terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Série: Homens, o motor da civilização – Os homens prestam pra alguma coisa? Parte 4

Benefícios dos sistemas culturais


Vamos agora concentrar na cultura. A cultura é relativamente recente na evolução. Ela continua a linha de evolução que nos tornou animais sociais. Entendo a cultura como uma espécie de sistema que permite que o grupo humano trabalhe eficazmente em conjunto, utilizando informação. A cultura é uma nova e melhorada forma de ser social.

O feminismo nos ensinou a ver a cultura como homens contra as mulheres. Em vez disso, penso que a evidência indica que a cultura surgiu principalmente com homens e mulheres que trabalham juntos, mas trabalhando contra outros grupos de homens e mulheres. Muitas vezes, a mais intensa e produtiva competições eram grupos de homens contra outros grupos de homens, embora ambos os grupos dependiam de apoio por parte das mulheres.
A Cultura permite que o grupo seja mais do que a soma das suas partes (seus membros). A cultura pode ser visto como uma estratégia biológica. Vinte pessoas que trabalham em conjunto, em um sistema cultural, partilha de informação e dividindo tarefas e assim por diante, todos viverão melhor - sobreviver e reproduzir melhor - do que se essas mesmas vinte pessoas vivessem na mesma floresta, mas fizessem tudo individualmente.

A Cultura oferece, assim, alguns benefícios de se ter um sistema. Vamos chamar esse "ganho de sistema", o que significa quanto melhor o grupo vai por causa do sistema. Pense em duas equipes futebol. Ambos os conjuntos de jogadores conhecem as regras e têm as mesmas competências individuais. Um grupo sae para jogar como indivíduos tentando fazer o seu melhor. O outro funciona como uma equipe, complementando-se mutuamente, jogando como um sistema. O sistema vai permitir que eles joguem melhor do que o grupo que joga como indivíduos distintos. Isto é ganho de sistems.
E um fato fundamental é que o âmbito de aplicação do ganho de sistema aumenta com o tamanho do sistema. Esta é basicamente o que está acontecendo no mundo agora, a globalização da economia mundial. Grandes sistemas proporcionam mais benefícios, então quanto mais expandimos e fundimos com sistemas maiores, em geral há mais ganho.

Há uma fundamental implicação de tudo isto. A Cultura depende do ganho de sistema, e sistemas maiores fornecem mais. Portanto, você terá mais do benefício da cultura a partir de grandes grupos do que com as pequenas. Um relacionamento um-em-um intimo pode fazer pouco em termos de divisão de trabalho e partilha de informação, mas um grupo de 20 pessoas podem fazer muito mais.
Como resultado, a cultura surgiu principalmente nos tipos de relações sociais favorecido por homens. Mulheres favorecem, relações íntimas fechadas. Estes são os mais importantes para a sobrevivência das espécies. É por isso que a mulher humana evoluiu primeiro. Precisamos dessas relações estreitas para sobreviver. As grandes redes de relacionamentos superficiais não são tão vitais para a sobrevivência -, mas eles são boas para outras coisas, a saber, o desenvolvimento de grandes sistemas sociais e, em última instância, para a cultura.

Homens e Cultura


Isto fornece uma nova base para a compreensão da política de gênero e desigualdade.

A opinião geralmente aceita é que no início da sociedade humana, homens e mulheres estavam perto de igualdade. Homens e mulheres tinham distintas esferas e faziam coisas diferentes, mas ambas eram respeitadas. Muitas vezes, as mulheres eram coletores homens eram caçadores. A contribuição total para o grupo de alimentos foi a mesma, embora existissem algumas diferenças complementares. Por exemplo, a comida dos coletores estava confiavelmente lá na maioria dos dias, enquanto os caçadores traziam para casa boa comida de vez em quando, mas nada nos outros dias

A desigualdade entre os sexos parece ter aumentado com o início civilização, incluindo a agricultura. Por quê? A explicação feminista foi que os homens se juntaram e criaram o patriarcado. Esta é basicamente uma teoria conspiratória, e há pouca ou nenhuma evidência de que é verdade. Alguns argumentam que os homens apagaram dos livros de história, a fim de salvaguardar o seu recente poder ganho. Ainda assim, a falta de provas deve ser preocupante, sobretudo porque este mesmo tipo de conspiração teria de acontecer mais e mais, grupo após o grupo, em todo o mundo. Deixe-me oferecer uma explicação diferente. Não é que os homens puxaram as mulheres para baixo. Pelo contrário, é só que a esfera das mulheres permaneceu onde estava, enquanto a esfera dos homens, com suas grande redes sociais superficiais, lentamente se beneficiaram do progresso da cultura

Acumulando conhecimentos e melhorando os ganhos decorrentes da divisão do trabalho, a esfera dos homens gradualmente progrediram.Assim, religião, literatura, arte, ciência, tecnologia, militar, comercial e económica de mercados, organização política, a medicina - todos estes surgiram principalmente a partir da esfera dos homens. A esfera dasmulheres não produzem este tipo de coisas, embora ela fez outras coisas valiosas, como cuidar da próxima geração de modo que a espécie continuasse a existir.

Por quê? Não tem nada a ver com os homens terem uma melhor habilidade ou talento ou qualquer coisa assim. Ele vem principalmente dos diferentes tipos de relações sociais. A esfera das mulheres era constituída de mulheres e, por isso, foi organizada em função do tipo relacionamento próximo, íntimo, um suporte-em-um que favorecem as mulheres. Estes são relacionamento vitais e satisfatórios que contribuem para a saúde e sobrevivência. Enquanto isso, os homens favoreceram as maiores redes de relacionamentos superficiais. Estes são menos satisfatórias e carinhosas e assim por diante, mas eles formam uma base mais fértil para o surgimento da cultura.

Note que todas essas coisas que eu listei - literatura, arte, ciência, etc - são opcionais. As mulheres estavam fazendo o que era vital para a sobrevivência da espécie. Sem cuidados e criação íntima, as crianças não vão sobreviver, e o grupo vai desaparecer. As mulheres contribuíram as necessidades da vida. Contribuições masculinas foram mais opcionais, talvez luxos. Mas a cultura é um poderoso motor de tornar a vida melhor. Por várias gerações, a cultura pode gerar grandes quantidades de riqueza, conhecimento e poder. Cultura fez isso - mas principalmente na esfera dos homens.
Assim, a razão para o surgimento da desigualdade entre homens e mulheres podem ter pouco a ver com os homens empurrando mulheres na duvidosa conspiração patriarcal. 

Pelo contrário, ela veio do fato de que a riqueza, conhecimento e poder foram criadas na esfera dos homens. Isto é o que empurrou a esfera dos homens em frente. Não a opressão.
Varios-homens-conversando-sendo-a-maioria-sentados-com-outro-homem-em-pe
As mulheres reclamam de opressão mas isto é mito. Os homens tem um jeito diferente de relacionamentos e foi isso que criou a civilização e a cultura.


Dar a luz é um exemplo revelador. O que poderia ser mais feminino do que dar a luz? Ao longo da maior parte da história e da pré-história, o parto foi o centro da esfera das mulheres e homens foram totalmente excluídos. Os homens eram raramente, ou nunca, presentes ao nascimento, nem o conhecimento sobre o parto partilhadas com eles. Mas não há muito tempo, os homens foram finalmente autorizados a envolver-se, e os homens foram capazes de descobrir maneiras de tornar o parto mais seguro tanto para mãe e bebê. Pense nisso: a mais única atividade feminina que se pode ter, no entanto, os homens foram capazes de melhorar, de maneira que as mulheres não tinham descoberto há milhares e milhares de anos.

Não vamos exagerar. As mulheres tinham afinal muito bem gerido o parto em todos os séculos. A espécie tinha sobrevivido, que é o importante. As mulheres tinham conseguido deixar o trabalho feito. O que os homens acrescentaram foi, a partir da perspectiva do grupo ou a espécie, pelo menos, opcional, um bônus: algumas mães e bebês que sobreviveram de outra forma teriam morrido. Ainda assim, as melhorias mostram algum valor proveniente do modo de ser social do sexo masculino. Grandes redes podem recolher e acumular informações melhores do que as pequenas e, por isso, em um período de tempo relativamente curto, os homens foram capazes de descobrir melhorias que as mulheres não tinham sido capazes de encontrar. Novamente, não é que os homens eram mais espertos e mais capazes. Só que as mulheres compartilhavam seus conhecimentos individualmente, de mãe para filha, ou de uma parteira para a outra, e, a longo prazo, este não poderia acumular os progressos de forma tão eficaz quanto nos maiores grupos de relações superficiais favorecido pelos homens.

Em que os homens são bons?


Com isso, podemos agora voltar à questão do que os homens são bons para, a partir da perspectiva de um sistema cultural. O contexto destes sistemas é competir contra outros sistemas, grupo contra grupo. Os sistemas dos grupos que utilizaram os seus homens e mulheres mais eficazmente permitirão superar seus rivais e inimigos.

Quero enfatizar três principais respostas para a forma como a cultura utiliza os homens. Primeiro, a cultura depende de homens para criar as grandes estruturas sociais que a compõem. A nossa sociedade é composta de instituições como universidades, governos, corporações. A maioria destes foi fundado e construído por homens. Novamente, isso provavelmente teve menos a ver com as mulheres serem oprimidas e mais com o fato que os homens são motivados a formar grandes redes de relacionamentos superficiais. Os homens são muito mais interessados do que as mulheres na formação de grandes grupos e trabalhar neles e subir ao topo neles.

Isto ainda parece ser verdade hoje. Várias notícias recentes têm chamado a atenção para o facto de as mulheres já abrem mais pequenas empresas que os homens. Isto é geralmente coberto na mídia como um sinal positivo sobre as mulheres, o que é mesmo. Mas as mulheres predominam apenas se você contar todas as empresas. Se você restringir os critérios para as empresas que empregam mais de uma pessoa, ou aqueles que fazem dinheiro suficiente para sobreviver só da empresa, então os homens criam mais empresas. Desconfio que quanto maior o grupo que você olhar, mais eles são criados por homens.

Certamente hoje qualquer pessoa de qualquer gênero pode iniciar um negócio e há a vantagens para as mulheres fazê-lo. Não existem obstáculos ocultos ou bloqueadores, e isso é demonstrado pelo fato de que as mulheres começam mais empresas do que os homens. Mas as mulheres estão contentes em ficarem pequenas, tais como a exploração de uma actividade de meio-período no quarto livre da casa, fazendo um pouco de dinheiro extra para a família. Eles não parecem levadas a construir gigantes corporações. Existem algumas exceções, é claro, mas há uma grande diferença, em média.


