segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Mais considerações sobre a Testosterona - PT 2

Continuando nosso assunto sobre T exógena e seus benefícios...

no que diz respeito a libido a coisa melhorou e muito e isso pode até se tornar um problema, inclusive. T é o principal hormônio sexual masculino, o que dá nossas características de macho e que faz com que tenhamos desejo para reproduzir e sentir atração por fêmeas, suas curvas, pele, cheiro, jeito, etc e tal. É lógico que se vc triplicar a quantidade de T circulante no seu organismo, logo a sua libido também vai aumentar. Situações que antes eu achava banais ultimamente se tornaram um pouco constrangedoras, pq é só eu ver uma mulher mais ou menos que a minha mente já dispara e imagina mil coisas e o colega lá embaixo já quer entrar em ação.


Imagem ilustrativa para aumento de libido

Como eu disse na primeira parte, na mesma medida que a sua agressividade aumenta, a vontade de foder todas as mulheres do mundo também aumentará. Inclusive eu acho que o meninão lá ficou ainda mais rígido do que sempre foi. Por isso esse ponto pode ser um problema de duas maneiras. Primeiro pq se vc não tiver uma foda fixa, uma namorada ou seilá com que diabos vc goste de extravasar seus desejos sexuais, e não for muito adepto da “pegação”, vc vai sofrer. Se for um desses semi virgens que tentam praticar esses programinhas abixolados desvirilizantes e semi homossexuais de “no fap”, pior ainda, sua vida vai se tornar um inferno, nem entre nessa de T exógena.

O pessoal que me desculpe, eu sei que deve ter alguns praticantes lendo agora, mas um cara que tenha um nível minimamente descente de T e conheça o básico sobre sexualidade percebe que esse papo não faz nenhum sentido. O seu problema não é a fap em si, o seu problema é que vc é um cara retraído, mongoloide, SEM TESTOSTERONA, que só vê mulher pelada no computador. Evitar as mulheres peladas no computador não vai fazer vc ficar mais viril, mais concentrado, mas determinado, mas porra nenhuma seu otário desgraçado. E não vai concentrar a sua T ao longo dos dias a ponto de vc se tornar um neandertal. O que vai fazer isso é sair da droga do quarto e fazer coisas de homem. Fazendo isso dia a dia vc verá que o porn é só mais uma ferramenta (bem útil em momentos de crise) na sua vida, e uma coisa que HOMENS sempre vão gostar, pq mulheres peladas são ok. Estou retirando aqui os casos que envolvem princípios morais, religiosos, etc e tal.


Quase peladas são ok também

Mas enfim, isso é conversa para outro tópico, quando vc tiver 1000+ng/dL de T circulando, e sem nenhum contato ou possibilidade de foder, vai entender o que eu estou dizendo. Também parece que o sexo ficou mais legal, (não que antes não fosse) mais envolvente, divertido, seilá,  não sei explicar bem, mas melhorou, sem dúvida. O volume de esperma diminui, (que é ruim se vc gosta de fazer umas obras de arte no rosto das menininhas honradas e de família) por causa do eixo LH-FSH suprimido, e as bolas atrofiam. As minhas atrofiaram pouca coisa, talvez por causa que as minhas doses são conservadoras ou seilá o que. Quando vc interrompe o uso da T, elas voltam ao normal com o tempo e aí que nós chegamos no segundo problema dessa questão "libido".

Quando vc interrompe o uso, ou quando reduz muito os hormônios femininos (existe uma correlação entre os hormônios femininos e masculinos, quanto mais alta as concentrações de T, consequentemente mais aumentará o estradiol, e abaixar de mais esse hormônio, por mais alta que a T esteja pode causar problemas na excitação e em outras coisas) sua libido vai pra casa do caralho. Aí que entra aquele papo que se o cara é bombadão de academia, é brocha. Pode ser verdade, pq muitos idiotas só pensam em aumentar a T e acham que todo e qualquer hormônio feminino é ruim e não serve pra nada e tentam diminuir estes a qualquer custo possível.

Como eu disse acima, sua T e libido vão lá pras alturas, seu corpo se acostumará rápido a viver dessa forma, pois é muito melhor e mais divertido, mas quando vc volta ao normal seu organismo logicamente não aceitará muito bem. É como se vc se transforma-se no Wolverine, com super força, recuperação mais rápida, (entre as séries, entre os treinos, entre as fodas) mais estamina, virilidade e do nada, voltasse a ser o fracote zé ninguém que vc sempre foi. A depressão vai bater, pq vc experimentou um patamar mais elevado, chegou perto do olimpo mas não pode manter esse status.




Por isso vemos tantas cagadas sendo feitas nesse meio, pq os caras querem mais e mais, querem ser eu (Hércules), querem ser Zeus com um ciclo...  aí quando interrompem o uso, seja por falta de dinheiro, conhecimento, colaterais ou seja lá qual for o maldito imprevisto, o organismo já jogou a toalha a tempos devido ao impacto gigante na homeostase, fruto do seu abuso, burrice e pressa juvenil de ter uma existência um pouco menos miserável, assim doenças e problemas graves nas mais diversas áreas clinicas aparecem já que suas vísceras não funcionam como deveriam.

O crash nas gônadas, rins, fígado, coração etc, já é bem documentado quando se interrompe o uso, mas pouco se fala da selvageria com que o psicológico é violado, e já sabemos que é a mente quemanda em tudo. Aí vc está com um corpo de destaque que as mulheres admiram, o mas não consegue agir (se é que me entende) pq sua mente está fodida e sua T caiu vertiginosamente. Fora que tem algumas drogas que alteram mais expressivamente alguns neurotransmissores no cérebro, como a trembolona. Inclusive vários caras do meio esportivo não recomendam o uso por causa dessa característica de agir muito agressivamente na sua mente. Resultado ótimo, densidade, vascularização, rigidez, força, mas seu psicológico fica estuprado quando vc para de administrar. Eu não usei ela ainda, estou pensando em por no próximo ciclo, não sei, ai vou poder dar um veredito mais confiável.

Por isso seria interessante se vc decidiu entrar nessa, comprar tudo o quevai precisar com antecedência, e de preferência numa quantidade maior do que o programado, desde as drogas em si aos remédios que vc vai usar para se proteger, justamente para não correr o risco de ter que parar abruptamente o uso e ficar tudo fodido e sem vontade de sair da cama. 

Ai que entra a importância de toda a parte filosófica e mental que eu falei lá no início. Se vc não tiver uma filosofia de vida sólida e bem estruturada, um objetivo claro, princípios, não faça a cagada de usar hormônios indiscriminadamente só para impressionar seus amigos chimpas na micareta de carnaval pq vc vai chegar num ponto que vai estar na merda tomando citalopram, fluoxetina, opipramol, sertralina e rivotril com energético para tentar ter alguma vitalidade e vontade de viver e viagra para ter alguma ereção para não deixar seu pau morrer por inanição.




Repito mais uma vez, os exames são importantes e ser conservador também, não tenha pressa nem euforia para virar o Schwarzenegger no próximo verão, e principalmente, aprenda com o seu corpo e treino antes de querer fazer algum ciclo. Se teu teu corpo é uma bosta agora, sua dieta inexistente na melhor das hipóteses e vc não sabe nada sobre masculinidade e o código dos homens, não vai ser a T que vai dar uma guinada em tudo e te transformar no macho alfa supremo que vc sonha e mela o lençol todas as noites. NÃO, ISSO NÃO VAI ACONTECER. Se o seu objetivo é performance e vc tem menos de 5 anos de treino, abandone essa ideia e volte aqui quando aprender a treinar de verdade.

Independente do tempo de treino e objetivos, eu acho que uma dose conservadora, de uma única droga é o melhor para vc que pretende começar. Assim vc pode saber exatamente como ela agiu no seu corpo e mente, quais benefícios e malefícios que te trouxe. Se vc quer apenas ter uma vida menos miserável, dificilmente vai chegar ao ponto de ter esses problemas de forma muito pronunciada, só se vc for muito otário e azarado. O que significa uma dose conservadora? Talvez algo entre 200-600mg de T por semana, de uma única droga como já sugeri anteriormente, durante umas 12 semanas, com as aplicações respeitando a meia vida da substância usada. Dificilmente isso vai te colocar em maus lençóis e é algo parecido com uma reposição hormonal. No quesito estético e androgênese talvez não mude muita coisa dependendo da sua condição física hj e genética para receptores androgênicos, mas na qualidade de vida, disposição e libido já vai se sentir bem melhor, muito melhor. Inclusive eu acho que a cura para depressão (se é que isso realmente existe) está na T exógena, mas isso é um achismo absoluto do autor do blog que não deve ser levado muito em conta, numa outra oportunidade eu pretendo falar mais sobre isso.

