terça-feira, 7 de maio de 2019

Código Moral

Sim eu gosto desse livro e acho que vocês homens deveriam ler. Antes que alguém torre o saco, ele foi escrito por um cara potencialmente gay. 

Frequentemente eu sou criticado ou questionado aqui no blog sobre se determinada coisa que eu disse ou fiz é ou não é uma "conduta moral" adequada para alguém que fala sobre masculinidade, e se por acaso se encaixa no modelo de "homem honrado" que esses cretinos acham que é preciso se encaixar para falar sobre macheza, pois eles tem enraizados nas profundezas do consciente essa suposta necessária relação. Porém o pessoal esquece que se eu me encaixo ou não dentro DO SEU maldito próprio código moral isso não me faz mais ou menos honrado ou digno de falar alguma coisa sobre masculinidade e afins e não, você não tem mais ética porque segue meia dúzia de regras estúpidas criadas por homens sem bolas, não vê pornografia e nem usa testosterona porque ela é ilegal. Vocês que tem o costume de encaixotar as pessoas dentro de códigos pré-determinados, normalmente influenciados por doutrinas cristãs ou alguma orientação política que VOCÊS acham correta, estão cometendo um grave erro e vão acabar mordendo a língua e se frustrando em algum momento do futuro próximo, pra não falar literalmente se fodendo e sendo escravos da própria imagem e ego não se permitindo alcançar todo o potencial possível por causa que algum fulano de tal disse que é errado fazer coisas que você acha que deveria fazer para evoluir.

Isso te fere moralmente? Ótimo. 

Eu passei muitos e muitos anos da minha vida cometendo esse mesmo erro, o de encaixotar pessoa x ou pessoa y de alguma forma e achar que ela é imoral e desonrada porque não faz as coisas que EU acho correto. E o que eu achava correto eram opiniões formadas por influências de ideias que eu nem entendia direito, ou melhor, entendia dentro de uma perspectiva unilateral. A partir do momento que me permiti analisar os outros lados, larguei imediatamente de muitas opiniões e outras foram "fusionadas". Prestem bastante atenção nisso senhores. 

O início e quase toda a minha trajetória dentro das comunidades redpill foi polida dessa forma, o que aliás é a regra, ou melhor, é o "comum" por lá. A maioria segue uma determinada agenda de regras que fica implicitamente vigente (algumas outras são bem explicitas) que o pessoal deve mais ou menos seguir para ser considerado um homem realista, digno, honrado e etc. Isso é um equívoco por uma série de motivos que eu vou discorrer ao longo desse texto, porém ao mesmo tempo também é o correto, por outra série de motivos. Sim, bastante paradoxal. Para caras que chegam lá sem nenhum norte, totalmente perdidos e iludidos pela "matrix", ter um referencial de como agir e no que acreditar já é uma grande ajuda para sair da mediocridade geral. O problema é que muitos se perdem nesses referenciais a acabam estagnando pelo mesmo motivo de antes, não conseguem achar o seu próprio caminho e agora ficam atolados na "matrix da real". A maioria está assim. Em todo caso, esse texto não é simplesmente uma crítica a real, já que afinal de contas quem faz as cagadas não é a real por si mesma e sim os seus membros idiotas que levam todos os conceitos e ideias ao pé da letra (é sempre bom lembrar que não estou generalizando), esse ensaio é mais uma auto-analise de como eu mudei de visão, porque decidi parar de participar por lá (já que afinal de contas bastante gente já me perguntou sobre isso), e um chamado pro pessoal que chega aqui e gosta de me xingar por causa que eu fiz/faço coisa x ou y que é errado segundo a sua PRÓPRIA visão de mundo.


Os honrados de internet no mundo real.

Pra começar eu preciso repetir mais uma vez que esse blog é antes de mais nada um diário pessoal e lembretes de coisas que eu faço que EU ACHO que são benéficas para o homem, não são verdades absolutas cravadas em pedra, assim como NÃO SÃO OPINIÕES IMUTÁVEIS. E com isso podem aparecer os cristãos abitolados me chamando de "relativista imoral" mas eu quero é mais que vocês se fodam com suas opiniões estúpidas. A questão é que conforme vou avançando na vida, evoluindo como homem (involuindo para muitos), muitas coisas vão mudando, e esse é um processo natural do ser humano, coisas que eu achava correto no passado não tão distante eu não acho mais hoje e o que eu disse hoje pode não fazer mais sentido para mim no futuro, mas isso eu não posso afirmar com certeza até ter chegado lá nesse futuro. Só imbecis cagões criam raízes em alguma verdade e não mudam por mais que a realidade prove que estão errados, justamente por terem medo de perder a sua "identidade" e principalmente por não conseguirem ou não quererem se por a prova. Porque se vocês se colocassem a prova de verdade, iriam saber que muitos "conceitos" e muitas "verdades" que vocês tem CERTEZA são na verdade FALSAS na autenticidade das interações humanas, na dureza da vida, principalmente nos momentos difíceis. A única coisa que acaba importando é a sua utilidade e a sua firmeza de caráter de permanecer do lado dos seus princípios e dos seus pares, não importa os julgamentos e circunstâncias. E esses princípios são flexíveis baseados nas sua própria vivência e não em códigos escritos por eunucos numa caverna escura ou por playboys criados pelo pelo governo.

Eles tem medo de mudar porque também tem medo das consequências. Se agarram a condutas com a esperança de felicidade eterna e o não sofrer. Mas homens de verdade são forjados pela dor e sacrifício, e a maturidade só vem quando você aceita perfeitamente que todos os seus atos tem uma consequência, que o sofrimento é algo importante na vida, e tudo que vai sempre volta. Se você quer fazer cagada atrás de cagada, saiba que isso uma dia vai voltar mais cedo ou mais tarde, mas se acredita nisso, vá e faça. Não espere respaldo de alguém.

Talvez a maldade esteja na sua cabeça... hahahaha

O que eu quero dizer é que você deve ser só mais um chimpanzé totalmente alheio de vontade própria e seguir o fluxo de idiotas, gostando de coisas idiotas, fazendo a mesma merda idiota que todo mundo faz? ABSOLUTAMENTE NÃO. A questão é que quanto menos você se identificar com rótulos, menos vai ter disposição e vontade de se envolver e desperdiçar o seu valioso tempo em atividades idiotas do tipo que os bonobos adoram, simplesmente você se torna livre. Entender perfeitamente que a identidade que você ACHA que deve ter na verdade não te representa - é apenas UMA visão de mundo distorcida, uma ilusão - é a única maneira de descobrir quem você realmente é e qual o seu objetivo de vida genuíno. É meio que paradoxal, mas quando você se desprende das suas crenças limitantes é justamente aí que você se encontra e se torna livre. Eu acreditava em um monte de coisas e a minha vida era bastante frustrante comparada com agora. Hoje eu acredito em bem menos "coisas", ou melhor, tenho bem menos julgamentos sobre isso ou aquilo e sinto que vivo bem melhor, e essa tendência de se "desprender" é a qual eu estou seguindo. Posso estar errado e lá na frente perceber que fiz merda? Claro, mas quem se importa com o futuro? O único momento que temos para viver é o agora, o futuro é um incerteza e se preocupar DEMAIS com ele é um perda total de tempo, e esse é um dos pontos fundamentais que fez com que eu me afastasse da real. O pessoal lá perde muito tempo planejando, pensando, analisando, julgando, falando de coisas que não fizeram e pouco tempo VIVENDO. VIVENDO O AGORA.

Alguns caras chegam aqui se sentindo frustrados e depressivos, esperando alguma coisa mágica acontecer nas suas vidas,  mas caras, vocês não percebem que o fruto da sua depressão é justamente pensar de mais no amanhã e QUERER que aconteça algo? Quanto mais você querer, mais na merda vai estar e isso é uma bola de neve. Se desprendam disso, não esperem acontecer alguma coisa pois o amanhã é apenas uma ilusão. Vivam o agora, o hoje que é o único momento ao qual realmente podemos faz algo. As ideias e julgamentos que vocês tem sobre as outras pessoas não vão te ajudar em grandes coisa, acreditem. Vivam as suas vidas para vocês mesmos e para as pessoas realmente importantes e esqueçam se determinada comportamento de fulano ou ciclano é feminazi, esquerdista, islâmico, idiota, promíscuo, homossexual, ateu, enfim. Você não é deus e jamais saberá se está realmente certo ou errado. Até porque se você parar para pensar um pouco, muitas coisas que são erradas hoje, não eram no passado, e com certeza muitas coisas certas hoje serão erradas no futuro, da mesma forma que o que é certo e errado muda em cada lugar distinto do planeta. Por exemplo, sacrifício de humanos era algo correto, aceitável e normal no passado, hoje sacrificar uma galinha num ritual espiritual qualquer é ABSOLUTAMENTE imoral, errado, satânico, demoníaco, macabro, horrendo, desumano, etc. E aí eu te pergunto, afinal de contas onde está contida a verdade? Quem está mais certo? Você, sua religião e seus artigos? HAHAHAHAHAHA


Sim, você sabe tudo sobre a vida... 