Assim, tanto os homens como as mulheres dependem de homens para criar a gigante estruturas sociais que oferecem oportunidades para ambos. E é muito claro que os homens e as mulheres podem exercer os dois muito bem nestas estruturas. Mas a cultura ainda confia e depende principalmente em homens para criá-las. 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Considerações acerca do manginismo reinante

A situação do homem moderno é cada vez mais deprimente e vergonhosa. Isso é um fato bastante conhecido por todos nós da real. Mas até que ponto o manginismo alheio pode nos prejudicar, e o que podemos fazer para nos defender e reverter a atual conjuntura das coisas ao nosso favor?

Retrato do homem moderno.
Hoje em dia é notável que muitos ainda tem aquela velha e persistente “síndrome” que foi decodificada pelo Barão em suas reflexões, carinhosamente nomeada de “manjarolismo social”. Sim, o primeiro passo para o realista que acabou de descobrir que o mundo é um grande barril de bosta e não é nada justo, é deixar o pau dos outros quieto. Seus colegas da faculdade são uns vagabundos e isso te deixa putinho? Foda-se. Você tem parentes sanguessugas paus no cu? Foda-se. Sua mãe não te ensinou nada de valor, seu pai é um cusão? Foda-se. Você descobriu que o esquerdismo é uma merda e aquele seu professor é um baita de um mentiroso? Foda-se. Você percebeu que a grande maioria das mulheres são vadias utilitaristas? Foda-se.

Entenda uma coisa seu paspalho, você ficar irritadinho e revoltado com essas pessoas, e vim na internet praguejar sua revolta, não vai fazer com que a realidade das coisas mudem, militar no facebook a favor do estado mínimo não vai adiantar, e tu vai estar desperdiçando um precioso tempo que poderia usar em algo mais útil. O que vai fazer a diferença para você e talvez para essas pessoas, é você se tornar o exemplo de integridade que gostaria de ver nos outros. Mas visando fazer/ser assim, não para provar alguma coisa para alguém, mas porque você descobriu que é forma certa de encarar a vida.

Então o primeiro passo para o realista se defender do manginismo alheio, é deixar os manginas se afundarem na própria lama, e focar no seu, no seu desenvolvimento, no seu conhecimento, na sua experiência. Meter a real nos outros não adianta. Use as cagadas alheias como fonte de aprendizado, mas entenda que se irritar e se revoltar com o mundo por conta dos outros é infantilidade, burrice, vagabundagem, e falta de coragem e de alegria de viver. Você simplesmente não pode OBRIGAR ninguém a viver da forma que você acha correta, até porque você também pode estar errado nas suas convicções, afinal você não é Deus, seu cuzão.

Na minha opinião isso é um sinal claro de covardia e egocentrismo. Você se acha tão bom, mas tão bom que se recusa enfrentar o mundo, porque se julga muito superior a todos. A sociedade te enjoa, lhe causa asco. Você acha que o universo gira em torno da sua bunda, ou deveria girar. Veja que caricatura deprimente essa. Como você é muito banana para agir e não admite, mesmo que seja no meio dos manginas, vem aqui no fórum esbravejar sua revolta, atestando que não faz algo porque não vale a pena, afinal, é tudo uma merda, anunciando o mais óbvio dos óbvios para qualquer membro que tenha um pouco de experiência, de que o mundo não é justo. E quando você age, vem aqui querer ser reconhecido e adorado por ter feito nada mais do que a sua obrigação como homem de valor.

Todos nós sabemos das injustiças do mundo, conhecemos a matrix, tomamos a pílula vermelha. Aceite e aprenda a viver sob essas condições. Somente após isso, após aceitar essa realidade, poderá prosseguir no caminho glorioso para se tornar um GdR.

Dollynho mandando a letra para os paspalhos de plantão. 

Entendido o primeiro passo, é hora de prosseguir. Agora que você aceitou que o mundo é foda em muitos aspectos, e que simplesmente por você saber das coisas e se revoltar com isso, não vai fazer com que a realidade mude, é hora de materializar a sua evolução, já que você com certeza não quer ser mais um mangina nesse mundo vaginante.

Agora você precisa agir. Sim, simplesmente AGIR. Aplicar a real em SI MESMO, e não nos outros, pois afinal ninguém vai te ouvir. Agora você vai estudar o material da real com vontade afinco e internalizar. Vai sair da frente dessa bosta de computador e vai viver a vida, lembrando das coisas que você lê aqui, e vai fazer a porra da sua história. Só ler, ler, ler o material não vai te transformar em um realista. É hora de enfrentar o manginismo cara a cara, e a cada vitória e derrota que você obtiver, será um tijolo a mais que você colocará na sua muralha realista. Logo você será impenetrável. Não será dobrado por ninguém, e se tornará realmente livre.

Entretanto, você nasceu para isso, e não é mais que a sua obrigação como homem. Só porque você aplica a real de forma anônima no seu cotidiano, não manginando, fazendo seu trabalho de forma correta, sendo honesto e honrado, sem buscar holofortes, não é por isso que você deve achar que o mundo lhe deve louros. Não é por isso que agora tudo vai dar certo. Saia dessa ilusão.

Eu acredito que a função do homem no mundo é agir de forma proativa. A masculinidade é uma espécie de “serviço”. É sermos úteis aos demais. Com a real se concretizando mais e mais na sua vida, você vai perceber que a essência da masculinidade é transformar o mundo a sua volta, simplesmente pelo prazer de ver tudo e todos melhores. Pelo prazer de ver um bom trabalho feito com o suor do seu rosto, por suas próprias mãos. A masculinidade é essa maravilha que vai fazer você ser visto como uma pessoa de valor por todos.

Assim, o mundo vai ser um lugar melhor de se viver, porque mesmo com todas as merdas que acontecem diariamente, você ainda tem a capacidade de fazer um bom trabalho e notar a diferença que tu faz no mundo. A cura para a depressão é se sentir útil para alguma coisa ou alguém. É ter um propósito na vida. Cherterton já dizia que a essência do cristão, e eu acredito que também da masculinidade, é um paradoxo onde você odeia o mundo de uma forma tão grande, que se sente revoltado e envergonhado pela atual situação das coisas e por ser somente mais um cara medíocre na multidão, e busca se aperfeiçoar para não fazer parte dessa podridão, ao mesmo tempo que sente amor por esse mesmo mundo que te dá meios de mudar, meios de ter uma vida cheia de alegrias, da vida de que pode desfrutar. Por isso ao mesmo tempo que você se sente mal pelas coisas ruins, se sente na obrigação de não desistir e lutar por algo melhor.

Os homens que mais odiaram o mundo e fizeram algo para além deles mesmo, foram os que mais contribuíram com a humanidade. O dever do realista é agir de forma correta e sensata, se desviando dos agentes da matrix, não sendo vagabundo ou desonesto, não premiando vagabundas com relacionamento. Isso é antes de mais nada uma atitude proativa com o mundo, não só consigo mesmo. Por meio dessa conduta você pode chagar ao patamar em que poucas pessoas se encontram que é no patamar da gratidão. Ser grato pela vida é umas das maiores dádivas que um ser humano pode alcançar.

Esse cara era foda!

Para se defender eficientemente do manginismo, você precisa ter voz. As pessoas precisam ouvir o que você tem a dizer e dar crédito. Se não, você sempre estará na mão dos manginas que tem boa colocação social. E para conseguir isso, é por meio de muito trabalho, por meio de muita ação que agregue valor a sua pessoa.

Vejam que o caminho é exatamente esse. Primeiro nos revoltamos com a descoberta da real. Depois de algum tempo entendo-a melhor, percebemos que não adianta ficar revoltado e o melhor a se fazer é buscar o desenvolvimento pessoal. Para nos desenvolvermos precisamos agir. Agindo angariamos valor a nós mesmos. Quando nos percebermos e os demais nos percebem como homens de valor, ficamos felizes e satisfeitos. Ficando feliz e satisfeito, você se torna grato pela vida, que apesar de existir em um mundo injusto, ainda é boa de viver, porque mesmo com todas as adversidades, você teve a possibilidade de evoluir como ser humano, como homem. Aqui chegamos ao próximo passo, que é o desapego.

Muito se fala em desapego isso, desapego aquilo, morte do ego, etc e tal, mas na minha concepção você só consegue algo perto disso, depois que passou pelos estágios acima. Somente conhecer a real não te tornará desapegado. Só agir e trabalhar corretamente não te tornará desapegado. O que te tornará desapegado é ter gratidão pela vida. Despego é talvez a nossa maior arma contra o manginismo e contra os demais perigos atuais. Mas não atingimos o tão sonhado e discutido desapego, sem sermos pessoas de valor e gratas pela vida, pelo menos não na minha concepção. E quando falo em desapego, não estou falando especificamente em desapego emocional relacionado a relacionamento amoroso com mulheres. Falo em todos os sentidos, desde desapego do seu emprego atual, da sua situação atual, até sua família, amigos e etc.



No meu ponto de vista, e eu posso estar falando bosta, nós nos tornamos apegados a alguma coisa, pessoa, ou situação, devido a transtornos psicológicos onde percebemos que nossa vida não tem valor de alguma maneira. Isso em menor ou maior grau. Ai nos apegamos a alguma coisa que nos traga felicidade e suplante esse vazio existencial ao qual estamos envoltos no momento. É uma busca por felicidade via sensações físicas agradáveis instantâneas. Você se sente apegado àquela terrorista emocional porque não se vê como alguém de valor que pode arrumar coisa melhor ou viver sem alguém do seu lado. Ai tu se torna apagado aos poucos momentos de prazer que ela te proporciona. Você se sente apegado aquelas seus amigos manginas vagabundos baladeiros, pq tem poucos objetivos na vida, não se vê como alguém de valor que possa achar novos amigos ou viver como um lobo solitário, pelo menos temporariamente.

Esse seu vazio também é causado por você se dar conta que poucas pessoas te estimam. Talvez você tenha a certeza que ninguém não está nem aí para você. Talvez você esteja certo paspalho, mas a questão que isso é um sintoma de egocentrismo exacerbado, falta de objetivos, e de proatividade na vida. Você está agindo tão pouco, que você mesmo percebeu que não agrega em nada na vida de ninguém.

Todos sabe que um homem livre, é um homem com opções, mas as opções não caem confortavelmente do céu direto no seu colo. Antes de se poder dar ao luxo de ter opções, você precisa enfrentar a vida. E esse é um ciclo que se torna automático depois de algum tempo.

Se você realmente age, as pessoas te estimam em qualquer lugar que você for. Assim, além de você enxergar propósitos na vida mais claramente, sabe que não tem a necessidade de se apagar a um lugar ou pessoa especifica, porque aonde quer que você vá, você tem as totais condições de transformar aquele ambiente novo e hostil, em sua zona de conforto. Assim, sua vida se encha de opções, tanto novas quanto já experimentadas, e você não tem a necessidade de ser apegado a nada. Você vive pela felicidade de perceber a sua evolução e das pessoas aos quais você interage. O mundo se torna a sua casa, e não somente o seu bairrinho, os seus coleguinhas de facul, e seu empreguinho estável.