Desconsiderando as questões mais especificas sobre combinações de drogas e objetivos puramente estéticos, alguns vão dizer para vc usar na sua primeira experiência uma droga de ação mais lenta, outros de ação mais rápida. Os que dizem ser melhor a de ação rápida argumentam que assim vc sente mais rapidamente os efeitos e em pouco tempo seu organismo se livra dos vestígios que ficam. Isso pode ser benéfico quando vc finalizar o protocolo e terá que lidar com o crash hormonal e recuperação dos níveis normais no organismo. Os que defendem as drogas de ação mais lenta dizem que seu organismo consegue se adaptar melhor no início, pois seus níveis de T vão aumentando aos poucos, e consequentemente vc terá ganhos mais sólidos consistentes, podendo inclusive aproveitar melhor a experiência. 

Eu acho mais coerente usar uma droga de ação lenta, e quando eu comecei, usei uma com essa característica (enantato) pq eu acho ser mais coerente se vc pretende usar por longos períodos de tempo (meu caso) fora que vc terá menos incomodo com as aplicações. Da mesma forma que um droga de ação mais rápida dá ganhos mais rápidos em menor tempo, pode causar problemas maiores devido ao estresse maior que o seu organismo é submetido pela abrupta quebra de homeostase, fora que se vc não não se der bem com determinada droga e seu organismo rejeita-la, vai acontecer que o princípio ativo que é liberado mais rapidamente em pouco tempo vai potencializar e aumentar os seus problemas. Porém essa é uma questão que esbarra na suas condições de saúde, por ex, se vc tiver leve hipertensão (condição que já te coloca como uma pessoa que não devia usar T exógena) e usar uma droga de ação lenta, que normalmente tem a característica de reter mais água, pode estar entrando numa enrascada das grandes devido ao aumento da pressão arterial. Por isso que cada caso varia e vai da sua condição, sempre reforçando que vc deve ser consciente e conservador, assim dificilmente vc irá se matar.

Eu me dei muito bem com o enantato. Ganhei bastante peso (8kg, lembrando que eu já treinava a 9 anos), força não aumentou muito e tive uns problemas por causa da retenção de líquidos característica dessa droga, mas nada grave, apenas uma dificuldade para dormir nas primeiras semanas, devido ao aumento moderado da pressão arterial. Nenhuma incomodação na aplicação e pós aplicação, o que inclusive fez com que eu a escolhesse como base para as pontes que eu fiz. Cipionato por exemplo, que é bem parecido com enantato e muito usado em TRT, para mim era muuuito dolorida as aplicações, parecia ácido (essa não é uma regra geral, aconteceu comigo) e eu abandonei a ideia de usar novamente. Por essa e por outras que lidar com hormônios,  por mais bem preparado que vc esteja é uma roleta russa, sempre vai acontecer algo diferente com vc, pq seu organismo é único no universo todo. 

Outra droga bastante usada em TRT, muito recomendada por médicos é a durateston que possui porcentagens de T de ação rápida e lenta na sua composição, podendo ser benéfico em vários tipos de situação. Boldenona é uma droga segura também, quase não apresente colaterais mesmo em doses mais altas e é de ação lenta e baixa androgênese e não é muito anabólica. Pessoal do powerlifting usa bastante pq como é um esporte com categorias de peso, usar drogas muito anabólicas (que consequentemente aumentam muito o peso, sem necessariamente aumentar a força) pode acabar fazendo com que o wilks do sujeito diminua em vez de aumentar no final das contas, então a bold é uma ótima opção por isso, e também pq não retém muito liquido (muito usada em ciclos de corte por fisiculturistas inclusive) e dá aumentos consideráveis de força. Mas se o sujeito for pro antidopping está fodido, pq ela fica muito tempo com vestígios no organismo.

O importante é lembrar que o mecanismo de ação de qualquer T é o mesmo, e principalmente a dose que vc usa e a quantidade de receptores androgênicos que vc possui é que vai determinar maiores ganhos (massa magra), e maiores problemas consequentemente. Nem sempre maiores doses são sinônimos de mais ganhos, mas serão sinônimos de maiores problemas sim.  

Na próxima parte falaremos de treino e dieta, mais malefícios e benefícios do hormino dos deuses. 

terça-feira, 7 de novembro de 2017

A História de Alcides - PT 2

Os Doze Trabalhos - O Leão da Nemeia


Hércules e o Leão da Nemeia, óleo sobre tela de Peter Paul Rubens. Séc. XVIII

Euristeu decidiu (após um sonho enviado por Hera) que o primeiro trabalho do herói seria livrar a planície da Nemeia, no Peloponeso, de um enorme, selvagem e feroz leão de pele dourada e impenetrável. O animal é geralmente considerado filho dos monstros Tifão e Equidna, mas existem textos que dizem que ele é filho de Equidna com seu filho Ortros, o cão de duas cabeças. Uns ainda dizem que ele seria filho de Cérbero com a Quimera, ou até mesmo de Zeus e Selene, a deusa da noite enluarada, que o amamentou e lhe deu invulnerabilidade.

Hércules partiu para a Argólida com seu arco e flecha (versões do período clássico dizem que ele também carregava uma espada de bronze) em busca do covil do leão. Na cidade de Cleonae, hospedou-se na casa de Molorchus, um pobre trabalhador que perdera seu filho para o leão e ofereceu fazer um sacrifício para que o herói tivesse uma boa caçada. Mas Hércules pediu que ele esperasse 30 dias: se ele conseguisse realizar a tarefa, Molorchus deveria fazer um sacrifício a Zeus. Se ele fracassasse, o sacrifício seria feito em seu nome.


Hércules lutando contra o Leão da Nemeia, estátua em mármore. Roma, séc. II.

No meio da floresta da Nemeia, Hércules ouviu um estrondoso rugido e, ao virar na direção do som, se deparou com a criatura partindo para cima dele. Tirou, então, seu arco e disparou uma flecha que rebateu no corpo do leão. Disparou outra flecha e nada: o herói não sabia da pele impenetrável da criatura. O leão saltou sobre Hércules, mas o herói usou sua clava de oliveira para atordoá-lo com um único golpe. Percebendo que nenhuma arma poderia matar o monstro, o herói envolveu seus grandes braços ao redor do pescoço do leão e, com uma força incrível, o estrangulou até a morte (daí o nome “mata-leão” para o golpe de estrangulamento em lutas marciais). Algumas lendas, colocam esse combate dentro da caverna do leão, que tinha duas entradas, mas uma teria sido bloqueada com pedras por Hércules para encurralar a criatura.

No fim da luta, Hércules usou as garras do animal para esfolá-lo e vestir sua pele dourada invulnerável como armadura. Desde então carregou o epíteto de Leontothýmon, “o coração de leão”. O dramaturgo Eurípedes escreveu que a pele do leão “veio do bosque de Zeus, santuário na Nemeia”. Alguns escritores discordam disto e dizem que a pele usada por Hércules era do leão que matara aos 18 anos na Beócia.

Óleo dito como Hércules e o Leão da Nemeia, porém, por ser um herói imberbe, pode ser a representação do leão morto na Beócia.

Hércules levou os restos do leão até a casa de Molorchus e ambos fizeram o sacrifício do cadáver a Zeus, que ascendeu o animal às estrelas, tornando-se a Constelação (e signo) de Leão. Ao ver Hércules entrar em Micenas com a pele do leão no corpo, o amedrontado Euristeu proibiu-o de entrar em seu palácio e passou a se comunicar com o herói a partir de um arauto (Copreu, filho de Pelops).


Constelação de Leão (Leo). Regulus (ou Cor Leonis, coração do leão) é a estrela mais brilhante.
Nemeia (hoje chamada de Heracléia) estabeleceu os Jogos Nemeus em homenagem a Zeus e Hércules. Semelhante aos importantes Jogos de Olímpia (resgatados pelo Barão de Coubertin como os Jogos Olímpicos), os Jogos Nemeus ocupavam o quarto lugar em importância, atrás do olimpiano, do Píticos (de Delfos, em homenagem a Apolo) e do Ístmicos (em Corinto).


A Hidra de Lerna


Estátua de Hercules e a Hidra de Lerna na fachada do Palácio Imperial de Hofburg em Viena, Áustria

Filha dos monstros Equidna e Tifão (ou de Styx e do titã Palas), a Hidra vivia nos pântanos perto da antiga cidade de Lerna (também na Argólida), aterrorizando a vizinhança e se alimentando de rebanhos e moradores locais. Era um dragão com corpo canídeo, que possuía nove cabeças (uma delas praticamente imortal, pois não sofria dano de nenhuma arma) em pescoços serpentílicos, que se regeneravam logo que eram cortadas. O número nove de cabeças é o padrão geral, mas desvia de cinco até cem, porque em algumas versões ao invés da cabeça regenerar, ela se dividia em outras duas. Além disso, fala-se sobre o sangue venenoso da Hidra e o que poderia ser sua respiração sulfurosa ou um vapor letal que exalava de suas feridas.

Hércules viajou até Lerna em uma veloz carruagem que tinha seu fiel sobrinho Iolau como cocheiro. Quando finalmente chegaram, o herói pediu que o rapaz ficasse com os cavalos, enquanto ele atirava flechas em chamas para tirar a Hidra de seu covil. O monstro saiu e atacou imediatamente seu oponente.