E conforme eu venho percebendo com todo o meu conhecimento de vida, frequentemente fazemos mais do que deveríamos no sentido de pensar e analisar sobre. Toda essa inquietação, ansiedade, depressão e consequentemente frustrações vem da nossa tendência de pensar de mais e fazer, perceber ou, VIVER de menos. Simplesmente desacelere sua mente e deixe seu subconsciente pilotar. Você vai saber perfeitamente quando deve agir e quando não deve, sua ansiedade se vai e você não espera por nada mais, a única coisa que realmente importará para você é o auto-aperfeiçoamento que só pode acontecer agora, não amanhã e muito menos ontem. Nisso você se torna grato por simplesmente viver e poder apreciar a vida, nos seus pequenos detalhes. Idiotas influenciados pelos diversos meios de comunicação (sim, você que só lê pubmed também é um imbecil) esperam ter uma vida glamourosa de sucesso e feliz, no caso dos realistas, ter a vida alfa, onde coisas extraordinárias acontecem todas os dias, centenas de mulheres aos seus pés, trabalho bem remunerado e reconhecido, afinal de contas "eu sou um cara honrado" , mas enquanto isso a vida real simples e cotidiana vai passando e essa verdade nunca chega por mais que tenham seguido todas as regras e sejam bem intencionados. E as vezes mesmo que eles atinjam o plano, esse "gozo" por viver nunca vem. Entenda, se você não se sente bem consigo mesmo agora, não vai ser um emprego, viagens ou meia dúzia de vagabundas que vão fazer isso por você. Esse é um trabalho exclusivamente seu e se desprender de expectativas é o primeiro passo para evolução psicológica e espiritual.

"Fazer coisa x vai contra meus princípios cristãos". "Pensar coisa y vai contra meus ideais libertários". "Querer coisa z vai ao contrário do que N.A ensina". Mande tudo isso a merda, a única pessoa que sabe o que é melhor ou pior para você é você mesmo, e quanto mais rótulos você por sobre si, mais vai querer agradar determinado tipo de gente que bem no fundo você nem gosta, e com isso cada vez menos vai obter o autoconhecimento (que é a única coisa que realmente vale a pena) e fatalmente será cada vez mais frustrado. Como eu já disse acreditava numa infinidade de códigos, doutrinas, regras e conceitos que hoje em dia eu não dou a mínima e tenho certeza que vivo bem melhor além de não me fazer falta nenhuma. Política? FODA-SE. Códigos morais escritos por velhos de saia copiados sabe-se lá de onde de veracidade duvidosa? FODA-SE. Ideais politicamente corretos e socialmente aceitas? FODA-SE. Cristianismo? FODA-SE. Moralidade? FODA-SE. Cientificismo? FODA-SE ainda mais. Quanto mais você aprecia a vida nas suas coisas simples, quanto menos espera do futuro, mais você percebe que não é necessário você seguir uma determinada corrente filosófica, política e moral para ser um ser humano correto e honrado, porque o que é certo e errado todos os humanos sabem inconscientemente sem a necessidade de uma infinidade de regras estúpidas criadas por cretinos de batina que nunca se arriscaram o pescoço e são mais imorais do que qualquer um que está lendo isso agora. E isso se aplica também e especialmente aos politizados e intelectuais. Retire o que há de bom PARA VOCÊ nessas coisas que você aprende, e jogue fora o resto, pare de se identificar com determinada conduta ou corrente filosófica, isso não diz quem você é de verdade, acredite, e muito menos rotule os outros com base nessas coisas. Apenas viva.


O que seus princípios cristãos dizem sobre isso? haha

Aliás o pessoal da "moralidade" gosta de vir aqui me criticar por causa da minha depravação e relativismo de falar sobre códigos de honra masculinos ao mesmo tempo que, segundo eles, "idolatro pornografia" e os "prazeres da carne". Homens com alta T sempre estarão mais inclinados a ser  sexualmente mais ativos, isso é natural e desejável, assim como podem ser totalmente assexuados por um motivo que considerem maior devido grande determinação que a T alta provoca. Mas em todo caso moralidade e sexualidade obviamente não tem nada haver uma com a outra, e UMA COISA NÃO EXCLUI A OUTRA SEUS CRETINOS. Exclui na ideia de cristãos semi virgens que nunca viram uma buceta, fingem que não querem, mas em segredo morrem de vontade de comer todas as irmãzinhas da capela. É só observar a putaria que rola nos bastidores dessas igrejas e se você já participou de alguma deve saber o que eu estou falando. É quase na sua totalidade um religião falsa e isso acontece porque as pessoas são reprimidas por mitos criados a partir de sofismas de linguagem e interpretação individuais que favorecem determinados grupos, não são incentivadas a evolução pessoal real. Conforme foi dito no post anterior, os desgraçados mais conspiradores e traiçoeiros do mundo antigo sempre foram os eunucos e caras do "clero", enquanto os homens que eram considerados depravados, ignorantes e imorais por esses mesmos tansos religiosos eram os que estavam na linha de frente das batalhas, morriam primeiro para proteger seu sangue, família, país e companheiros, VIVIAM SOBRE UM CÓDIGO DE HONRA ALHEIO AO DA SOCIEDADE NORMAL, onde o que realmente importava era se mostrar uma pessoa de valor para os seus pares, todo o resto era relativamente trivial. Se ele tinha 1 ou 20 mulheres, se ele era vegano ou carnívoro, se ele era pagão ou cristão, se ele era letrado ou ignorante pouco importava no final das contas. O que importava era cumprir bem o seu papel com coragem, e antes disso, saber EXATAMENTE QUAL ERA o seu papel.


É isso que você sonha em fazer com as irmãzinhas né seu "honradão"... hahaha

Se vocês forem buscar histórias antigas sobre a vida de guerreiros memoráveis, histórias sobre como era o código dos homens antes do agigantamento da civilização você vai perceber que muitos, se não todos, tiveram que se desprender das suas crenças e verdades para descobrirem o caminho pelo qual deviam seguir, com isso cristalizando o ideal masculinista de que o mais importante não é o que você acredita ou pensa, e sim o que você faz em atos e qual o nível da sua coragem para por tudo a perder pelo que você acha correto, pelos seus ideais e seus pares. Este é o único código de honra que existe entre os homens, todo o resto são características pessoais que cada um descobriu ser o melhor para si mesmo. Era absolutamente comum grandes guerreiros mesmo que de religiões ou exércitos inimigos serem enterrados com honra pelos seus oponentes, independente da crença ou seja lá o que for. Se fulano de tal foi um cara memorável, e era casto, não significa que você também precise ser casto. Essa característica ele descobriu que o levaria ao seu propósito pessoal e evolução espiritual, mas você precisa achar as suas características. Da mesma forma que se ele foi devasso, você não precisa ser. E como você descobre essas coisas? Pela milhonésima vez repetindo aqui: SE PONDO A PROVA. Sair e simplesmente viver sem esperar muita coisa pro futuro. É isso. Faça um paralelo sobre todas as histórias que valem a pena ser lembradas e você vai descobrir que: simplesmente viver sem se importar com o que vem a seguir é o segredo.


Se você pensa que viver sem seguir regras vai te transformar num maníaco, lembre-se dessa frase acima. Quanto mais você acreditar em algo, mais isso vai se tornar a sua realidade. Seja mestre de si mesmo e para de relegar o controle da sua vida a terceiros.

Eu sei que isso é difícil de aceitar para você, jovem afeminado criado nessa sociedade mecanicista sedenta por "resultados" (seja lá o que isso signifique) e por padrões. Você precisa seguir regras e mostrar algo, e esse mostrar algo normalmente é se enquadrando em determinada conduta socialmente aceita, fazendo coisas corretas, seguindo as prescrições e acreditar em deus. Mas isso é uma prisão (principalmente pro homem que tem um instinto desbravador) e você só vai avançar quando sair dessa prisão que são os seus "ideais honrados". Por isso, vocês que chagam aqui com um discurso bonito sobre princípios, sobre como eu sou imoral de fazer determinada coisa, lembrem-se, eu não dou a mínima para a ideia que vocês tem de mim, e a única coisa proeminente é se vocês podem agregar alguma coisa de útil aqui, suas opiniões sobre MIM podem guardar para si mesmos pois afinal de contas, ninguém da a mínima. Se forem falar algo, falem sobre o tema proposto. E eu falo especialmente para os realistas cristãos da ala honrada que por ventura caem aqui e precisam falar algo a respeito das minhas ideias para reafirmar para si mesmo o quanto são íntegros. Quanto mais cândido o seu discurso, quanto mais "princípios" você tem, quanto mais "regras" você sabe, quanto mais estudos que corroboram a sua opinião que você cita, MAIS EU SEI QUE VOCÊ É UM MERDA QUE NÃO FAZ PORRA NENHUMA DA PRÓPRIA VIDA, não tem liberdade para fazer nada pois é escravo do seu próprio código moral estúpido. Você vive numa prisão, é submisso ao seu ego e da imagem pudica que você quer transmitir, e justamente por isso vive frustrado e insatisfeito com a vida, por isso vem aqui ou seja lá onde for criticar todo mundo que pensa diferente de você. Sim, eu sei, você se sente superior a tudo e a todos mas faz de conta que é humilde.

