terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Série: Homens, o motor da civilização – Os homens prestam pra alguma coisa? Parte 4

Benefícios dos sistemas culturais


Vamos agora concentrar na cultura. A cultura é relativamente recente na evolução. Ela continua a linha de evolução que nos tornou animais sociais. Entendo a cultura como uma espécie de sistema que permite que o grupo humano trabalhe eficazmente em conjunto, utilizando informação. A cultura é uma nova e melhorada forma de ser social.

O feminismo nos ensinou a ver a cultura como homens contra as mulheres. Em vez disso, penso que a evidência indica que a cultura surgiu principalmente com homens e mulheres que trabalham juntos, mas trabalhando contra outros grupos de homens e mulheres. Muitas vezes, a mais intensa e produtiva competições eram grupos de homens contra outros grupos de homens, embora ambos os grupos dependiam de apoio por parte das mulheres.
A Cultura permite que o grupo seja mais do que a soma das suas partes (seus membros). A cultura pode ser visto como uma estratégia biológica. Vinte pessoas que trabalham em conjunto, em um sistema cultural, partilha de informação e dividindo tarefas e assim por diante, todos viverão melhor - sobreviver e reproduzir melhor - do que se essas mesmas vinte pessoas vivessem na mesma floresta, mas fizessem tudo individualmente.

A Cultura oferece, assim, alguns benefícios de se ter um sistema. Vamos chamar esse "ganho de sistema", o que significa quanto melhor o grupo vai por causa do sistema. Pense em duas equipes futebol. Ambos os conjuntos de jogadores conhecem as regras e têm as mesmas competências individuais. Um grupo sae para jogar como indivíduos tentando fazer o seu melhor. O outro funciona como uma equipe, complementando-se mutuamente, jogando como um sistema. O sistema vai permitir que eles joguem melhor do que o grupo que joga como indivíduos distintos. Isto é ganho de sistems.
E um fato fundamental é que o âmbito de aplicação do ganho de sistema aumenta com o tamanho do sistema. Esta é basicamente o que está acontecendo no mundo agora, a globalização da economia mundial. Grandes sistemas proporcionam mais benefícios, então quanto mais expandimos e fundimos com sistemas maiores, em geral há mais ganho.

Há uma fundamental implicação de tudo isto. A Cultura depende do ganho de sistema, e sistemas maiores fornecem mais. Portanto, você terá mais do benefício da cultura a partir de grandes grupos do que com as pequenas. Um relacionamento um-em-um intimo pode fazer pouco em termos de divisão de trabalho e partilha de informação, mas um grupo de 20 pessoas podem fazer muito mais.
Como resultado, a cultura surgiu principalmente nos tipos de relações sociais favorecido por homens. Mulheres favorecem, relações íntimas fechadas. Estes são os mais importantes para a sobrevivência das espécies. É por isso que a mulher humana evoluiu primeiro. Precisamos dessas relações estreitas para sobreviver. As grandes redes de relacionamentos superficiais não são tão vitais para a sobrevivência -, mas eles são boas para outras coisas, a saber, o desenvolvimento de grandes sistemas sociais e, em última instância, para a cultura.

Homens e Cultura


Isto fornece uma nova base para a compreensão da política de gênero e desigualdade.

A opinião geralmente aceita é que no início da sociedade humana, homens e mulheres estavam perto de igualdade. Homens e mulheres tinham distintas esferas e faziam coisas diferentes, mas ambas eram respeitadas. Muitas vezes, as mulheres eram coletores homens eram caçadores. A contribuição total para o grupo de alimentos foi a mesma, embora existissem algumas diferenças complementares. Por exemplo, a comida dos coletores estava confiavelmente lá na maioria dos dias, enquanto os caçadores traziam para casa boa comida de vez em quando, mas nada nos outros dias

A desigualdade entre os sexos parece ter aumentado com o início civilização, incluindo a agricultura. Por quê? A explicação feminista foi que os homens se juntaram e criaram o patriarcado. Esta é basicamente uma teoria conspiratória, e há pouca ou nenhuma evidência de que é verdade. Alguns argumentam que os homens apagaram dos livros de história, a fim de salvaguardar o seu recente poder ganho. Ainda assim, a falta de provas deve ser preocupante, sobretudo porque este mesmo tipo de conspiração teria de acontecer mais e mais, grupo após o grupo, em todo o mundo. Deixe-me oferecer uma explicação diferente. Não é que os homens puxaram as mulheres para baixo. Pelo contrário, é só que a esfera das mulheres permaneceu onde estava, enquanto a esfera dos homens, com suas grande redes sociais superficiais, lentamente se beneficiaram do progresso da cultura

Acumulando conhecimentos e melhorando os ganhos decorrentes da divisão do trabalho, a esfera dos homens gradualmente progrediram.Assim, religião, literatura, arte, ciência, tecnologia, militar, comercial e económica de mercados, organização política, a medicina - todos estes surgiram principalmente a partir da esfera dos homens. A esfera dasmulheres não produzem este tipo de coisas, embora ela fez outras coisas valiosas, como cuidar da próxima geração de modo que a espécie continuasse a existir.