Com sua espada de bronze (em algumas versões, uma foice), Hércules corajosamente foi cortando as cabeças da Hidra em meio a seu bafo mortal, mas logo percebeu que novas cabeças cresciam no lugar das decapitadas. O herói pediu ajuda para Iolau, que ia cauterizando as feridas abertas com uma tocha em brasa retirada de um árvore que pegou fogo com as flechas flamejantes de Hércules.



Para a cabeça invulnerável remanescente, Hércules desferiu um golpe atordoante com sua clava e arrancou a cabeça com as próprias mãos. Enterrou-a em um buraco profundo na terra e colocou uma enorme pedra em cima. Por fim, instruído por Atena, o herói banhou suas flechas no sangue da serpente para que ficassem envenenadas.




Um relevo em mármore datado do século II a.C. encontrado em Lerna, mostra Hércules enfrentando a Hidra com um enorme caranguejo próximo aos seus pés. Isso ratifica a lenda que Hera teria enviado Karkinos, um enorme caranguejo, para atrapalhar as ações do herói, mas o animal acabou pisoteado. A deusa ascendeu seu casco às estrelas, convertendo-se na Constelação (e signo) de Câncer. Alguns estudiosos sugerem que essa adição ao mito tenha sido feita para que os trabalhos correspondessem ao zodíaco. A Hidra também foi elevada às estrelas como a maior das constelações, vizinha à de Câncer.

Euristeu não se impressionou com a façanha de Hércules, que levou as cabeças da Hidra como prova. Considerando a ajuda de Iolau, o rei não contabilizou esta tarefa dentro das dez previstas inicialmente. Essa tecnicalidade não impediu os escritores e artesãos de exaltarem o feito, mas outros, como Pausanias, não só o desconsideraram como reduziram a Hidra a uma grande serpente aquática.



A Hidra simbolizava os vícios banais múltiplos capitaneados pela vaidade: enquanto ela não é dominada as cabeças, configuração dos vícios, renascem. Tudo que tem contato com os vícios, ou deles procede (o sangue venenoso), corrompe e se corrompe. A espada ou a foice representam a espada espiritual e a tocha, a purificação pela qual o herói precisava passar.

Uma interpretação única deste trabalho diz que foi um aterramento do pântano. A hidra era, na verdade, o pântano em si e as cabeças do monstro eram os rios que o alimentavam. O bafo mortal era o cheiro de podridão do local. As “flechas envenenadas” foram mergulhadas no caldo séptico do pântano e matavam por infecção.


A Corça da Cerineia


Afresco de Adolf Schmidt, séc. XIX.

Diz-se que a ninfa Taígete, para fugir do assédio implacável de Zeus, foi transformada pela deusa Ártemis em uma enorme corça (maior que um touro) com chifres de ouro maciço polido e pés de bronze, que corria com assombrosa rapidez e nunca se cansava. Sua velocidade era tamanha que era capaz de ultrapassar uma flecha e até mesmo conseguiu escapar da própria deusa, quando esta capturou um rebanho de cervos para puxar sua carruagem. Após essa fuga, Hera conduziu a corça para o Monte Cerineia.

Euristeu conferiu esse terceiro trabalho a Hércules, porque sabia que a corça era propriedade sagrada de Ártemis e Hera e isso colocaria o herói contra as deusas. Existem duas versões desta tarefa, que levou um ano para ser realizada e percorreu uma larga extensão de terra até os Hiperbóreos:

Hércules a perseguiu incansavelmente sem nunca alcançá-la, até que, exausta, a corça parou para beber água e foi ferida levemente por uma das flechas do herói. O herói preparou uma armadilha no Templo de Ártemis com uma rede para não machucar a corça. Assim que o animal entrou no templo para descansar da perseguição, Hércules soltou a rede e a capturou.

Hércules e a Corça, estátua em bronze de Giambologna
No caminho de volta a Micenas com a corça nos ombros, Hércules encontrou Apolo e uma furiosa Ártemis, que o acusou de sacrilégio e o sentenciou a morte. O herói contou aos gêmeos divinos a razão da captura e seu juramento ao rei Euristeu. A compadecida deusa curou, então, a corça e permitiu que ele levasse o animal sagrado com a condição que ela fosse libertada logo após que o rei a visse. Euristeu decidiu ficar com a corça, no momento que colocou os olhos nela, mas Hércules não podia permitir. Ele disse para o rei vir pegá-la e a soltou, porém ela correu de volta para o templo da deusa.

A simbologia da corça apresenta dois aspectos de interpretação: por ser consagrada a Ártemis carregava pureza e virgindade acentuadamente, mas o bronze em seus pés poderia pervertê-la, fazendo-a apegar-se a desejos terrenos. O metal isolava o animal do mundo profano, mas, ao mesmo tempo, o aterrava, impedindo voos mais altos. Seus chifres de ouro representavam a força da alma, um vigor capaz de preservá-la de qualquer fraqueza espiritual. É como se toda a dificuldade na execução do trabalho fosse necessário para o herói usar de estratégia e delicadeza para lidar com a sensibilidade ambígua inerente ao indivíduo.


O Javali do Erimanto


Depois de matar dois monstros e trazer vivo um animal dócil como a corça, Euristeu decidiu que Hércules deveria capturar com vida o temível javali que devastava as florestas da escura montanha Erimanto, no extremo noroeste da Arcádia. Era um enorme porco selvagem, com grandes presas e um temperamento agressivo que ia destruindo tudo em seu caminho.


Hércules e o Javali do Erimanto, estátua em bronze de Louis Tuaillon (1904), Berlin.


Hércules e Folo, em ânfora pintada, cerca de 520 a.C.

No caminho para cumprir sua tarefa, o herói encontrou boa hospitalidade na casa de seu amigo centauro Folo, que lhe ofereceu abrigo e carne cozida (centauros só comiam carne crua), no Monte Pélion, na Tessália. Durante a ceia, Hércules solicitou vinho a Folo, mas o centauro hesitou em servi-lo, pois a única garrafa estava prometida como oferenda a Dioniso. O herói conseguiu convencer o amigo e imediatamente o odor intoxicante do vinho atraiu os outros centauros das montanhas que queriam saber quem violou o sagrado presente. Armados com paus e pedras, atacaram Hércules num frenesi de raiva. O herói lançou uma saraivada de flechas contra os centauros, e os poucos que sobreviveram se acuaram e se esconderam na caverna do centauro Quíron, antigo professor de Hércules. Infelizmente, uma seta envenenada acabou atingindo o imortal Quíron, que sofreu um ferimento incurável. Folo, ao arrancar a flecha do corpo de um centauro morto, feriu-se no casco e veio rapidamente a morrer dias depois de forma agonizante por causa do veneno da Hidra contido na flecha. Hércules fez-lhe magníficos funerais, enterrando-o na montanha que passou a ter seu nome.

Cheio de remorso, Hércules seguiu para rastrear o javali - o que não foi muito difícil pois o som do bufar e do bater dos cascos era audível em toda a floresta. Perseguiu o animal até encurralá-lo nos picos nevados do Monte Erimanto, onde aproveitou o terreno escorregadio para desequilibrá-lo e derrubá-lo. Com o javali desacordado, amarrou-o e o levou até o palácio de Euristeu, que, assustado ao ver o animal no ombro do herói, foi se esconder dentro de um caldeirão de bronze.


Hércules, o javali e Euristeu em ânfora pintada, cerca de 525 a.C.

O simbolismo do javali é antiquíssimo e está ligado à autoridade espiritual que desenterra do âmago seus nutrientes, assim como o animal tira raízes de árvores para se alimentar. Apoderando-se do poder espiritual, Hércules deu mais um passo em seu rito de perdão.

As cavalariças de Augias


Vendo que a força de Hércules iria derrotar qualquer criatura, Euristeu começou a testá-lo com tarefas que exigissem outras habilidades. Para a quinta tarefa, ele ordenou que o herói limpasse os estábulos do Rei Augias, da Élida, em apenas um dia e, se falhasse, deveria ficar por lá para sempre.*

* Alguns contadores de história gostavam de dizer que Euristeu começou a temer uma vingança mortal de Hércules. O pavor era tamanho que o rei não conseguia mais controlar seus intestinos quando sabia que o herói estava retornando de alguma das tarefas por ele impostas. E esse embaraço intestinal pode ter sido o que lhe deu a ideia para este trabalho.Num primeiro momento, podia parecer um simples trabalho, mas dizia-se que o riquíssimo Augias recebeu de presente de seu pai - o deus solar Helios - mais rebanhos de gado, cavalos, cabras e ovelhas do que qualquer um em toda Grécia (outros relatos dizem que era um enorme rebanho de bois presenteados pelos deuses que jamais adoeciam: 300 touros negros de patas brancas, 200 vermelhos, 12 brancos e 1 dourado). Porém, em mais de 30 anos, nem os estábulos nem a área de pasto foram limpos. Toda noite dezenas de pastores ficavam responsáveis por organizar os milhares de animais em meio ao esterco e ao terrível odor.


