gordas. A resposta, no entanto, é muito simples, mas elas parecem preferir a gratificação emocional de comer essas coisas do que aplicar a solução racional para o problema, que está situada bem na frente delas. Presumo que "homens" façam isso também, mas todos os caras com os quais eu geralmente saio são tão robóticos sobre sua alimentação como eu, ou tomam "produtos" suficientes para compensar a diferença. 

Eles conseguem se controlar na hr de comer. 

Seja qual for a resposta bioquímica/hormonal que você esteja esperando por ficar fora de consumir alimentos iguais do afluxo de cuspidores de fogo, se quiser queimar de gordura, construir músculos, e aumentar a libido e testosterona, você terá de comer carne, ficar magro, treinar pesado, e ficar bem longe da porra do sofá. Comer carne e ficar magro faz mais por sua psique do que você pode imaginar; pq o seu corpo se torna uma máquina de produção de testosterona e de movimento perpétuo enquanto vc se torna mais mais enxuto e "Jacked".  Assim, você será mais feliz a longo prazo, mais e mais se vc simplesmente manter o curso e abandonar suas correções de curto prazo com brownies e macdonalds com queijo e fritas, ou qualquer outra merda que é um alívio para sua criança interior ferida. Principalmente depois de olhar para si mesmo no espelho. Enquanto nós estamos tratando do assunto sobre nossa "pequena criança  interior" punheteira e comedora de  Entenmanns, é muito melhor para vc masturbar-se do que permitir que o seu cérebro salte em uma van cheia de doces sem restrições. Lembre-se, mais orgasmos = mais testosterona, o que equivale a tudo melhor.


Acredite, isso te faz menos homem. 


Além disso, o mau humor e irritabilidade podem ser creditados, em grande parte, aos altos níveis de estrogênio que que são abundantes em seu corpo se você está acima do peso. Gordura produz estrogênio e suprime testosterona . Testosterona reprimida leva a mau humor. Além disso, alérgenos e outros produtos químicos tóxicos em seu ambiente (como os conservantes presentes naquela merda horrível você chama de "alimentos de conforto") podem levar ao mau humor e irritabilidade.

Outrossim, parece haver uma correlação entre o consumo de alta proteína x alta testosterona, e como dietas de baixa proteína mostram aumento dos níveis de SHBG, uma substância química que se liga à testosterona e mantém esta bio-indisponível. (Schuler 70-71) Isso significa que a maioria das merdas que você geralmente usa para melhorar seu humor, tem na verdade o efeito oposto, de uma forma pronunciada e muito foda. Assim, há algo a ser creditado sobre essa citação ridiculamente repetitiva que você vai ver em cada local "thinsperation" (NT: locais de culto a magreza) na internet, "Nada prova ser tão bom quanto estar magro, porque sendo magro vc se sente foda. Toda vez que você olha no espelho, você se sente bem em ser você. Teve um dia ruim? Adivinha, há uma veia nova no seu bíceps esperando para animá-lo e fazer vc calar a sua boca. Simples assim".

Não se engane. Isso também é preguiça e burrice de fazer as coisas corretamente. 

O segundo problema que enfrentam a maioria dos "dieteiros" é o que eu vou chamar de "período negro". Isso seria o momento no qual parece que vc está fazendo um bom trabalho,porém não existe realmente muita diferença apreciável em sua aparência, e você acaba apenas com fome e irritado. Esse período é um duro golpe, e eu já passei por isso mais de uma vez ao longo da minha vida adulta, apesar do meu regime draconiano de dieta. Simplesmente porque a manutenção de um BF de 8% é incrivelmente difícil de fazer durante o ano todo, enquanto permanece-se grande. 