Eu sei disso porque eu fui exatamente assim lá no inicio da real. Eu tinha ideais honrados, eu era cristão convicto e libertário genuíno, era contra a "imoralidade", pornografia, bebidas, drogas e tudo mais, e tinha dificuldade imensa (ainda tenho mas estou melhorando) de aceitar ideias diferentes da minha. Tentava ser "eficiente" seguindo as regras, lendo e fazendo coisas que eu na verdade não gostava e me deixavam pior mas como me sugeriam, já que eu não tinha habilidade nem coragem de descobrir por conta própria eu ia me privando de coisas que na verdade eu gostava, brigando com pessoas que na verdade eu prezava porque considerava elas "esquerdistas", não me relacionando com mulheres que eu gostaria porque elas eram "vadias". Eu era honrado e "superior" moralmente falando segundo minha própria visão de mundo, mas e a minha realidade como estava? Minha mente? Eu me sentia bem de verdade com todas essas regras a serem seguidas além das outras que já nascemos tendo que seguir? Será que eu fazia o que era realmente era preciso ser feito? Lógico que não, porque a imagem que eu queria passar era mais importante do que realmente fazer coisas que me aperfeiçoassem como ser humano. Ler o instituto mises e ouvir os hangouts do Olavo era mais vultoso que cortar a grama pra minha mãezinha. Mas eu era honrado. E eu vejo que muitos caras por aí estão presos nesses rótulos, não se permitindo viver de verdade por medo de não fazerem mais parte de um grupinho imaginário que bem na verdade não significa merda nenhuma.


Seus "rótulos" são apenas ideias distorcidas da realidade, é apenas a sua mente perturbada. 

Eu aprendi uma coisa muito importante nesses anos fazendo todo tipo de merda e coisas certas também, a verdade de que você não conhece algo, seja lá o que for, se você não experimentar por si próprio. Ler sobre alguma coisa, estudar sobre algum assunto, se dizer especialista de algo sem ter feito esse algo é apenas uma fábula criada pelo seu ego para te convencer que você é foda. Mas todas as opiniões que você tem sobre algo que você não experimentou na prática são apenas opiniões vagas e mal formadas, são na realidade mentiras que você conta para todo mundo. Você que vem aqui e gosta de falar sobre espiritualidade e nunca praticou nenhuma, você que gosta de citar estudos mas nunca TESTOU nenhum desses estudos, você que gosta de falar de honra mas nunca teve a sua honra posta a prova não passa de um mentiroso. Um mestre da Índia conta uma história para ilustrar como é o comportamento e mindset de estudiosos e intelectuais (ou melhor, pseudointelectuais) que gostam de se agarrar numa infinidade de artigos que reafirmam suas próprias verdades, de como eles estão sempre certos:

"Uma mulher foi visitar uma amiga que não via a muito tempo que havia tido uma filha que era cega desde o nascimento. 
Chegando lá ela ficou bastante intrigada com a menina, pois ela falava coisas como: "eu acho a cor azul tão bonita"... "o vizinho fulano de tal é uma cara muito feio"... "nossa mãe, essa roupa que você está usando é tão estranha" ...

A mulher não entendendo muito bem o que se passava ali, perguntou pra menina: "Tudo bem querida, mas como você sabe dessas coisas e tem tanta certeza no que diz (se você não enxerga) ?

"Ué, porque as minhas irmãs me contaram". 

Ou seja, é assim que o cara que gosta de falar de artigos e mais artigos, tem uma infinidade de códigos de conduta e de honra age, é um mentiroso que se baseia nas ideias de outras pessoas para criar a sua identidade falsa que mais lhe agrada. É assim que a comunidade da real funciona no geral e por isso eu me afastei. Um monte de otário falando sobre coisas que nunca fizeram e criticando os que fizeram algo além de ficar na frente de um computador a maior parte da vida fazendo análises e planejamentos que nunca saem da imaginação. Repetindo, apenas o que você faz tem valor, o resto é lixo, principalmente se você fizer o favor que divulgar isso para todo lado. Por essas e por outras que o mundo está cheio de doutores, qualquer idiota semi-analfabeto com um diploma de merda comprado numa UNIESQUINA se acha "doutor" e dono da verdade, mas na hora de resolver um problema simples, se cagam nas calças e vão atrás do governo reivindicar direitos.




Por tudo isso que foi dito, eu posso justificar porque acabo mudando de opinião as vezes sobre alguma coisa ou outra, mas se você observar com cuidado, a minha ideia básica e central continua a mesma desde o começo. Porque ler sobre determinada coisa não me basta até eu por a prova, e por isso eu sempre repito que o blog é um auto descobrimento e as coisas que eu transmito aqui eu testei e acho que são úteis para você que está lendo. Não significa que eu esteja certo em tudo, e muito menos significa que eu sou CORRETO E QUE EU QUEIRA FAZER PARTE DO SEU, DO SEU!!! MALDITO CÓDIGO MORAL. ENTENDAM ISSO DE UMA VEZ POR TODAS E NÃO ME ENCHAM MAIS O SACO SOBRE USAR OU NÃO DROGAS, SOBRE A PORNOGRAFIA, OCULTISMO, XINGAMENTOS E TODO RESTO SEUS FILHOS DA PUTA!!! SE ACHAM O QUE EU ESCREVO AQUI LIXO, É SÓ NÃO ACESSAR MAIS, PORRA.

Enfiem seus "códigos de honra" no rabo e vivam felizes sendo escravos das próprias ilusões. EU vou seguir meu caminho fazendo o que eu acho correto, me arriscando por coisas e pessoas que valem a pena (mesmo se elas forem esquerdistas segundo os ancaps), sem me preocupar de mais com futuro aproveitando  e vivendo o AGORA da melhor maneira possível.

Porém a maioria que vem aqui não entende e muito provavelmente nunca entenderá a mensagem que eu passo, porque não querem enxergar nem experimentar nada além dos seus códigos morais que são baseados em ideais aos quais vocês nem sabem ao certo de onde vieram, e que com certeza podem dizer a respeito de muitas coisas, menos masculinidade. E em todo caso, se eu estiver errado, foda-se.

Como eu disse, esse site não é sobre verdades imutáveis, é sobre a trajetória de um ser humano tentando se descobrir como tal. Se você é perfeito e já tem a certeza que encontrou as suas respostas, tome no seu cu!


....................


Meu blog é o terror dos nofappers com 9.000.000.000.000 de testosterona acumulada. hahahaha

terça-feira, 30 de abril de 2019

Caras Legais Terminam por Último, e Ninguém da a Mínima para os seus Malditos Nomes





"Um homem pode ser considerado rico se alguém desenhar a história de seus feitos para que sejam lembrados no futuro".

O ditado “caras legais terminam por último” é tão banal quanto é verdade e mal entendido como é mal aplicado. É invariavelmente usado por redpills (realistas) para lamentar o fato de que as garotas vão atrás de idiotas de boa aparência/idiotas ricos/idiotas descolados/idiotas -inserir aqui tudo o que lhes falta - , e pela mídia para condenar outro termo completamente mal compreendido, "masculinidade tóxica”. Apesar de quão insuportavelmente banal é o aforismo, parece ter persistido simplesmente porque é verdade - caras legais quase sempre terminam na merda, e ninguém se lembra dos seus nomes.

Estou dando esta notícia como um tapa na cara das pessoas que pagam Athlean X, e que acham que ser um noob "cuidado com lesões" na academia vale a pena. Esses tipos, numa discussão sobre qual é o melhor fisiculturista ou qualquer outro atleta, em vez de avaliar qual parte do corpo é melhor ou qual melhor físico ou habilidade sob quaisquer condições, irão dizer que este ou aquele é melhor porque "ele é um homem de família” ou um “indivíduo altruísta”, ou alguma outra métrica suburbana ridícula que não tem nada a ver com ser o melhor. Presumo que isso seja para aplacar simultaneamente, a necessidade de aceitação deles e uma justificativa para o estilo de vida suburbano e suas tendências homossexuais tristemente fechadas. Mas isso são apenas especulações baseadas em uma impressão superficial, já que eu nunca conversei com nenhum desses idiotas.


Você usa isso na academia para parecer menos ameaçador? Que ótimo. 

A palavra “legal” é uma métrica inútil, assim como “compaixão”. São termos que pessoas medrosas usam para descrever a si mesmos, a fim de se tornarem queridos para os outros do mesmo tipo - tomados de si e sobre si mesmo, são enunciados sem sentido. O que é "legal" para uma pessoa geralmente não é para outra, e o termo "compaixão" é usado em demasia ao ponto de ser tão vazio e sem sentido quanto "comunista" ou "nazista" nos dias de hoje. Não que os conceitos em si não sejam louváveis - é apenas que as pessoas que tendem a descrever a si mesmas como tais são cretinas, com medo de suas próprias sombras e desesperadas pela aceitação de pessoas que considerem inofensivas. Uma vez que todos se juntam num rebanho, continuamente se empurram para dentro por mais proteção e segurança, como qualquer outro animal de rebanho, esperando que o próprio rebanho os proteja dos predadores que espreitam ao redor.


Contemple o animal de rebanho, sorrindo seu sorriso falso, fazendo sua calistenia de amizade. Observe a necessidade de constante afirmação e reafirmação e sua disposição de fazer qualquer coisa, não importa o quão estúpida seja, para receber isso.