Mosaico romano (séc. III d.C.) mostra Hércules com um ancinho para desviar o curso dos rios.
Hércules chegou a Élida sem citar Euristeu, garantindo que limparia os estábulos em um dia se o rei desse em troca um décimo do seu melhor rebanho. Como Augias não acreditava na possibilidade do herói concluir a tarefa, aceitou a aposta. Durante a noite, Hércules preparou sua estratégia que mesclaria força e inteligência. Primeiro, derrubou o muro que protegia a parte de trás dos estábulos. Em seguida, cavou largas valas com as próprias mãos e redirecionou os grandes rios Alfeu e Peneu, que passavam perto, para que fluíssem pelo pátio. Em poucos instantes, as águas corredeiras limparam toda a sujeira. O solo da região coberto de esterco acabou adubado e se tornando fértil.


Hércules desvia o curso do Rio Alfeu, óleo de Francisco de Zurbarán (1634)

Quando Augias descobriu que Euristeu estava por trás das ações de Hércules, não só se recusou a pagar a aposta feita como disse que não havia prometido nada. O herói exigiu um julgamento e chamou Fileu, o filho do rei, como testemunha. Como o príncipe falou a verdade (com medo dos rompantes coléricos de Hércules), Augias teve que pagar o combinado, mas baniu seu próprio herdeiro para a casa de familiares fora da cidade. Euristeu não aceitou o cumprimento da tarefa uma vez que o herói foi pago para fazê-lo.

Na simbologia deste trabalho, o estábulo é o inconsciente e o estrume, a deformação banal, enquanto os rios são a própria vida em movimento. Lavar o estábulo significa purificar a alma, livrando o inconsciente da banalidade, através de uma vida ativa, sensata e dignificante.


No retorno para Micenas, Hércules passou em Oleno, na corte de Dexâmeno, durante o banquete de núpcias de sua filha Mnesímaca com o arcádio Azane. O centauro Eurítion raptou a noiva, mas foi morto pelo herói. Uma versão dessa história, diz que Hércules esteve em Oleno antes de realizar o trabalho para Augias e teria cortejado a princesa. Em sua ausência para realizar a tarefa, o centauro violentou a princesa. Ao saber disso em seu retorno, o herói matou Eurítion.

As Aves do Lago Estínfale


Mosaico romano em Valencia, Espanha.

Euristeu voltou a pensar numa tarefa que dificultasse o uso da força de Hércules. O Lago Estínfale, no extremo norte da Arcádia, havia sido invadido por uma revoada de enormes aves fugidas de um ataque de lobos. Como elas se reproduziam rapidamente, em pouco tempo, as aves de Ares dominaram a região pantanosa e destruíram as colheitas. Suas penas e bico eram de bronze, fazendo com que se tornassem intocáveis e mortais. Algumas versões, dizem que elas eram carnívoras com a ferocidade de um leopardo. enquanto outras a referenciavam como harpias - meio aves de rapina, meio mulheres. Euristeu ordenou que Hércules afugentasse o bando.

Hércules atirando nas Aves do Estínfale, tela de Albrecth Dürer, 1500.

O herói achou que seria fácil, mas seus problemas começaram quando a floresta próxima ao Estínfale foi ficando bem fechada e escura. Pensando numa forma de tirar as aves de seus ninhos, Hércules recebeu a ajuda da deusa Atena, que lhe deu um címbalo de bronze feito por Hefesto. O herói bateu o címbalo e as aves levantaram vôo, clareando a floresta e fazendo um barulho ensurdecedor. Com suas flechas envenenadas, Hércules começou a abater as aves. Existem referências pintadas em ânforas que o herói teria usado uma funda para cumprir a tarefa. As poucas aves que escaparam nunca mais voltaram à Grécia: foram atormentar as pessoas no Mar Negro.

Hércules e as Aves do Estínfale, óleo de Gustave Moreau, 1872.

Uma interpretação mais realista deste mito faz das aves filhas de um certo herói Estínfalo. Hércules as matou, porque eram rudes e lhe negaram hospitalidade, concedendo-a, logo depois, a seus inimigos moliônides, Ctéato e Êurito.

No caminho de purificação do herói, o lago refletia a estagnação e as aves simbolizavam os impulsos e desejos perversos saídos do inconsciente (semelhante ao ditado “cabeça vazia é terreno do Diabo”), que foram derrotadas pelas flechas da espiritualização.


CONTINUA... 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

A História de Alcides - PT 1

Fonte: MITO+GRAPHOS


Hércules de Farnese, estátua em mármore de Glykon. 216 a.C.


Hércules é o nome em latim dado pelos antigos romanos ao herói da mitologia grega Héracles, o mais célebre de todos os heróis. Pode ser uma modificação do nome do herói etrusco Hercle. Um juramento invocando Hércules (Hercle! ou Mehercle!) era uma interjeição comum no latim clássico. Héracles - que significa “em glória à deusa Hera” ou "aquele que serve gloriosamente" - foi o nome que ele usou para apaziguar a fúria da deusa, mas só foi efetivamente considerado após o término dos famosos trabalhos. No entanto, o nome real do famoso herói é Alcides, em homenagem a Alceu, pai de Anfitrião e filho de Perseu. Em grego, alké significa vigor, e alkéides, força em ação.

Era um símbolo do homem em luta contra as forças da Natureza, exemplo de masculinidade e ancestral de diversos clãs reais (os Heráclidas). Tornou-se renomado por deixar o mundo mais seguro, um paladino da ordem olímpica contra os perigosos monstros ctônicos. Em obras de arte greco-arcaicas, romanas, renascentistas e pós-renascentistas, Hércules pode ser identificado por seus atributos, como a barba, a pele de leão e a clava. Em alguns mosaicos, era mostrado com a pele bronzeada, quase negra, um aspecto considerado viril. Foram encontradas representações imberbes do herói feitas no século IV, quando sua popularidade foi reduzida e seu lado humano mais explorado.

Antigas histórias colocam Zeus e Io como pais de Hércules, mas, na versão clássica, ele é filho do deus com a princesa mortal Alcmena (Alcmene), filha de Electrião (Eléctrion), rei de Micenas, que por sua vez era filho de Perseu e Andrômeda. Alcmena era alta e imponente, por muitos considerada a mais sábia e formosa mulher de Micenas. Suas trancas grossas e sedosas emolduravam um rosto encantador e seus longos cílios escuros adornavam olhos grandes e expressivos. Electrião teve seu poder ameaçado por assaltantes da Táfia (os teléboas, homens com voz de trovão) que roubaram o gado e lhe mataram seus nove filhos homens. Seu sobrinho Anfitrião, general de Tirinto, encontrou o gado a salvo nos campos do rei da Élida e o comprou. Quando Electrião soube que ele teve que pagar para voltar a ter seus animais, ficou furioso com o sobrinho. Anfitrião atirou sua clava em um touro com tanta força que ela ricocheteou e acertou Electrião, matando-o.

Banido do reino, levou sua amada prima Alcmena para se casar em Tebas, onde foi purificado pelo Rei Creonte. A jovem aceitou o pedido com a condição de que o noivo deveria primeiro vingar seus irmãos mortos. Creonte aceitou ajudar Anfitrião se ele libertasse Tebas da Raposa de Têumesso, um animal sanguinário que, para conter sua selvageria, recebia mensalmente dos tebanos uma criança do sexo masculino para devorar. Como a raposa era protegida de Poseidon e jamais poderia ser pega, Anfitrião pediu para Céfalo, rei de Atenas, emprestar-lhe Lélape, o cão de Zeus que jamais perdia uma presa. Na disputa entre o animal que não pode ser pego e o animal que não perde sua presa, Zeus decidiu transformá-los em pedra e ascendê-los às constelações de Cão Maior e Cão Menor. Anfitrião teve, então, seu exército para se vingar dos teléboas.

Foi justamente quando Anfitrião se encontrava ausente, no cumprimento da tarefa imposta pela noiva, que Zeus pôs em marcha seu plano para seduzir Alcmena (que, em grego, significa “assediada por dois”) e dar ao mundo um herói como jamais houvera, aquele que uniria os Estados Helênicos. Metamorfoseado como Anfitrião, Zeus apresentou-se à jovem contando-lhe detalhes da batalha empreendida, dos golpes certeiros e apresentando como prova definitiva de sua identidade a taça de ouro utilizada pelo monarca derrotado, a qual inclusive ofertou à amada. Durante três dias consecutivos, Helios não percorreu o céu com o carro do sol, e durante essa longa noite - na qual a deusa da lua Selene permaneceu em atividade -, o deus dos deuses amou ardentemente Alcmena. Nesse período, Hermes pediu para Hipnos colocar o mundo todo para dormir e, assim, não suspeitar da longa noite. Depois, metamorfoseado em Sósia, um escravo de Anfitrião, Hermes guardou o portão.


Alcmena e Zeus. Gravura de Nicolas-Henri Tardieu.

Ao retornar, Anfitrião estranhou a reação da noiva, que o tratou com relativa indiferença, visto que esta acreditava já tê-lo encontrado nas noites anteriores. Anfitrião consultou o adivinho Tirésias que lhe revelou o ocorrido*. Irado, colocou Alcmena numa enorme pira e ateou fogo, mas foi detido por uma chuva torrencial enviada por Zeus para apagar as chamas. Compreendendo o sinal divino, Anfitrião reconsiderou e casou-se com Alcmena.