Essa é a dádiva da masculinidade plena, do conhecimento e internalização da real, e a única forma de se proteger totalmente desse mundo mangina vaginante. Ser desapegado. Mas ser desapegado é um processo de vida, de experiência na ação, com vitórias e fracassos. Você não vai se tornar desapegado sem sair viver no mundo cruel ao qual odiamos e amamos ao mesmo tempo. Ler todos os textos de psicologia aqui do fórum não te fará um cara desapegado. O que te fará desapegado é agir, é criar como o Barão lembrou recentemente, é ser grato pela vida, é VIVER com coragem.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Reflexões sobre como a covardia pode destruir um homem

Esse vai ser o primeiro artigo de uma série baseado no melhor romance que alguém já escreveu nessa terra, Moby Dick. Clássico dos clássicos na minha opinião. Se não leu ainda paspalho, trate de ler o quanto antes.


Esse é o autor do livro, Herman Melville. 


Esse trabalho que pretendo fazer da melhor forma que conseguir, é de muita responsabilidade, porque falar de uma das melhores obas da literatura, não é tarefa fácil, ainda mais com reflexões acerca do que está magistralmente escrito no livro. Mas eu vou tentar. Que Jonas, Ismael e todos os demais baleeiros me abençoem nessa empreitada, e não permitam que eu blasfeme e fale merdas.


Estamos com você, Hécules.

Primeiramente é preciso deixar bem claro que o livro Moby Dick é vasto, tem muito conteúdo e seria reducionismo fazer uma reflexão do mesmo, de um forma geral. Por isso resolvi pegar por partes e fazer apontamentos. É um livro totalmente voltado ao universo masculino, então tudo que lá foi escrito, podemos tirar como lição para nossa vida cotidiana de homens que querem melhorar sempre.

Bem, hoje falarei sobre como a covardia pode destruir um homem de bem. E para isso, vou usar o exemplo de "Semente-de-Maçã" que é descrito no livro.

Poucos dias depois de termos encontrado o navio francês, deu-se o mais significativo acontecimento com o mais insignificante dos membros da tripulação do "Pequod", um fato lamentabilíssimo que terminou por fornecer à embarcação, por vezes loucamente alegre, e predestinada, uma profecia viva e sempre lembrada de que destino despedaçado poderia ser o dela.
Ora, num navio baleeiro, não é qualquer um que tripula os botes. Uns poucos marinheiros são reservadamente chamados guardas de navio, sendo sua tarefa cuidar do barco enquanto os botes perseguem a baleia. Em geral esses guardas de navio são tão fortes como os homens que formam a guarnição dos botes. Mas acontece de haver um tipo excessivamente franzino, desajeitado ou medroso no navio, esse tipo certamente virará guarda de navio. Dava-se isso ao negrinho de apelido Pippin, abreviado para Pip - "semente de maçã". Pobre Semente-de-Maçã!
 ....

Aqui já podemos tirar a primeira lição que é ensinada ao longo dos séculos para todos os homens. Se você tem uma aparência excessivamente desleixada, desajeitada, aparenta ser fraco e muito "gente boa", as outras pessoas não vão te respeitar, mesmo que você seja bom no que faz. Ter uma aparência austera e forte, é DEVER de todos os homens. Ninguém quer ser visto ao lado de um bundão com cara de coitado. Então se você transmite fraquesa e timidez na sua linguagem corporal, há grandes chances de você se foder a vida toda. Sem contar que o forma como você se apresenta, transmite o tipo de pessoa que você é na verdade. Se tu tens um carater FRACO, vai aparenter ser fraco.

Entenda paspalho, aparentar ser forte não é só ter mais de 100kg de puro músculo. Conheço inúmeros senhores que tem uma aparência extremamente intimidadora, forte, que não tem corpos grandes e esculturais. Isso tem muito mais haver com seu caráter. Mas não esquecendo, é claro, que a parte física também é importante.

No aspecto exterior, Semente-de-Maçã e Pudim-de-Farinha faziam uma parelha, como um pônei negro e um branco, de igual crescimento, embora de cor desigual, empurrados numa junta excêntrica. Mas enquanto o infeliz Pudim-de-Farinha era por natureza de inteligência obtusa e apática, Semente-de-Maçã, embora muito mole de coração, era no fundo até brilhante, com aquele agradável, sorridente, alegre brilho peculiar à sua raça...
Mas Semente-de-Maçã amava a vida e suas pacíficas despreocupações, de modo que o acontecimento suscitador de pânico no qual ele se viu envolvido, de modo um tanto inexplicável, obscureceu-lhe tristissimamente o brilho;  
...

Como é descrito em outros momentos no livro, Semente-de-Maçã era um desses caras extrovertidos, que toda hora estão sorrindo, como se a vida fosse um verdadeiro mar de rosas. Tudo é alegria, vivia a vida "zeca pagodinho way of life" . Não que alegria e felicidade seja uma coisa ruim. Longe disso. Mas com toda certeza, você conhece alguém, ou talvez você mesmo seja, aquele tipo de pessoa que tenta forçar alegria para parecer melhor do que realmente é para os outros. Esse tipo de comportamento sempre carrega algum defeito moral grave, como vamos perceber. Normalmente são o tipo de pessoas que infelizmente, não podemos confiar, mesmo que transmitam a melhor das "auto estima" para nós. Fiquem atentos e não sejam esse tipo de pessoa.


Você é esse tipo de paspalho que vive se abrindo pra todo mundo? 

Ocorreu que, no caso do âmbar-gris, o remeiro da popa de Stubb deslocasse acidentalmente o pulso, de modo que por certo tempo ficou inutilizado; e Semente-de-Maçã teve de substitui-lo provisoriamente.
A primeira vez que Stubb baixou com ele, Semente-de-Maçã ficou muito nervoso, mas felizmente, dessa feita, escapou de contado mais íntimo com o cachalote, e portante saiu de modo não inteiramente vergonhoso, embora Stubb, observando-o, tomasse cuidado, daí por diante, em exortá-lo a prezar a coragem ao máximo, pois amiúde a acharia necessária. 

Vejam que situação lamentável o pobre sujeito passou, e que conselho poderoso Stubb deu para o negrinho e para nós. Como o típico curtidor "carpe diem" que Semente-de-Maçã era, ele vivia  suavemente em sua zona de conforto, sem se arriscar muito, e sem ter a necessidade de ter coragem, e justamente por isso era visto como medíocre aos olhos dos outros marinheiros. Na primeira oportunidade que teve de mostrar seu valor, ele fracassou miseravelmente, pois não passava de um covarde que fingia que a vida estava a mil maravilhas. Gostava muito de sua vida medíocre a ponto de não se arriscar por algo maior que ele mesmo. Algo que faria a sua vida ter algum sentido. Vejam que isso é como uma bola de neve que vai aumentando cada vez mais. Quanto mais amamos nossas vidas fúteis e fracassadas, menos nos arriscamos, quanto menos nos arriscamos, mais medíocre somos. Quanto mais medíocres somos, mais temos a necessidade de fazer de conta que tudo está bem para nos sentirmos melhor com nós mesmos, e assim, sucessivamente.

Claro que devemos ter apreço pela vida, mas uma certa doze de risco é necessário correr para adquirirmos coragem, e vivermos para além de nós mesmos. Somente assim seremos homens de valor. Como Stubb observou, e o nos aconselhou, assim como um pai honrado aconselharia seu filho em um dia de caçada a porcos do mato, prezar a coragem é o que devemos fazer sempre, pois iremos toda hora, precisar dela, se quisermos nos tornar homens.


Meu blog viril está te ajudando a não ser mais esse cara cagalhão que tu és. 


Ora, na segunda descida, o escaler remou em direção ao cachalote; e quando a baleia recebeu o ferro que lhe atiraram, deu sua costumeira pancada, a qual sucedeu que, neste caso, acertasse justamente debaixo do banco de Semente-de-Maçã. O involuntário pavor do momento fê-lo saltar do bote, empunhando o remo; e de tal modo que, passando-lhe pelo peito parte da arpoeira solta, ele a carregou consigo por sobre o costado, de jeito a ficar preso nela quando afinal caiu na água. Nesse momento a baleia ferida começou desabalada carreira, esticando-se a linha rapidamente, e, de súbito, o pobre Semente-de-Maçã foi guindado espumejante para o poste da arpoeira, no bote, impiedosamente puxado pela corda, que havida dado várias voltas em torno de seu peito e pescoço.
Tashtego postava-se na proa, cheio do ardor da caçada. Detestava Semente-de-Maçã, pela covardia deste. Tirando a bainha a faca do bote, virou o gume para a arpoeira, e, voltando-se para Stubb, perguntou:
- Corto?
No ínterim, o rosto de Semente-de-Maçã, que a asfixia azulava, parecia pedir: Corte, pelo Amor de Deus!" Tudo se passou num átimo; tudo, tudo em menos de meio minuto.
- Com mil raios, corte! - rugiu Stubb; e assim a baleia foi perdida e Semente-de-Maçã foi salvo. 
Logo que se recobrou, o pobre negrinho foi acossado com brados e maldições pela maruja. Permitindo calmamente que essas pragas irregulares se evaporassem, Stubb, de modo claro, metódico, mais ainda assim meio jocoso, maldisse Semente-de-Maçã oficialmente; e feito isso deu-lhe inoficialmente muitos conselhos salutares. Em substância, chamava-lhe a atenção para: "Nunca salte de um bote, Semente-de-Maçã, exceto..."mas o resto era vago, como o conselho mais razoável sempre o é. Ora, em geral Agarre-se ao bote é o verdadeiro lema na pesca da baleia; mas às vezes acontecem casos em que Salte do bote é ainda melhor. Além disso, como se percebesse por fim que, se desse conselhos indiluidamente conscienciosos a Semente-de-Maçã, estar-lhe-ia deixando margem ampla demais para saltar futuramente, Stubb de súbito abandonou todo o aconselhamento e concluiu uma ordem peremptória:
- Agarre-se ao bote Semente-de-Maçã, ou, por Deus, não o apanharei se você saltar; lembre-se disso. Não podemos darmos ao luxo de perder baleias por causa de gente da sua laia; uma baleia seria vendida por trinta vezes o seu valor, Semente-de-Maçã, no Alabama. Tenha isso em mente, e não salte mais.  
Com isso talvez Stubb estivesse a dizer, indiretamente, que, embora o homem aprecie o seu semelhante, é também um animal que ganha dinheiro, inclinação esta que muito amiúde interfere em sua benevolência. 

Perdemos uma preciosa baleia por causa de um maldito covarde cagalhão!

Aqui vimos como a covardia prejudicou todos os marujos que confiavam em Semente-de-Maçã. Ou seja, ser um covarde não é prejudicial somente a você. É prejudicial a sua família, pai e mãe, a sua namorada/esposa, a seus filhos, ao seus amigos, ao seus colegas de trabalho, em suma, a todo mundo. O mundo é essa bosta toda hoje em dia, porque a maioria das pessoas são covardes. E eu não estou falando de covarde no sentido de que você deve sair por ai procurando briga com todo mundo, para se tornar homem. Covarde no sentido de não fazer o que realmente precisa ser feito, em cada determinada situação, por não se preocupar com o que o efeito das sua falta de ação pode causar aos outros, já que pra você, naquele momento, é preferível se preservar, já que você está com preguiça de fazer ou algo assim.