Também é importante notar que "legal" e "compassivo" não se equiparam a “justo” ou “nobre” - são apenas uma cortina de fumaça para permitir que estes ajam de uma maneira covarde enquanto exploram as pessoas ao seu redor, o tempo todo aparentando estar em conformidade com o altamente  vangloriado rebanho, porém, ignorando o código "moral" por completo. É por isso que você tem a multidão #fitfam andando por aí roubando uns aos outros, vendendo lixos uns para os outros, e geralmente explorando a estupidez dos noobs para seu próprio ganho pessoal, enquanto pessoas "malvadas" como eu que sem cobrar nada suam o traseiro para fornecer conteúdo útil que realmente nos salvará dessa maré de bosta que esses filhos da puta estão tentando nos afogar com esse esgoto de cultura de ginástica que eles criaram.


Sim, conte suas histórias de aflição para um mineiro de carvão. Se há algum no-pussy que usa a hashtag #grind, eu sou um maldito piloto de jato chinês.

Antes que você tenha uma ideia errada, isso não é um besteirol da manosphere/real/incel (N.T: apesar que muitos ainda me vinculam isso) - não estou lamentando o estado das coisas, nem estou sugerindo que todos saiam e coloquem bonés MAGA (Make America Great Again) com colares de pedra e espanquem hippies chapados num esforço para trazer o pequeno pênis cogumelo de Trump a um estado semi-ereto. Este é apenas um lembrete de que ser uma pessoa "legal" ou "orientada para família" não parece valer grandes coisa em termos de metas de força ou de sucesso em qualquer aspecto. Apenas fora do topo da minha cabeça, eu não posso nomear um único "nice guy" que colocou o mundo em chamas no jogo da força. Em vez disso, temos caras como esses filhos da puta:


Grymkowski supostamente usou 10g por dia de anabolizantes. Querido Jesus. 



  • Norbert Schmansky - babaca flamejante que se enfureceu contra todos nos EUA por não apoiá-lo na sua busca para conseguir um ouro olímpico e foi para o inferno odiando toda a raça humana.
  • Eugen Sandow - prostituta masculina, campeão de fisiculturismo e de toda vagabunda ao redor.
  • Arthur Saxon - um dos maiores homens da era de ouro, morreu bêbado numa sarjeta
  • Andrey Drachov - campeão olímpico de levantamento de peso, foi espancado até a morte em um parque em algum tipo bizarro de "deathmatch" russo tentando descobrir se o levantamento de peso ou mma era o esporte superior.
  • Vasily Alekseyev- A lenda Oly estava sempre bêbado e aterrorizava seus companheiros de equipe.
  • Arnold- fodeu tudo o que se movia, era um idiota com outros competidores e tinha um filho ilegítimo.
  • Lou Ferrigno- apenas sobre o ser humano mais desagradável de sempre.
  • Steve Michalik - fisiculturista campeão e psicopata total que usou tantas drogas para melhorar o desempenho que ele e seus parceiros de treino acharam que eram literalmente invencíveis, o que acabou levando um deles a ser esmagado por um caminhão quando ele tentou pará-lo ficando estático no seu caminho
  • Pat Neve- campeão de fisiculturismo e powerlifter que era intolerável quando ia competir.
  • Pete Grymkowski - fisiculturista psicopata do nível Michalik que supostamente usou 10 gramas de drogas por dia e treinou até 4 horas seguidas, seis dias por semana. O cara era tão dedicado que dormia sob o píer de Santa Mônica e vivia de hambúrgueres do McDonald's para poder comprar todas as drogas. Homem de família ele não era, mas ele alcançou seu objetivo de ganhar o Mr. America e ficou rico. 


Os vencedores colocam a vitória acima de tudo, e não deixam nada ficar no seu caminho. Isso é conducente a uma vida saudável e equilibrada? Foda-se não, mas ninguém vem a este site por esse estrume sobre felicidade. Você quer ganhar? Coloque-se em primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto, depois deixe o resto se resolver.

“Essas duas experiências me ensinaram várias lições. Lição que eu nunca esqueci. Eu não queria aprender essas lições, mas descobri que não é o que se quer neste mundo que se recebe. Força e habilidades fazem o certo. Talvez as coisas não devam ser assim, mas é assim que são. Eu aprendi a olhar com desconfiança e ódio para todos. Com o passar dos anos, essa ideia persistiu em minha mente acima de todas as outras. Eu percebi que, se eu fosse forte o suficiente e inteligente o suficiente para impor minha vontade aos outros, eu estava certo. Eu ainda acredito nisso até hoje.”- Carl Panzram

Antes de começar a fazer merda, existe um vasto abismo entre ser um babaca obcecado e cometer crimes. Este artigo não é sobre começar a ser um inútil com o intento de ser um inútil, é sobre o fato de que todos os falsos "play nice", #fitspo #fitfam #motivation, claptrap são uma tolice total. Não só é espúrio na intenção e na execução, mas é contraproducente. As pessoas com altos níveis de testosterona são literalmente incapazes dessa merda, a menos que sejam sociopatas completos (e não apenas limítrofes como eu) que mentem a cada respiração que respiram. Eles não vão junto para se dar bem - eles bioquimicamente não podem.

“A vida é guerra.” - Plautus


“Misericórdia e fraqueza são a mesma coisa na guerra, e não há prêmio por bom comportamento.” - Joe Abercrombie


Isso pode ser considerado anti-social


Pessoas com níveis elevados de testosterona no plasma são propensas a hipomania (uma palavra que me descreve apropriadamente - completamente desinibidos e dispondo constantemente de níveis elevados de energia), compulsivos  e antissociais. Homens e mulheres com altos níveis de T também são inclinados ao tipo de risco que a maioria das pessoas associaria ao paraquedismo no Sudão ou a um passeio livre nos puteiros em Bangkok, têm fluidez verbal muito maior do que o bro médio e têm melhor desempenho viso-espacial e memória visual do que os retardados baixo T que você vê proliferando em toda o interwebs balindo sobre o declínio da masculinidade ocidental.

Em resumo, provavelmente seremos muito espertos, além de sermos muito anti-sociais para nos misturar-mos com os "nice guys" do mundo ao redor. Jogue em cima disso a hipercompetitividade das pessoas com alta T, e o fato de que com a disputa de ganhar ou perder os seus níveis T aumentaram após a competição devido ao desejo de se por a prova e vencer, e você ficará se perguntando porque todo mundo está andando por aí vestido com alguma merda fit  cor de pastel colorida, gritando sobre inclusão e sobre quem inspira quem. Se houvesse alguma coisa, devia haver uma divisão muito rígida na comunidade da cultura física entre as gordas vestidas de malha no treinamento recreativo e os verdadeiros levantadores. Como alternativa, ainda temos pessoas que realmente não se importam com a prática de esportes de força apenas como meio de ganhar dinheiro rápido, se aproveitando dos idiotas iniciantes e fingindo ser algo que não são.

Ah, mas não é isso que eu estou reivindicando aqui o tempo todo? Que caras legais terminam por último e que pessoas com T alto são babacas? Bem, os não-usuários entre vocês podem se surpreender ao descobrir que a testosterona não faz com que você aja como Mister Fucking Rogers, na verdade o torna mais ético. Quanto mais altos seus níveis de T, parece que, menor sua confiança, mas maior sua generosidade. Isso pode torná-lo mais agressivo, mas ao mesmo tempo torna você mais confiável e honrado. Isso se confirma a partir de uma perspectiva histórica, já que os eunucos do palácio estavam entre os malvados filhos da puta mais irritantes e conspiradores do mundo antigo e medieval, enquanto os guerreiros viviam por códigos de honra que geralmente transcendiam a moralidade. O que, então, nos coloca numa situação complicada - o que diabos está acontecendo no mundo fitness?

Até eunucos funcionam com uma visão dessas. 

O que está acontecendo é que o mundo da força é cercado por todos os lados por parasitas e sanguessugas. Não são predadores, como aparentam ser, apenas vendedores de óleo de serpente que estão dispostos a dizer qualquer coisa e fazer qualquer coisa para ganhar dinheiro. Eles não se importam com a cultura que estão destruindo, porque eles simplesmente veem a cultura como uma ferramenta a ser usada para separar o dinheiro dos posers que fazem parte disso. Isso não diminuiria nossa comunidade como um todo, com inclusão de pessoas que não veem negócios com isso, mas simplesmente acontece que eles são convencidos a comprar as próprios barras, cintos SBD de 250 dólares (ou seja lá quantos for) e Nike Romalos . Eles não são mais levantadores do que eu sou um marciano, mas eles acreditam que são porque compraram e pagaram pela imagem que querem, e então são assegurados pelas pessoas que se apresentam como verdadeiros levantadores nas redes sociais que eles seguem. Porque pessoas "famosas" são compassivas e legais com os noobs que querem uma imagem e nada mais.

A porra toda é fodida e nojenta. Se as pessoas realmente quiserem ser melhores, elas serão melhores, não importa o que aconteça. Toda a mão segurando a porra do mundo não colocará uma coluna nas costas de alguém, e todo o afago infantil do planeta não vai transformar uma merda preguiçosa no Dmitri Klokov. Na verdade, vou até dizer que toda a besteira da #fitfam é apenas fachada para um monte de maricas para se aproveitarem e se sentirem bem com isso. Essas pessoas são lixo, seu movimento é lixo, seus levantamentos são lixo, e eles têm tantos negócios maléficos em nossas academias quanto os pedófilos têm em um maldito jardim de infância. Todo mundo precisa parar de fingir que eles são algo porque eles não são - parem de interpretar o cara e a garota legal e afiem seus dentes do caralho. Somos predadores de ponta, não lampreias sugadoras como o bro do Instagram ou como as ovelhas que são as pessoas que os seguem.