* Em inglês, padrinho é godfather. Esse termo pode ter vindo desse mito, uma vez que a primeira noite de núpcias competiu ao deus e, portanto, o primogênito não pertence ao pai biológico.Essa compreensão acabou por transformar Anfitrião numa personificação do bom acolhimento. De marido traído e pai não-reconhecido, o rei se tornou aquele capaz de suportar as dificuldades das missões divinas impostas.

Por ser deusa do casamento, Hera não podia ser condescendente com as traições de seu marido. Sendo assim, seu ciúme resultava em constates maus tratos às amantes e bastardos de Zeus. Quando o deus declarou que o primeiro filho nascido dentre os Perseidas (descendentes de Perseu) se tornaria o rei que dominaria os irmãos*, Hera antecipou em dois meses o nascimento de Euristeu - filho do perseida Estênelo com Nicipe - que veio a se tornar Rei de Micenas, Mideia e Tirinto.

* Alguns registros dizem que Zeus ficou furioso com os atos de Hera. Assim que viu sua esposa conversando com Até, deusa da fatalidade e das ações impulsivas, percebeu que havia sido enganado: pegou a deusa alada pelos cabelos e a arremessou para fora do Olimpo, nunca mais podendo retornar.

Além disso, a deusa enviou sua filha Ilítia* como parteira para dificultar o parto e aumentar as dores de Alcmena e pediu às Parcas para retardarem o nascimento do filho de Zeus (elas se sentaram na porta da jovem de braços e pernas cruzadas). Somente após uma jovem tebana chamada Galintia enganar as Parcas e Ilítia dizendo que o bebê nascera, que Alcmena, enfim, conseguiu dar à luz, após dez meses de gestação, tanto a Alcides, filho de Zeus, quanto a Íficles, filho de Anfitrião.

* Ilítia, deus do parto pode não ser filha de Hera, mas sim uma instância em particular da própria rainha dos deuses.

Alcmena ficou tão assustada por estar metida no meio de uma briga entre deuses que abandonou Alcides fora de Tebas. Zeus pediu que Atena levasse Hera a encontrar o bebê e, sem reconhecê-lo, a deusa apiedou-se e o amamentou, salvando sua vida inconscientemente. Posteriormente, Atena devolveu o bebê a Alcmena, que decidiu criá-lo. Uma outra versão desta história conta que Zeus pediu a Hermes a para fazer Hera amamentar o bebê. O deus esperou que ela dormisse e levou Alcides ao seio divino, que começou a se amamentar como planejado, mas, depois de um tempo, sugou com tanto força que acordou a deusa. Assustada, Hera empurrou Alcides: um esguicho saiu de seu seio e criou a Via Láctea, enquanto as gotas que pingaram na terra se transformaram em flores-de-lis. Alcides não bebeu o suficiente para se tornar imortal, mas ganhou força descomunal e resistência sobre-humana.


A origem da Via Láctea, óleo sobre tela de Tintoretto, 1575-80.

Alcides teve que se defender das perseguições de Hera desde sua tenra infância. Depois do episódio da amamentação, ela o transformou em seu principal alvo. Zeus nomeou sua filha Atena protetora de seu meio-irmão semideus. Ela mandava sua coruja da sabedoria abanar o berço nas noites quentes de verão.

Héracles infante, de Innes Fripp.

Certo dia, a coruja foi atrás de um rato que estragara o bordado mais fino de Atena, mas não sem antes falar para Alcmena proteger as crianças. Ela colocou doze bordadeiras no quarto. Porém, assim que elas adormeceram, Hera enviou duas terríveis serpentes com escamas azuis e olhos flamejantes para envenenar a criança adormecida. No entanto, pela manhã, o choro do bebê Íficles e a gritaria das criadas levou Anfitrião de espada em punho e Alcmena desesperada ao quarto dos dois, onde encontraram Alcides sentado, gargalhando e segurando as duas serpentes que ele estrangulara com as próprias mãos. Foi a prova final para Anfitrião acreditar na origem divina da criança. Inclusive, alguns estudiosos creem que foi Anfitrião que levou as serpentes aos berços para saber qual das duas crianças era o filho de Zeus.

Hércules estrangula as cobras na frente de Anfitrião e Alcmena, fragmento de afresco em Pompeia.
Com olhos orgulhosos e força descomunal, cresceu tão alto que confundia-se a gigantes (dizem 3 metros!). Gostava de correr sob as estrelas, aprendeu a refletir e também a lutar. Porém, seu temperamento agressivo criou inúmeras situações constrangedoras e trágicas.

Mais do que convencido da origem divina de Alcides, Anfitrião providenciou-lhe a melhor educação da época: condução de carros de guerra (ele mesmo o ensinou), luta, armas (por Castor), música (por Eumolpo) e canto, sendo estas duas últimas as habilidades que o rapaz não conseguia ser o melhor. Durante o ensino da escrita e da lira por Lino, filho de Apolo com a musa Urânia, Alcides matou seu professor. Conta-se que os dedos grossos do rapaz sempre arrebentavam as cordas do instrumento e, certa vez, Lino começou a praguejar e bater em Alcides. Foi o suficiente para ele arremessar a lira quebrada na cabeça do professor com uma força letal. Alcides foi levado a um tribunal, mas seus conhecimentos do política ("aquele que é atacado tem o direito de retaliar") o livraram da punição.

Após essa explosão de ira, Anfitrião decidiu enviá-lo para um treinamento com pastores e caçadores. Ensinado por Êurito, rei da Ecália, rapidamente dominou o arco e suas flechas nunca erravam o alvo. Num pastoreio, fui visitado por duas ninfas que lhe ofereceram duas escolhas de vida: uma confortável e fácil, a outra gloriosa e brutal. Ele teria decidido pela segunda opção.
Sua primeira façanha deu-se aos 18 anos quando se dirigia a Beócia: perseguiu e matou (partindo-lhe a espinha) um enorme leão que devorava os rebanhos de Anfitrião e de Téspio. A caçada durou cinquenta dias consecutivos no Monte Citéron, durante os quais o herói foi hóspede de Téspio e se uniu a cada uma das cinquenta filhas do rei. Posteriormente, isso iria criar uma aguerrida descendência entre os Tespíadas, que se espalharam até a Sardenha.*

* Téspio prometera a Alcides que sua primogênita, Prócris, o esperaria na cama enquanto a caçada pelo leão durasse. Porém, o herói chegava tão fatigado que não percebia que o rei mandava uma filha diferente por noite, objetivando uma poderosa descendência. A potência sexual de Hércules tornou-se mitologicamente incomparável. Alcides, seu sobrinho Iolau e seus amigos Hilas e Poias participaram da jornada pelo velocino de ouro a bordo do navio Argo. Durante uma parada dos Argonautas em Mísia (na Ásia menor), Hilas foi atraído por náiades para as profundezas de um lago. Alcides voltava do bosque onde fora buscar madeira para refazer seu remo partido, quando tomou conhecimento do sumiço de seu amigo. Abandonou, então, a expedição para procurá-lo e o navio acabou zarpando sem ele.

Hilas e as ninfas. Óleo de John William Waterhouse (1896)

De volta a Tebas*, Alcides decidiu livrar a cidade do tributo de cem vacas anuais a ser pago por antigos conflitos com Ergino, rei dos Orcômenos. Ao encontrar-se com os cobradores, o jovem semideus arrancou-lhes as orelhas e os narizes, pendurou-os em torno do pescoço de cada um e os enviou de volta a Ergino, que declarou guerra contra Tebas. Durante o combate, Anfitrião foi morto, deixando Alcides furioso: matou Ergino a flechadas, desviou um rio e afogou o exército inimigo. Por fim, ele inverteu e dobrou o pagamento do tributo. O rei de Tebas, Creonte, em agradecimento, entregou sua filha Megara à aliança com o herói, que se tornou, assim, o soberano de Tebas. Com Megara, Alcides teve três filhos**: Terímaco, Creontíades e Deicoon.

* Diz-se que a caminho de Tebas, Hércules teria encontrado duas belas mulheres, Hedoné (o Prazer) e Areté (a Virtude). Hedoné tentou seduzi-lo com seus olhos gulosos, mas as palavras centradas da modesta e pudica Areté o convenceram e, a partir da quele momento, o herói seguiria uma vida sofrida porém virtuosa.


** Segundo Apolodoro, Hércules e Megara tiveram três filhos, porém, conforme Píndaro, foram oito e outras versões dizem que foram cinco ou sete. Independente da quantidade, o gênero sempre foi masculino, numa reflexão de "homem gera homens". Anos mais tarde, Alcides detinha-se diante de uma lareira prestes a sacrificar um cordeiro em oferenda aos deuses quando Hera enviou Lýssa (a raiva) e Anóia (a demência) para exacerbar seu temperamento explosivo. Transtornado e enlouquecido, o herói acaba substituindo os cordeiros por seus filhos, lançando-os na fogueira. Lançou-se, em seguida, contra os filhos de Íficles e matou dois deles, enquanto seu irmão Íficles retirava Megara, seu primogênito Iolau e todos os outros do palácio. Passado o rompante, Alcides adormeceu. Ao despertar e tomar conhecimento de seus atos, entregou Megara a Iolau* e decidiu partir ao Oráculo de Delfos em busca de uma possível forma de purificação para um crime tão hediondo.