Se eu simplesmente me conformar em ser um cara trincado com 75kg, eu poderia fazer uma dieta paleo modificada por tempo indeterminado e ter um "six pack" sem muitos problemas. Eu fiz isso na Europa, mesmo sem o benefício de termogênicos, uma vez que cada maldita coisa que é impressionante no mundo é violentamente ilegal por lá, (NT: no Bostil também) mas eu consegui ficar tão magro como eu nunca tinha experimentado comendo 2 kg de carne de frango no caldo de carne com couve-flor e brócolis e um "turkey kebap" todos os dias. Porém, eu estava desgraçadamente pequeno. Assim, eu tenho que comer  demais e feito um filho da puta e treinar pra caralho para me manter entre 86kg ou mais, e as vezes, mesmo assim, vou baixar disso. Assim sendo, eu acabo deixando a minha dieta escorregar, e eu vou ganhar gordura e perder um certo nível de musculatura meu corpo aparentemente odeia manter. Quando isso acontece, eu sigo as seguintes fases:


  1. Negação de que estou ficando mais gordo (eu continuo comendo a merda que está me tornando mais gordo);
  2. Aceitação que eu fiquei mais gordo (deliberação entre alimentação e dieta meia-boca);
  3. Resolver ficar magro de novo (dieta regrada (re)começa);
  4. Impressionante fase inicial de perda de gordura. Isto é, quando as veias que eu tinha esquecido que existiam começam a saltar pra fora no meu bíceps, e meus abs inferiores começam a aparecer um pouco. Isto é maciçamente encorajador, então eu permaneço firme e treino ainda mais.
  5. O período negro. Neste ponto, o meu corpo e meu cérebro voam em plena revolta. Eu vou me sentir chateado pq, em primeiro lugar não posso comer as merdas que me fizeram gordo, (que para mim não é nada mais do que sanduíches com carne magra e Baked Lays mais do que uma vez por semana). E eu ainda estou com raiva pra caralho que minha dieta relativamente limpa me fez ficar mais gordo, e ainda mais irritado com o fato de que minha perda de gordura parece estar estagnada. Ai eu começo a me questionar se isso realmente vale a pena e se eu deveria manter o curso.
O período negro é o pior momento do caralho da sua vida. Para mim, isso geralmente dura um par de semanas, que é tolerável. Isso é porque eu acho que 12% de gordura corporal é gordura pracaralho, então eu nunca realmente chego a um estado incontrolável. Meu período negro ainda é um golpe pesado, mas não é nada que seja parecido com o que a maioria das pessoas têm de suportar. Para a maioria das pessoas, o período negro pode durar vários meses, pois não lhes é muito estranho um período de tempo que passa no qual não se vê grandes mudanças. Isso é desanimador pra porra. 

O meu é muito curto porque quando você chega abaixo de 10%, você praticamente vai ver cada novo detalhe em seu corpo em uma base diária. Isso, por sua vez, me impele a progredir. A maioria dos dieteiros têm de lidar tanto com a perda dos alimentos que lhes deu alegria temporária, enquanto que sem come-los e um período consideravelmente prolongado, nada apreciável parece estar acontecendo, e isso é onde a maioria das pessoas aceitam o fracasso porque afinal, o fracasso pode trazer alívio.

Eles decidem que não podem ficar mais magros, e vão dar inúmeras desculpas para confirmar essa crença. Lembre-se, no entanto, que a segurança é uma mindset cruel - "que endurece as nossas mentes contra as possibilidades e fecha-as para o mundo em que realmente vivemos." Tendo em conta que é muito mais fácil de falhar do que ter sucesso, e o fato de que nós estamos afogados em um mar de elefantes de merda nos dias atuais, é fácil se convencer de que o fracasso é ok. Porém, isso nada mais é do que um pensamento preguiçoso e derrotista.  E um puta derrotismo. Você foi tão projetado para ser gordo como os gatos da casa foram projetados para serem seres humanos vegetarianos - somos predadores na alma, e não nódulos de gordura de merda que precisam de Lipitor para manter suas artérias funcionando e Viagra para ter ereções. 

Sociedade atual

A Solução

A solução mais simples é um alvo difícil mas tangível, num estilo Van Damme de atingir metas. Algo que fará você se sentir como um idiota se falhar. Você precisa ter medo do fracasso e desejar ter sucesso, simultaneamente. Assim sendo, se você quiser ficar magro, isso é o que vc deve fazer: pegar um campeonato/competição em um esporte qualquer e que você tenha um grau razoável de habilidade. Pelo amor de Deus, há um monte de idiotas que tentam enfiar um pino quadrado em um buraco redondo, e isso é retardado, porra.Certas pessoas são boas em certas coisas e não em outras. Outros são bons em uma porrada de coisas e parecem não ter falhas, e outros são apenas uns fodidos. Os fodidos provavelmente não estão lendo isso - eles estão ocupados jogando algum jogo estúpido escondidos em algum porão fedorento por ai.