Não há melhor maneira de empurrar essas cadelas para a obscuridade do que enterrá-los nas histórias dos nossos atos, para que assim eles morram no anonimato.


“Acho que é hora de todos vocês começarem a olhar para si mesmos, e a julgar a mentira em que vocês vivem.” - Charles Manson

quinta-feira, 28 de março de 2019

O Caminho Odínico



por Paul Waggner


Odin se tornou um arquétipo banal. Adotado por pessoas fracas e insignificantes como uma amorosa figura paterna, ou como uma divindade simplista de magia ou poesia. Profanado pelo uso herético nos programas de TV ou nas bandas populares de heavy metal, a palavra tornou-se sinônimo de camisetas toscas e memes “Valhalla” que se espalham pela internet nas mídias sociais.

"Ave Odin, beba hidromel e vá para Valhalla."


viking moderno

Slogans ridículos que deram uma reputação infantil e "descolada" num conceito que sempre foi temido e terrível.

Adão de Bremen disse de forma famosa:

"Wodan, id est furor" - Odin - isso significa FÚRIA.

Como em muitas palavras e nomes arcaicos, podemos aprender muito sobre a vida humana estudando suas origens. Do proto-germânico, wodanaz está relacionado com wodaz, “enfurecido”. Quando olhamos o próprio substantivo em nórdico antigo, estamos vendo uma palavra composta - Óð - como prefixo - significando fúria, êxtase, paixão, raiva, frenesi, possuído e até, em alguns casos, "insano" e - inn -, o artigo definido "the" (o).

O extasiado. O raivoso. O furioso. O possuído.

Como o nome indica, as áreas que estão sob a égide de Odin são associadas à morte, loucura, poder, magia e guerra. O caráter de Odin, em todo o folclore germânico, está longe de ser a de um pai amoroso e é visto com mais frequência como mentiroso, enganador, assassino e oportunista. Seu único objetivo é a aquisição de poder, muitas vezes através da obtenção de informações e compreensão oculta, outras vezes através dos caminhos mais diretos de conflito e dominação. Se Frey é o bom e o legítimo rei da abundância, Odin é o rei por sua própria mão, um tirano, e um personagem intensamente maquiavélico jogando em um jogo no qual só ele conhece as regras.

Minha compreensão de Odin sempre foi menos como a de um personagem ou personalidade, e mais como um caminho, um desenvolvimento do próprio caráter ao longo de certas linhas que compartilham uma semelhança com os princípios de um estilo de vida "Odinic"

Alguns escritores modernos tentaram rotular Odin como um demiurgo, pintando a paisagem mitológica germânica com um pincel gnóstico para encaixa-lo nas suas próprias filosofias do que talvez fosse uma busca Odínica - mas Odin não é um demiurgo. Ele não criou matéria, nem controla o universo ou a matéria dentro dele - na cosmogonia do norte, Odin é um reformulador do mundo ao seu redor, que é um conceito criticamente diferente - em vez de ser responsável pelo piscar de olhos que deu origem a existência conforme estamos familiarizados, Odin e seus irmãos remodelaram a realidade já existente na forma do gigante Ymir, através de um ato sacrificial de assassinato e vontade, recriando o que já existia da maneira que eles achassem mais adequado. Esse conceito simplificado contém a maior parte da base da prática do “oculto” ou “mágica”.



SJÁLFR SJÁLFUM MÉR;⁣
“I know that I hung, ⁣
on a windy tree, ⁣
for all of nine nights, ⁣
wounded with a spear, ⁣
and given to Óðinn, ⁣
myself to myself, ⁣
on that tree, ⁣
which no man knows, ⁣
from what roots it runs.”⁣

"O Caminho Odínico, desde o início, é caracterizado pelo sofrimento e sacrifício. Se você escolher andar nesta estrada, saiba que a sabedoria e o poder representados por nosso "Allfather" vem a um preço custoso - você deve estar preparado para desistir de tudo; amigos, amantes, família, sua sanidade e talvez até mesmo da sua vida na busca para imitar Óðinn.⁣ Se você definir-se como um Odinista, então você deve se comprometer totalmente com a causa, ou não se comprometer com nada. Sem meias-medidas".⁣


Claro, estamos lidando com histórias aqui que possuem verdades com probabilidades diferentes e não com FATOS. Eu sempre achei que entendimentos literais de qualquer mitologia são abomináveis, e uma obstrução total daquelas verdades que podem ser destiladas por meio de uma abordagem mais profunda e individual- não há uma Igreja dogmática de Odin, e se houvesse, e tivesse membros, haveria uma forte ironia ali. O caminho Odínico não é uma estrada reta com regras e fronteiras bem definidas, mas um labirinto retorcido de peças interligadas e entrecruzadas, muitas estradas que levam a um centro desconhecido. Ele desafia as regras e transgride as fronteiras e limites, acena para aquele que o leva para um deserto em constante mudança, sem mapas ou bússolas.

O caminho de Odin poderia ser melhor entendido como um caminho de experiência e destilação. Um processo alquímico no qual se acumulam quantidades maciças de matéria-prima que colocaremos na fornalha para queimar as impurezas e ver o que sai do outro lado, purificando, queimando novamente e filtrando tudo através da visão de mundo de quem desejamos ser, mas talvez ainda não sejamos. 
Ele se baseia no desenvolvimento de uma espécie de bússola espiritual. Por um lado, existe a incansável busca para encontrar o lugar correto no mundo, vagando até que isso seja reconhecido, encontrado através da coleta de muitas experiências em muitos lugares. Por outro lado, a Grande Obra, a constante transformação, a aquisição de poder e o conhecimento de que o único bem neste mundo é o sentimento de força crescente.


O mito de Odin, segundo pesquisadores, já representa uma grande influência cristã nos cultos dos povos nórdicos antigos. Se observarmos com cuidado, é inegável uma certa semelhança entre os mártires em alguns aspectos. Da mesma forma, muito da cristandade tem fortes influências pagãs, não só do paganismo nórdico especificamente, mas egípcio, celta, romano, etc. Refletindo sobre isso fica a pergunta: será mesmo que existe só um deus? qual é o verdadeiro? Indo mais a fundo dentro da espiritualidade, me parece que as manifestações do espírito sempre se repetem dentro da história humana de forma semelhante para os que tem olhos para verem.









Acima, a única estrela que brilha no firmamento para o seguidor do caminho Odínico, ou mais corretamente, o que se dispôs a atravessar o labirinto Odínico - a configuração de Ternion do Valknut -  representando do caminho em si, e Aquele que Primeiro Andou. A coroa de fogo que existe no final da estrada, o centro do labirinto, um prêmio intangível que provavelmente nunca poderá ser conquistado, mas que impulsiona o viajante e dispara sua paixão. Abaixo, o mandamento desde as próprias raízes do seu ser, no fundo de seu sangue, talvez até em sua linhagem - o decreto ardente de Keep Rising, para combater o desespero e a distração com propósito. Para manter os olhos na única estrela que nunca irá falhar, isso é chamado Destino, ou Perdição.

O cavalo que ele comanda é chamado ALU:, derivado de uma palavra proto-indo-européia que se traduz como “mágica, ritual, posse, intoxicação”, e de onde vêm nossa palavra, alucinação. Aqui a conexão com o nome de Odin é clara, e se Odin é um substantivo, então alu é o verbo com o qual nós o alcançaremos, nos tornaremos ele e nos modificaremos. 
Esse cavalo é nossa prática ritual, nosso trabalho elevado, no qual espiamos o desconhecido e retiramos mistérios do vazio, gritando.

O labirinto que leva a essa coroa de fogo não é para “encontrar equilíbrio”, nem para “buscar a paz”


É uma forma de isolamento, provação, ascetismo, grande sofrimento e grande recompensa. Ele depende da paixão e do fogo, a palavra falada como um feitiço de reordenar o mundo à nossa própria imagem. Os pilares sobre os quais se sustenta não são estabilidade e firmeza, mas caos e conflito.

O centro do Valknut é o olho de um furacão, e somente aquele que é capaz de viver ali - de captar o poder e a quietude no coração da tempestade - pode se chamar digno de viajar pelo Caminho Odínico.



----------------



Se esse não é um bom motivo para seguir Odin, eu não sei mais ... 

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Algumas Considerações Sobre Treinamento (super-acumulação)

Uma foto aleatória que eu achei legal.

Muito frequentemente as coisas não saem como o esperado no quesito desenvolvimento físico, por mais que você tenha investido nisso, seja em "produtos", tempo de treino ou estudos. Sem dúvida, esse é um processo fundamental (talvez o mais fundamental nessa jornada) pelo qual todos devemos passar, uns com maior outros com menor frequência, mas indiscutivelmente isso SERÁ inevitável. Tanto é verdade que mesmo depois de tantos anos treinando passo por esse mesmo processo de grandes expectativas e proporcionalmente grandes frustrações. Mas o que seria da vida sem um drama não é mesmo?