Ter coragem para viver a vida requer ESFORÇO! Para você fazer o que precisa ser feito, e meter a real em si mesmo (Salve confrade Chanceler) é necessário agir, viver para além de sua própria bunda.

O dono da loja onde você trabalha, confia que você seja um vendedor esforçado. O seu chefe tetinha no escritório, confia que você seja um cara que cumpre prazos e faz trabalhos bem acabados. O seu professor espera que você se dedique na pesquisa que ele falou que você precisa fazer. A sua mãe e pai, esperam que você seja um sucesso em tudo que empreender, e não um vagabundo que só foge de responsabilidades e coloca a culpa nos outros. A sua namoradinha espera que você seja um homem firme que tenha atitude de tomar decisões que ela não conseguiria tomar corretamente sozinha. Seus amigos esperam que você seja um cara descolado, que tenha boas histórias de vida, por realmente viver o que fala, para poderem se espelhar em você. Deus quer que você viva para além de si mesmo, edificando a vida de todos que convivem com você, da melhor forma que você puder. Em suma, todos que realmente gostam de você, esperam que você seja um grande cara, para eles mesmos poderem ter alguma perspectiva na vida e melhorarem também como pessoa, pois todo mundo quer melhorar de vida. Você por exemplo, gosta de estar na companhia de fracassados medrosos?

Vejam que sua covardia em viver, e falta de esforço e disciplina pode causar prejuízos financeiros para outras pessoas.Acostume-se com essa verdade: a vida é um jogo de interesses. Se você não trás lucro a nada e a ninguém, principalmente no sentido financeiro, ninguém vai se importar com você.

Quando pensar em cagar e andar para alguma tarefa que precisa ser feita, pensa em toda essa gente que você vai estar decepcionando. Isso que eu só citei pessoas diretamente influenciadas em cada situação, imagina mais as indiretamente.

Veja bem paspalho, não estou querendo dizer que todos sonham e torcem com o seu sucesso. Isso seria uma completa mentira. Mas todos esperam que aquilo que você foi designado para fazer, seja feito da melhor maneira possível. Se você é do tipo de sujeito que diz que vive para si mesmo e que se foda o resto, tudo bem, todo mundo tem o direito de ser retardado. A vida vai te ensinar boas lições. Mas mesmo pensando assim, a melhor forma de viver é se empenhando nas coisas com esforço. Isso é um ato de amor consigo mesmo, primeiramente.

Mostra que você se leva a sério, e todos percebem e passam a respeitá-lo mais por isso. Mas só é possível cultivar essa característica com coragem, assumindo riscos. Agindo dessa forma, você não vai ter tempo de ficar sorrindo todo momento pra tudo e todos, pois precisa se concentrar. Sem isso, jamais se tornará um homem. Por isso pessoas demasiadamente sorridentes, e os "carpe diens" transmitem evidentemente que não se levam a sério. Não de forma correta pelo menos. Como respeitá-los assim? Veja que situação lamentável Semente-de-Maçã passou, simplesmente por ser um cagalhão que só gosta de festejar e curtir a vida e não se empenha em nada útil. E como veremos, sua situação vai piorar.

Mas estamos nas mãos dos deuses, Semente-de-Maçã saltou de novo. Deu-se isso em circunstâncias muito semelhantes às da primeira vez; mas desta feita não levou a linha no peito, e por isso, quando a baleia começou a correr, Semente-de-Maçã foi deixado para trás no mar, como se fosse a mala de um viajante apressado. Ai! Stubb manteve-se fiel à sua palavra. Era um belo e generoso dia azul; o mar lantejoulado, calmo e fresco, estendia-se plano em derredor, até alcançar o horizonte, como a chapa de ouro de um bate folhas, martelada até chegar ao máximo...Stubb voltou-lhe as costas inexoráveis; e a baleia parecia ter asas. Em três minutos, uma extensão de milha interpunha-se, num oceano sem praias, entre Semente-de-Maçã e Stubb. Do centro do mar, o pobre Semente-de-Maçã virava a cabeça crespa, encarapinhada, para o sol, outro náufrago solitário, embora o mais sublime e brilhante...Mas abandonara Stubb realmente o pobre negrinho a sua própria sorte? Não; não desejava isso pelo menos. Pois havia dois botes em sua esteira, e ele calculou, sem dúvida, que se aproximariam de Semente-de-Maçã muito rapidamente e o acolheriam; embora, na verdade, essa consideração para com remeiros postos em perigo por seu próprio medo nem sempre seja manisfestada pelos caçadores em semelhantes circunstancias, que ocorrem não raro; quase inevitavelmente na atividade baleeira, um individuo tido é marcado por aquela mesma detestação implacável, típica da Marinha de Guerra e do Exército. 

Isso é o que lhe acontece quando você vive como um covarde. É abandoado a própria sorte. Ai não adianta chorar e dizer que o mundo é cruel e ninguém gosta de você, paspalho. 


Ninguém nasce perfeito e sabendo de tudo, precisamos treinar para nos aperfeiçoarmos. Você que cresceu sem um figuram masculina sólida como exemplo, com toda certeza, não vai passar a agir de forma correta e satisfatória do dia para noite, depois de leu meu texto e o livro. Vai errar muitas vezes, e vai levar um tempo para internalizar tudo isso. Claro. Mas o importante é se esforçar. Assim como Semente-de-Maçã fracassou na primeira vez que foi solicitado, teve o tratamento que lhe era justo, mas teve a oportunidade de melhorar. Mas o que o filho da puta fez? Se acovardou de novo. Aí já fica difícil ter piedade de um cara que não quer se ajudar. É a mesma coisa na vida real.

Por mais que você não perceba, muitas pessoas estão dispostas a te dar uma chance de mostrar o seu valor, desde que você se mostre interessado. Logicamente, nada vai cair do céu. Mas o que você faz? Nada. Isso mesmo. Se isola no seu mundinho, e diz que vive só para si e que se foda o resto, e não sabe porque todo mundo de deixa como Stubb deixou o Semente-de-Maçã, completamente isolado no mar. Como veremos, esse atitude covarde perante a vida pode causar danos na sua alma que são irreversíveis e acabar completamente com a s sua alegria de viver.

Como vimos também, quando passamos e insistir em sermos individualistas e cagões, as outras pessoas passam a não gostar de nós automaticamente. Muito provavelmente você já deve ter pensado que ninguém vai com a sua cara, que parece que ninguém gosta de você, sendo que tu nunca fez nada para ninguém. Já te ocorreu esse pensamento? Comigo já ocorreu inúmeras vezes. E eu não sabia qual era o meu maldito problema. Eu achava que Deus me odiava e me amaldiçoou. Porque as pessoas me excluíam?

Porque eu agia feito um imbecil covarde, oras. Agia dessa forma que estou descrevendo aqui no artigo. Essa é a resposta para mim e deve ser para você também, se tu se sente excluído. Você não agrega em nada nada vida de ninguém, vive para si mesmo, e quer que os outros te amem? Vai pr puta que te pariu seu viadinho de merda. Ninguém gosta de homens emotivinhos, envergonhados cuzões afeminados, que só falam de futilidades e alegria . Por mais que o esquerdismo diga que isso é bonito hoje em dia, homem não foi feito para agir dessa maneira. As pessoas querem estar perto do cara que resolve os problemas, que enfrenta as dificuldades. Simples. Sem isso, você vai ser um náufrago ressentido com a vida, no meio da sociedade.

Mas aconteceu que esses botes sem ver Semente-de-Maçã divisando subitamente baleias próximas a eles, de um lado, voltaram-se e iniciarão perseguição; e o bote de Stubb estava agora tão longe, e ele e sua equipagem tão atentos a seu cachalote, que o horizonte anelar em torno de Semente-de-Maçã começou a ampliar-se lamentavelmente. Por mero acaso, o próprio navio o recolheu-o afinal; mas daquela hora em diante o negrinho começou a perambular pelo convés, como um idiota; pelo menos diziam que ele havia perdido o siso. O mar havia ironicamente conservado à tona seu corpo finito, mas afogara o infinito de sua alma. Não se afogara de todo, contudo. Antes a carregara viva para as espantosas profundezas, onde as estranhas formas do incorrupto mundo primitivo passavam de um lado para outro ante seus olhos desinteressados, e o avaro tritão, que é o Saber, revolveu-lhe os saberes que acumulara; e entre as eternidades alegres, sem coração, sempre juvenis, Semente-de-Maçã viu os multitudinosos insetos de coral, onipresentes como Deus, que do firmamentos das águas inchavam as esferas colossais. Viu o pé de Deus no tear, e falou-lhe; e portanto seus camaradas o disseram louco...

Esse é o triste fim de um covarde: loucura e amargura. 


Como vimos, Semente-de-Maçã acabou levando um duro golpe na alma e acabou ficando louco. Sem contar que quase perdeu a vida e foi salvo por pura sorte.

Se não quer que o ostracismo social te transforme em um cara cheio de amargura, inveja e complexado com o mundo, visto como louco, para de se acovardar parante as suas dificuldades. Tem alguma coisa séria para resolver? Resolva. Para fazer? Faça. Pare estudar? Estude. O quanto antes. Sua vida é bem curta para ser desperdiçada agindo feito um bunda mole.

A vida, a sociedade te cobra produtividade, por mais que você não queira admitir isso. Deus te cobra ação. Hore a sua vida sendo útil e corajoso. Semente-de-Maçã era o mais coitado do navio, que ninguém respeitava, porque ele mesmo não se dava o respeito, primeiramente. Se você se sente deprimido e desiludido com a vida, aposto que é porque tu andas complexado com o mundo achando que ninguém gosta de você, ou porque você não vê mais sentido nas coisas que faz. Eu digo para você, baseado nessa história, e no que o grande Viktor Frankl também falou, que você deve criar o sentido de sua vida. Pare de culpar coisas e pessoas por sua amargura e simplesmente aja. Reaja. Realmente, ninguém se importa com você. Sua vida é você que faz, e para ele ter sentido é necessário ter um objetivo. E para achar esse objetivo, e preciso ter coragem, coragem de enfrentar o mundo.

Semente-de-Maçã não tinha coragem de enfrentar o mundo, o mundo onde ele estava inserido, que era a caça de baleias. E você? Tem coragem de enfrentar os desafios para os quais a sua vida está te chamando? Tem pessoas que contam com você paspalho. Não seja um Semente-de-Maçã.


quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Problemas Genéticos

Hoje, lendo mais um artigo FANTÁSTICO do Daniel Castro, eu tive alguns insights sobre algumas situações. Antes de ler aqui, leia lá. Faça esse favor a si mesmo.