 As pessoas que encontraram o maior sucesso na vida são aqueles que trabalharam duro no que são boas, ficando ainda melhor, enquanto que dedicaram um  tempo menor para corrigir seus pontos fracos. Se você gastar todo o seu tempo de trabalho nas suas fraquezas percebidas, o melhor que você pode esperar é a mediocridade, e a mediocridade é um objetivo estúpido. Assim, você precisa primeiro se sentar e determinar quais são suas vantagens competitivas. 

Tendo feito isso, pondere contra as coisas que você realmente gosta. A merda que tiver a maioria de cruzamentos é em que você deve competir. Antes das pessoas começarem a fazer afirmações sobre minhas afirmações sobre eu ser "pouco musculoso" e geralmente inadequado para powerlifting, considere o fato de que eu nunca consultei outras pessoas sobre o treinamento. Eu nunca fiz perguntas detalhadas a um completo estranho sobre o treinamento. Quando eu fazia alguma coisa, eu imitava as atividades de outros caras para descobrir como isso deveria ser feito. Eu li muito sobre treinamento, e eu aprendi muitas coisas por conta. Mas muito certamente, vc não é igual a mim. Meu sucesso vem de aproximadamente vinte anos arrastando o meu traseiro para dentro da academia 5 ou mais dias por semana, seja com doença, trabalho, férias, em cursos, divórcio ... qualquer merda. Eu tenho um desejo ardente para governar tudo em torno de mim, e eu vou dobrar o maldito mundo à minha vontade. Assim, eu posso ser muito foda em praticamente qualquer coisa que eu quero, porque eu odeio perder mais do que eu gosto de assistir tv.

Em suma, o que estou dizendo é que parece haver um monte de pessoas ai fora que escolhem o que DESEJAM fazer antes de descobrirem no que SÃO BONS, e isso é estúpido. É por isso que eu recebo muitos e-mails retardados que reivindicam melhorias no seu agachamento após 5 anos, e eles não conseguem mesmo bater 140kg com 86kg de peso corporal. Se você tem 86kg e não pode agachar com 140kg em dois anos de treinamento, NÃO SEJA UM POWERLIFITER. Você não só nunca será bom no que faz, mas você só vai parecer retardado no processo. O mesmo vale para as pessoas que querem ser levantadores Olímpicas (ou "corsfitters) mas são um merda no trabalho de prensas, ou que são muito lentos, inflexíveis, ou pouco ágeis. Se você é feio, não se mate tentando se tornar a próxima capa de revista. Isso parece elementar, mas a internet parece ter colocado na cabeça de todos que eles devem pesquisar por ai as coisas (muito mal pesquisado), e em seguida, discutir essas coisas em fóruns, e em seguida, tentar praticar. Se você já tiver feito isso, soque-se no rosto.

A moda é ser "Crossffiter"

Seguindo em frente, descobra no que você vai competir. Se é fisioculturismo, é tudo muito mais simples, pq você não tem que se preocupar tanto com força. Se é qualquer coisa que envolva um inferno de corridas (estou olhando para vocês, jogadores de rugby) em que você está se fodendo por não estar magro ou seja lá qual for o motivo, e você precise adicionar alguma vantagem a partir da sua dieta. Se é um esporte de força, é provável que você vai estar preocupado com a perda de força. Se não for nada disso, ainda por uma série de razões:

  1. Fazer dieta mantém seu foco no treinamento, e vice-versa. Quanto mais difícil for a dieta, mais hardcore você irá treinar. O anverso definitivamente não é verdade. Se você comer de forma descuidada, você não vai se importar tanto quando acertar a academia, porque você já fez uma porrada de concessões sobre o seu treinamento (na seleção do combustível), então você está recuando do sucesso antes mesmo de tocar em uma barra . Se você está indo treinar chateado e com um pouco de fome por fazer dieta, você vai ver a sua frustração sobre os pesos e você vai querer arrebentar o seu traseiro para que o esforço de fazer dieta não seja desperdiçado
  2. Desde que você esteja comendo proteína suficiente e não esteja em um ridículo déficit calórico, você não vai perder músculo ou a força por fazer dieta. Qualquer um que diga o contrário estava fazendo dieta como um fisiculturista, que é fodidamente retardado. Fisiculturistas fazem as coisas da maneira que eles fazem, porque eles são mentalmente fracos e dependem de medicamentos para fazer a maior parte do trabalho. Em esportes de força, você faz todo o trabalho pesado - um frasco de droga nunca levantou nenhuma maldita coisa.
  3. Mesmo se você perder força, perder gordura e deixar cair o peso, significa deixar cair a classe de peso. Assim, a sua força relativa provavelmente vai subir. Por exemplo, você decide ir a um campeonato, e você tem atualmente um total de 680kg com 90 de peso e 15% de BF. Você se fode na dieta, e em 5 meses são 82 com 6% DE bf e um abdm fodão, mas apenas um total 660kg (o que seria altamente improvável, mas isso é apenas por uma questão de argumentação). Seu coeficiente de Wilks teria aumentado de 432,66 para 441,909, o que significa que você está realmente muito melhor em termos de ser melhor levantador de peso do que você era quando como um gordo de 90kg.  


Em qualquer caso, você vai escolher uma competição com uns seis meses de distância. Eu digo que não mais de seis meses de distância, porque você precisa de um senso de imediatismo o dirigindo para a frente. Você precisa ouvir um relógio ao fundo, e precisa não ter margem para erro ou falha. Você precisa de um limite de tempo para que todas as suas ações devam ser quase perfeitas para atingir o seu objetivo. Depois de decidir sobre qual competição, mande seus formulários e taxas de inscrição imediatamente. Gastar dinheiro é algo que vai mante-lo firme no treinamento. Além disso, você terá que definir uma meta tangível, porque você vai ostensivamente ter escolhido uma categoria de peso em que você realisticamente quer competir. Como o cara acima, por exemplo. Deixe a sua gordura corporal decidir o que é factível no tempo previsto, e onde você gostaria de estar em seguida, e comece a fazer dieta. HOJE! Não amanha. Não na segunda-feira.

Começar a dieta não é a parte difícil - furar com a dieta é. Como eu mencionei, você vai, inicialmente ver um monte de progresso. Que irá motivá-lo a treinar e fazer dieta mais regrada, que inicialmente produzirá resultados ainda mais pronunciados. Então, muito sem aviso, esses resultados parecem parar. Eu não tenho ideia do que diabos seu corpo está fazendo neste período, ou por que isso acontece. O que eu que posso dizer no entanto, é que isso fode com a minha cabeça. Você vai começar a duvidar de tudo neste momento, e você vai começar cegamente tentar encontrar soluções para a sua enrolação. 

O que as pessoas fazem mais comumente neste ponto, (se não for parar completamente) está entre tomar um "tempo" ou alterar completamente o que estavam fazendo. NÃO faça nada disso. Nem uma dessas coisas o levará aonde vc quer ir. Você não é um explorador pré-industrial que está correndo para fora da terra firme e tem que começar a construir um barco. Você é simplesmente um navegante que foi atingido por um vento contrário no meio de um furacão. Como este marujo, você só terá que dar mais gás para continuar fazendo algum progresso, e continuar da mesma maneira exata que você estava fazendo para evitar o furacão e chegar em terra firme. Não cometa nenhum erro - se você desviar-se do curso, você vai se foder. Em vez disso, acabe de dar pra aquele filho da puta mais gás para atravessar o período escuro.

Resultado de não furar protocolos.

"Mudanças sequenciais no comportamento estimulam os maiores resultados - e não os radicais".  Assim, dê uma olhada no que você tem feito e encontre maneiras de ajustar e melhorar. Adicionar um colete com pesos nos seus exercícios leves e usá-lo durante todo o treino. Fazer uma longa caminhada de manhã com o estômago vazio. Levante-se, enquanto você joga Xbox. Reduzir o número de carboidratos que você come durante uma "refeed" e espalhá-los ao longo do dia, ou tente concentrá-los em uma grande explosão. Adicione um par de séries para cada treino de merda que você gostaria de melhorar. Qualquer melhoria que você fizer irá ajudá-lo durante o período escuro. 