 Eu gasto uma parte consideravelmente grande treinando, pensando, trabalhando e gastando dinheiro com coisas que envolvem treinamento físico, seja o meu próprio ou dos meus alunos. Por mais flexível que eu goste de trabalhar com isso, sem me prender a protocolos "fechados" e sem fazer muitas avaliações e planilhas cheio de números, nomes difíceis de pronunciar e com cores extravagantes , ainda é preciso ter bastante conhecimento de fundo para aplicar e fazer os treinos conforme a individualidade de cada um, mesmo que sempre seguindo uma base comum. Eu fico bastante intrigado e um pouco triste por observar por aí que muita gente acha que assistir vídeos no youtube e no intagram das celebridades fitness é tudo que é necessário para "aprender" a treinar. Aliás, a tendência atual é acreditar que tudo o que precisamos para aprender alguma coisa, qualquer que seja, é ter uma conexão com a internet e acessar o youtube. Um professor falou para mim que acha essa forma muito melhor. Se isso não é vagabundagem eu não sei o que seria. Pois é, essa é a era da facilidade e da "conectividade" e realmente, cada vez menos as pessoas fazem o trabalho duro.

Sem dúvida, o youtube é uma ferramenta excelente se for bem usada, e quando eu digo FERRAMENTA devemos entender o real significado disso que é algo usado como auxilio para atingirmos um fim, e esse "fim" seria mais conhecimento aplicável em alguma área especifica, mas esse AUXILIO não é o fim de tudo como a maioria dos bonobos do mundo moderno acham. Seguir atletas e treinadores RESPONSÁVEIS sobre o treinamento, que não buscam "fama" rápida mas sim passar o conhecimento conforme o instinto e a honradez de caráter determinam, pode ser de inestimável ajuda, porém isso só deve ser a cereja do bolo. Ler livros das mais diversas opiniões, de treinadores de todo o mundo que treinam todos os tipos de esporte, infinitos artigos, participar de seminários, estudar assuntos espinhosos como fisiologia do exercício, bioquímica, cinesiologia, anatomia (que eu particularmente odeio) e é claro, por o seu maldito traseiro para suar debaixo de barras com pesos assustadoramente pesados, correr ladeiras com o sol escaldante queimando a sua bunda, treinar inquietamente esportes coletivos o fazer dia após dia todo o tedioso trabalho de aperfeiçoar os fundamentos, participar de competições (ocasionalmente se metendo em discussões e brigas), aguentar as encheções de saco de gente mimada e sem responsabilidade que leva tudo no oba oba e te culpa pelos próprios fracassos é o que é preciso para compreender o que o treinamento significa realmente, e é claro, fracassar em todos esses processos das mais diversas maneiras e diferente do bunda mole que se acha um floquinho de neve especial e desiste de tudo porque acha que o mundo deve alguma coisa a ele por ele ser tão maravilhoso e bom, aprender com os erros, voltar, e não parar até atingir a vitória, seja ela metafórica para você ou real, isso que é preciso para despertar o "espírito esportivo" ou melhor, o "espírito atlético".


Parece que o sonho de todos é ser uma merda desses "youtubers"

Eu já passei por todos esses processos, já joguei esportes coletivos e treinei algumas equipes sem saber muito bem o que eu estava fazendo na época, já treinei atletismo que é ESTUPIDAMENTE FRACO na minha região (aliás, isso que deveria ser a base da "educação física" das escolas é fraco em todo esse balde de lixo que chamamos de pátria amada) e a maior parte do que eu aprendi foi indo atrás das coisas por conta, lendo diversos livros sobre várias formas de treinar. Claro que também tive ajuda de professores atletas dessa área, mas a maior parte foi indo atrás sem esperar alguma coisa cair no meu colo. Treinamento resistido a mesma coisa, anos de prática fazendo todo tipo de merda e eu não saberia nem estimar aproximadamente talvez quantos livros e artigos (e vídeos também) eu já li sobre isso, todo tempo livre que eu tenho eu estou lendo alguma coisa sobre treinamento, eu tenho uma caixa cheia de anotações e "brainstorns" que eu fiz para fixar as mais variadas formas e métodos de treino. Toda essa base me dá condições de ser muito criativo em relação ao que e como fazer num treino e conseguir contornar todo tipo de problema de mobilidade ou qualquer outro relacionado a aptidão física de determinado aluno. Tanto que eu faço treinos para diversas modalidades, desde a velha que só quer ter alguns anos a mais de vida, aos afeminados "crosfiteiros", os jovens que querem virar "monstro" no próximo verão e os atletas competitivos de alguns esportes coletivos. Resumindo, treinamento físico é a parte mais importante da minha vida e eu levo isso muito a sério e amo de paixão tudo isso.

Algumas das minhas anotações.


????  
Todas essas coisas que eu disse, eu disse com o objetivo de dar um pano de fundo para vocês entenderem a que pé se encontra a minha frustração atual. O primeiro ponto importante dessa frustração é devido ao fato, conforme eu disse acima, que a grande maioria das pessoas, dentre essas pessoas que eu estou falando estão inclusos "PROFISSIONAIS" que também se auto denominam "doutores" (entenda essas palavras e coloque em contexto da melhor forma que você conseguir, porque eu sinceramente não sei mais se significam alguma coisa) acham que tudo se resolve e se aprende vendo vídeo no youtube. Alguns desgraçados filhos da puta que não sabem nem limpar a bunda sem ver um vídeo no yotube gostam de contrariar as coisas que eu digo porque "eu vi um vídeo lá na puta que pariu que diz ..." Lamentável. Os "profissionais" (e sempre essa palavra estará entre aspas para enfatizar a ironia caso vocês não tenham notado) da educação física são uma das raças mais filho da puta e miserável que existe por aí, e eu digo isso sinceramente com dor no coração. Os caras, na sua grande maioria (e graças aos espíritos sagrados dos nossos ancestrais honrados existem exceções, poucas, raríssimas, mas existem) são do tipo típico de bonobo estúpido e retardado que nunca pegam um livro na vida, levam tudo na "ousadia e alegria' e só querem saber de xavecar as piranhas que ocasionalmente aparecem na academia. É verdadeiramente lamentável o nível intelectual e de seriedade desses sujeitos. Não é de se admirar que o brasil não tem tradição em nenhum tipo de esporte num nível mundial salvo algum ou outro gato pingado, e o único esporte que tínhamos alguma moral também não temos mais porque todo tipo de trabalho esportivo feito aqui é na sua quase que totalidade um excremento inútil e mal feito.

Eu não consigo falar sobre treinamento inteligente com ninguém, com nenhum desses "profissionais" porque simplesmente eles não conhecem porra nenhuma, NUNCA FORAM ATRÁS DE UM LIVRO SEQUER, só sabem o 3x8 pra crescer, 4x10 pra definir e 5x5 pra ganhar força. Treino de aptidão? HAHAHA. Treinamento esportivo é tudo feito nas coxas estilo educação física de colegial - "hurr durr vamos fazer o que fica bom pra todo mundo". Atletismo é uma lenda, praticamente um mito que só existe talvez lá na Jamaica e USA. Sendo que uma base sólida em atletismo poderia melhorar todo esse cenário drasticamente. Eu não estou querendo dizer que eu sou algum especialista no assunto atletismo, mas alguma coisa eu sei e percebi por estudar o mínimo razoável que alguém que se diz "professor", que os fundamentos do atletismo servem para criar base para aptidão física que é uma coisa necessária em qualquer modalidade. Só que esse tipo de treino não é extravagante e muito menos "confortável" de fazer. É simples, rústico e pesado, segregador como tudo que realmente dá resultado nesse meio. Aliás esse papo de inclusão está muito em voga na nossa área, de "premiar a tentativa", "o importante é competir, não importa o resultado". Cretinos!  Infelizmente para esses idiotas, treinamento sério é extremamente excludente e sim, só os resultados reais importam, foda-se se você "tentou" mas continua sendo um saco de gordura nojento, ou um jogador de merda, ou fraco como uma borboleta. Por isso atletas bons levam anos, décadas para aparecer, porque precisam passar todo esse tempo se aprimorando, porque eles tem o mindset correto de saber que são medíocres mesmo que já estejam muito acima da média, e não esperam celebrações por fazer o que é preciso ser feito para se aprimorar. Mas no geral, não é isso que acontece, qualquer imbecil com 2 anos de treino em alguma coisa já se acha um super-herói, um vitorioso e os "profissionais" reafirmam essa ilusão para esses miseráveis de espírito.

Acho que nenhum deles deve ter ouvido falar sobre hipertrofia miofibrilar e sarcoplasmática na vida, porque é tanta merda feita e dita que eu fico abismado de ver, quase choro. Agora pergunte para algum desses especialistas se eles conhecem "trenamento funcional", "crossfit", "treino metabólico e tensional" eles te dão aula.


Esse é o meu treino metabólico.