O artigo em si fala da deterioração da nossa genética, proveniente de dietas ruins, ou se preferir, proveniente das dietas modernas saturadas de amidos. Algo que é comum para todos nós. Se você é um cara observador e que gosta de pensar, talvez tenha chegado a mesma conclusão que eu.
Sempre ouvimos que crianças que nascem com problemas genéticos graves, tiveram muito AZAR na loteria genética, que foi um verdadeiro acaso, ou que Deus quis assim. Talvez tu pense que essa sua genética lixo e essa cara torta foi um verdadeiro castigo de Deus contra você, porque ele te odeia. Sempre achei que esse tipo de acontecimento era muito cruel para ser atribuído a Deus, e também que se por um acaso, realmente fosse um “acaso genético”, seria um azar do caralho as pessoas nascerem com uma maldição dessas.


Não, não foi Deus que quis assim!


Ao ler o artigo que o Daniel traduziu, me lembrei de outros estudos que li atualmente, um especificamente que falava sobre como a nossa dissimetria facial e corporal, colocando em miúdos, a nossa feiura é influenciada na nossa concepção por infecções causadas por uma má alimentação de nossos pais. Fomos feitos  a partir de uma medula espinhal que fica no centro, e os dois lados do nosso corpo devem ser iguais, se formos "fabricados" em ambientes saudáveis. Diferenças entre os lados são causados por infecções provenientes de hábitos não saudáveis do nossos pais e mães, como beber feito gambá, por exemplo. Isso está em um estudo cientifico de uma universidade de renome, não sou eu que estou chutando essa teoria, que fique bem claro.

Com base nisso, e no artigo, só podemos chegar a conclusão de que esse papo de que pessoas que nascem com problemas genéticos são obras do acaso ou de um Deus frio e insensível não passam de falácias. A culpa disso é das dietas lixos que temos hoje em dia e de hábitos nada saudáveis que adquirimos que nos influenciam negativamente desde a nossa concepção.  Como vocês leram no artigo, a arcada dentária e mais N fatores foi modificada nas pessoas da tribo a partir do momento que passaram a comer farinhas refinadas.


Isso aqui é um verdadeiro veneno para você. Não duvide disso!


Hoje em dia, os homens estão produzindo esperma com uma qualidade muito inferior que a 100 anos atrás, e estes muito inferior que seus antepassados e assim sucessivamente. Se não acredita em mim, pesquise, paspalho. Hoje em dia, os casos de câncer de mama são tão altos, porque há uma maciça estrogenização nos alimentos, que dão câncer as mulheres, e destroem a testosterona e vitalidade dos homens. Aliás, como estamos no mês de outubro, vemos pra todo lado essa campanha do governo contra o câncer de mama, do autoexame e etc., mas nenhum desses filhos da puta fala o motivo de ter tantos caso de câncer, e o que as mulheres devem fazer para não ter essa desgraça. Ninguém fala que essa comida cheia de veneno, excesso de amido está destruindo as mulheres. Eles só falam que é preciso ir no médico passar por uma porrada de exames que te fodem ainda mais a saúde, para quem sabe ter uma chance de sobreviver. Ou seja, atacam os sintomas, e não a causa do problema. É claro que não vão fazer isso, porque o mercado médico rende milhões de lava-jatos. Na verdade eles precisam de gente que esteja sempre doente. Então, você que está lendo isso agora, eduque sua mulher a não ser mais uma dessas porcas gordas que enchem o rabo de lavagem o dia inteiro, para que ela não tenha câncer num futuro próximo, e morra deixam seu filho com fortes problemas psicológicos por ter perdido a mãe cedo de mais.

O mais importante, nunca será falado pelas mídias, só em blogs viris como o meu. 



É seu baleião, parece que a alimentação influencia a sua vida desde quando você nasceu, e vai influenciar seus filhos, (se vc tiver capacidade ter ter algum é claro) se continuar a comer esse monte de merda que chamam de comida hoje em dia. É isso que você quer? Quer ter uma linhagem de filhos fracos, feios, doentes e fracassados como você. Se a resposta for não, para agora de fazer o que vc está fazendo em termos de hábitos saudáveis e mude.

Esse artigo também me lembrou do personagem Quiqueq de Moby Dick. Quiqueg era um “selvagem”, que na verdade, de selvagem só tinha a aparência assustadora, que botava medo até nos baleeiros do século XIX, que com toda a certeza produziam umas 200x mais testosterona que nós hoje. Imagine o que a visão desse sujeito não causaria em você, nerd comedor de doritos e coca, criado na frente do pc. Mas enfim, lembrei dele por causa que ele era muito mais forte, atlético e destemido que os baleeiros do Pequod. E os outros dois arpoadores do navio, que também eram salvagens, tinham as mesmas características. E o artigo que eu citei no inicio fala justamente isso. Que as pessoas de tribos tem uma vitalidade e parecem muito mais “masculinos” que nós, e isso se deve a alimentação. Então se você está cansado de ser um bundão com cara de menina, mude sua dieta. Isso é muito mais importante do que você deve julgar. Pratique alguma atividade que te desafie, não precisa ser necessariamente academia, mas se mecha, honre sua testosterona, e diminua o consumo de farinhas e grãos.




 Isso é ainda muito mais importante se pretende ter filhos. Como vimos, a SUA ALIMENTAÇÃO E SEUS HÁBITOS PODEM FAZEM COM QUE SEU FILHO NASÇA COM ALGUMA DEFICIÊNCIA GENÉTICA GRAVÍSSIMA. Ai não adianta querer culpar Deus e o destino pela sua preguiça e vagabundagem em mudar de vida. 

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Série: Homens, o motor da civilização – Os homens prestam pra alguma coisa? Parte 3

São as mulheres mais sociais?


Passemos agora à segunda grande diferença motivacional. Isso tem as suas raízes em um intercâmbio de idéias feito no Psychological Bulletin cerca de dez anos atrás, mas a questão ainda está fresca e relevante hoje. Diz respeito à questão de saber se as mulheres são mais sociais do que os homens.

A ideia de que as mulheres são mais sociais foi levantada por SE Cruz e L. Madsen em um manuscrito submetido a este periódico. Fui enviado para fazer uma resenha, e embora eu não tenha concordado com sua conclusão, senti que tinham feito bem a sua tese, por isso defendi publicar seu trabalho. Elas mostraram abundância de provas. Elas disseram coisas como, olha, os homens são mais agressivos do que as mulheres. Agressão pode danificar um relacionamento porque se você machucar alguém, essa pessoa pode não querer ficar com você. Mulheres abstem-se de agressões, porque elas querem relacionamentos, mas os homens não se preocupam com relacionamentos e, portanto, estão dispostos a serem agressivos. Assim, a diferença de agressão mostra que as mulheres são mais sociais do que os homens.

Mas eu tinha acabado de publicar o meu primeiro trabalho sobre "a necessidade de pertencer", que concluiu que tanto os homens como as mulheres tinham essa necessidade, e assim eu estava preocupado ao ouvir que os homens não se preocupam com conexões sociais. Eu escrevi uma contra-resposta, que disse que havia outra maneira de olhar para todas as provas Cross e Madsen cobriram.

A essência do nosso ponto de vista foi que existem duas formas diferentes de ser social. Na psicologia social nós tendemos a enfatizar relacionamentos próximos, íntimos, e sim, talvez as mulheres especializaram-se nestes e são melhores que os homens. Mas podemos também olhar sobre ser social em termos de ter-se maiores redes de relacionamentos superficiais, e em relação a estas, talvez, os homens são mais sociais do que as mulheres.

É como aquela comum pergunta, o que é mais importante para você, ter algumas poucas amizades próximas ou ter muitas pessoas que tem conheçam? A maioria das pessoas dizem que o primeiro é mais importante. Mas a grande rede de relacionamentos superficiais pode ser importante também. Não devemos ver os homens automaticamente como seres humanos de segunda classe simplesmente porque se especializam nos menos importantes, menos satisfatórios tipos de relacionamento. Homens são também sociais - apenas de uma forma diferente. 

Por isso, nós reexaminamos as provas que Cross e Madsen haviam prestado. Considere agressão. Verdade, as mulheres são menos agressivas do que os homens, não há argumento. Mas será que é porque as mulheres não querem comprometer uma relação intima? Acontece que, relacionamentos intimos, as mulheres são bastante agressivas. As mulheres tem mais probabilidade do que os homens para perpetrar violência doméstica contra parceiros românticos, tudo de um tapa na cara até agressão com arma mortal. As mulheres também fazem mais abuso com crianças do que os homens mas isso é difícil de desvendar devido a maior quantidade de tempo que passam com os filhos. Ainda assim, não se pode dizer que as mulheres evitam violência em cima de parceiros íntimos.




Porém, a diferença é encontrada na esfera social mais ampla. As mulheres não batem em estranhos. As chances de que uma mulher vai, digamos, ir ao shopping e acabar em uma briga de faca com outra mulher são infimamente pequenos, mas existe mais risco para os homens. A diferença de gênero na agressão é encontrada principalmente ali, na mais ampla rede de relacionamentos. Porque os homens se preocupam mais com essa rede.

Agora considere o ato de ajudar. A maior parte da investigação conclui que os homens ajudam mais que as mulheres. Cruz e Madsen lutaram contra isso e eventualmente recuaram para o velho clichê que talvez as mulheres não ajudam porque eles não são criadas para ajudar ou não são socializadas para ajudar. Mas acho que o padrão é o mesmo que com a agressão. A maior parte da investigação olha o ato de ajudar em relação a estranhos, na maior esfera social, e, por isso, encontra os homens ajudando mais. Dentro da família, porém, as mulheres são bastante úteis, se nada mais do que os homens.

Agressão e ajuda são opostos em alguns aspectos, então a convergência do padrão é bastante significativa. Mulheres ajudam e agridem na esfera íntima de uma relação próxima, porque é com isso que elas se preocupam. Em contraste, os homens se importam (também) com a mais ampla rede de relacionamentos superficiais, e assim eles são bastante ajudantes e agressivos ali

As mesmas conclusões das “duas-esferas” tem suporte em vários outros lugares.

Estudos de observação de Playground descobriu que meninas fazem pares e brincam um a um com a mesma menina por horas. Meninos jogam tanto um a um com uma série de diferentes parceiros ou com um grupo maior. Meninas querem o relacionamento um a um, enquanto meninos são atraídos por grupos e redes de pessoas maiores.

Quando duas garotas estão brincando juntas e o pesquisadores trazem uma Terceira, as duas garotas resistem em deixá-la entrar. Mas 2 meninos deixarão um terceiro menino entrar no jogo. Meu ponto é que as garotas querem a conexão um a um, então adicionar uma terceira pessoa estraga a coisa pra elas, mas não estraga para os meninos.