Se você gasta muito tempo analisando e não tem tempo suficiente fazendo, você virá sofrer da paralisia da análise, e vai falhar miseravelmente. "Fazer análises ancoradas no passado, faz com que você associe o problema como estranho e muitas vezes, francamente, por coisas que são ridículas, que torna ma mudança ainda mais difícil" (eu estou olhando para você, Reddit). 

Pare de agonizar  sobre como anda a sua "execução", ou os pequenos detalhes de isto ou aquilo e apenas tente mais, porra . Se eu ganhasse um dólar por cada e-mail que eu recebi, onde a resposta óbvia foi "treinar mais pesado, você é uma bixa", eu seria o Doanld Trump. Se você simplesmente fizer algo, e você acreditar no que você está fazendo e trabalhar com vontade, acontecerá. Se pílulas de açúcar podem curar 50% dos casos de depressão, simplesmente porque os pacientes acreditam na eficácia do seu tratamento (Langer 110), a crença em si mesmo aliado as suas ações fará com que você alcance o sucesso, porque ao contrário dos bichanos chorões do estudo da depressão, você está trabalhando duro e tomando conta da sua própria vida.

Não seja esse cara. 



Durante este período, você vai ter que trabalhar mais do que nunca para manter o foco. E ele vai ser uma droga. Você vai precisar de mais sono. Você vai ficar chateado por qualquer merda, porque você está de saco cheio com a frustração da sua aparente falta de progresso. As pessoas ao redor você vão começar a fazer sugestões sobre fazer concessões, sobre como o que vc está fazendo não é natural e possivelmente insalubre, e eles vão reforçar suas dúvidas e a voz de merda na parte de trás de sua cabeça. É neste ponto que você precisa se lembrar que você é melhor do que cada pessoa ao redor. Você é um semideus - que transcendeu a condição humana e se tornou algo melhor, e está no caminho para se tornar uma divindade. Se assim for, você poderá manter o curso. Para fazer isso, eu utilizo uma variedade de técnicas. 

Eu ouço músicas ainda mais agressivas, e estou constantemente em busca de novos sons para me motivar ainda mais. Só leio livros em que o protagonista é um super-humano, quer se trate de Michael Z. Williamson, os livros de Lee Child, ou a biografia de Vlad, o Empalador, ou o meu livro ultimate pump, Portões de Fogo . Eu assistirei o filme "Adrenalina" todas as manhãs quando eu acordar para sentir o meu sangue fluindo e manter meu traseiro em movimento rápido e agressivamente. 

Com base nisso, eu vou manter a dieta mais restrita, reduzir meus carboidratos durante os meus dias refeed e cortar todos os açúcares durante o meu Rampage. Prevenção de armadilhas mentais é feita através da pré-programação de uma resposta para reduzir o tempo de reação. "Pré-programação aparece para contornar a fase de formulação da estratégia e transfere diretamente o programa motor para o sistema nervoso central". NUNCA, no entanto, leia histórias de aflição e fracasso na porra da internet, por isso evite blogs e sites de chorões e afins como se fossem uma praga maldita durante esse tempo. Não há nada neles, apenas fracasso. 60kg e preocupado com a "forma"? Mantenha-se positivo, e mantenha-se agressivo. Você vai prevalecer.

Seja insano

Se você se pegar falhando, é porque lhe falta a vontade de ter sucesso. Nesse ponto, você tem duas opções - ser uma pessoa forte ou uma pessoa fraca. Não há meio-termo. Se você falhar ao fazer dieta, você é fudidamente fraco. Não há outro raciocínio. Não é sua tireoide, ou sua genética, ou o fato de que você não usa esta ou aquela droga. É PQ VC ESTÁ FUDIDAMENTE FRACO. Se você optar por ser assim, isso é bom. Francamente, eu poderia me importar menos se a maioria das pessoas simplesmente se jogassem da porra de um penhasco. Assim, você deve ter sucesso em sua dieta para tornar-se uma pessoa melhor e mais forte. Você vai agradecer a si mesmo, e quanto mais miserável for a sua experiência, mais você vai apreciá-la depois. 

Falhar não é uma opção.