Hércules e Iolau, mosaico romano, séc. I a.C.

Ruínas do Templo em Delfos.
Hera queria dar uma punição bem severa ao bastardo, então, procurou aconselhar Apolo*, deus responsável pelo oráculo. Então, a pitonisa de Delfos disse que Alcides precisaria se submeter humildemente às ordens de seu primo Euristeu**. Adorador de Hera e por ela induzido, o covarde Rei Euristeu começou a dar tarefas impossíveis e mortais para que o herói sucumbisse.

* Apolo também foi aconselhado por Atena, protetora de Hércules, e, assim, foi garantido perdão e imortalidade no fim das tarefas. Esta imortalidade pode ser uma reflexão sobre a eternidade do mito e não exatamente longa vida.

** Existem outras variantes dessa submissão de Hércules a Euristeu. Uma delas relata que o herói abandonou Tebas e pediu para retornar a Argos. Euristeu concordou com a condição que ele libertasse o Peloponeso de determinados monstros. Outra versão conta que a loucura de Alcides é ação de Até a mando de Hera. A deusa traiçoeira sobrevoou a cabeça do herói com um véu invisível que transformou seus filhos em dragões. Usando mesas e cadeiras, ele destruiu todo o salão e esmagou a cabeça dos dragões. Quando Até retirou o véu, Alcides chorou. Creonte o baniu de Tebas e Megara o abandonou. 

O rei Téspio recebeu o arrependido herói até que um mensageiro de Micenas apareceu com uma mensagem de Euristeu ordenando que Alcides passasse a servi-lo, confirmando a profecia de Zeus. Téspio aconselhou Alcides a procurar o Oráculo de Delfos para ter certeza de suas próximas ações. A resposta afirmativa aliviou o herói e, assim, aconteceram os famosos Doze Trabalhos.

Cada trabalho do herói se tornou uma aventura singular, pois aconteceram outros episódios que são até chamados de trabalhos secundários. Ao todo um vastíssimo plano, cheio de labirintos, desvios, descidas, subidas, quedas, acessos, uma viagem em meio a muitas trevas para que, ao final, um novo ser pudesse surgir. Simbolicamente, os acontecimentos representam o trânsito do Sol pelas doze constelações zodiacais, uma proposta de autotransformação, o caminho da libertação. O interessante é que inicialmente eram dez tarefas, mas Euristeu passou para doze porque o herói contou com a ajuda do seu sobrinho Iolau para derrotar a Hidra e utilizou um rio para limpar os estábulos de Augias.


Relevo romano (séc. III a.C.) com nove dos Doze Trabalhos. 

A pedido de Zeus, alguns deuses olimpianos ofereceram presentes* e conselhos a Alcides: de Atena recebeu um peplo (túnica presa nos ombros); de Poseidon, cavalos velozes; de Hefesto, uma couraça de bronze para proteger seu coração; de Hermes, uma espada de bronze; de Helios, uma biga; de Apolo, um arco com flechas de bronze que, segundo as palavras do deus, o herói só dominaria o tiro a partir do nono trabalho; e do próprio Zeus, um escudo. De um bosque próximo a Argos, retirou um tronco de oliveira selvagem e fez uma clava como presente para si mesmo. Com certa impaciência ouviu conselhos, afastou os professores, e renunciou ao nome Alcides, passando a se chamar Héracles (Hércules), “em glória à deusa Hera”.

* Alguns dizem que Alcides agradeceu os presentes, porém, só ficou com a espada e o arco, deixando os outros guardados no bosque. Outros dizem que esses presentes foram dados por ocasião de seu casamento com Megara. Existem muitas variações na ordem dos trabalhos designados ao herói. 

Umas versões utilizam a ordem dos metopes (relevos esculpidos na arquitrave do entablemento) do Templo de Zeus, em Olímpia, enquanto outros seguem os textos antigos. Mas, independente da ordem, o conteúdo é bem semelhante. A ordem mas tradicional é:
  1. Leão da Nemeia
  2. Hidra de Lerna
  3. Corça da Cerineia
  4. Javali do Erimanto
  5. Cavalariças de Augias
  6. Aves do Estínfale
  7. Touro de Creta
  8. Éguas de Diomedes
  9. Cinturão de Hipólita
  10. Bois de Gerião
  11. Pomos das Hespérides
  12. Cérbero
Os mitógrafos helenísticos dividiram os trabalhos em duas séries de seis: os seis primeiros foram realizados na própria Grécia, mas especificamente na região do Peloponeso, e os seis últimos levaram Hércules a diversas partes do mundo, inclusive a lugares míticos, de Creta ao Hades.


CONTINUA...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Mais considerações sobre a Testosterona - PT 1

Bem, eu havia comentado em alguns posts no passado que eu tinha a vontade de começar a usar recursos ergogênicos (bomba), seja pela influencia da minha filosofia de vida, seja pela melhoria da performance nos treinos. Eis que a algum tempo atrás eu concretizei essa vontade e agora tenho um respaldo melhor e mais confiável para falar sobre isso aqui no blog mais viril da internet. Pq uma coisa que me irrita e muito nesse meio relacionado ao aprimoramento físico é o sujeito que gosta de cagar regra e falar sobre coisas que nunca fez e nem experimentou. Como eu não sou o dono da verdade e estou aprendendo ainda, eu não vou ficar aqui relatando minuciosamente sobre quais dosagens que eu usei, e absolutamente tudo que foi usado, talvez de uma forma genéria. Até pq isso seria anti-ético e irresponsável da minha parte. Se quer descobrir como as coisas funcionam, pare de ser cagão e descubra colocando sua pele no jogo, pq caso não tenha percebido ainda, essa é a ideia que eu sempre tentei transmitir aqui no blog, ou me pague que eu te conto como fazer. Informação é o que move o mundo, e não deverá ser desperdiçada com idiotas.

Imagem ilustrativa para aumento de T do leitor

Mas antes de falar da minha experiência pessoal, eu gostaria de pontuar algumas considerações do pq eu fiz isso, e do pq vc que está lendo deveria fazer também. Esse é um assunto que eu venho abordando desdo o primeiro post do blog, e acho que todos que leem aqui já estão convencidos que um homem com testosterona baixa não é nada, e que a vida moderna acaba, num primeiro momento, suprimindo e diminuindo muito a necessidade do nosso organismo em produzi-lá. Correndo o risco de parecer redundante e falar "mais do mesmo", é preciso lembrar que os níveis séricos de testosterona vem caindo vertiginosamente de geração a geração. Nossos avós tinham algo em torno de 50% a mais testosterona que nós se equipararmos as idades. Isso é, ou deveria ser, realmente muito preocupante. Mas a OMS e o doutor Drauzio nunca fizeram campanha nenhuma na tv, alentando o micareteiro médio sobre os malefícios de níveis baixos de T e qual a amplitude de problemas nas mais diversas áreas que essa condição pode acarretar, afetando nossas vidas de uma maneira muito direta. Se por um acaso um fulaninho com baixa T decidir entrar em um tratamento para solucionar esse problema, provavelmente ele será, primeiramente, diagnosticado das mais diversas coisas, menos hipogonadismo e se continuar com essa decisão, será ostracizado e visto com maus olhos pela sociedade civil organizada. Hoje ter T é praticamente um crime. Tanto é verdade que a comercialização de hormônios masculinos é crime, dá cadeia, enquanto que em qualquer farmácia vc encontra hormônio feminino a preço de banana, e esse abuso incentivado pelo establishment de saúde vem fomentando a epidemia de câncer nas mulheres. Mas isso ninguém conta. Por que?

Vamos começar entendendo que o que é considerável saudável no que diz respeito aos níveis de T é uma margem muito ampla, algo entre 200-700 ng/dL. Ou seja, se o sujeito for ao médico se queixando de fadiga, desânimo e perda de libido, e os exames dele indicarem algo em torno de 300-400 ng/dL (que é o nível médio e bastante baixo) ele estará dentro da faixa "aceitável". Fora que os valores de referência são reduzidos a cada geração, lembrando mais uma vez que nada se fala sobre isso em lugar nenhum. Cada vez mais a linha de base do nível de T está mais baixa e ninguém te contou. Mas eu estou aqui para te ajudar, paspalho. Vc vai no dotor e sai de lá achando que está tudo OK com seus hormônios, que o seu problema é psicológico, mas não, vc não passa de um saco de merda sem virilidade. Daqui algumas gerações, ter 100 ng/dL de testo será considerado normal, não duvide.


Imagem ilustrativa para aumento de T do leitor

Obviamente esse declínio maciço no nosso hormônio mais androgênico é um reflexo direto das escolhas que os homens andam fazendo, e o tipo de vida e alimentação que levam. Num ambiente mais hostil e natural, seu organismo se obriga e tem meios de fazer com que a sua T suba, respondendo única e simplesmente ao inato sentido de sobrevivência da espécie. A vida moderna retirou o nosso contato com a natureza e consequentemente o contato com os seus perigos que estimulariam a nossa produção de T. Ganhamos muito com o advento da civilização, mas perdemos coisas importantes, que em outros aspectos menos convencionais e populares, também são importantes. Normalmente somos convencidos que só tivemos avanços, progresso, e evolução, mas isso não é absolutamente verdade. Talvez a coisa toda tenha saído de controle, e se tivéssemos parado no "progresso" a algumas centenas de anos atrás, tudo seria melhor. Não sei, mas essa é uma discussão para outro post.