A conclusão é que os homens e as mulheres são sociais, mas de maneiras diferentes. Mulheres especializam-se na esfera restrita de relações íntimas. Homens especializam-se no grupo maior. Se você fizer uma lista de atividades que são realizadas em grandes grupos, você terá uma lista de coisas que os homens fazem e gostam mais que as mulheres: esportes coletivos, política, grandes corporações, redes econômicas, e assim por diante.

Traços e Contra-Partida


Novamente, importantes diferenças de personalidade provavelmente decorrem das diferenças motivacionais básicas no tipo de relação social que interessa a homens e mulheres. 

Considere o achado comum que as mulheres são mais emocionalmente expressivas do que os homens. Para uma relação íntima, a boa comunicação é útil. Ela permite a duas pessoas a entender um ao outro, apreciar os sentimentos do outro, e assim por diante. Quanto mais os dois parceiros íntimos conhecem um ao outro, melhor podemos cuidar e apóia-lo. Mas, em um grande grupo, onde você tem rivais e talvez inimigos, é arriscado deixar todos os seus sentimentos a mostra. O mesmo vale para as operações econômicas. Quando você está negociando o preço de alguma coisa, é melhor manter os seus sentimentos um pouco pra si. E então por isso os homens se seguram mais. 

Equidade é outro exemplo. Investigação por Brenda Major e outros na década de 1970 usou procedimentos como esse. Um grupo de indivíduos desempenhariam uma tarefa, e o experimentador então diria que o grupo tinha merecido uma certa quantia de dinheiro, e era responsabilidade e decisão de um membro dividi-lo da forma que ela ou ele achasse melhor. A pessoa poderia pegar todo o dinheiro pra si, mas não era o que geralmente acontecia. As mulheres dividiam o dinheiro igualmente, com uma parte igual para todos. Os homens em contraste dividiam isso de forma desigual, dando a maior parte da recompense para qualquer um que tivesse feito a maior parte do trabalho.

Qual é melhor? Nenhum. Tanto a igualdade quanto equidade são válidas versões de justiça. Mas eles mostram a diferença de orientação social. A igualdade é melhor para o relacionamento próximo, quando as pessoas cuidam de si e retribuem as coisas e dividem recursos e oportunidades iguais. Em contraste, a equidade - dando maior recompensa para maiores contribuições - é mais eficaz em grandes grupos. Eu realmente não chequei, mas estou disposto a apostar que, se você pesquisas as 500 grandes corporações e bem sucedidas na América, você não iria encontrar uma única empresa dentre as 500 que paga a cada trabalhador, o mesmo salário. Os trabalhadores que dão as mais valiosas contribuições geralmente recebem mais. Ele simplesmente é um sistema mais eficaz em grandes grupos. O padrão masculino é adequado para os grandes grupos, a fêmea é padrão que melhor se adaptam a pares íntimos. 

As mulheres tem mais orientação comunal, os homens para a troca. Na psicologia nós costumamos pensar que a forma comunal é uma forma mais avançada de relacionamento do que a de troca. Por exemplo, nós ficaríamos suspeitos de um casal que depois de 10 anos de casamento ainda dizem “eu paguei a conta elétrica mês passado, agora é sua vez.” Mas a suposta superioridade dos relacionamentos comunais se aplicam apenas para relacionamentos íntimos. No nível de sistemas sociais grandes, é o oposto. Países comunais (incluindo comunismo) permanecem primitivos e pobres, enquanto países ricos e avançados chegaram aonde estão através de trocas econômicas.

Há também o ponto sobre os homens serem mais competitivos, as mulheres mais cooperativas. Novamente, porém, a cooperação é muito mais útil do que a concorrência para relações íntimas. Que utilidade tem concorrer contra o seu cônjuge? Mas, em grandes grupos, chegar ao topo pode ser crucial. A preferência do sexo masculino por hierarquias dominantes, e a forte ambição em chegar ao topo, também refletem uma orientação em direção ao grande grupo, e não uma antipatia em relação a intimidade. E lembre-se, a maioria dos homens não se reproduziu, e nós somos descendentes dos homens que lutaram até o topo. Nem tanto para as mulheres.

A competitividade nos torna mais homens


Só mais uma coisa. Cruz e Madsen cobriram muita pesquisa mostrando que os homens pensam de si mesmos baseados em suas características incomuns que os diferenciam dos outros, enquanto que as mulheres pensam em coisas que as conectam aos outros. Cruz e Madsen pensavam que isto era porque os homens queriam estar longe dos outros. Mas, de fato, ser diferente é vital para a estratégia pertencente a um grande grupo. Se você é o único membro do grupo que pode matar um antílope ou encontrar água ou conversar com os deuses ou chutar um gol, o grupo não pode se dar ao luxo de se livrar de você. 

É diferente de um relacionamento um-para-um. Um marido irá amar sua esposa, e seu bebê, mesmo se ela não tocar trombone. Então, cultivando uma habilidade única não é essencial para ela. Mas tocar o trombone é uma maneira de entrar em alguns grupos, especialmente em Bandas. Esta é outra razão que os homens vão a extremos mais do que as mulheres. Grandes grupos fomentam a necessidade de criar algo diferente e especial sobre si mesmo.


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Série: Homens, o motor da civilização – Os homens prestam pra alguma coisa? Parte 2

Então, como prometido, hoje é dia de continuar com a destruição das feministas e pró-feministas cuckolds que se dizem homens. Se você, jovem paspalho, não sabia como se defender de acusações escrotas desses merdas, seus problemas acabaram. Segue a segunda parte desta série.

PS: O autor do artigo cita algumas idéias de teoria da evolução, seleção natural, e toda aquela merda que Charles Darwin inventou. Eu sou TOTALMENTE CONTRA a teoria da evolução, em outros posts falarei mais sobre isso. Mas como uma pessoa sensata que eu imagino que você seja, desconsidere essas asneiras e se atenha nas idéias principais do artigo. 

Dito isto, vamos ao artigo.

-------------------------------------------------------------------------------

Contra-Partidas


Quando você pensa sobre isso, a ideia de que um sexo é todo melhor que o outro não é muito plausível. Porque a natureza iria fazer um gênero melhor que o outro? Evolução seleciona por características favoráveis, e se há uma boa maneira de ser, depois de algumas gerações todos vão ser assim iguais.

Mas evolução irá preservar as diferenças, quando existe uma contra-partida: quando uma característica é boa para uma coisa, enquanto o oposto é bom para outra coisa.

Vamos voltar para as três principais teorias que tivemos sobre sexo: Homens são melhores, nenhuma diferença, e as mulheres são melhores. O que está faltando a partir dessa lista? Diferentes mas iguais. Permitam-me propor uma teoria rival que merece ser considerada. Eu acho que é realmente a mais plausível. A seleção natural irá preservar as diferenças inatas entre homens e mulheres até quando estas diferentes características forem benéficas em diferentes circunstâncias ou para diferentes tarefas.

Exemplo de contra-partida: Afro-americanos sofrem de anemia falciforme mais do que pessoas brancas. Isto parece ser devido a uma vulnerabilidade genética. Esse gene, no entanto, promove a resistência à malária. Negros evoluiram em regiões onde a malária foi um grande assassino, então valeu a pena ter esse gene, apesar do aumento do risco de anemia falciforme. Pessoas brancas evoluíram em regiões mais frias, onde havia menos malária, e assim a contrapartida foi resolvida de maneira diferente, evitando mais o gene que impediu a malária, ao mesmo tempo arriscando sofrer de anemia falciforme.

A abordagem de contra-partidas carrega uma teoria radical da igualdade de gênero. Homens e mulheres podem ser diferentes, mas cada vantagem pode ser ligada a uma desvantagem.

Assim, sempre que você ouvir um relatório de que um sexo é melhor em alguma coisa, pare e considere o motivo pelo qual isto é provavelmente verdade - e em que a característica oposta pode ser boa.

Não pode versus Não vai


Antes de ir longe demais por essa via, porém, deixa-me levantar uma outra idéia radical. Talvez as diferenças entre os sexos são mais sobre motivação do que habilidade. Esta é a diferença entre não pode e não vai.

Retornemos por um momento para a questão de Larry Summers sobre por que não existem mais professores do sexo feminino em ciências exatas em Harvard. Talvez as mulheres possam fazer matemática e ciência perfeitamente bem, mas eles simplesmente não querem. Afinal, a maioria dos homens não gostam de matemática também! Da pequena minoria de pessoas que realmente gostam de matemática, provavelmente há mais homens que mulheres. A pesquisa de Jacquelynne Eccles concluiu repetidas vezes que a escassez de mulheres em matemática e ciência reflete motivação mais do que habilidade. E pela mesma lógica, eu suspeito que a maioria dos homens poderiam aprender a trocar fraldas e passar aspirador debaixo do sofá perfeitamente também, e se os homens não podem fazer essas coisas, é porque não querem ou não gostam, não porque são constitucionalmente incapazes (tanto quanto eles podem fingir que não são!)

Vários trabalhos recentes têm questionado a ideia das diferenças de gênero em habilidades: Mesmo quando diferenças médias são encontradas, elas tendem a ser extremamente pequenas. Em contraste, quando você olha para aquilo que os homens e as mulheres querem, e o que eles gostam, há uma genuína diferença. Olhe para a investigação sobre o desejo sexual: Homens e mulheres podem ter a mesma“habilidade” e “capacidade” sexual, mas existem grandes diferenças quanto à motivação: Qual gênero pensa mais sobre sexo o tempo todo, se masturba mais, quer mais diferentes parceiros, toma mais riscos para fazer sexo, se joga em toda as oportunidades, e assim por diante. O nosso estudo publicado constatou que praticamente toda medida usada e todos os estudos mostraram maior desejo sexual nos homens. É oficial: os homens tem mais libido que as mulheres. Esta é uma diferença na motivação.

Da mesma maneira, eu mencionei a diferença salarial, mas pode ter menos a ver com capacidade do que com motivação. Alto salários vem de trabalhar super-longas-horas. Workaholics são principalmente os homens. (Existem algumas mulheres, mas não tantos quanto os homens.) Um estudo contou mais de 80% das pessoas que trabalham 50 horas semanas são homens.

Isso significa que, se quisermos alcançar o nosso ideal da igualdade de salários entre homens e mulheres, talvez seja necessário legislar o princípio da igualdade de salários iguais por menos trabalho. Pessoalmente, eu defendo este princípio. Mas eu reconheço que uma venda difícil

Criatividade pode ser outro exemplo da diferença de gênero em motivação em vez de capacidade. A prova apresenta um aparente paradoxo, porque os testes de criatividade geralmente mostram homens e mulheres com a mesma pontuação, mas ao longo da história alguns homens têm sido muito mais criativos do que as mulheres. Uma explicação que se encaixa neste padrão é que os homens e as mulheres têm a mesma capacidade criativa, mas diferentes motivações.