Por quê? Não tem nada a ver com os homens terem uma melhor habilidade ou talento ou qualquer coisa assim. Ele vem principalmente dos diferentes tipos de relações sociais. A esfera das mulheres era constituída de mulheres e, por isso, foi organizada em função do tipo relacionamento próximo, íntimo, um suporte-em-um que favorecem as mulheres. Estes são relacionamento vitais e satisfatórios que contribuem para a saúde e sobrevivência. Enquanto isso, os homens favoreceram as maiores redes de relacionamentos superficiais. Estes são menos satisfatórias e carinhosas e assim por diante, mas eles formam uma base mais fértil para o surgimento da cultura.

Note que todas essas coisas que eu listei - literatura, arte, ciência, etc - são opcionais. As mulheres estavam fazendo o que era vital para a sobrevivência da espécie. Sem cuidados e criação íntima, as crianças não vão sobreviver, e o grupo vai desaparecer. As mulheres contribuíram as necessidades da vida. Contribuições masculinas foram mais opcionais, talvez luxos. Mas a cultura é um poderoso motor de tornar a vida melhor. Por várias gerações, a cultura pode gerar grandes quantidades de riqueza, conhecimento e poder. Cultura fez isso - mas principalmente na esfera dos homens.
Assim, a razão para o surgimento da desigualdade entre homens e mulheres podem ter pouco a ver com os homens empurrando mulheres na duvidosa conspiração patriarcal. 

Pelo contrário, ela veio do fato de que a riqueza, conhecimento e poder foram criadas na esfera dos homens. Isto é o que empurrou a esfera dos homens em frente. Não a opressão.
Varios-homens-conversando-sendo-a-maioria-sentados-com-outro-homem-em-pe
As mulheres reclamam de opressão mas isto é mito. Os homens tem um jeito diferente de relacionamentos e foi isso que criou a civilização e a cultura.


Dar a luz é um exemplo revelador. O que poderia ser mais feminino do que dar a luz? Ao longo da maior parte da história e da pré-história, o parto foi o centro da esfera das mulheres e homens foram totalmente excluídos. Os homens eram raramente, ou nunca, presentes ao nascimento, nem o conhecimento sobre o parto partilhadas com eles. Mas não há muito tempo, os homens foram finalmente autorizados a envolver-se, e os homens foram capazes de descobrir maneiras de tornar o parto mais seguro tanto para mãe e bebê. Pense nisso: a mais única atividade feminina que se pode ter, no entanto, os homens foram capazes de melhorar, de maneira que as mulheres não tinham descoberto há milhares e milhares de anos.

Não vamos exagerar. As mulheres tinham afinal muito bem gerido o parto em todos os séculos. A espécie tinha sobrevivido, que é o importante. As mulheres tinham conseguido deixar o trabalho feito. O que os homens acrescentaram foi, a partir da perspectiva do grupo ou a espécie, pelo menos, opcional, um bônus: algumas mães e bebês que sobreviveram de outra forma teriam morrido. Ainda assim, as melhorias mostram algum valor proveniente do modo de ser social do sexo masculino. Grandes redes podem recolher e acumular informações melhores do que as pequenas e, por isso, em um período de tempo relativamente curto, os homens foram capazes de descobrir melhorias que as mulheres não tinham sido capazes de encontrar. Novamente, não é que os homens eram mais espertos e mais capazes. Só que as mulheres compartilhavam seus conhecimentos individualmente, de mãe para filha, ou de uma parteira para a outra, e, a longo prazo, este não poderia acumular os progressos de forma tão eficaz quanto nos maiores grupos de relações superficiais favorecido pelos homens.

Em que os homens são bons?


Com isso, podemos agora voltar à questão do que os homens são bons para, a partir da perspectiva de um sistema cultural. O contexto destes sistemas é competir contra outros sistemas, grupo contra grupo. Os sistemas dos grupos que utilizaram os seus homens e mulheres mais eficazmente permitirão superar seus rivais e inimigos.