Ensinar um exercício que não seja guiado por uma máquina anatomicamente projetada para driblar a ignorância e burrice do bro médio é uma lástima de se ver e com frequência, uma odisseia bastante cômica. Por isso todo dia eu vejo gente fazendo terra na smith machine, agachamento vergonhosamente alto e com calço nos calcanhares, supino com sapateado, HIIT sem uma gota de suor e mais um monte de invenções ordinariamente estúpidas. Eu achei que era um sonho mas outro dia eu vi um cara fazendo overhead squat no smith. Foi a coisa mais miserável que eu vi em muitos anos treinando e trabalhando nisso. Força e aptidão ninguém está melhorando e cada vez mais pessoas me procuram pedindo isso em vez de "meter o shape" porque eles veem com base no exemplo dos meus alunos e meu mesmo que uma força descomunal e plicável fora da academia, junto com um físico definido é muito mais útil e legal do que um corpo inchado para  pagar de gatão numa balada escrota tentando impressionar vadias que não valem a pena serem impressionadas.

Vários caras que eu fiz treino vieram me contar da impressão negativa que tiverem em outras academias de outras cidades onde ninguém faz agachamento, terra, overhead, ninguém ergue peso maciço, são só máquinas e mais máquinas e pagar de "estilosinho" na frente do espelho. Eles se sentiram como se fossem seres de outro planeta redescobrindo o fogo para aborígenes semi-inteligentes. Caras muito maiores que não conseguiriam erguer a metade do peso, mulheres desfilando, área de peso livre praticamente inexistente, só espaço para o supino, é claro. Bem, esse é o aspecto geral de como é conduzido o treino no brasil a fora, mais uma vez, salvo alguns oásis com professores que realmente merecem ser chamados dessa forma. Claro que a culpa maior disso tudo é do próprio chimpa que é preguiçoso e quer tudo o mais fácil e rápido possível, vendo que os meus tópicos específicos sobre métodos de treino são os menos acessados eu tenho ainda mais certeza disso, mas uma boa parte dessa merda toda pode ser creditada aos nossos queridos "profissionais" que saem dessa porra dessas faculdades aprendendo a fazer desserviços para os mais leigos, com essa tendência ultraconservadora de "evitar lesão", "overtraining", bem estar, "evitar excessos", "treinamento funcional" e todas essas merdas fit inúteis que você encontra em qualquer aldeia cravada no meio da floresta.


Sonho da galera, tirar a camisa na balada pra pega mulé. Isso é gay e acho que a maioria das mulheres concorda, pelo que eu percebo.

A título de curiosidade, o maior problema que eu encontro hoje em dia quando começo a treinar alguém, PRINCIPALMENTE se esse alguém já tem alguma experiência (ou acha que tem) em treino é a fraqueza absurda na região lombar e nos eretores de espinha. Não conseguem fazer um abdominal simples sem sentir um desconforto extremo nas costas, agachamento, terra, bom dia e outros são praticamente uma tortura e eles tem a certeza que vão ficar aleijados depois que saírem da academia. Isso é reflexo do que?

De treinos de merda feitos por "profissionais" vagabundos e burros que não sabem ensinar nada que não seja feito exclusivamente em máquinas. 

Por isso a capacidade de trabalho das pessoas é uma merda. Treinar pessoas neófitas sem priorizar fortalecimento na cintura escapular, quadril e eretor de espinha é igual construir um prédio sem fundação no meio do pântano. Mas enfim, a questão é que a maioria dos "professores" são uns inúteis que só fazem peso na terra e se você que está lendo isso e tem menos de 2 anos de treino acha que o seu instrutor é assim também, saiba que a sua prioridade é fortalecer quadril, eretor de espinha e cintura escapular. Deixe um pouco de lado as 10.000 séries de braços em cabos, abs na bola suíça e lixo funcional e faça exercício de homem. Tudo bem, quer um funcional ainda? Faça sprint de 400m sem subidas e se divirta vendo a sua alma saindo lentamente do seu corpo. Garanto que 2 meses fazendo isso será infinitamente muito melhor que todos esses anos que você fez seu circuitinho com o profe numa sala climatizada com música feliz ao fundo.

O segundo ponto importante da minha frustração é devido ao fato de que mesmo com todo esse histórico e de já ter uma jornada grande com treino e me conhecer bem e saber como eu respondo aos estímulos, ainda não estou livre de me frustar com resultados e acabo tendo que voltar a um ponto inicial lá no passado ou como se dizia naquele desenho que eu esqueci o nome "de volta a prancheta de desenhos". Se você lê o meu blog já sabe mais ou menos como eu treino, alto volume e alta intensidade, o que não é uma coisa "nova" e nem muito menos desconhecida por aí. Existem grandes nomes dos esportes de força que já falaram e aplicaram essa forma de treinar. Nosso grande Charlão (Charles Poliquin) era um cara que falava bastante desse tipo de treino baseado em coisas que ele aprendeu com os Russos e seguindo essa mesma "lógica" atualmente nós temos Sebastian Oreb que treina muita gente foda de alto nível como Eric Lilliebridge, Hafþór Júlíus Björnsson, aquele cara da primeira foto e vários outros que não precisa eu ficar aqui citanto. Esse estilo de treino, esse método, enfim, se chama super-acumulação (Super-Accumulation Program) e é lógico que cada treinador tem a sua particularidade na forma de aplicar isso, assim como eu mesmo que me baseei mais no Chaos and Pain do J.Lewis (e vale frisar que ele não é formado em alguma área relacionada a treino esportivo), que em todo caso, não deixa de ser uma vertente de super-acumulação. Basicamente, o que significa isso? Pergunte ao seu instrutor que ele deve saber ... HAHAHAHAHAHA


Parece que alguma coisa funcionou para o Jamie

Super-acumulação se refere a acumulação de estressores que ao longo das semanas vão te colocar no terrível "overtreinamento". Você vai treinar muito, de preferência duas vezes por dia sim, com porcentagens altas de 1RM nos exercícios principais e com grande volume, obviamente priorizando exercícios multiarticulares . Séries desafiadoras que vão fazer você duvidar da própria masculinidade semana após semana. Você vai começar a se sentir cansado, com dores de todos os tipos, desde tendinites, DOMS a dores de cabeça aleatórias, estressado fora da academia, e preferencialmente vai perder força, tamanho muscular e baixar seus níveis de T na fase final da super acumulação. Literalmente você vai se destruir de tanto treinar. O protocolo mais básico diz de permanecer nessa insanidade por umas 4 semanas e depois desse tempo tirar 5 dias de férias TOTAL da academia, nem pensar em erguer alguma coisa mais pesada que um garfo. Nada de trabalho leve, nada de aeróbico, nada de nada. Só muita comida e descanso. A teoria diz que seus ganhos nesse período OFF vão ser absurdos, e sua força estará maior quando você voltar a pegar pesado depois de alguns dias de re-adaptação.

Esse método é basicamente o que é o Chaos and Pain  é (fora a parte dos dias de folga) o que eu venho utilizando já a algum tempo, com a diferença de que eu faço um gerenciamento de cansaço, justamente para não perder força ao longo do tempo. Aliás eu descobri depois de todos esses anos que uma parte extremamente fundamental para evolução nos treinos, principalmente se o objetivo é mais e mais força é o gerenciamento do cansaço e isso é um pouco mais complexo do que possa parecer num primeiro momento, porque envolve uma série de fatores e avaliações que vão te deixar andando numa linha tênue onde de um lado você pode "queimar" (quando você frita o SNC) e "inexplicavelmente" parar de progredir ou se machucar todo fazendo coisas relativamente fáceis (e isso já aconteceu comigo, minha lesão mais séria depois de um rompimento de tendão foi fazendo um terra com peso de menina) e do outro lado fazer parte da vagabundagem geral de fazer muito pouco ou menos do que o realmente necessário, o que acabará com os ganhos também. Ou seja, esse gerenciamento de cansaço é e deve ser muito flexível, porém rigoroso, onde você tira o pé em algum execício ou atividade com base na intensidade e insanidade que você colocou em outro e assim sucessivamente, sempre tentando equilibrar as forças ao longo dos meses. Talvez esse meu gerenciamento foi o erro nesse período ao qual estou me referindo, já que eu faço isso com o objetivo de nunca precisar parar de treinar, e nisso as coisas vem dando certo, não sinto a necessidade de tirar "dias de folga" em momento algum.

Mas acontece que o super-acumulação não funciona dessa forma, você não gerencia nada na faze "treinar feito um psicopata" e deixa todo o descanso e recuperação na faze não fazer nada. J. Lewis abordou uma metodologia parecida com isso recentemente, baseado em pesquisa histórica sobre o nossa espécie humana. Resumidamente pre-supõe remeter-nos as condições do período paleolítico (faze áurea da espécie humana) onde os homens passavam por épocas de restrição alimentar severa (e quando digo severa é severa mesmo) com grande esforço físico justamente para sair desse potencial risco de morte e subsequentemente um período de acumulação de calorias e relaxamento das atividades, quando era menos frio e a caça era mais fácil . O que ele sugere é ficar durante um mês comendo muito, mas muito pouco, algo como nada mais que shakes de proteína ao longo do dia (não para ter ganhos mas para permanecer vivo), ou mesmo fazendo jejuns e o mínimo de comida no final do dia, algo entre pelo menos a metade do que a sua TMB diz que é necessário, treinando o mais pesado possível quantas vezes você suportar. Sim, você vai perder muito peso e muita força e é exatamente esse objetivo. É se transformar num mártir do treino, estar preparado para ouvir todo tipo de critica e se fortalecer mentalmente com isso. Após essa faze torturante, você vai passar algumas semanas treinando menos, mais ainda treinando, algo mais "metabólico" (conforme está na moda hoje em dia) e comendo muito, mas MUITO mesmo, sempre priorizando a proteína e não tendo escrúpulos alimentares. Esse é o seu momento de orgia alimentar, de saciar todos os seus demônios ocultos com prazeres de todos os tipos e sabores.