Sou um músico, e há muito tempo me pergunto sobre esta diferença. Sabemos do contexto da música clássica que as mulheres podem tocar instrumentos lindamente, soberbamente, proficientemente - essencialmente tão bem quanto os homens. Elas podem e muitas fazem. Ainda sim, no jazz, onde o músico tem que ser criativo enquanto toca, há um desequilíbrio impressionante: quase nenhuma mulher improvisa. Por quê? A possibilidade existe, mas talvez a motivação é menor. Elas não se sentem motivadas para fazê-lo.

Suponho que a explicação tradicional para tais ações diferença é que as mulheres não eram incentivadas, ou não foram apreciados, ou foram desencorajados a serem criativas. Mas não creio que esta explicação se encaixam muito bem nos fatos. No século 19 na América, garotas de classe média e as mulheres tocavam piano muito mais do que os homens. Mas ainda sim toda esta prática em piano não resultou em nenhuma novidade criativa. Não houve grandes compositores mulheres, nenhuma nova direção de estilo de música ou como tocar, ou algo assim. Todas essas mulheres pianistas entreteram as suas famílias e seus convidados no jantar, mas não pareciam motivadas para criar nada novo.



E aí? Inventar algo de novo que é bom, nada?!


Entretanto, aproximadamente ao mesmo tempo, os homens negros na América criaram o Blues e depois o Jazz, ambos que mudaram a forma como o mundo experiencia a musica. Em qualquer visão, os negros, em sua maioria apenas emergentes da escravidão, eram muito mais desfavorecidas do que as mulheres brancas da classe média. Até mesmo pegar em suas mãos um instrumento musical deve ter sido muito mais difícil. E lembre-se, estou dizendo que as habilidades criativas são provavelmente iguais. Mas de alguma maneira, os homens foram levados a criar algo novo, mais do que as mulheres.

Sim, nós nos viramos cara! Demos um jeito


Um teste de algo que é significantemente real é o mercado de capitais. É difícil encontrar alguém fazendo dinheiro utilizando sua diferença de gênero. Mas, na motivação, existem várias. Olhe para a industria de revistas: revistas masculinas cobrem coisas diferentes em relação ás revistas femininas, porque os homens e as mulheres gostam e desfrutam e estão interessados em coisas diferentes. Vejam a diferença de filmes entre os canais a cabo dedicados a homens e as mulheres. Vejam a diferença de comerciais para os homens ou de mulheres.

Isto leva-nos a uma parte importante do argumento. Estou sugerindo que as importantes diferenças entre homens e mulheres encontram-se na motivação e não de habilidade. Qual é, então, essas diferenças? Quero enfatizar duas.

O fato menos apreciado


A primeira grande, diferença básica tem a ver com aquilo que considero ser o fato menos apreciado sobre sexos. Considere esta pergunta: Qual o percentual dos nossos antepassados eram mulheres?

Não é uma pergunta difícil, e não é 50%. Verdade, cerca de metade das pessoas que já viveram eram mulheres, mas essa não é a questão. Nós estamos perguntando sobre todas as pessoas que viveram e deixaram um descendente que vive hoje. Ou, por outras palavras, sim, cada bebê tem tanto uma mãe e um pai, mas alguns desses pais tiveram várias crianças.

Recentes pesquisas utilizando a análise do DNA respondeu esta questão há cerca de dois anos. Hoje, a população humana é descendente de duas vezes mais mulheres que homens.

Penso que esta diferença é um dos mais não-apreciados fatos sobre sexo. Para obter esse tipo de diferença, você tinha que ter algo do tipo, ao longo de toda a história da raça humana, talvez 80% das mulheres reproduziram, mas apenas 40% dos homens reproduziram.

Na atualidade nosso campo está a ter um debate vigoroso sobre quanto o comportamento pode ser explicado pela teoria evolucionista. Mas se evolução explica absolutamente nada, ela explica as coisas relacionadas com a reprodução, porque a reprodução é o cerne da seleção natural. Basicamente, os traços que foram mais eficazes para a reprodução estariam no centro da psicologia evolucionista. Seria chocante se estas vastas probabilidades diferentes reprodutivas falhassem e produzir algumas personalidades diferentes

Para as mulheres ao longo da história (e pré-história), as chances de reprodução tem sido muito boas. Mais tarde nesta conversa iremos ponderar coisas como, por que era tão raro para uma centena de mulheres se reunirem e construir um navio e navegar ao para explorar regiões desconhecidas, enquanto que os homens têm feito bastante tais coisas? Mas arriscar-se desse jeito seria estúpido, a partir da perspectiva de um organismo biológico procurando se reproduzir. Elas podem se afogar ou serem mortas por selvagens ou apanhar uma doença. Para as mulheres, a melhor coisa a fazer é ir junto com a manada, ser simpática, jogar de forma segura. As chances são boas que os homens virão, oferecerão sexo e você será capaz de ter bebês. Tudo o que importa é a escolha da melhor oferta. Somos descendentes de mulheres que jogaram o mais seguro possível.

Para os homens, o panorama foi radicalmente diferente. Se você vai junto com a multidão e jogar pelo seguro, as chances são que você não vai ter filhos. A maioria dos homens que já viveu, não tinham descendentes que estão vivos hoje. Suas linhas genéticas foram extintas. Assim, era necessário arriscar, experimentar coisas novas, ser criativo, explorar outras possibilidades. Navegar para o desconhecido pode ser arriscado, e você pode se afogar ou ser morto, ou qualquer coisa assim, mas mais uma vez se você ficar em casa não irá se reproduzir de qualquer jeito. Nós descendemos do tipo de homens que fizeram a arriscada viagem e conseguiram voltar ricos. Nesse caso, ele iria finalmente ter uma boa chance de passar seus genes. Nós somos descendentes de homens que arriscaram suas chances (e tiveram sorte).

A enorme diferença no sucesso reprodutivo muito provavelmente contribuíram para a algumas diferenças de personalidade, porque diferentes traços apontavam o caminho para o sucesso. Mulheres se davam melhor ao minimizar os riscos, enquanto os homens bem sucedidos foram os que se arriscaram suas chances. Ambição e competitividade provavelmente importava mais para o sucesso dos homens (medido pela descendência que deixavam) do que do sexo feminino. Criatividade foi provavelmente mais necessário, para ajudar o homem individuo a se sobressair de alguma forma. Mesmo a diferença de desejo sexual era pertinente: Para muitos homens, haveria poucas chances de se reproduzir e, portanto, eles tinham que estar prontos para qualquer oportunidade sexual. Se um homem disse: "hoje não, eu tenho uma dor de cabeça", ele poderá perder a sua única chance.

Outro ponto crucial. O perigo de não ter filhos é apenas um lado da moeda do sexo masculino. Toda criança tem uma mãe biológica e pai, e assim se houvesse apenas metade de pais em relação ás mães entre os nossos antepassados então isso quer dizer que alguns desses pais tiveram muitas crianças

Olhe dessa forma. A maioria das mulheres tem apenas algumas crianças, e quase não têm mais de uma dúzia -, mas muitos pais tiveram mais que uns poucos, e alguns homens realmente tinham várias dezenas, até centenas de crianças.

Em termos de concorrência para a produção de descendência biológica, então, os homens ultrapassaram as mulheres, tanto entre os perdedores, quanto entre os maiores vencedores.

Para colocar isto em termos mais subjetivos: Quando eu andar por aí e tentar olhar para homens e mulheres, como se estivesse os vendo pela primeira vez, é difícil escapar à impressão (desculpe, gente!) que as mulheres são simplesmente mais agradáveis e cativantes do que homens. (Isso eu acho que explica o "efeito “MSM" mencionado anteriormente.) Os homens poderão querer ser amáveis, e os homens podem e realmente conseguem fazer as mulheres amá-los (a habilidade está lá), mas os homens têm outras prioridades, outras motivações. Para as mulheres, ser amável foi a chave para atrair o melhor companheiro. Para os homens, no entanto, foi mais uma questão de bater vários adversários homens para ter uma chance de arranjar uma parceira.

Contra-partida novamente: talvez a natureza concebeu as mulheres a procurar serem amáveis, enquanto que os homens foram concebidos para que se empenhem, na maioria sem sucesso, para a grandeza.

E valeu a pena mesmo apesar da parte do "na maioria sem sucesso". Os especialistas estimam que Genghis Khan teve várias centenas e talvez milhares de crianças. Ele arriscou-se grandemente e finalmente conquistou a maior parte do mundo conhecido. Para ele, o grande risco levou a enormes retornos na descendência. Meu ponto é que nenhuma mulher, mesmo que ela conquiste o dobro do território como Genghis Khan, poderia ter tido milhares de crianças. Lutar pela grandeza nesse sentido não oferecia a humana do sexo feminino nenhuma recompensa biológica. Para o homem, a possibilidade estava lá, e assim o sangue de Genghis Khan corre através de um grande segmento da população humana de hoje. Por definição, somente alguns homens podem alcançar grandeza, mas para os poucos homens que fazem, os ganhos foram enormemente reais. E nós somos descendentes daqueles grandes homens muito mais do que os outros. Lembre-se, a maioria dos homens medíocres não deixaram nenhum descendente.

-------------------------------------------------------------------

Então, está começando a perceber o quanto foi enganado durante todo esse tempo. Espero que sim. Essa série é realmente destruidora e vai fazer você ter orgulho de ser homem. Semana que vem tem a parte 3.


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Série: Homens, o motor da civilização – Os homens prestam pra alguma coisa? Parte 1

Silvio Koerich foi e é um dos grandes nomes da real. Ele ajudou a muitos paspalhos e deixarem de ser bundas mole paus no cu e virarem homens de verdade que se dão o valor adequado. As feministas, vendo o tremendo trabalho que o Silvio estava fazendo, ficaram putinhas e criaram blogs fakes, onde postavam as coisas mais absurdas e irreais sobre o movimento masculinista, se auto-intitulando como Silvio Koerich, o que resultou que o Silvio original teve de desativar o seu blog viril e sumir da internet. Mas suas postagens fodas nunca serão perdidas.

Essa série que eu vou postar aqui no meu blog, foi retirada do antigo blog do Silvio Koerich, e é simplesmente fantástica e merece ser vista por todos os homens desse pais. 

Como eu venho falar como se tornar um homem de verdade, você precisa conhecer muito bem todos os seus inimigos, e essa série é sobre o feminismo e sobre muitas mentiras que são contadas para os pobres jovens desorientados. Como sempre, paspalho, se segure ai, porque você lera reais violentíssimas que provavelmente acabarão com seu mundinho de ilusões. Mas farão você acordar para a verdade e para a virilidade.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nas próximas 5 quartas-feiras incluindo esta, estarei trazendo uma tradução fenomenal, digna de minha virilidade e bolas grandes e duras, de um dos textos mais poderosos anti-feministas que existe em que tu NUNCA mais vai ter vergonha de ser homem, terá orgulho de suas bolas e destruirá na tua mente qualquer resquício de “Opressão histórica” e vícios feministas e midiáticos pró-mulher.

Sim estou utilizando armas pesadas contra as feministas e metrossexuais moderninhos.