Quero enfatizar três principais respostas para a forma como a cultura utiliza os homens. Primeiro, a cultura depende de homens para criar as grandes estruturas sociais que a compõem. A nossa sociedade é composta de instituições como universidades, governos, corporações. A maioria destes foi fundado e construído por homens. Novamente, isso provavelmente teve menos a ver com as mulheres serem oprimidas e mais com o fato que os homens são motivados a formar grandes redes de relacionamentos superficiais. Os homens são muito mais interessados do que as mulheres na formação de grandes grupos e trabalhar neles e subir ao topo neles.

Isto ainda parece ser verdade hoje. Várias notícias recentes têm chamado a atenção para o facto de as mulheres já abrem mais pequenas empresas que os homens. Isto é geralmente coberto na mídia como um sinal positivo sobre as mulheres, o que é mesmo. Mas as mulheres predominam apenas se você contar todas as empresas. Se você restringir os critérios para as empresas que empregam mais de uma pessoa, ou aqueles que fazem dinheiro suficiente para sobreviver só da empresa, então os homens criam mais empresas. Desconfio que quanto maior o grupo que você olhar, mais eles são criados por homens.

Certamente hoje qualquer pessoa de qualquer gênero pode iniciar um negócio e há a vantagens para as mulheres fazê-lo. Não existem obstáculos ocultos ou bloqueadores, e isso é demonstrado pelo fato de que as mulheres começam mais empresas do que os homens. Mas as mulheres estão contentes em ficarem pequenas, tais como a exploração de uma actividade de meio-período no quarto livre da casa, fazendo um pouco de dinheiro extra para a família. Eles não parecem levadas a construir gigantes corporações. Existem algumas exceções, é claro, mas há uma grande diferença, em média.


Assim, tanto os homens como as mulheres dependem de homens para criar a gigante estruturas sociais que oferecem oportunidades para ambos. E é muito claro que os homens e as mulheres podem exercer os dois muito bem nestas estruturas. Mas a cultura ainda confia e depende principalmente em homens para criá-las. 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Considerações acerca do manginismo reinante

A situação do homem moderno é cada vez mais deprimente e vergonhosa. Isso é um fato bastante conhecido por todos nós da real. Mas até que ponto o manginismo alheio pode nos prejudicar, e o que podemos fazer para nos defender e reverter a atual conjuntura das coisas ao nosso favor?

Retrato do homem moderno.
Hoje em dia é notável que muitos ainda tem aquela velha e persistente “síndrome” que foi decodificada pelo Barão em suas reflexões, carinhosamente nomeada de “manjarolismo social”. Sim, o primeiro passo para o realista que acabou de descobrir que o mundo é um grande barril de bosta e não é nada justo, é deixar o pau dos outros quieto. Seus colegas da faculdade são uns vagabundos e isso te deixa putinho? Foda-se. Você tem parentes sanguessugas paus no cu? Foda-se. Sua mãe não te ensinou nada de valor, seu pai é um cusão? Foda-se. Você descobriu que o esquerdismo é uma merda e aquele seu professor é um baita de um mentiroso? Foda-se. Você percebeu que a grande maioria das mulheres são vadias utilitaristas? Foda-se.

Entenda uma coisa seu paspalho, você ficar irritadinho e revoltado com essas pessoas, e vim na internet praguejar sua revolta, não vai fazer com que a realidade das coisas mudem, militar no facebook a favor do estado mínimo não vai adiantar, e tu vai estar desperdiçando um precioso tempo que poderia usar em algo mais útil. O que vai fazer a diferença para você e talvez para essas pessoas, é você se tornar o exemplo de integridade que gostaria de ver nos outros. Mas visando fazer/ser assim, não para provar alguma coisa para alguém, mas porque você descobriu que é forma certa de encarar a vida.

Então o primeiro passo para o realista se defender do manginismo alheio, é deixar os manginas se afundarem na própria lama, e focar no seu, no seu desenvolvimento, no seu conhecimento, na sua experiência. Meter a real nos outros não adianta. Use as cagadas alheias como fonte de aprendizado, mas entenda que se irritar e se revoltar com o mundo por conta dos outros é infantilidade, burrice, vagabundagem, e falta de coragem e de alegria de viver. Você simplesmente não pode OBRIGAR ninguém a viver da forma que você acha correta, até porque você também pode estar errado nas suas convicções, afinal você não é Deus, seu cuzão.