Um homem que leva uma vida cosmopolita comum, que seja acometido por desânimo, fadiga e uma leve depressão ou ansiedade (situação essa que mais dia, menos dia vai chegar para todos os homens vivendo em cidades) será tratado pelos órgãos de saúde e pelos "profissionais' da área com algum remédio psicotrópico, proibição de comer gordura e nada mais, tornando o sujeito cada vez mais dependente de uma coisa que o deixa-rá ainda mais ausente na realidade. Em pouco tempo, doses maiores, ou um principio ativo ainda mais agressivo será necessário para o alívio dos sintomas e nessa bola de neve o nosso amigo se torna um cara constantemente mais dopado e insatisfeito. Literalmente. Foras os demais efeitos colaterais de psicotrópicos usados por longos períodos de tempo. Porém, esse problema poderia ser muito mais facilmente e eficientemente resolvido com uma simples TRT, administrando alguma testosterona 1x na semana. Caso vcs não saibam, a T age no nosso hipotálamo que é responsável por inúmeras coisas, dentre elas o nosso humor.


Não é só no humor que ficamos melhor
Com T x Sem T

O problema é o que o mongolóide médio pensa que testosterona injetável só serve para o bombado da academia, e os "dotores" não a veem com bons olhos. Ponto final. E ainda tem a mídia, que ajuda a discriminar, supervalorizando, superestimando e exagerando os efeitos colaterais e ostracizando os usuários. Hoje, se eu simplesmente parasse de treinar eu ainda continuaria usando a T, pq é algo que não dá só mais músculos e força, mas melhora vários aspectos da vida de um homem.

Como eu disse acima, informação é o que move o mundo e o grande triunfo dos bons exemplos masculinos foi ter boa informação para aprender a usar o máximo da própria virilidade. Eu tenho informações sobre algumas coisas e estou passando elas por aqui, pq eu gostaria de ter encontrado algo parecido lá no passado, quando eu era mais um efebo sem rumo, sem exemplo, sem nada. O desenvolvimento do homem deve ser tanto físico como mental e psicológico e na base dessa pirâmide do desenvolvimento está a T. Se formos pesquisar, veremos que ela influencia e muito desde a concentração, capacidade de raciocínio a ereções poderosas e tamanho do pênis (é isso mesmo que vc leu, tetinha micropênis). É um pouco do próprio fluido dos deuses. Ela é o combustível base para grandes conquistas, para uma vida mais ativa, saudável e feliz.


Isso são os usuários de T para a mídia e para o bostileiro médio. 

Tem um autor que eu não lembro qual que disse, "a masculinidade é antes de tudo uma HABILIDADE". Você pode até nascer homem, gênero masculino (me perdoem pelo machismo, feministas), mas viver no código do homens, exercendo a masculinidade requer habilidade, que carece de muito treino, estudo e informação, e não é qualquer homem que conseguirá desenvolver essa capacidade. Por isso só ter muita T não é o suficiente, pois qualquer um que queira consegue e simplesmente ter T alta não significa que vc será um cara melhor, inclusive são raros os bons exemplos masculinos por aí. Mais importante que a T alta é a informação e conhecimento que vc tem, o treinamento na masculinidade que fará essa a mais T ser utilizada como combustível para vc conseguir coisas boas e ser um exemplo. Ela será uma espécie de plataforma de lançamento, desde que vc esteja posicionado na direção correta. Isso é fácil de perceber ao observar o caminho doentio que a maioria dos homens jovens e velhos, com drogas ou sem drogas trilham, as humilhações que se submetem, as paspalhices que fazem em troca de praticamente nada.

Como qualquer outra habilidade a ser aprimorada, a nossa masculinidade precisa de um agente estressor circundante, que nos obrigue e exerce-lá para conseguirmos escapar da derrota certa, e que faça com que busquemos o primoramento. Trazendo para a nossa realidade, significa ter responsabilidades, ter desafios que te coloquem em ação, e que esses desafios estimulem seus instintos masculinos. Usar T simplesmente para massagear o ego deveria ser proibido. No livro Portões de Fogo, Polynikes, um dos melhores soldados de Esparta, campeão Olímpico, diz o seguinte para os jovens no agoge:

"A guerra, não a paz, produz a virtude. A guerra, não a paz, purga o vício. A guerra, e a preparação para a guerra, suscita tudo que é nobre e digno em um homem. Une-o a seus irmãos e os liga em um amor altruísta, erradicando no cadinho da necessidade tudo que é vil e ignóbil. Ali, no moinho sagrado do assassínio, o homem mais vil pode buscar e encontrar essa parte de si mesmo, oculta sob a corrupção, que reluz intensa e virtuosa, digna de honra diante dos deuses. Não despreze a guerra, efebo, nem imagine que a misericórdia e a compaixão sejam virtudes superiores a andreia, à bravura viril."

Vivemos em tempo de paz e é absolutamente compreensível que os homens venham a cada ano que passa se degradando mais e mais, pois não temos pelo que lutar. Não temos um motivo real, e infelizmente, ou felizmente, só o conflito o desafio à morte faz com que o homem seja virtuoso. Entender o real espírito masculino é entender, num primeiro momento que para evoluir como homem é preciso ser desafiado constantemente, nas mais diversas áreas. Lembre-se, masculinidade é uma habilidade que precisa ser treinada, e assumir riscos é a forma de treinar essa habilidade. O desenvolvimento do homem se dá no meio da GUERRA, seja ela metafórica ou literal. Nossas qualidades de abnegação, disciplina, força física e de caráter, e principalmente o sacrifício em prol de algo são desenvolvidas quando se assume responsabilidades e se vive de forma pró ativa. Essa volta filosófica sobre o desenvolvimento do homem se fez necessária pq está atrela completamente ao aumento dos níveis de T. Uma coisa acaba puxando a outra e por isso também, a T é tão importante. Quanto mais sedentário, introvertido, preguiçoso, burro e acomodado vc for, menor será sua T.


Imagem ilustrativa para aumento de T do leitor

A vida moderna nos livrou de uma infinidade de perigos, porém esses perigos eram o que estimulavam a virtude (mas também a crueldade, é claro), e a testosterona. Sem isso, como sabemos, nossa T vem caindo a cada ano que passa, e aberrações das mais diversas estirpes vem aparecendo no gênero masculino, sejam elas de cunho biológico ou social. Como não podemos fugir dessa realidade, é importante acharmos meio de encontrar comida, coisas e atividades que estimulem o nosso organismo para produzir mais T, pois assim a vida terá mais significado e será menos depressiva. Se simplesmente seguirmos o fluxo, estamos fodidos. Todos aqui do blog estão cansados de saber disso, e uma das alternativas que temos, e que a tecnologia tornou possível, é poder usar o hormônio dos deuses de forma direta com uma certa margem de segurança, desde que se tenha as informações corretas.

Morando em cidades, será extremamente difícil ter níveis aceitáveis de T (algo acima de 700 ng/dL), mesmo comendo as coisas certas e se exercitando com frequência. Pensando nisso, foi que eu decidi finalmente usar T exógena. Eu já pesquiso sobre esse assunto a alguns tempo considerável, treino a 10 anos, trabalho como preparador físico e levo uma vida ativa, mas mesmo assim eu sabia que a minha T jamais estaria num patamar elevado como dos exemplos que temos do passado distante. Fora que a vontade de evoluir, nos treinos e como homem sempre falou mais alto. Eu preferi assumir os riscos e descobrir o que ia acontecer, e até o momento não me arrependo. Agora vamos partir para uma análise um pouco mais prática da coisa toda, lembrando sempre que isso se refere a minha experiência PESSOAL!, não é uma verdade absoluta cravada em pedra. Nesse primeiro post eu não vou falar sobre dosagens e performance, mas gostaria de falar sobre os efeitos fora do treinamento que a T alta me proporcionou que eu acho que fizeram valer ainda mais a pena.


Imagem ilustrativa para aumento de T do leitor


Primeiramente é preciso saber e entender que se vc for fazer as coisas por conta é tudo meio que "undergroud", infelizmente, pq como já sabemos, T é crime nesse país. Vc não vai achar produtos de confiança facilmente, e os médicos não vão te ajudar, a menos que paguem bem caro por um tratamento com eles, que obviamente, sempre será um tratamento super conservador nas dosagens. A maioria é relutante em prescrever T, por isso o ideal seria achar algum que está envolvido no meio esportivo e já abrir o jogo logo de cara, "dotor, eu me sinto um merda e quero usar T, se vc não me ajudar vou procurar outro". Eu aconselhei um aluno meu e procurar um endócrino para ajudar em umas questões relativas aos treinos, e ela preferiu não prescrever T no momento. Eu não vou discutir nem questionar a decisão dela, até pq eu acho que ela foi certa, considerando que esse aluno tem pouco tempo de treino, mas essa será a situação mais comum de se encontrar por aí. Esse ainda é um assunto tabu, por assim dizer.