Muito se fala e se critica do sexo masculino principalmente nesta era de feminismo radical e onde a mídia trata os homens como lixo humano dispensável.

Pois tratem de LAVAR A BOCA e tirarem as calças porque a VARA vai cantar hoje.

Este é um artigo que explica várias coisas desde porque os homens “dominam” o mundo, refuta várias palhaçadas feministas e demonstra que homens e mulheres complementarem-se ao longo da história e não que homens oprimiram mulheres como as feministas adora enxer meus bagos. É um baita artigo interessante porém só pra pessoas que não sejam retardadas que nem você.

Segue texto que só existe no meu blog no Brasil e américa latina:

Recentes escritos não tem muitas coisas boas a falar sobre os homens. Livros como “homens não são custo-efetivos falam por si mesmos. O livro de Maurenn Dowd chamava-se “São os homens necessários?” e embora ela nunca deu uma resposta explícita, qualquer um lendo o livro sabe que sua resposta era não. O livro de Louann Brizendine, “O cérebro feminino”, introduz-se dizendo, “homens, preparem-se pra experimentar uma inveja cerebral”. Imagine um livro anunciando-se ao dizer que as mulheres iriam em breve experimentar uma inveja do superior cérebro masculino!

Esse tipo de lixo que sua mulher e filhas estão lendo nesse momento.


Isso não são exemplos isolados. A pesquisa de Alice Eagly compilou montanhas de dados dos estereótipos que as pessoas tem sobre homens e mulheres, que os pesquisadores chamaram de “O MSM efeito”. MSM significa “Mulheres são Maravilhosas”. Ambos homens e mulheres tem visões muito mais favoráveis das mulheres do que dos homens. Quase todo mundo gosta de mulheres mais do que os homens. Eu também.

Isso não é sobre argumentar mostrando os homens como vítimas. Eu detesto a ideia de competir em vitimismo. Eu certamente não estou negando que a cultura explorou mulheres. Mas ao invés de olhar a cultura como patriarcalismo, que é dizer que há uma conspiração de homens explorando mulheres, eu penso que é mais acurado entender cultura (um país, religião) como um sistema abstrato que compete contra sistemas rivais – e que utiliza homens e mulheres, de diferentes maneiras, para avançar seus objetivos.

Portanto minha teoria se baseia em contra-partidas (troca-se uma qualidade por um defeito, troca-se uma vantagem mas ganha-se uma desvantagem). Eu não quero estar no lado de ninguém. Soldados de gênero por favor vão pra casa.

Homens no Topo


Quando eu digo que eu estou pesquisando como a cultura explora homens, a primeira reação é geralmente “como você pode dizer que a cultura explora homens, quando os homens estão no comando de tudo?” Isto é uma objeção justa e precisa ser levada a sério. Ela invoca a crítica feminista da sociedade. Esta crítica começou quando alguma mulher sistematicamente olhou pro topo da sociedade e viu homens em todo lugar: a maioria dos líderes mundiais, presidentes, primeiro-ministros, a maioria dos membros do congresso e parlamentares, a maioria dos CEOs de grandes empresas e assim por diante – todos estes são na maioria homens.

Vendo tudo isso, as feministas pensam, uau, homens dominam tudo, então a sociedade é feita em favor do homem. Deve ser ótimo ser um homem.

O erro nesta forma de pensar é olhar pro topo. Se ao invés disso alguém fosse olhar para o fundo da sociedade iria encontrar homens na maioria também. Quem está na prisão por todo o mundo, como criminosos ou prisioneiros políticos? A população no corredor da morte nunca chegou perto de 51% de mulheres. Quem é desabrigado e mendigos? Novamente, maioria homens. Quem a sociedade usa para os trabalhos perigosos e ruins? O departamento do trabalho dos EUA mostra que 93% das pessoas mortas no trabalho são homens. Da mesma forma, quem é morto em batalha? Até mesmo hoje no exército americano, que fez muito em integrar os sexos e colocar as mulheres em combate, os riscos não são iguais. Este ano chegamos a 3000 mortes no Iraque e desses, 2938 eram homens e 62 era mulheres.

Feministas só veem o que lhes convém.


Alguém pode imaginar uma batalha antiga em que o inimigo era retaliado e expulso e a cidade salva e os soldados que retornavam recebiam chuvas de moedas de ouro. Uma feminista antiga poderia protestar que, ei, todos aqueles homens recebendo moedas de ouro, metade delas deveriam ir pras mulheres. A princípio eu concordo. Mas lembre-se, enquanto você assiste os homens recebendo moedas de ouro, há outros homens que você não vê, que ainda estão sangrando até a morte no campo de batalha devido feridas de lanças.

Isto é uma importante primeira noção de como a cultura usa os homens. Cultura tem várias contra-partidas em que precisa-se de pessoas para fazer coisas perigosas e arriscadas, e então oferece grandes recompensas para motivar as pessoas a fazê-las. A maioria das culturas tendeu a usar o homem para estas coisas altamente perigosas e com alta recompensa mais que as mulheres. Eu proporei que há importantes razões pragmáticas para isso. O resultado é que alguns homens pegam grandes recompensas enquanto outros arruínam sua vida ou simplesmente morrem. A maioria das culturas poupou as mulheres do risco e portanto não deu grandes recompensas. Eu não estou dizendo que isso é o que as culturas devem fazer, moralmente, mas culturas não são seres morais. Eles fazem o que é preciso por razões pragmáticas, levadas pela competição contra outros sistemas e outros grupos.

Estereótipos em Harvard


Eu disse que a maioria das pessoas hoje em dia tem estereótipos mais favoráveis das mulheres do que dos homens. Nem sempre foi assim. Até a década de 1960, a psicologia (como a sociedade) tendiam a ver o homem como a norma e a mulher como uma versão um pouco inferior. Durante a década de 1970 houve um pequeno período em que se dizia que não se tinha diferenças reais, apenas estereótipos. Apenas por meados de 1980 é que a visão dominante foi que as mulheres eram melhores e os homens uma versão inferior.

A coisa surpreendente para mim é que levou apenas mais de uma década para sair-se de uma visão para a oposta, isto é, de pensar que os homens são melhores que as mulheres para pensar que as mulheres são melhores que os homens.

Eu estou certo que você está esperando pra eu falar de Larry Summers em algum momento, então vamos a isso!. Você se lembra, ele foi o presidente da Harvard. Como resumido na “The Economist”, “Summers enfureceu o establishment feminista ao se perguntar em voz alta se apenas o preconceito explicava o baixo numero de mulheres no topo das ciências.” Após inicialmente dizer que, é possível que talvez não haja tantas mulheres nas ciências exatas em Harvard porque não há tantas mulheres quanto homens com uma inata alta habilidade, apenas uma dentre outras explicações, ele teve que se desculpar, recuar, prometer enormes quantias de dinheiro, e não muito depois demitiu-se.


Lerry Summers


Qual foi seu crime? Ninguém o acusou realmente de discriminar contra as mulheres. Seu erro foi pensar pensamentos que não são permitidos serem pensados, isto é, que há mais homens com alta habilidade. A única explicação permissível para a falta de mulheres cientistas é o patriarcalismo – que homens estão conspirando para manter a mulheres embaixo. Não pode ser habilidade. Na verdade, há evidências que os homens na média são um pouco melhores em matemática, mas vamos presumir que Summers estava falando da inteligência geral. As pessoas podem apontar pra vários dados onde o QI do homem adulto é quase o mesmo da mulher média. Então sugerir que os homens são mais espertos que as mulheres é errado. Não é supresa que algumas mulheres ficaram ofendidas.

Mas não foi o que ele falou. Ele disse que há mais homens no topo dos níveis de habilidade. Isto ainda poderia ser verdade não importa se a média é igual – se há também mais homens no fundo da distribuição, há mais homens burros do que mulheres. Durante a controvérsia sobre suas afirmações, eu não vi ninguém levantar essa questão, mas os dados estão lá, e abundantes, e eles são indisputáveis. Há mais homens que mulheres com baixíssimos QIs. De fato, o padrão do número de homens com retardo mental é o mesmo da dos gênios, isto é, á medida que você vai do moderado ao extremo, a preponderância de homens fica maior.

Todo estes meninos retardados não são fruto do patriarcalismo. Homens não estão conspirando juntos para tornar os filhos uns dos outros retardados.

Quase certamente, é algo biológico e genético. E minha aposta é que a grande proporção de homens nos dois extremos da distribuição de QI é parte do mesmo padrão. A natureza joga o dado com os homens mais do que com as mulheres. Os homens vão aos extremos muito mais que as mulheres. Não é só verdade com o QI mas com outras coisas como altura: A distribuição de altura masculina é plana, com mais homens MUITO altos e homens MUITO baixos.

Por agora, o ponto é que isto explica como podemos ter estereótipos diferentes. Homens vão aos extremos mais que as mulheres. Estereótipos são sustentados por confirmações. Quer pensar que os homens são melhores que as mulheres? Então olhe pro topo, os heróis, inventores, os filatropistas, etc. Quer pensar nas mulheres como melhores que os homens? Então olhe pro fundo, criminosos, drogados, perdedores.

Num sentido importante, homens realmente são melhores E piores que as mulheres

Um padrão de mais homens nos 2 extremos pode criar todo tipo de conclusões errôneas e outras estragos estatísticos. Para ilustrar, vamos presumir que os homens e as mulheres são na média exatamente iguais em todo aspecto relevante, mas há mais homens nos dois extremos. Se você medir as coisas que são delimitadas para um fim isto estraga os dados e tornam os homens e mulheres muito diferentes.

Considere a media de notas na faculdade. Graças a inflação de notas a maioria dos estudantes recebem 10 e 9, mas alguns recebem nota 0. Com este tipo de teto baixo, os homens altamente inteligentes não podem aumentar a média masculina, mas os homens perdedores irão puxar a média pra baixo. O resultado é que as mulheres irão ter notas médias maiores que os homens – de novo sem nenhuma diferença na qualidade do trabalho.

O resultado oposto ocorre quando falamos de salários. Há um salário mínimo estabelecido mas não há um salário máximo estabelecido. Assim os homens altamente inteligentes e ousados irão aumentar a média masculina enquanto os homens perdedores não irão puxar a média pra baixo. O resultado? Os homens irão ter média salarial maior que as mulheres, mesmo que não haja diferença media nenhuma em nenhum dado

Atualmente, as mulheres tem melhores notas que os homens na faculdade mas piores salários que os homens. Há muito discussão sobre o que isso significa e o que deveria ser feito. Mas como você vê, ambos os fatos poderiam ser apenas equívocos estatísticos vindos da tendência a extremidades por parte dos homens.


------------------------------------------------------------------------------------------------

Isso ae paspalho. Essa série é destruidora. Então se você não aguenta ouvir verdades, suma do meu blog. Na próxima quarta eu posto a continuação.

Eu vim resgatar a masculinidade que lhe foi retirada, e para isso eu vou usar todas as armas que eu tenho.