Na minha opinião isso é um sinal claro de covardia e egocentrismo. Você se acha tão bom, mas tão bom que se recusa enfrentar o mundo, porque se julga muito superior a todos. A sociedade te enjoa, lhe causa asco. Você acha que o universo gira em torno da sua bunda, ou deveria girar. Veja que caricatura deprimente essa. Como você é muito banana para agir e não admite, mesmo que seja no meio dos manginas, vem aqui no fórum esbravejar sua revolta, atestando que não faz algo porque não vale a pena, afinal, é tudo uma merda, anunciando o mais óbvio dos óbvios para qualquer membro que tenha um pouco de experiência, de que o mundo não é justo. E quando você age, vem aqui querer ser reconhecido e adorado por ter feito nada mais do que a sua obrigação como homem de valor.

Todos nós sabemos das injustiças do mundo, conhecemos a matrix, tomamos a pílula vermelha. Aceite e aprenda a viver sob essas condições. Somente após isso, após aceitar essa realidade, poderá prosseguir no caminho glorioso para se tornar um GdR.

Dollynho mandando a letra para os paspalhos de plantão. 

Entendido o primeiro passo, é hora de prosseguir. Agora que você aceitou que o mundo é foda em muitos aspectos, e que simplesmente por você saber das coisas e se revoltar com isso, não vai fazer com que a realidade mude, é hora de materializar a sua evolução, já que você com certeza não quer ser mais um mangina nesse mundo vaginante.

Agora você precisa agir. Sim, simplesmente AGIR. Aplicar a real em SI MESMO, e não nos outros, pois afinal ninguém vai te ouvir. Agora você vai estudar o material da real com vontade afinco e internalizar. Vai sair da frente dessa bosta de computador e vai viver a vida, lembrando das coisas que você lê aqui, e vai fazer a porra da sua história. Só ler, ler, ler o material não vai te transformar em um realista. É hora de enfrentar o manginismo cara a cara, e a cada vitória e derrota que você obtiver, será um tijolo a mais que você colocará na sua muralha realista. Logo você será impenetrável. Não será dobrado por ninguém, e se tornará realmente livre.

Entretanto, você nasceu para isso, e não é mais que a sua obrigação como homem. Só porque você aplica a real de forma anônima no seu cotidiano, não manginando, fazendo seu trabalho de forma correta, sendo honesto e honrado, sem buscar holofortes, não é por isso que você deve achar que o mundo lhe deve louros. Não é por isso que agora tudo vai dar certo. Saia dessa ilusão.

Eu acredito que a função do homem no mundo é agir de forma proativa. A masculinidade é uma espécie de “serviço”. É sermos úteis aos demais. Com a real se concretizando mais e mais na sua vida, você vai perceber que a essência da masculinidade é transformar o mundo a sua volta, simplesmente pelo prazer de ver tudo e todos melhores. Pelo prazer de ver um bom trabalho feito com o suor do seu rosto, por suas próprias mãos. A masculinidade é essa maravilha que vai fazer você ser visto como uma pessoa de valor por todos.

Assim, o mundo vai ser um lugar melhor de se viver, porque mesmo com todas as merdas que acontecem diariamente, você ainda tem a capacidade de fazer um bom trabalho e notar a diferença que tu faz no mundo. A cura para a depressão é se sentir útil para alguma coisa ou alguém. É ter um propósito na vida. Cherterton já dizia que a essência do cristão, e eu acredito que também da masculinidade, é um paradoxo onde você odeia o mundo de uma forma tão grande, que se sente revoltado e envergonhado pela atual situação das coisas e por ser somente mais um cara medíocre na multidão, e busca se aperfeiçoar para não fazer parte dessa podridão, ao mesmo tempo que sente amor por esse mesmo mundo que te dá meios de mudar, meios de ter uma vida cheia de alegrias, da vida de que pode desfrutar. Por isso ao mesmo tempo que você se sente mal pelas coisas ruins, se sente na obrigação de não desistir e lutar por algo melhor.

Os homens que mais odiaram o mundo e fizeram algo para além deles mesmo, foram os que mais contribuíram com a humanidade. O dever do realista é agir de forma correta e sensata, se desviando dos agentes da matrix, não sendo vagabundo ou desonesto, não premiando vagabundas com relacionamento. Isso é antes de mais nada uma atitude proativa com o mundo, não só consigo mesmo. Por meio dessa conduta você pode chagar ao patamar em que poucas pessoas se encontram que é no patamar da gratidão. Ser grato pela vida é umas das maiores dádivas que um ser humano pode alcançar.

Esse cara era foda!