Como um treinador bem conhecido por aí fala, o pessoal tem preconceito com o marombeiro, acham os caras idiotas, cretinos burros e ignorantes, mas são eles que fazem,  e que colocaram em prática coisas que realmente dão resultado, depois disso é que os estudos e os "especialistas" vem, baseando suas teses e conclusões nesses caras. Como já vimos aqui no blog, é exatamente o que o Taleb explica no seu livro. Por isso a melhor forma de saber como fazer, e como começar seria ter algum marombeiro como "padrinho", é mais ou menos o que eu estou fazendo aqui. Inclusive o precursor dos esteroides dentro da musculação e dos esportes não foi um doutor da Ivy League, mas o fisiculturista amador e bastante sagaz, Dan Duchaine. Hoje, por mais que vcs não acreditem, em todos os esportes de alto rendimento há o uso de esteroides pelos atletas, a diferença é que no fisioculturismo e e powerlifting os resultados físicos são mais perceptíveis. Lembre-se, a testosterona não ajuda apenas no ganho de massa muscular e queima de gordura, mas na acuidade mental e agressividade em campos de batalha, ou nos gramados e quadras da vida moderna.


Eles não são Deus


Segundo, se vc pensa em entrar nessa vc vai precisar de dinheiro, seja para os exames (que eu falarei nos próximos posts da série), para a T em si, para as proteções. Como eu viso o treinamento, o meu primeiro ciclo, junto com os exames e alguns remédios ficou na casa dos 1500 R$, pq eu usei 3 tipos de droga e consegui alguns descontos por estar envolvido no meio. Mas na verdade não há a necessidade de usar mais que um tipo, pelo menos nos primeiros ciclos. Isso já vai deixar a brincadeira mais barata, mas eu diria que pelo menos uns 1000 temers vc precisa ter para gastar nisso, independente se for usar só uma coisa. Vc nunca saberá ao certo como seu corpo irá responder. Existem vários tipos de T, mas os efeitos no organismo são basicamente os mesmos (virilização, voz mais grossa, mais massa muscular, disposição, libido lá em cima, agressividade - que vou falar especificamente mais a frente - etc.) . Os colateiras vão variar de pessoa para pessoa, eu mesmo não tive praticamente nenhum colateral visível. Drogas de ação mais rápida costumam dar colaterais mais agressivos, justamente por essa característica de ação. Por mais que vc faça tudo certo, lidar com o eixo hormonal é sempre uma espécie de loteria, ainda mais que nosso equilíbrio biológico está muito longe do que deveria ser realmente, por isso é BASTANTE importante começar com doses baixas e inteligentes e ir se adaptando e aumentando com o tempo, caso vc ache necessário. Um adendo importante é que, se vc não gosta de agulha, desista aqui mesmo seu bundão, pq a T é administrada via intramuscular profunda. Existem os orais, mas realmente não valem a pena por longos períodos pq são muito tóxicos para o fígado.

Outra coisa bastante importante que é preciso ser dita de antemão também é que se vc, que está lendo isso é um daqueles malditos galináceos de verão, que só quer saber de "meter o shape" para impressionar as gatinhas no próximo carnaval e está pensando em ciclar para virar um mutante, esqueça. É por causa desse tipo de imbecis que as merdas acontecem, os idiotas morrem e a mídia tem com o que alimentar as suas críticas e suas matérias sensacionalistas estúpidas. A testosterona não é algo tipo a fórmula do Dr. Bruce Banner que vc toma e BOOM!!! vira um hulk. Não. Ela não vai fazer grandes coisa para vc, se tratando de composição física se vc não souber treinar nem se alimentar bem. Isso já é infinitamente repetido em todos os lugares mas é sempre bom reforçar. Um frango de merda não vai deixar de ser um frango de merda por fazer UM ciclo com drogas sub-dosadas. Vc não vai ficar incrivelmente forte a nível de powerlifting internacional com UM ciclo de drogas. Por isso eu reforço mais uma vez, a informação que vc tem é mais importante de tudo, a sua filosofia de vida fará a T valer a pena. Se não vc será só mais um macaco médio fodendo a saúde por nada.

Como vcs sabem, eu já treino a 10 anos e somente agora decidi entrar nessa, já sabendo treinar e tendo um bom conhecimento sobre alimentação, também não foi por achar que não conseguiria evoluir mais, ou por me achar muito frango (pois eu cheguei aos 112kg sem drogas), na verdade e minha decisão se baseou mais na minha filosofia de vida. Por isso eu digo que por mais que a T ajude, se vc não sabe pelo menos se alimentar como um homem de verdade, e não pratica nenhum tipo de esporte, não entre nessa ainda. Aprenda mais com seu corpo e mente, evolua como homem físico e espiritualmente antes de usar esse recurso, pq como eu disse acima, a T é uma espécie de combustível, de propulsor, se vc estiver apontando para o lado errado, seu fim será mais rápido e catastrófico. Ela vai potencializar o que vc tem de bom, mas o que vc tem de ruim também, por isso é preciso que vc tenha o cabeça no lugar e se conheça muito bem antes.


Logan, que nós tanto adoramos é um bom exemplo. 

Desde que eu aprendi a me alimentar corretamente, preguiça, fadiga e desânimo durante a correria do dia a dia são coisas que não fazem parte da minha realidade. Dificilmente me sinto letárgico, pq não abuso dos carbs e faço jejum com frequência. Mas uma coisa legal que eu já sabia inclusive é que a T me deu ainda mais disposição. Não existe chatice, monotonia, preguiça. Vc se torna uma pessoa mais "acalorada" e com muita disposição. Esse papo que a T aumenta a agressividade até é verdade mas é preciso entender umas coisas nesse ponto importante.

Dizer que altos níveis de T deixam o homem mais agressivo é uma das formas de descriminalização que a mídia e os ignorantes usam para denegrir a nossa imagem como homens. É preciso fazer uma distinção fundamental aqui: existe mais AGRESSIVIDADE e mais IRRITABILIDADE, que são duas coisas BASTANTE diferentes. Eu sou um cara naturalmente pavio curto, e um dos "colaterais" (logo vão entender pq entre aspas) que mais me davam medo era justamente esse que os usuários cretinos imbecis relatavam de ficar muito irritados, discutindo por nada, brigando com namorada e parentes. Pois eu digo categoricamente que isso É MENTIRA!! Altos níveis de T melhoram e muito seu humor, inclusive um amigo meu que convive comigo todos os dias disse que depois que eu comecei a usar as paradas eu fiquei bem mais gente boa de de bom humor. Esse papo que a T deixa a pessoa mais irritável é mito, usado por idiotas ignorantes que já são naturalmente paus no cu e precisavam de alguma justificativa para poderem tratar mal as pessoas a sua volta sem motivo nenhum. Engraçado que nos relatos eles são sempre "irritadinhos" com a mãe, irmãos, namorada, vó, pai, amigos, mas nunca com o maluco folgado de 120kg lá da academia ou com o vida loka dono de boca de fumo. Ou seja, isso é papo de moleque semi adolescente que precisa de respaldo e justificativa para ser otário e ainda não se sentir culpado por isso.

A T diminui e muito a IRRITABILIDADE, que é isso que esses adolescentes ou homens-mulheres são, irritáveis, ficam putinhos por nada, querem descontar a frustração de serem fracassados nas únicas pessoas que os suportam, normalmente mais fracos que eles. Isso é piti de putinha e é completamente o  oposto do que a T faz. Mais AGRESSIVIDADE não significa que vc vai se tornar um cara briguento e reclamão, muito pelo contrário e isso eu percebi nitidamente. Mais agressividade significa mais disposição, e mais propensão a assumir riscos, mais energia, mais estamina. Seus treinos ficam muito mais brutais, não apenas por a T aumentar a força, mais por vc se tornar mais AGRESSIVO. Isso não tem nada haver com irritabilidade. Eu também fui jogar um campeonato aí, (fomos campeões inclusive) e percebi o benefício que a T causa nos esportes coletivos. Sua acuidade e vontade de vencer aumentam exponencialmente, parece que vc não cança e o contato físico fica mais divertido, é fantástico e uma sensação ótima.

A vontade de socializar aumenta e para as pessoas que sofrem de depressão leve, eu acho que a T seria um santo remédio. Suportar as pessoas fica um pouco mais fácil, vc se torna um pouco mais falastrão e tipo aqueles caras que gostam de tirar um sarro dos outros, porém, sua propensão a entrar em discussões e não sair perdedor e até sair na porrada com idiotas folgados também aumenta. Por isso vc precisa ter a cabeça no lugar.

No próximo post eu vou falar da libido, dos benefícios no treino, sobre a dieta que estou usando (carb cycling) e também da parte ruim, dos perigos e problemas que podemos ter ao usar T. Talvez fique algo mais específico, esse foi apenas o post introdutório.


Imagem ilustrativa para aumento de T do leitor