A teoria diz que os ganhos nessa faze alimentando a besta dentro de você serão surpreendentes e infinitamente maiores do que você jamais viu, porque o seu organismo vai tirar o máximo que puder de todos os nutrientes, e vai otimizar a sua funcionalidade já se preparando para um novo período de estiagem severa. Bem, pelo menos para mim isso faz todo o sentido, estou convencido que o segredo da vida e da evolução humana é alguma coisa misteriosamente cíclica, uma balança equilibrada por momentos maravilhosos e prósperos e proporcionalmente difíceis e desafiadores do outro lado, sempre tendendo mais para o lado ruim. Quanto pior e mais miserável for a faze de estiagem, melhor e mais grandiosos serão os resultados na faze de relaxar. Basicamente isso é super-acumulação mas por um período estendido.


Como eu sempre digo, "voltemos ao básico".

Ou seja, assim como "ciclamos" momentos de grande intensidade e potência com descanso e alimentação ao longo do dia, esse método estende essa ideia ao longo das semanas e meses, levando o corpo a dois extremos opostos para gerar novas adaptações e a partir disso criar um super-humano forjado pela dificuldade, restrição e insanidade, incrivelmente ascético, resiliente, forte e sudável (lembram da estratégia bi-modal? pois é). Como já dito, remonta as condições de vida dos nosso ancestrais longínquos que foram absurdamente mais grandiosos que o homem moderno, construíram as condições necessárias para o conforto que desfrutamos preguiçosamente hoje em dia. Um livro que não é especifico sobre treino, mas que explana essa condição de forma sublime, te lavando numa viagem ao passado que vai fazer você, ao mesmo tempo se envergonhar e querer mudar imediatamente para uma vida mais ascética é "Portões de Fogo" que fala sobre o cotidiano dos espartanos, que comiam pouco e treinavam muito e eram infimamente superiores aos seus conterrâneos.


Esse é o meu, paspalhos.

Bem, a minha frustração vem porque eu "tentei" aplicar mais precisamente esse protocolo, uma vez que eu faria uma viagem onde ficaria 5 dias sem nem pisar e nem ver uma academia muito menos fazer qualquer tipo de treino físico. Não ganhei o peso que eu esperava, alias perdi peso depois desses dias (peso esse que não está fácil de recuperar), mesmo comendo bem mais e treinando bem menos do que o normal para mim. Um pouco disso talvez seja porque eu passei mal por causa de intoxicação alimentar (isso que dá comer feito o chimpa comum) mas isso não vem ao caso, eu acho que o problema maior foram outros fatores que eu vou delimitar a seguir.

Eu já fiz algo parecido no passado, e ganhei vários quilos e mais massa muscular num período curto de tempo, e por isso eu fiquei ainda mais intrigado pelas coisas darem errado dessa vez. Eu reafirmo que concordo com toda essa teoria, como eu disse, para mim faz todo sentido e eu continuo a aplicar, mas eu acho que o meu problema foi por causa do meu gerenciamento de cansaço que me colocou numa espécie de "limbo" onde não seria possível ter ganhos tão rapidamente como eu esperava que teria. Pelo que dá para perceber ao passar por cima rapidamente dessa teoria toda, é que você deve ir aos extremos de verdade, não economizando em nenhum sentido ou como a modernidade gosta de dizer, "sendo moderado". Meu gerenciamento de cansaço faz eu tirar o pé em alguns momentos, justamente para poder treinar mais tempo sem perder força e desempenho, e quando digo mais tempo eu quero dizer o ano todo, porém a estratégia deveria ser esquecer esse gerenciamento por algumas semanas já que eu já tinha uma data estabelecida que eu não faria nada além de comer, dormir e relaxar. Se o seu prazo é longo um gerenciamento de fadiga é algo inteligente a se fazer, pois permite que você treine mais e mais, mas dado que a minha folga era próxima, eu não deveria ter feito gerenciamento nenhum, só treinado tudo que fosse possível em todos os treinos e exercícios. Esse gerenciamento parece uma coisa trivial mas é uma interpelação que evitaria casos do tipo que eu vejo com bastante frequência de caras bem intencionados e dispostos que vão na academia e querem dar tudo de si, o que é uma coisa boa, porém vão "no nervo" em tudo, até na esteira depois do treino e acabam queimando e ficam dois meses sem pisar na academia por causa da depressão do treino onde não evoluem na força e nem esteticamente. Vão, um, dois meses com tudo e do nada, quebram e voltam a estaca zero. Claro que over-treinamento é super estimado por aí, mas você precisa ser mais inteligente se quiser avançar, simplesmente porque o nossos corpos são frágeis a fracos por enquanto. Você precisa definir prioridades e focar nelas, se você faz um terra brutal por duas horas seguidas, 20, 30 séries de 3 com 90%RM, não há a necessidade de ir lá o meter o máximo de peso na remada curvada e fazer o mesmo. Pode ir um pouco mais leve e assim gradativamente, se o terra foi ruim, pegue mais pesados nos outros e assim por diante.

Na verdade eu fiz o protocolo certo, mas com um pouco de negligência, tirando o pé em alguns momentos que talvez não fossem necessários, e a mesma coisa do outro lado, não comi tanto como deveria por medo de destruir e minha definição e me sentir um saco de merda quando voltasse. E o resultado foi que por não ter ido nos extremos conforme eu deveria, não tive ganhos, perdi a definição, perdi peso e quando voltei me senti um saco de merda igual. Ou seja, não fiz nem uma nem outra coisa direito e acabei cagando com tudo. Talvez eu esteja sendo extremista aqui, mas isso só o tempo dirá, o que eu sei é que por enquanto estou decepcionado. Fora as criticas que tenho que ouvir diariamente por causa da minha perda de peso que foi além do esperado.

Talvez algum cretino esteja pensando ao ler isso que eu tenha treinado feito uma puta, e comido igual a um retardado, mas não, isso eu tenho orgulho de garantir. Continuei treinando duas vezes por dia, e além disso aumentei a restrição calórica semanal, fazendo jejuns de 24hrs alguns dias na semana (experiências essas que valem um tópico a parte que eu vou postar em breve). Um dos dias que eu fiz isso comentei com um colega da academia e ele simplesmente não acreditou que era possível erguer aqueles pesos na agachamento ou treinar dessa forma sem comer absolutamente nada o dia todo. Uma coisa legal de se treinar em restrição severa de calorias é que parece que você otimiza a técnica dos exercícios inconscientemente, justamente para gastar menos energia fazendo o que precisa ser feito, mas sobre isso eu vou falar em outro momento. Chegar em casa depois do treino e meditar estando quase desmaiado de cansado foi uma experiência fantástica, vocês deveriam experimentar.


Meu físico depois dessa insanidade.

O fato é que no dia final algumas horas antes de sair de folga, com tendinites nos cotovelos, dor absurda na parte inferior das costas, dor muscular dos outros dias, uma dor incrivelmente ruim que eu ainda não sei o que é na inserção do fêmur no quadril, (que inclusive me faz acordar vários dias no meio da noite) cansado e sem vontade de treinar, eu estava lá em jejum a umas 20 horas, fazendo agachamentos com 80%RM que se tornaram 100%RM e barras fixa, e mesmo assim eu respondi mal nos dias de folga. Me senti pior com relação a se sentir travado e com dores nos primeiros dias. Seria isso um "vício" em treino? Talvez. Uma coisa que um outro colega meu me disse foi que talvez eu devesse ter estendido esse período OFF por mais alguns dias, já que basicamente esse esquema é o que eu venho fazendo o ano todo e 5 dias apenas não seriam realmente suficientes. Concordo com isso também, o grande problema nisso é FICAR mais que 5 dias sem treinar, eu me conheço e sei que isso será bem difícil de fazer e talvez improvável de acontecer, é claro que se nada de anormal me ocorrer.

O que eu quero que fique claro nesse tópico é que por mais que corramos atrás de alguma coisa, seja estudando, praticando e fazendo da nossa vida em geral uma extensão desse ofício ou paixão, ainda estamos sujeitos a falhas, erros e frustrações, e esses erros são o que fazem tudo valer a pena no final, pois só pelos fracassos que você passa se desafiando você se sente realmente vivo e pronto para evoluir. Erros que eu cometi, que eu comentei por cima aqui ficam de lição, as experiências novas que eu tive me fazem sentir ainda mais amor pela vida e ainda mais vontade de ensinar direito os meus alunos, se distanciar cada vez mais na normalidade é uma experiência e uma descoberta fantástica que fazem todos os esforços, restrições, dores e sofrimentos valerem a pena. Isso fica de bagagem na minha experiência pessoal, como conhecimento aplicado e isso ninguém pode tirar de mim e fundamentalmente é o que realmente somos e temos de mais valioso.

Sejam incríveis.


..........


Motivacional.