Para se defender eficientemente do manginismo, você precisa ter voz. As pessoas precisam ouvir o que você tem a dizer e dar crédito. Se não, você sempre estará na mão dos manginas que tem boa colocação social. E para conseguir isso, é por meio de muito trabalho, por meio de muita ação que agregue valor a sua pessoa.

Vejam que o caminho é exatamente esse. Primeiro nos revoltamos com a descoberta da real. Depois de algum tempo entendo-a melhor, percebemos que não adianta ficar revoltado e o melhor a se fazer é buscar o desenvolvimento pessoal. Para nos desenvolvermos precisamos agir. Agindo angariamos valor a nós mesmos. Quando nos percebermos e os demais nos percebem como homens de valor, ficamos felizes e satisfeitos. Ficando feliz e satisfeito, você se torna grato pela vida, que apesar de existir em um mundo injusto, ainda é boa de viver, porque mesmo com todas as adversidades, você teve a possibilidade de evoluir como ser humano, como homem. Aqui chegamos ao próximo passo, que é o desapego.

Muito se fala em desapego isso, desapego aquilo, morte do ego, etc e tal, mas na minha concepção você só consegue algo perto disso, depois que passou pelos estágios acima. Somente conhecer a real não te tornará desapegado. Só agir e trabalhar corretamente não te tornará desapegado. O que te tornará desapegado é ter gratidão pela vida. Despego é talvez a nossa maior arma contra o manginismo e contra os demais perigos atuais. Mas não atingimos o tão sonhado e discutido desapego, sem sermos pessoas de valor e gratas pela vida, pelo menos não na minha concepção. E quando falo em desapego, não estou falando especificamente em desapego emocional relacionado a relacionamento amoroso com mulheres. Falo em todos os sentidos, desde desapego do seu emprego atual, da sua situação atual, até sua família, amigos e etc.



No meu ponto de vista, e eu posso estar falando bosta, nós nos tornamos apegados a alguma coisa, pessoa, ou situação, devido a transtornos psicológicos onde percebemos que nossa vida não tem valor de alguma maneira. Isso em menor ou maior grau. Ai nos apegamos a alguma coisa que nos traga felicidade e suplante esse vazio existencial ao qual estamos envoltos no momento. É uma busca por felicidade via sensações físicas agradáveis instantâneas. Você se sente apegado àquela terrorista emocional porque não se vê como alguém de valor que pode arrumar coisa melhor ou viver sem alguém do seu lado. Ai tu se torna apagado aos poucos momentos de prazer que ela te proporciona. Você se sente apegado aquelas seus amigos manginas vagabundos baladeiros, pq tem poucos objetivos na vida, não se vê como alguém de valor que possa achar novos amigos ou viver como um lobo solitário, pelo menos temporariamente.

Esse seu vazio também é causado por você se dar conta que poucas pessoas te estimam. Talvez você tenha a certeza que ninguém não está nem aí para você. Talvez você esteja certo paspalho, mas a questão que isso é um sintoma de egocentrismo exacerbado, falta de objetivos, e de proatividade na vida. Você está agindo tão pouco, que você mesmo percebeu que não agrega em nada na vida de ninguém.

Todos sabe que um homem livre, é um homem com opções, mas as opções não caem confortavelmente do céu direto no seu colo. Antes de se poder dar ao luxo de ter opções, você precisa enfrentar a vida. E esse é um ciclo que se torna automático depois de algum tempo.

Se você realmente age, as pessoas te estimam em qualquer lugar que você for. Assim, além de você enxergar propósitos na vida mais claramente, sabe que não tem a necessidade de se apagar a um lugar ou pessoa especifica, porque aonde quer que você vá, você tem as totais condições de transformar aquele ambiente novo e hostil, em sua zona de conforto. Assim, sua vida se encha de opções, tanto novas quanto já experimentadas, e você não tem a necessidade de ser apegado a nada. Você vive pela felicidade de perceber a sua evolução e das pessoas aos quais você interage. O mundo se torna a sua casa, e não somente o seu bairrinho, os seus coleguinhas de facul, e seu empreguinho estável.

Essa é a dádiva da masculinidade plena, do conhecimento e internalização da real, e a única forma de se proteger totalmente desse mundo mangina vaginante. Ser desapegado. Mas ser desapegado é um processo de vida, de experiência na ação, com vitórias e fracassos. Você não vai se tornar desapegado sem sair viver no mundo cruel ao qual odiamos e amamos ao mesmo tempo. Ler todos os textos de psicologia aqui do fórum não te fará um cara desapegado. O que te fará desapegado é agir, é criar como o Barão lembrou recentemente, é ser grato pela vida, é VIVER com coragem.